0 Vizcaíno à Tijuana - Blog da Ana - 1000 dias

Vizcaíno à Tijuana - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Vizcaíno à Tijuana

México, Sierra de San Francisco, Ensenada, Tijuana

Em Guerrero Negro, já mais 'perto' de Tijuana, na Baja California - México

Em Guerrero Negro, já mais "perto" de Tijuana, na Baja California - México


Foram dois dias de longa estrada, atravessando o Deserto de Vizcaíno, parte da Reserva de la Biosfera de El Vizcaíno, uma das maiores reservas naturais do mundo, com mais de 2 milhões de hectares.

Uma estranha planta muito comum nos desertos da Baja California - México

Uma estranha planta muito comum nos desertos da Baja California - México


A diversidade natural da reserva vai desde um dos desertos mais áridos do mundo que abriga pinturas rupestres e um belíssimo patrimônio histórico, até praias, mangues e lagoas que formam o Santuário de Baleias, que em 1993 tornou-se parte do Patrimônio da Humanidade.

Vista a partir da Cueva Ratón da Sierra de San Francisco, na Baja California - México

Vista a partir da Cueva Ratón da Sierra de San Francisco, na Baja California - México


Nossa viagem começou com uma visita rápida à Gruta El Ratón, onde antigos colonizadores e jesuítas que se impressionaram com o desenho e um “ratão” encontrado dentre as pinturas rupestres desta gruta.

Incríveis pinturas rupestres na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México

Incríveis pinturas rupestres na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México


As características das pinturas aqui são parecidas com as que vimos em Santa Marta, representações de homens e mulheres com mais de 2m de altura, veados, borregos e outros animais da região. Detalhe que o dito “ratón” é interpretado atualmente como um puma, inclusive em um dos desenhos mais curiosos é justamente o de um puma, negro, atacando um veado, pintado em vermelho.

Pinturas rupestres na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México

Pinturas rupestres na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México


Seu Refúgio foi nosso guia para os não mais de 20 minutos de visita. Não seria necessário, porém, como o turismo é uma das únicas fontes de renda do povoado de San Francisco, o guia é obrigatório. Ele nos garantiu que poderia nos levar para o cânion em 2 dias, pena que ficou para uma próxima vez. Ele saiu bem feliz do nosso encontro, pois ainda ganhou um par de tênis em ótimo estado! Companheiro de muitas caminhadas, como Machu Picchu, Monte Roraima e outras, eu já estava aposentando-o depois de perder 5 unhas do pé na subida do ao Chirripó. Ele encolheu para mim, mas o pé de anjo do Seu Refúgio com certeza está mais curtido que o meu.

Refugio, nosso guia na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México

Refugio, nosso guia na Cueva Ratón, na Sierra de San Francisco, na Baja California - México


Demos um até logo para o Rancho San Francisco, seu cânion magnífico e ao Seu Refúgio e pegamos estrada em direção a San Quintín, onde dormimos por uma noite, após cruzar a fronteira interestadual entre a Baja Califórnia Sur e sua irmã do norte. Neste trecho da viagem as barreiras policiais se tornam mais frequentes e mais rígidas, todos os carros são revistados e passam por farejadores moleculares de drogas. Como sempre os policiais mexicanos são super atenciosos e educados e ficam curiosos com a nossa viagem, hoje até fotos um deles pediu para tirar conosco!

Um dos muitos postos de vistoria do exército na Baja California - México

Um dos muitos postos de vistoria do exército na Baja California - México


A paisagem do deserto seco e desolado aos poucos vai se transformando e dá espaço para uma imensa área montanhosa. A altitude, o clima mais ameno, o sol e o empurrãozinho da tecnologia de irrigação, tornaram esta região a principal produtora de uvas no México. Aqui são produzidos os melhores vinhos mexicanos, de diferentes cortes, variedades e ótima qualidade!

Região de San Tomás, área de produção dos melhores vinhos do México (próximo à Enseñada, na Baja California)

Região de San Tomás, área de produção dos melhores vinhos do México (próximo à Enseñada, na Baja California)


Cruzamos todo o vale de Santo Tomás à Ensenada onde paramos para almoçar e provar um dos seus seletos vinhos. Curioso é que os rótulos mexicanos, mesmo aqui na fonte, conseguem ser mais caros que muitos argentinos e chilenos, mas se queríamos provar, aqui era o lugar!

Tomando um bom vinho mexicano em Enseñada, na Baja California, no México

Tomando um bom vinho mexicano em Enseñada, na Baja California, no México


Em Ensenada já notamos como estamos próximos da fronteira com os Estados Unidos. Os preços sobem e são colocados em dólares. A arquitetura “prática”, as ruas mais organizadas, os navios de cruzeiros e restaurantes bacanas na principal rua do centro turístico são algumas das características da influência norte-americana por aqui. Ainda assim a simpatia do povo mexicano não nos deixa esquecer que estamos em território latino.

Delicioso almoço e ótimo vinho em Enseñada, na Baja California, no México

Delicioso almoço e ótimo vinho em Enseñada, na Baja California, no México


Os quilômetros finais desta jornada rumo à Tijuana são mais do que recompensadores. Uma linda estrada cênica margeia os altos e coloridos penhascos à beira do Oceano Pacífico. O tempo fechou e um toró nos pegou na entrada da cidade, que não poderia ter melhor trilha sonora “Welcome o Tijuana... com el coyote no hay aduana”.

Dirigindo no centtro de Tijuana, na fronteira do México com os Estados Unidos

Dirigindo no centtro de Tijuana, na fronteira do México com os Estados Unidos


Uma das cidades conhecidas por seu alto nível de periculosidade nos recebeu à noite e embaixo de chuva de braços abertos. Ainda saímos de carro a buscar uma churrascaria brasileira que nos foi indicada. Rodamos por mais de uma hora e acabamos caindo no Fridays mesmo, assim já vamos acostumando com os fast foods que nos aguardam pela frente. Amanhã enfrentaremos a aduana, já que nos 1000dias no hay coyote e já perdemos as contas das aduanas! Cruzem os dedos!

Chegando em Tijuana e na fronteira com os Estados Unidos!!!

Chegando em Tijuana e na fronteira com os Estados Unidos!!!

México, Sierra de San Francisco, Ensenada, Tijuana, deserto, Estrada, Antropologia, Baja California, Vizcaino

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior A pequena igreja no pueblo da Sierra de San Francisco, no deserto Vizcaino, na Baja California - México

Rancho San Francisco

Post seguinte O muro que separa Tijuana, no México, de San Diego, nos Estados Unidos

Fronteira Tijuana

Blog do Rodrigo Chegando em Tijuana e na fronteira com os Estados Unidos!!!

Viagem à Tijuana

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 27/11/2013 | 14:56 por Daniel

    Olá Ana, gostei de seu blog.
    Irei a Califórnia em fev/14. Terei pouco tempo de viagem, por isso gostaria de saber sua opinião quanto a visitar Tijuana por apenas 1 dia. Estou pensando em sair de San Diego pela manhã, passar o dia em Tijuana e regressar ao fim da tarde. tudo isso de carro, ou se for muito sofrível, pode ser a pé mesmo, deixando o carro em próximo a fronteira (EUA) e atravessando.
    Você acha que vale a pena?

    Resposta:
    Olá Daniel! Ir a Tihuana por apenas um dia não vale muito a pena, mas se você tiver 2 ou 3 dias, mais ao sul de Tihuana tem uma costa linda e algumas vinícolas com bons vinhos e lindas vistas. A cidade é uma cidade grande normal, mais normal do que eu esperava, sinceramente. O stress e o tempo que você vai perder para atravessar a fronteira do México para os EUA não valeriam em apenas um dia. Qquer coisa pode perguntar mais, boa viagem! Abraços!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet