1 Parque Nacional Chirripó - Blog da Ana - 1000 dias

Parque Nacional Chirripó - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Parque Nacional Chirripó

Costa Rica, Chirripó

A lua paira sobre o Pico Crestones, no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

A lua paira sobre o Pico Crestones, no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


O Parque Nacional do Chirripó está localizado no coração da Costa Rica e abriga o ponto mais alto do país, Cerro Chirripó com 3.820m de altitude. Uma íngreme trilha sobe dos 1.520m ao abrigo aos 3.400m, em enlameados 14,5km que atravessam uma linda floresta úmida e vegetações típicas dos páramos de altitude.

Início da caminhada de 20 km ao pico Chirripó, o mais alto da Costa Rica

Início da caminhada de 20 km ao pico Chirripó, o mais alto da Costa Rica


A trilha é toda sinalizada, apenas um caminho nos leva, de quilômetro em quilômetro, cada um marcando a principal característica do trajeto a ser percorrido. “Llanos lindos” é a metade do caminho e também a placa que mais queremos encontrar, um pouco de plano para conseguimos acelerar o passo e ganhar um tempo até a próxima subida.

Trekking no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Trekking no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Durante a caminhada, o corpo foi aquecendo e as dores no joelho e o recente mau jeito na lombar aos poucos foram ficando para trás. Na subida quem sofre é a musculatura e a resistência cardiorrespiratória, cada quilômetro de ladeira merecia um descanso rápido, principalmente para o Rodrigo que levava a maior parte do peso.

Muito barro no início da trilha no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Muito barro no início da trilha no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Dentre as viagens do caminho, sobressaía a da corrida realizada nesta trilha todos os meses de fevereiro, há 23 anos. Na última participaram mais de 200 corredores, dentre eles o Seu Francisco (62 anos), dono do Hostal El Descanso. Ele participou de todas as edições, sendo o seu recorde para ascensão e descenso 3 horas e 24 minutos! Sim, 29km, 14,5 subindo e 14,5 descendo em umas ladeiras desgraçadas de terra, pedras, raízes e lama em apenas 3h24!!! O tempo médio realizado pelos turistas é de 8 a 9h apenas para subir!

Após 4 km de subida e barro, chegamos à entrada do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Após 4 km de subida e barro, chegamos à entrada do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Não tem melhor história para nos motivar a escalaminhar essa encosta em aproximadas 7h! É claro que o Rodrigo já estava animando em participar da corrida, ficar morando aqui um mês, treinando com o Seu Francisco, que corre 40min todos os dias as 5h da manhã. Um fator que nós estávamos desconsiderando é a aclimatação. Uma montanha acima dos 3.000m já pode dar um certo trabalho para dois viajantes como nós, que ficamos 30 dias ao nível do mar e sem exercício algum.

Placa de auto-ajuda colocada bem no meio da última grande subida (a 'Encosta dos Arrependidos') para o refúgio no campo-base do Chirripó, na Costa Rica

Placa de auto-ajuda colocada bem no meio da última grande subida (a "Encosta dos Arrependidos") para o refúgio no campo-base do Chirripó, na Costa Rica


No caminho encontramos o pessoal que já estava retornando da escalada. Alguns de 3 dias de caminhadas no páramo, outros que decidiram fazer como nós, todo o percurso em apenas 2 dias. No primeiro subimos, dormimos no albergue, e no segundo dia saímos às 3h da manhã para ver o nascer do sol às 5h no cume do Cerro Chirripó. Ao redor do albergue existem 2 picos próximos, Los Crestones e El Ventisqueiro, todos acima dos 3.700m.

Tocando a lua no trekking do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Tocando a lua no trekking do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Além destas trilhas também existem algumas lagoas que podem ser exploradas. Para quem está atrás de uma aventura mais “hardcore” pode contratar um guia e fazer o circuito ao redor do parque, entrando por esta mesma trilha e voltando pelo Cerro Urán, passando ainda pelas Lagunas Morenas, vistas do alto do Chirripó. Este roteiro dura em torno de 4 dias para pessoas normais, para o seu Francisco apenas 14 horas.

Lanche na metade do caminho para o campo base do pico Chirripó, na Costa Rica

Lanche na metade do caminho para o campo base do pico Chirripó, na Costa Rica


Mais um motivo para seguirmos firmes depois da placa dos 11km no Monte Sin Fé, quando você não acredita que vai descer para chegar à famosa Cuesta de los Arrependidos, um quilômetro de pedregulhos escorregadios bastante íngremes. Curioso foi que nessa hora de alguma forma estranha meu corpo recuperou a memória da aclimatação e eu fiquei forte e subi toda a encosta super tranquila. Enquando a altitude e a sobrecarga do Rodrigo o cobrou e ele, sempre adiantado pelo menos 5 minutos de mim, dessa vez ficou mais cansado.

Pausa para descanso depois de 10 km de subidas, no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Pausa para descanso depois de 10 km de subidas, no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Nos instalamos com a esperança inútil de encontrar um banho caliente no albergue do parque nacional. Conseguimos um quarto exclusivo onde logo tivemos que colocar todas as roupas de frio para trabalhar. 2 a 4°C do lado de fora, 10°C do lado de dentro, aquecidos por fogareiros e a companhia dos outros viajantes caminhantes na cozinha do albergue. Nós contamos com a bondade de um montanhista austríaco, que nos emprestou o seu super-fogareiro de alta-montanha, já que o nosso não estava dando conta do recado.

Preparando o jantar no refúgio do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

Preparando o jantar no refúgio do Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica


Aos que gostam de mais conforto, fica a dica: existem algumas mulheres locais que prestam o serviço de cozinha, contratam o arrieiro com as mulas e preparam todas as refeições, café da manhã, almoço, café da tarde e jantar para os 3 dias lá em cima. O valor varia de 20 a 50 dólares dependendo do tamanho do grupo.

Café da manhã às três da madrugada, antes do ataque ao cume do Chirripó, na Costa Rica

Café da manhã às três da madrugada, antes do ataque ao cume do Chirripó, na Costa Rica


Fomos para os nossos beliches as 8h30 da noite, logo após desligarem o gerador alimentado por painéis solares. Não foi difícil pegar no sono, precisávamos de uma boa noite de descanso para a pauleira do dia seguinte.

Costa Rica, Chirripó, Montanha, Trekking, San Gerardo de Rivas, Parque Nacional Chirripó

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Fim de tarde em Dominicalito, no litoral da Costa Rica

Praia ou Montanha?

Post seguinte Magnífico nascer-do-sol visto dos 3.820 metros do pico Chirripó, ponto mais alto da Costa Rica

No Topo da Costa Rica

Blog do Rodrigo Admirando a lua quase cheia do final de tarde no Parque Nacional de Chirripó, na Costa Rica

A Longa Subida

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet