0 Um Dia na Ilha - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Um Dia na Ilha - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Um Dia na Ilha

Brasil, Paraná, Ilha do Mel

Inicio da manhã, início da volta na Ilha

Inicio da manhã, início da volta na Ilha


Eu e a Ana adoramos a Ilha do Mel. Afinal, foi onde começamos a namorar e onde nos casamos (veja as histórias em http://www.icasei.com.br/roana). Posso dizer que a conhecemos bem , várias de suas pousadas e muitos dos seus personagens. Como ela está bem perto de Curitiba, a gente vinha para cá sempre que podia e até fizemos um curso de surf (ou tentamos) nas suas praias. Foi numa semana em que as famosas "paralelas" rolaram soltas, fazendo a festa dos surfistas locais e de outras cidades também (a notícia se espalha logo e todo mundo corre para cá!).

Pois bem... o que fazer por aqui, então? Primeiro, o mais óbvio, rever e se despedir dos amigos. Tomar o delicioso suco "Seu Angelo", na pousada do Tissot (Astral da Ilha), ser muito bem tratado pelo Zeco e sua equipe, na Grajagan, bater papo com o Rômulo e o Carlinhos na Bee House, enfim refazer, uma última vez, pelo menos nos próximos 1000 dias, as coisas que adoramos por aqui.

Mas, eu ainda queria fazer algo novo, diferente. E resolvi convidar a Ana para dar uma volta na Ilha inteira, em apenas um dia. Cansativo, mas uma proeza memorável. Não é para qualquer um. A parte "gorda" da Ilha, quase toda uma reserva biológica e onde está a Fortaleza dos Remédios, tem cerca de 17 km de perímetro, um dos quais é mangue. Nos outros 16, praias quase sempre desertas, pelo menos de humanos. Queria dar essa volta e depois, caminhar até a praia de Encantadas e voltar nadando até Brasílía. E, no caminho, ainda subir o Morro da Baleia e o Morro do Farol.

Ana aproveitando os primeiros raios de sol, na volta da Ilha

Ana aproveitando os primeiros raios de sol, na volta da Ilha


Partimos bem cedo para a empreitada. Tivemos duas grandes sortes nesse dia. Primeiro, a maré, que era de lua, estava no seu ponto mais baixo às 9 da manhã, bem na hora que atingimos a região de mangue. Atravessá-lo ficou muito mais fácil. Em segundo, não é a época das terríveis butucas. Perto de novembro, elas tornam a vida de qualquer um que se aventure por aquele lado da Ilha um verdadeiro inferno. Falo por experiência própria. Ser atacado por dezenas delas, por horas a fio, atravessando um mangue é de lascar! Bom, hoje não era o caso e a nossa travessia transcorreu sem problemas. Muito pelo contrário, tiramos fotos lindas, nclusive da parte mais difícil, na travessia do mangue quase seco pela maré baixa. E ainda tivemos a chance de observar uma fauna variada. Cobras(coral, passeando pela areia!) e lagartos, siris e carangueijos, botos e tartaruga (morta, coitada), gaviões, gaivotas e urubus. E até mesmo um par de flamingos rosas (ou seriam garças?).

Pássaros rosas aproveitando a maré baixa

Pássaros rosas aproveitando a maré baixa


Foram 4 horas de caminhada, quase 20 km desde a Grajagan até o istmo e, de lá, contornando no sentido horário, até a Fortaleza. Lá, abençoadas cervejinhas para relaxar e subimos, renovados, o Morro da Baleia. Embalados, fomos direto até o Farol, uns 5km a frente. Sempre filmando e fotografando muito. O dia, variando constantemente entre nublado e ensolarado, nos fornecia sombra e belos momentos para fotografias. Por fim, já satisfeitos com o que tínhamos feito e visto até então e iluminados pela sombra do farol, decidimos que aquilo já era o suficiente. Encantadas e a travessia aquática até Brasília (que recomendo muito aos que sabem nadar) ficaram para o dia 999 da viagem. Para o dia 4 já estava bom demais! Nossos pés agradeceram...

Atravessando o mangue na maré seca

Atravessando o mangue na maré seca

Brasil, Paraná, Ilha do Mel, Praia, trilha

Veja todas as fotos do dia!

Quer saber mais? Clique aqui e pergunte!

Post anterior Dico, Rodrigo e o Seu Rubens - Barra do Ararapira

Nadando Para São Paulo

Post seguinte

Burocracias

Blog da Ana Volta à Ilha

A volta à Ilha

Comentários (3)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 18/03/2014 | 10:48 por nivaldo

    Poxa, muito massa sua viagem, fotos e sua capacidade de transcreve-la aqui no blog :)

    Resposta:
    Oi Nivaldo

    Legal que vc tenha gostado! Tentamos divider tudo o que estamos vivendo com quem nos acompanha!

    Um abraço

  • 12/04/2010 | 19:58 por Guto Junqueira

    Pô, desistiram do que seria, pelo cansaço, a parte mais difícil? Então vou eu lá pra Ilha do Mel fazer a volta completa antes do término dos 1000 dias ...

  • 12/04/2010 | 16:53 por Paulinha Ribas

    e o maracolate?

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet