0 Playa Blanca, After Hours - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Playa Blanca, After Hours - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Playa Blanca, After Hours

Colômbia, Cartagena, Playa Blanca

Um magnífico castelo de areia na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Um magnífico castelo de areia na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Praias não são o ponto forte de Cartagena. O mar é meio escuro, a faixa de areia é pequena e há muitas pedras. Enfim, a população local se diverte, principalmente nos finais de semana, mas ninguém viaja para cá em busca delas, principalmente os estrangeiros. Mas a história começa a ficar diferente quando nos afastamos um pouco da cidade...

Barcos se alinham no cais em Cartagena para levar centenas de turistas à Playa Blanca, na Colômbia

Barcos se alinham no cais em Cartagena para levar centenas de turistas à Playa Blanca, na Colômbia


Desde que fizemos nossos primeiros amigos colombianos, lá em Cali, muito antes de chegarmos aqui na primeira vez, que eles já nos disseram: “Quando forem à Cartagena, não deixem de ir à Playa Blaca1” . Conselho de gente local, devemos sempre levar a sério. E nós levamos! Não fomos a tal praia na nossa primeira passagem pela cidade porque naquele mês de festas, ela estaria lotadíssima. Mas agora, numa [época mais tranquila, ela não nos escaparia. Ainda mais que tínhamos um “dia de folga” antes de começarmos o processo de resgate da Fiona. Assim, ontem de manhã nos despedimos dos nossos amigos suíços e do Hostel Mamallena e, de mala e cuia, viemos para Playa Blanca.

Turista aguardam  a sua vez de abordar no cais em Cartagena, para seguirem à Playa Blanca, na Colômbia

Turista aguardam a sua vez de abordar no cais em Cartagena, para seguirem à Playa Blanca, na Colômbia


Nosso barco, no caminho de Cartagena à PLaya Blanca, na Colômbia

Nosso barco, no caminho de Cartagena à PLaya Blanca, na Colômbia


Uma visita à praia e também às vizinhas Islas Rosario é um dos mais populares day-tours oferecidos aos turistas que visitam Cartagena. Pode-se chegar à praia de carro também, depois de passar pela fila da balsa, mas 99% dos visitantes vem mesmo de barco, nesses day-tours organizados em Cartagena. O esquema é profissional mesmo. São umas vinte lanchas rápidas que saem do cais turístico da cidade, cada uma levando uma vinte pessoas. Caminhando para o porto, bem cedinho, a gente já vê os turistas vindo de todas as direções, assim como também vans e micro-ônibus que os trazem de hotéis mais distantes. Antes de chegar ao cais, vendedores já nos empurram os ticktes, cerca de 30 dólares já incluindo almoço, taxas do parque e o transporte para a praia e também as Islas Rosario. Para quem só vai na Playa Blaca, um pouco mais barato.

Chegando à Playa Blanca, na Colômbia

Chegando à Playa Blanca, na Colômbia


A movimrntada Playa Blanca, na Colômbia

A movimrntada Playa Blanca, na Colômbia


Já dentro do porto, sentamos em nossas cadeiras e esperamos que chamem nossos nomes para embarcarmos em uma das lanchas. Lancha cheia, seguimos à toda velocidade, passando por Boca Grande e Boca Chica (as duas entradas de mar que dão acesso à Cartagena, o sonho de todo o pirata que se ´preze nos séc. XVII e XVIII), damos uma paradinha para observar os fortes que protegiam essas passagens e seguimos para a Playa Blanca.

Playa Blanca, na Colômbia

Playa Blanca, na Colômbia


Aí, nossa lancha praticamente se esvaziou, pouca gente disposta a seguir para as Islas Rosario. Essas ilhas formam um parque nacional destinado a proteger flora, fauna e os corais que fazem a fama do local. Apenas a maior das ilhas é pública, enquanto que a grande maioria dos cayos menores é tomada por hotéis exclusivos e mansões.

Muito bem instalado em quiosque na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Muito bem instalado em quiosque na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Um belo fim de tarde na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Um belo fim de tarde na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Lá chegando, o espertão do motorista do barco quis nos vender, por outros 13 dólares por cabeça, a chance de fazer snorkel. Incluído no preço, máscara, nadadeira, colete salva vida e um guia para nos mostrar os peixinhos. Os outros poucos passageiros reclamaram do preço, barganharam uns 15% de desconto a compraram o “pacote”. Nós, que tínhamos levado nossas máscaras, indignados, recusamos terminantemente qualquer acordo. Afinal, já estávamos sobre o mar e certamente não precisávamos de guia e colete. Além disso, para nós, já estava tudo incluído no preço que pagamos lá em Cartagena. O capitão disse que não, que o preço só incluía nos deixar na praia da ilha e não ali, no mar, pronto para o snorkel. “Okay, nos deixe na praia, então!”. E assim foi, deixados na praia, nadamos os cem metros até o ponto de snorkel, ficamos por lá uns quarenta minutos e voltamos para a praia, para que ele pudesse nos pegar novamente. Guia para snorkel, só me faltava essa...

Nossa casa e nossas 'camas' (as redes com mosquiteiro) na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Nossa casa e nossas "camas" (as redes com mosquiteiro) na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Hora de acordar, na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Hora de acordar, na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Bom, fim da primeira etapa do passeio, seguimos (ou voltamos!) para a seguinte: a Playa Blanca. Praia linda, mas com boa parte dela totalmente tomada por turistas e vendedores. Esquema farofa, O almoço incluído é servido em esquema industrial, nos diversos quiosques que existem na praia. A cada barco que chega, os donos de quiosques fazem uma divisão e levam três ou quatro para seus restaurantes. Com direito à limonada. Qualquer coisa fora disso, preço extra. Para quem gosta de lagosta, por exemplo, e disposto a pagar, não vai se arrepender.

Pela manhã, turistas começam a chegar à Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Pela manhã, turistas começam a chegar à Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Bom, terminado o almoço, terminava também nosso vínculo com o barco. Afinal, preciosa dica dos amigos colombianos lá de Cali, não voltaríamos hoje para a cidade. Eles bem disseram: “A Playa Blanca é maravilhosa! Mas tem de ser depois dos turistas irem embora e, no dia seguinte, antes deles voltarem!”. Então, com nossas mochilas para uma troca de roupa, caminhamos o mais longe possível da farofa e esperamos o tempo passar. Nesse meio tempo, decidimos aonde dormir: a casa da Dona Ana, nas redes com mosquiteira colocadas no avançado da casa, sobre a areia mesmo. E ela ainda nos emprestou uma das cabines para guardar e trancar nossas coisas.

Venda de cocos na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Venda de cocos na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Daí para frente, foi só alegria! Areias brancas, mar de águas claras e mornas, cerveja gelada. Melhorou mais ainda a partir das três da tarde, quando as lanchas começaram a partir. Às cinco, foi-se a última e a praia era de uma tranquilidade total, restando apenas uns poucos turistas que, como nós, tiveram a brilhante ideia de vir para ficar, todos com sorrisos de orelha à orelha. Depois da música alta durante o dia, o barulho do mar era um refresco para nossos ouvidos.

Ana, dona da nossa 'pousada' na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Ana, dona da nossa "pousada" na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Já de noite, caminhando para o canto da praia, descobrimos duas ou três pousadas de verdade. Ali descobrimos que alguns mochileiros vem para passar a semana toda e que, naquele canto da praia, os barcos de turistas não chegam. Cada vez mais explicado a fama de paraíso que essa praia tem entre os mais descolados. No meio daquela muvuca, ainda durante o dia, estava difícil de entender. Mas agora, sob o céu estrelado e aquele clima tranquilo de praia, nossos pés na areia enquanto tomávamos nossa cerveja, tudo fez sentido.

Junto com o vendedor de driques na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Junto com o vendedor de driques na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Carrinho de bebidas na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia. Até 'Kay Piriña' eles vendem!

Carrinho de bebidas na Playa Blanca, em Baru, na Colômbia. Até "Kay Piriña" eles vendem!


Voltamos para as nossas redes e dormimos protegidos dos mosquitos. Mas, para azar da Ana, um grupo de colombianos chegou de carro na praia e resolveu se instalar justo ali, na casa da Dona Ana. Vieram na última balsa e estavam dispostos a pegar a primeira balsa do dia seguinte, às cinco da manhã. Para isso, resolveram não dormir e beber toda a noite. Pior para a Dona Ana, que ficou servindo as bebidas e para a minha Ana, que não conseguia dormir por causa do barulho. Eu, confesso, dormi como uma pedra.

O Alonso mostra a sua arte nas areias da Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

O Alonso mostra a sua arte nas areias da Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


No dia seguinte, aproveitamos as primeiras horas da manhã quando a praia era só nossa. Quer dize, quase só nossa, pois haviam outros poucos por ali. Entre eles, o Alonso, um colombiano que já morou muito tempo no Rio. Ele é escultor (ou arquiteto) de castelos de areia e vivia disso na Cidade Maravilhosa. Por aqui, também tinha feito um castelo, uma verdadeira obra de arte. Estava até com dois alunos ingleses. Bateu um longo papo com a Ana, cheio de histórias e aventuras para contar. Incrível história de vida!

Turistas tomam a Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Turistas tomam a Playa Blanca, em Baru, na Colômbia


Aos poucos, os turistas foram chegando e a tranquilidade, sumindo. A gente tratou de se acostumar ao novo ritmo, aproveitamos o mar ao máximo e, no meio da tarde, pegamos uma lancha de volta à Cartagena, felizes como nunca por ter dado essa escapada. Para quem vai à Cartagena e tem um pouco de tempo, não perca a chance de passar uma noite na Playa Blanca! Quanto a nós, estávamos prontos para começar o processo de tirar a Fiona do porto. Não vemos a hora de estar na estrada novamente, à bordo da nossa saudosa e queridíssima companheira!

Despedida da Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Despedida da Playa Blanca, em Baru, na Colômbia

Colômbia, Cartagena, Playa Blanca, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior AS famosas muralhas de Cartagena, na Colômbia

Cartagena, América do Sul

Post seguinte Nosso hostal em Cartagena, na Colômbia

Nossa Casa em Cartagena

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 18/07/2014 | 19:11 por Geisi

    Oi Rodrigo, meu namorado e eu gostaríamos de ficar uma noite na Playa Blanca também, mas pela internet só encontrei hotéis e além do mais, bem luxuosos. No teu post tu falaste sobre pousadas.. saberia dizer se tem hostel lá também?
    Desde já muito obrigada!

    Resposta:
    Oi Geisi

    Tem várias pousadinhas e hostels por lá, do lado direito da praia, quando se olha para o mar. E muitas casas de Pescadores alugam quartos e redes também.

    Sempre se encontra um lugar

    Vcs vão adorar! A melhor hora da praia é quando os turistas de barco vão embora

    Abs e boa viagem!

  • 19/05/2014 | 01:25 por Natalia

    Olá!! Estou programando viagem para Cartagena e adorei suas dicas e lá e principalmente de Playa Blanca... Sobre as pousadas que citou, que ficam no final da praia para aqueles que querem ficar alguns dias, tem os nomes ou contato? Parabens pela cobertura, está ajudando bastante! Abraços

    Resposta:
    Olá Natalia

    Infelizmente, não temos esses contatos. Mas não deve ser difícil encontrá-los na internet. De qualquer maneira, quero reforçar a ideia de que as melhores horas da Playa Blanca, quando ela fica realmente especial, é quendo os turistas vão embora, no final da tarde, e antes deles chegarem, de manhã. Quando estivemos lá, quase todas as pousadas tinham vaga, mesmo para quem não tinha reserve.

    Um abraço e aproveite a viagem!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet