0 Tudo que Desce, Sobe! - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Tudo que Desce, Sobe! - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Tudo que Desce, Sobe!

Estados Unidos, Arizona, Grand Canyon

Observando a luz do sol entrar, aos poucos, pelo fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Observando a luz do sol entrar, aos poucos, pelo fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Acampados, passamos uma noite fria no fundo do Grand Canyon. Ontem, quando voltamos da nossa caminhada vespertina até o mirante da Clear Creek Trail, já estava escuro. Mas antes do nosso jantar, ainda caminhamos até a borda do rio Colorado. Ali passamos quase uma hora, contando as estrelas e conversando sobre esses maravilhosos últimos 1000dias que tivemos, todos os lugares que passamos e pessoas que conhecemos. Mas nem toda essa elucubração resistiu ao frio que apertava e voltamos para a nossa barraca. Com muita eficiência e nosso fogareiro novo que agora funciona, a Ana rapidamente fez nosso jantar quentinho. Uma delícia! Pura energia para recuperar as calorias que perdemos ontem e as que precisaríamos hoje. Na verdade, parte delas já usamos de noite mesmo, tentando nos esquentar dentro dos sacos de dormir. Aliás, a Ana, sempre precavida, teve o bom senso de carregar até o fundo do Grand Canyon o meu saco de dormir antigo, além do dela. Assim, enquanto eu estreava o meu novo, comprado na REI de Seattle, próprio para temperaturas mais baixas, ela se enfiava em dois sacos de dormir, mais um saco-lençol que compramos também. Mesmo assim, reclamou do frio.

Acampando no Bright Angel Canyon, no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Acampando no Bright Angel Canyon, no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Esquentando água para o chá, no acampamento no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Esquentando água para o chá, no acampamento no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Hoje, antes de iniciarmos o caminho de volta, resolvemos nos esquentar com uma caminhada matutina. Seguimos pela trilha que adentrava o canyon em que está o acampamento. É a North Kaibab Trail, que segue até o alto do North Rim, 1.750 metros acima de nós, ao longo de 22 quilômetros. Certamente, não queríamos chegar até lá, até porque o North Rim está completamente fechado pela neve e gelo. Mas seguir alguns quilômetros canyon adentro, em trecho quase plano, seria um bom exercício. Além disso, conforme haviam nos dito, o visual era muito belo, um canyon estreito com paredes com centenas de metros. É aqui que temos a verdadeira sensação de um canyon pois, no Grand Canyon propriamente dito, tudo é tão amplo e vasto que a sensação é outra.

Percorrendo trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos 'afluentes' do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Percorrendo trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos "afluentes" do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Percorrendo trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos 'afluentes' do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Percorrendo trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos "afluentes" do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


A Ana seguiu mais lentamente, esquentando os músculos, tirando fotos e se poupando para a longa subida que nos esperava. Eu, ao contrário, me empolguei e, duma caminhada, passei a uma corrida. Correr por aquela trilha naquele canyon estreito e vazio, as primeiras luzes do sol iluminando as paredes mais altas foi, realmente, um momento mágico. Àquela hora, não havia ainda ninguém por ali, exceto o orvalho da manhã. Difícil foi tomar a dura decisão de parar e retornar. Algo dentro de mim quer sempre seguir em frente, ir até o final da trilha, qualquer que seja ela. Esses 1000ias e 1000 trilhas que temos passado tem sido um exercício contínuo de aprender a parar, respirar fundo e voltar, mesmo com a trilha me chamando a continuar. Que dureza! Enfim, já imaginei o belo desafio que seria, num mesmo dia, descer pela South Kaibab e subir pela North Kaibab. Atravessar todo o Grand Canyon em uma pernada só. Mais um desejo para a minha lista que, dificilmente, terei a chance de tentar. Mas a lista está lá, guardadinha. Crescendo a cada dia e pronta, quem sabe, para ser, hmmm... deixa prá lá.

Encontrando um pequeno cervo no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Encontrando um pequeno cervo no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Despedida de amigos na trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos 'afluentes' do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Despedida de amigos na trilha ao longo do Bright Angel Canyon, um dos "afluentes" do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Enfim, corri de volta pela trilha, encontrei a Ana e juntos, voltamos para a barraca. Como bem haviam dito nosso casal amigo de ontem, pelo menos duas noites devem ser passadas lá embaixo. Mas nós tínhamos de voltar. Desarmamos a barraca, empacotamos tudo e partimos para a dura subida. Já era quase uma da tarde e estávamos bem atrasados para a trilha, os últimos a partir no dia de hoje.

Vista do acampamento no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Vista do acampamento no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


O rio Colorado no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

O rio Colorado no fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Nos primeiros dois quilômetros, apenas acompanhamos o rio no seu longo caminho para o mar. Finalmente, quando chegamos no canyon lateral conhecido como Bright Angel, aí começa a subida. Como ontem, primeiro vem a subida do canyon interior, depois atravessamos o platô intermediário para, finalmente, enfrentarmos as temíveis paredes do canyon exterior.

A trilha serpenteia desfiladeiro acima, na subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

A trilha serpenteia desfiladeiro acima, na subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


A bela luz do fim de tarde bate nas paisagens grandiosas do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

A bela luz do fim de tarde bate nas paisagens grandiosas do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


De pouquinho em pouquinho fomos subindo, o caminho de hoje num canyon bem mais fechado que o de ontem. Paisagens bem diferentes, igualmente e diferentemente belas. Hoje, por um bom trecho, seguimos ao lado de um córrego, com cachoeiras e pequenas corredeiras. Passamos também por mais acampamentos e pontos de parada intermediários. Isso é bom, pois sempre nos dá um objetivo mais próximo a ser alcançado.

Metade do caminho na subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Metade do caminho na subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


A dura subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

A dura subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Apesar da saída tardia, o ritmo foi muito bom. Estamos em forma! Fomos subindo pelas encostas do canyon junto com as luzes de um sol que, cada vez mais, se aproximava do horizonte. Cruzamos com pessoas que também desciam atrasadas, elas bem mais longe do seu objetivo do que nós. Ultrapassamos pessoas que saíram bem antes, mas seguiam mais vagarosamente. Um zeloso pai carregava seu filho em uma mochila de crianças, enquanto a mãe vinha com a filha mais velha, perto de dez anos de idade. Incrível que tenham feito esse caminho. O pobre menino reclamava, chorava de frio ou de tédio. Só parava para ver, curioso, aquelas estranhas pessoas que passavam por ele. Mas logo retornou ao choro, que ecoava pelas paredes do canyon e podiam ser ouvidas por quem estava muitas voltas do ziguezague acima da família.

Trecho final da subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Trecho final da subida do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Já quase no alto, trecho de neve da trilha que sobre o Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Já quase no alto, trecho de neve da trilha que sobre o Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos


Já sem a luz do sol, um pouco antes da noite chegar, alcançamos o trecho de neve e gelo. Realmente, para subir, eles não atrapalham tanto. Poderíamos devolver nossas correntes antiderrapantes no supermercado e receber o dinheiro de volta. Tivemos ainda tempo para umas últimas fotos e, finalmente, chegamos ao alto do canyon. Felizes, sãos e salvos. Tudo o que desce, sobe! Outro quilômetro e chegávamos a Fiona, mais uma hora (com uma parada no supermercado!) e estávamos no nosso novo hotel, já na cidade de Cameron, no nosso caminho para o Zion National Park, alguns degraus e entrávamos no nosso quarto, o ponto mais alto do dia de hoje. O jantar foi o resto do macarrão de ontem, igualmente delicioso, e os sonhos, os sonhos foram sobre o Grand Canyon, merecidamente considerado uma das sete maravilhas do mundo natural.

Já quase escuro, chegando ao alto do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Já quase escuro, chegando ao alto do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

Estados Unidos, Arizona, Grand Canyon, trilha, Parque, Canyon

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Descansando e admirando a paisagem da trilha que desce até o fundo do Grand Canyon, no Arizona, nos Estados Unidos

O Fim do Canyon, do Mundo e dos 1000dias

Post seguinte A bela paisagem no caminho entre o Grand Canyon, no Arizona, e o Zion Canyon, em Utah, nos Estados Unidos

Do Arizona à Utah

Blog da Ana Trilha em meio à grandiosidade do Grand Canyon no Arizona, nos Estados Unidos

No fundo no Grand Canyon!

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 19/01/2013 | 15:57 por Lurdes

    Olá Ana e Rodrigo,não é necessário explicaç~oes nem contagem dos dias ,importa se podem ficar só vcs é que sabem ,e para nós é muito bom ,temos o prazer de ficar acompanhando vcs ,afinal já fazem parte do meu dia quando ligo meu computador,espero ter um livro destas aventuras,um grande abraço

    Resposta:
    Olá Lurdes

    Muito obrigado pelo apoio!

    O livro eh um sonho! Vamos ver no final da viagem...

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet