0 Andanças em Quixadá - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Andanças em Quixadá - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Ubersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jido)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Andanças em Quixadá

Brasil, Ceará, Quixadá

No alto da Galinha Choca, próxima ao seu 'rabo', em Quixadá, no sertão do Ceará

No alto da Galinha Choca, próxima ao seu "rabo", em Quixadá, no sertão do Ceará


O primeiro programa do dia, logo depois do sadio café da manhã com vista para o verde sertão, foi subir a Pedra dos Ventos. Quem subiu foi a Fiona, tração 4x4 e marcha reduzida. Não é para qualquer carro, nem na subida nem na descida. Mas a nossa querida Fiona não é "qualquer carro" e nos levou lá tranquila e confortavelmente!

Tempo nublado no alto da Pedra dos Ventos, em Quixadá, no sertão do Ceará

Tempo nublado no alto da Pedra dos Ventos, em Quixadá, no sertão do Ceará


Linda vista do sertão. Coberto de brumas e névoas, quem diria! Lá encima tem uma rampa de asa delta para os bravos que se atiram naquele vazio. Ouço falar que a região oferece ótimas térmicas e que, na época certa do ano, os praticantes desse esporte maravilhoso ficam horas voando, e chegam a voar mais de uma centena de quilômetros!

A famosa pedra da Galinha Choca, em Quixadá, no sertão do Ceará

A famosa pedra da Galinha Choca, em Quixadá, no sertão do Ceará


Descemos de volta ao hotel e, já com as coisas no carro, seguimos para o Açude do Cedro e Pedra da Galinha Choca. Basta vê-la para se entender o nome! Ali encontramos o Ciro, nosso guia para escalar a cabeça da galinha. Mas, por uma série de desencontros, ele estava achando que nós não iríamos, e não levou o equipamento. Nossa escalada virou um trilha, não até a cabeça, mas ao corpo da galinha. Nós é um grupo de pessoas de Fortaleza, familiares e amigos do Carlos Cláudio, uma fã de carteirinha da região de Quixadá.

Com nosso grupo, no alto da Galinha Choca, em Quixadá, no sertão do Ceará

Com nosso grupo, no alto da Galinha Choca, em Quixadá, no sertão do Ceará


É uma trilha bem tranquila que propicia vistas magníficas da região. Lá de cima, podemos ver todo o açude do Cedro, obra idealizada por nosso ex-imperador. Quanto mais viajamos e conhecemos o país e sua história, mais fãs ficamos deste senhor, D. Pedro II.

A barragem iniciada por D. Pedro para formar o Açude do Cedro, em Quixadá, no sertão do Ceará

A barragem iniciada por D. Pedro para formar o Açude do Cedro, em Quixadá, no sertão do Ceará


Durante a caminhada, chuva. Sinal de que não poderíamos ter mesmo escalado hoje, mesmo com equipamento. Menos mal, ficamos um pouco menos decepcionados... Mas foi rápida, apenas para molhar um pouco a rocha. Logo passou e já estávamos andando sobre a barragem, ali do lado do açude.

Santuário de Nossa Senhora, a Rainha do Sertão, em Quixadá, no sertão do Ceará

Santuário de Nossa Senhora, a Rainha do Sertão, em Quixadá, no sertão do Ceará


Difícil foi não nadar ali. mas a gente se segurou. Ainda tínhamos outro programa antes de seguir para Guaramiranga, na Serra do Baturité. Seguimos para a Serra do Santuário, outro lugar com vistas magníficas, principalmente da Pedra da Baleia. Mas a principal atração do local, como indica o nome, é um belo Santuário. É em homenagem à Nossa Senhora Rainha do Sertão. Um longo caminho calçado leva até lá, oito quilômetros serra acima. Imagino que haja procissões que sigam à pé, um duro caminho se for feito durante os dias mais quentes, quando a temperatura pode chegar aos 40 graus! Nós, com um pouco menos de fé, seguimos de ar condicionado. Assim, chegamos ao santuário com bastante tempo para ler a história das padroeiras de todos os países da América Latina, uma verdadeira coleção de Nossas Senhoras, todas muito bem representadas dentro do santuário. Muito jóia ler a história de todas elas. Ainda mais naquele cenário grandioso.

Rampa de asa delta e a Pedra da Baleia, em Quixadá, no sertão do Ceará

Rampa de asa delta e a Pedra da Baleia, em Quixadá, no sertão do Ceará


Metade do dia tinha passado. Ainda tínhamos muitos quilômetros, sertão, chuva e montanhas pela frente...

No alto da Galinha Choca, próxima ao seu 'rabo', em Quixadá, no sertão do Ceará

No alto da Galinha Choca, próxima ao seu "rabo", em Quixadá, no sertão do Ceará

Brasil, Ceará, Quixadá,

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Pedra da Galinha Choca e Açude do Cedro, em Quixadá, no sertão do Ceará

No Verde Sertão de Quixadá

Post seguinte Bela varanda do restaurante Hofbrauhaus, na pequena Mulungu, próxima à Guaramiranga, na Serra do Baturité - CE

Serra do Baturité

Blog da Ana Placas de distância no restaurante Hofbrauhaus, na pequena Mulungu, próxima à Guaramiranga, na Serra do Baturité - CE

A Serra do Mar Cearense

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet