0 Nosso Roteiro em Galápagos - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Nosso Roteiro em Galápagos - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Nosso Roteiro em Galápagos

Galápagos, San Cristóbal, Santa Cruz, Isla Santiago, Isla Isabel, Isla Darwin, Baltra, Isla Wolf, San Bartolomeu

Roteiro do barco em Galápagos

Roteiro do barco em Galápagos


Basicamente, existe três tipos de viagens à Galápagos. Para quem quer priorizar os mergulhos, há os live-aboards, roteiros de uma semana que nos levam aos melhores pontos de mergulho do arquipélago, com algumas rápidas excursões terrestres pelas ilhas. Para quem quer priorizar as ilhas, tours de uma semana, também em barco, levam aos pontos turísticos terrestres espalhados pelas diversas ilhas. No caminho, algumas oportunidades para snorkel. E há aqueles que ficam baseados em terra mesmo, fazendo tours diários para ilhas próximas ou mesmo mudando-se de uma ilha para outra, quando isso é possível. A grande desvantagem dessa última alternativa é que o alcance dos tours diários é muito pequeno e muitos dos lugares mais interessantes estão bem mais distantes.

Puerto Baquerizo Moreno, na Ilha de San Cristóbal, em Galápagos

Puerto Baquerizo Moreno, na Ilha de San Cristóbal, em Galápagos


Antigamente, era possível fazer uma mescla das duas primeiras alternativas, vários dias mergulhando e vários dias visitando ilhas. Mas a administração do parque não permite mais isso (???), então temos é de escolher mesmo, terra ou água. Para quem gosta de mergulhar, os melhores pontos estão nas distantes ilhas de Wolf e de Darwin, por onde passam os tubarões-baleia. A única maneira de chegar lá é nos live-aboard, o que, então, não nos deixa muitas alternativas. Os snorkels e mergulhos que são possíveis de fazer durante os tours terrestres não passam nem perto disso.

Prontos para o primeiro mergulho em Galápagos, perto do porto em San Cristóbal

Prontos para o primeiro mergulho em Galápagos, perto do porto em San Cristóbal


Enfim, optamos pelo live-aboard. E para conhecer um pouco mais da parte terrestre, resolvemos ficar mais dois dias no arquipélago, depois que terminasse nossa semana no barco. Com esse plano, conseguimos ver o que há de melhor em mergulho em Galápagos e também várias das atrações terrestres, embora nesse quesito faltou ainda muito por ver.

Um preguiçoso leão-marinho nos dá as boas vindas à Galápagos, na Ilha de San Cristóbal

Um preguiçoso leão-marinho nos dá as boas vindas à Galápagos, na Ilha de San Cristóbal


Começamos na Ilha de San Cristóbal, a chamada capital de Galápagos. É a ilha que fica mais perto do continente e onde está um dos dois aeroportos do arquipélago. No dia seguinte, já estávamos em Santa Cruz, a mais populada e explorada das ilhas, com várias atrações em terra. Aí, na única excursão em terra da semana, fomos conhecer as tartarugas gigantes que vivem na natureza, os enormes túneis cavados pela lava quando a ilha ainda se encontrava sobre o hot spot e também antigas caldeiras gigantes de lava, ao lado do vulcão extinto que domina a paisagem de Santa Cruz.

O mapa da Ilha de Santa Cruz, em Galápagos

O mapa da Ilha de Santa Cruz, em Galápagos


Visitando os incríveis túneis de lava na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos

Visitando os incríveis túneis de lava na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos


Rumamos então para a desabitada Ilha de Santiago, para mergulhar com arraias e leões-marinho. De lá, numa navegação de mais de 24 horas, para as ilhotas de Wolf e Darwin, pontos altos do live aboard. As duas pequenas ilhas situam-se muito mais ao norte que as outras ilhas, são grandes rochedos que se erguem sobre o mar e tem uma formação distinta. Ao invés de vulcânicas, são o fruto da fricção entre duas placas tectônicas, a de Nazca e a de Cocos, o que fez com que elas se "levantassem sobre o mar. As ilhas são habitadas por milhares de pássaros, mas o desembarque não é permitido. Apenas barcos de mergulho chegam por ali, todos ávidos para ver leões-marinhos, tartarugas, cardumes de tubarão-martelo e tubarão de Galápagos e, o maior de todos, o pacífico e gigantesco tubarão-baleia.

Fim de tarde na selvagem Isla Wolf, em Galápagos

Fim de tarde na selvagem Isla Wolf, em Galápagos


Quase três dias depois, voltamos para o sul, em direção a Ilha Isabel, a maior do arquipélago e com uma pequena população humana. Mas nosso interesse está embaixo d'água! Enfrentamos uma água gelada para ter a melhor visibilidade do arquipélago e poder observar polvos, arraias-manta e o exótico peixe-lua. Além dos pássaros, iguanas e pinguins.

Tubarões-martelo atravessam cardume de peixes em mergulho na Isla Darwin, em Galápagos

Tubarões-martelo atravessam cardume de peixes em mergulho na Isla Darwin, em Galápagos


Ali do lado está a ilha de Fenandina, a mais nova de Galápagos e, dizem, a mais pristina, sem espécies introduzidas pelo homem. A ilha continua crescendo, para o alto e para os lados. A última erupção foi há 4 anos, e muitas mais virão, já que o hot spot é logo embaixo dela. Infelizmente, só pudemos vê-la de longe, mas as paisagens vulcânicas e a sensação de que a Terra está viva são mais fortes do que nunca. Para visitá-la, apenas nos tours de uma semana que visitam as ilhas.

Pôr-do-sol em Wolf, em Galápagos

Pôr-do-sol em Wolf, em Galápagos


O fantástico peixe-lua em mergulho na Isla Isabel, em Galápagos

O fantástico peixe-lua em mergulho na Isla Isabel, em Galápagos


De Isabel voltamos para Santiago, passando ao lado de pequena San Bartolomeu, uma pequena ilha vulcânica que possui uma das mais belas paisagens de Galápagos. Tão linda que resolvemos voltar num day-tour, assim que terminamos nossa excursão de mergulho. Nesta mesma noite, desembarcamos em Santa Cruz novamente e fomos nos instalar na maior cidade da ilha e de Galápagos, Puerto Ayora.

Barcos trazem turistás à Ilha de San Bartolomeu (próxima a Isla de Santiago), em Galápagos

Barcos trazem turistás à Ilha de San Bartolomeu (próxima a Isla de Santiago), em Galápagos


No dia seguinte, voltamos para San Bartolomeu. O céu azul desse dia fez tudo ficar ainda mais lindo. Na nossa semana no barco, o tempo esteve quase sempre nublado, mas São pedro resolveu colaborar nesses últimos dias. No dia seguinte, ainda em Puerto Ayora, fomos caminhando para a maravilhosa praia de Tortuga Bay, boa para o surf e também para observar um dos símbolos de Galápagos, as iguanas marinhas.

Iguanas na Playa Mansa de Tortuga Bay, na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos

Iguanas na Playa Mansa de Tortuga Bay, na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos


Admirando a incrível Playa Brava em Tortuga Bay, na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos

Admirando a incrível Playa Brava em Tortuga Bay, na Ilha de Santa Cruz, em Galápagos


Finalmente, dia de partir, atravessamos Santa Cruz e cruzamos o canal para a pequena ilha de Baltra, onde está o outro aeroporto de Galápagos. Essa ilha foi cedida para os americanos na segunda guerra, que aí fizeram uma base para proteger o Canal do Panamá. As instalações foram cedidas ao governo equatoriano após a guerra e se transformaram na principal porta de entrada do arquipélago. Mas ninguém fica por aqui não. Quando chegam, ou vão diretamente para seus barcos ou para a vizinha Santa Cruz. Também, não haveria muito para ver, fora as ruínas de antigas instalações. A vida selvagem deixou a ilha há 70 anos, incomodada com o movimento da antiga base.

Embarque no aeroporto de Baltra, em Galápagos, de volta ao continente

Embarque no aeroporto de Baltra, em Galápagos, de volta ao continente

Galápagos, San Cristóbal, Santa Cruz, Isla Santiago, Isla Isabel, Isla Darwin, Baltra, Isla Wolf, San Bartolomeu, Mergulho, Equador

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Voltando para nosso barco após visita à Ilha de Santa Cruz, em Galápagos

Os Passageiros

Post seguinte O Rafa preparando caipirinha para os russos, na Ilha de Darwin, em Galápagos

Rotina à Bordo

Blog da Ana A Ana nada ao lado de um gigantesco Tubarão-Baleia na Isla Wolf, em Galápagos (foto retirada do vídeo de Friso Hoekstra)

Tiburón-balena!

Comentários (4)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 27/05/2019 | 14:25 por Sofia Moriano

    Galápagos é um belo destino turístico, que vale a pena visitar, especialmente nos tempos em que os animais entram em reprodução.
    Saudações

  • 20/03/2017 | 23:19 por Carolina

    Ola, gostaria de saber se e tranquilo ir para Galapagos e opiniao quanto ao roteiro abaixo
    03/jun Rio de Janeiro - Guayaquil
    04/jun Guayaquil - Galapagos
    05/jun San Cristobal - Isla lobo, las Tijeretas, Punta Corola
    06/jun San Cristobal - Isla Espanola
    07/jun San Cristobal - mergulho no Leao Dormido
    08/jun San Cristobal - Santa Cruz fazer centro e Tortuga
    09/jun Santa Cruz - isla Floreana
    10/jun Santa Cruz - South Plaza
    11/jun Santa Cruz - Bartolome
    12/jun Santa Cruz - North Seymour
    13/jun Santa Cruz - Isabela
    14/jun Isabela - Sierra Negra
    15/jun Isabela - mergulho
    16/jun Isabela - não sei
    17/jun Isabela - Baltra - Guayaquil - Rio de Janeiro
    18/jun Rio de Janeiro

  • 21/07/2013 | 13:28 por marcos

    parabéns pelo post, ficou excelente, mas falando em valores, quanto saiu para fazer todos esses passeios?

    Resposta:
    Oi Marcos

    Fazer esse passeio do mergulho, o chamado "live aboard", em Galápagos, pe bem caro. Mas é a única maneira de se chegar às ilhas mais distantes. Custou 4 mil dólares por pessoa, para uma viagem de 7 dias, todas as refeições incluídas.

    Depois, uma vez na ilha, os outros passeios foram bem baratos.

    Abs

  • 11/01/2012 | 12:19 por Kassiane

    Obrigada por dividir o seu roteiro. Estou pretendendo ir e as suas informações foram úteis.
    Parece ser formidável...
    Abraços.

    Resposta:
    Oi Kassiane

    Se vc gosta de mergulhar, Darwin e e Wolf são os melhores lugares! O problema é só o preço para se chegar lá...

    Já a parte terrestre, São Cristobal é linda! Já as ilhas maiores, todas tem seus charmes. Difícil errar...

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet