0 Maravilhas Aquáticas do Jalapão - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Maravilhas Aquáticas do Jalapão - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Ubersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jido)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Maravilhas Aquáticas do Jalapão

Brasil, Tocantins, São Félix do Tocantins, Mateiros

A linda Cachoeira do Formiga, região de Mateiros, no Jalapão - TO

A linda Cachoeira do Formiga, região de Mateiros, no Jalapão - TO


Nessa nossa longa viagem temos usado dois livros-guia para nos ajudar em nossas explorações. Um é o Guia 4Rodas, usado muito de vez em quando para procurar algum hotel ou atração do local. Não o usamos para definir aonde vamos, mas para nos auxiliar em alguns dos lugares aonde já decidimos ir. O outro é o Lonely Planet, inclusive no Brasil. É meio vergonhoso, mas temos de usar um livro em inglês para nos ajudar aqui no Brasil, já que não há similares nacionais com a mesma qualidade. Outra opção é a internet. Seria a melhor, sem dúvida, se tivéssemos tempo para pesquisar. Mas, como estamos sempre mudando de lugar, numa viagem non-stop, fica muito difícil fazermos uma pesquisa mais aprofundada. Finalmente, o que realmente definiu nosso roteiro aqui pelo Brasil foram conhecimentos prévios que tanto eu como a Ana já tínhamos. E, claro, ao longo da viagem, conversando com pessoas, ficamos sabendo de novos lugares e refazendo nosso roteiro, que é bem "maleável".

Transporte por burros, ainda muito comum em em São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO

Transporte por burros, ainda muito comum em em São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO


A Cachoeira do Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO

A Cachoeira do Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO


Aqui no Jalapão, foi meio diferente. Eu já conhecia algumas coisas aqui, de uma viagem de onze anos atrás, então já tinha uma ideia mais geral sobre aonde ir. Mas quem tem sido meu verdadeiro guia aqui, nos detalhes, é o belo e profissional roteiro que um amigo viajante, que conheço através (e somente!) desse site postou, após uma viagem pelo Jalapão, no site mochileiros.com. É o Luís, que costuma aparecer nos comentários do site, sempre com dicas valiosas. Valeu, Luís! Pena que temos menos dias que você teve para explorar as belezas da região, então temos tido o difícil trabalho de ter de escolher aonde ir e aonde não ir. Mas, até agora, tem dado certo!

Sempre-Vivas ao lado do Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO

Sempre-Vivas ao lado do Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO


Subindo o Rio da Prata com nosso guia, o Paulino (região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO)

Subindo o Rio da Prata com nosso guia, o Paulino (região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO)


Foi assim que, hoje, deixamos para trás a Catedral e o Encontro dos Rios para seguirmos diretamente para o rio Prata e sua grande cachoeira, já no caminho entre São Félix e Mateiros. Mais belo que a própria cachoeira foi termos subido o rio por algum tempo, caminhando, e descido por dentro d'água, nós dois, com máscara de mergulho e máquina fotográfica. A água escura mas muito limpa rendeu belas fotos e ótimas paisagens subaquáticas. Peixes nos acompanhavam enquanto plantas "frondosas" ficavam para trás. Muito interessante! Dica do Luís, hehehe! Outra coisa primordial foi termos ido acompanhados de um guia. O caminho nem é tão difícil, mas se não fosse pelo guia apontar os desvios, certamente teríamos atolado nos muitos charcos traiçoeiros que existem no caminho.

Mergulhando no Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO

Mergulhando no Rio da Prata, região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO


Nadando no rio da Prata, na região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO

Nadando no rio da Prata, na região de São Félix do Tocantins, no Jalapão - TO


De lá seguimos para a mais bela das cachoeiras do Jalapão, a Cachoeira do Formiga. Esta já está mais próxima de Mateiros e tem uma água de tonalidade esverdeada e quase completamente transparente. É sensacional! Forma um poço de ótimo tamanho para se nadar. Da temperatura, nem preciso falar; aqui no Jalapão não existe água fria! Mas, o mais incrível mesmo é a transparência da água. É possível ver todo o turbilhão criado pela cachoeira. Nadando no meio dele (e tomando cuidado com as pedras!), parece que estamos em uma máquina de lavar roupa. Muito legal! Saindo do turbilhão, é como se estivéssemos em um aquário.

Refresco delicioso na Cachoeira do Formiga, região de Mateiros, no Jalapão - TO

Refresco delicioso na Cachoeira do Formiga, região de Mateiros, no Jalapão - TO


Nadando no poço de águas transparentes da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO

Nadando no poço de águas transparentes da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO


E lá ficamos, do aquário para a máquina de lavar roupa, da máquina de lavar roupa para o aquário. Aquilo tudo só para nós. É a vantagem de se poder viajar fora de feriados e período de férias, durante dias de semana. Por enquanto, tem sido assim em todas as atrações do Jalapão.

Divertindo-se no forte turbilhão da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO

Divertindo-se no forte turbilhão da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO


Águas cristalinas no poço da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO

Águas cristalinas no poço da Cachoeira do Formiga, na região de Mateiros, no Jalapão - TO


Já bem fim de tarde, seguimos viagem para Mateiros, 35 km à frente. É o mais conhecido destino no Jalapão, pequena cidade usada como base para se explorar cachoeiras, dunas, rios e montanhas. Já está bem maior do que há onze anos, mas continua lembrando muito uma versão tupiniquim das antigas cidades do faroeste. Sem os bandidos, porque todo mundo é muito amável! Lembro-me de ter achado Mateiros um dos lugares mais isolados que já tinha conhecido, quando vim da outra vez. Mais de 160 km de terra para aqui chegar, vindo de Ponte Alta, uma aventura! Agora, vindos do P.N das Nascentes do Parnaíba, ao contrário, parece uma metrópole. A estrada, uma autobahn. É, tudo é relativo, muuuuito relativo...

Mateiros, no Jalapão - TO

Mateiros, no Jalapão - TO

Brasil, Tocantins, São Félix do Tocantins, Mateiros, Cachoeira da Prata, Cachoeira do Formiga

Veja mais posts sobre Cachoeira da Prata

Veja todas as fotos do dia!

A nossa viagem fica melhor ainda se você participar. Comente!

Post anterior Chegando à 3a ponte, um importante ponto de referência no segundo dia da travessia Maranhão-Jalapão

Mais Fotos do Sufoco

Post seguinte Visitando o mais tradicional fervedouro do Jalapão, próximo à Mateiros - TO

O Deserto e os Fervedouros

Blog da Ana Refresco delicioso na Cachoeira do Formiga, região de Mateiros, no Jalapão - TO

Jalapão: O Deserto das Águas

Comentários (6)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 06/07/2016 | 11:21 por Floresta

    Já encantado com o Jalapão, mesmo não tendo podido ir ainda, no seu site pode-se ter a certeza que é uma das maravilhas do nosso Brasil e do Mundo e que não podemos deixar de ir de forma alguma.

    Parabéns colega de aventuras.
    Abraços.

  • 11/07/2014 | 17:10 por Diana

    Obrigada pelas dicas e pela ajuda Rodrigo. Últimas perguntas rsrsrs Nós vamos para o Jalapão em um carro pequeno comum, tem como a gente chegar lá tranquilo? Ou só de Fiona? rsrsrs Adoro... mas não podemos. rsrsrs As estradas para a cidade de Mateiros são boas ou perigosas? E as atrações? Quais eu podemos ir no nosso carro e quais eu vou ter que contratar uma agência? Por exemplo: para ver as dunas, o fervedouro, o rio Novo, a cachoeira da Velha, a cachoeira da Formiga, cachoeira Roncadeira e a Pedra Furada. Quais podemos ir com um carro normal e quais vamos ter que contar com uma Fiona? Lá na cidade mesmo tem agências com guias, não é? Estamos programando nossas férias com base nos seus relatos e da Ana também. E o Rio Azuis e a Terra Ronca encontramos por causa dos relatos aqui do seu blog. Estão na nossa lista agora. Abraços e obrigada por ser sempre tão gentil e solidário.

    Resposta:
    Oi Diana

    As estradas principais do Jalapão são de terra, mas são boas. Vc pode ir tranquilamente até Mateiros em um carro pequeno. Que eu me lembre, vc pode ir a todas essas atrações com seu carro, com exceção das dunas, que vc tem de pegar uma estrada secundária, com muita areia e aí, o carro pequeno não passa. A solução é vc caminhar esses últimos quilômetros ou tentar uma carona ou contratar ajuda em Mateiros mesmo. Mas não perca a chance de ir lá que é mágico! Em Mateiros tem guias sim.

    Rio Azuis é rapidinho de conhecer. Terra Ronca, recomendo uns 3 dias por lá. Cada caverna é uma viagem! Vá com o guia Ramiro. É o melhor de lá!

    E continue perguntando sempre que quiser!

    Abs

  • 06/12/2012 | 17:54 por AGAMENON PEDROSA

    Caro Rodrigo, inicialmente quero te parabenizar pelo belo trabalho que faz aqui. Muito informativo e bem ilustrado. Parabens!

    Moro em Floriano (PI), onde exerço advocacia, e, também, gosto muito de me aventurar em meio a natureza.

    No Carnaval deste ano, saíndo de Brasília (DF), viajei pelo Planalto Central, onde conheci o P N da Chapada dos Veadeiros. Lugar lindo. Minha viagem ficou um pouco prejudicada em razão das intensas chuvas... Decidi, então, rumar para o P E do Jalapão.

    No domingo de Carnaval, cheguei em Rio da Conceição (TO) com a idéia de ir até Mateiros (TO), mas fui aconselhado a não seguir em frente, pois as chuvas estavam muito pesadas e a estrada para lá estava intransitável... Decidi, então, retornar ao Piauí e visitar o Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI), que era caminho de casa. Foi muito bom.

    Durante a Semana Santa visitei o Parque Nacional da Chapada das Mesas. Um encanto de lugar. Muito bonito.

    Agora, neste final de ano, com o recesso Forense, quero aproveitar para conhcer o Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba e, também, o P E do Jalapão. Pesquisando sobre o tema, depareime-me com o teu belo Blog e o comentário sobre Mateiros: "Agora, vindos do P.N das Nascentes do Parnaíba, ao contrário, parece uma metrópole. A estrada, uma autobahn".

    Se não for pedir muito, gostaria que me desse umas dicas sobre o roteiro que percorrestes entre o P N das Nascentes do Rio Parnaíba e a cidade de Mateiros; especialmente sobre as condições dessa "autobahn".

    Desde já, agradeço-te por qualquer atenção. Obrigado.

    Resposta:
    Olá Agamenon

    Em primeiro lugar, parabéns pelas belas viagens que vem fazendo e pelo espírito aventureiro. vc tem conhecido alguns dos lugares mais bonitos do nosso país! e, pelo visto, vai continuar no ritmo! Muito joia!

    Então, essa rota do P.N das Nascentes do Parnaíba para o Jalapão é uma verdadeira aventura. Não há estrada, apenas uma antiga trilha e uma rota. Só trecomendo para jipeiros com experiência e, muito impotante, em grupo! Se algo acontecer no meio do caminho, são dezenas de quilômetros até a casa mais próxima.

    Fizemos um relato dessa jornada em alguns posts. A parte mais difícil está nesse link: http://www.1000dias.com/rodrigo/que-sufoco. No final do post, há links para o relato anterior e posterior. Vc vai ver que não foi fácil. Felizmente, para nós, ao final, tudo deu certo. Mas como o próprio nome do post indica, foi um sufoco! Por isso disse que, depois dessa estrada, as estradas do Jalapão pareciam Autobahns!

    Um abraço

  • 24/05/2011 | 17:49 por Robson Schneider

    Fala ae meu amigo tudo bem.. bom pela data do post. nos estavamos no mesmo lugar... só acho que não batemos os horários... até mais.. legal os teus post cara..

    Resposta:
    Olá Robson!
    Então, foi por pouco...
    E aí, gostou do Jalapão? Continua por aí? Aonde mais foi?
    Legal que gostou dos posts!
    Um abraço e, da próxima vez, vamos combinar os horários!

  • 20/05/2011 | 00:47 por Luis

    Pelo visto, os rios estão cheios. Acho que vale a pena ir até a cachu do Lageado com essa quantidade de água. Fica uns 30km antes de chegar em Ponte Alta do Tocantins. Pra quem vem de Mateiros, a entrada, à esquerda fica uns 34 km da bifurcação da principal para a Velha. Perto do km 33 a estrada faz uma curva suave à direita.

    Resposta:
    Oi Luís
    A gente até ía entrar mas, quando chegamos lá, domingão, demos com um grupo enorme de turismo, se dirigindo para lá. Depois da manhã espetacular no Rio Novo, ficamos meio com preguiça e resolvemos seguir direto para Ponte Alta e de lá, para Palmas. No fim, foi a coisa certa, pq acabamos ficando um bom tempo em Ponte Alta, nos divertindo ... adivinha!... na ponte, hehehe.
    Daqui a pouco coloco o.post
    Abraços

  • 20/05/2011 | 00:30 por Luis

    Ô Rodrigo, obrigado pela referência.
    O Prata estava cheio heim!!!
    Foi maravilha o drift. Legal as Sempre Viva. Qdo fomos não estavam na floração.
    Esta época é muito boa. Por falar em água quente, vc vai ver o que é o rio Novo. Vcs ficarão até a noite dentro dágua. Tá com sede! Basta enfiar a cabeça dentro do rio e beber. É um dos pouco rios no mundo onde a água é potável. Só espero que não esteja tão quente. Qdo pernoitamos, tivemos que molhar as toalhas para dormir, tamanho o calor. E essa água do Formiga...

    Resposta:
    Oi Luís
    É o mínimo que eu poderia fazer, depois daquele "roteiro detalhado" que vc montou, né?
    O Prata estava mesmo cheio. Mesmo assim, ainda dava para enxergar o fundo, 6-7 metros lá embaixo. Meio escuro, mas dava. Beleza de drift!
    A passagem pelo Rio Novo foi espetacular, como vc pode ver nos post do dia 21
    Abraços

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet