0 Pedras que Andam - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Pedras que Andam - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Pedras que Andam

Estados Unidos, Califórnia, Death Valley

As incríveis pedras que se movem, no leito seco de um antigo lago no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

As incríveis pedras que se movem, no leito seco de um antigo lago no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Eu já tinha ouvido falar desse estranho fenômeno, mas não sabia que era por aqui. Pedras que andam! Movem-se e deixam provas disso, longos rastros marcados no solo ao longo de centenas de anos de “caminhada”. Devo ter visto a história em algum documentário há muito tempo e ela estava perdida em minha memória. Mas aqui, lendo sobre as atrações do Death Valley, vi a descrição de uma tal de “Race Track”. Ficava numa região afastada do parque, no leito seco de um antigo lago, acessada apenas com algumas horas de carro por estradas de terra. Eu não tinha lido a descrição até o fim e, pelo trabalho de chegar até lá, tínhamos decidido deixar para trás.

Belo fim de tarde no lago da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Belo fim de tarde no lago da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Mas quando estivemos na Badwater Basin, conhecemos um casal de americanos que tinha ficado muito interessado na Fiona. Conversando, eles nos contaram da programação deles no parque e disseram que a tal “Race Track” era imperdível. Foi só quando contaram os detalhes é que a memória me veio à tona. Foi quando decidimos dormir uma noite mais no parque, para poder vir até aqui. Não só para ver as tais pedras que andam, mas também pela beleza selvagem da região e pelo acampamento selvagem que teríamos de fazer.

Leito seco de antigo lago na parte norte do Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Leito seco de antigo lago na parte norte do Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


E assim foi. Depois da visita à imponente cratera do Ubehebe, botamos a Fiona na terra e dirigimos os quarenta quilômetros até esta vasta planície seca que já foi, um dia, um lago. Cercado por montanhas, solo partido e branco pelo sal e até com uma antiga ilha de pedras no meio, a região muito nos lembrou o Salar de Uyuni, na Bolívia. Com duas diferenças básicas: lá estávamos a 4 mil metros de altitude e aqui, pouco acima de mil; e a escala, aqui o antigo lago era muito menor que o antigo lago de lá. Mas na aparência, principalmente pela “ilha”, são realmente muito parecidos.

Leito seco de antigo lago na parte norte do Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Leito seco de antigo lago na parte norte do Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


A sensação de isolamento é incrível, quilômetros e quilômetros de paisagens sem ver pessoas ou carros. Mas ao lado do lago, aí sim, outros dois carros estacionados. Chegamos bem no fim da tarde, as sombras das montanhas correndo para tomar conta do leito do lago e nós correndo mais ainda para alcançarmos a parte iluminada pelo sol. Os carros não podem entrar no leito do lago e temos mesmo de caminhar por ele.

Caminhando no leito seco do lago da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Caminhando no leito seco do lago da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Fomos direto para a ilha, para uma primeira exploração. Do seu ponto mais alto, pude observar as pequenas pedras espalhadas pelo leito do lago, todas possíveis “caminhantes”. Chegamos até algumas e, nenhuma pista de deslocamento. Insistimos, fomos até outras e, para nossa surpresa, lá está o rastro, vinte, trinta metros de caminho curvo ou retilíneo, escavado no solo arenoso e terminando justo onde está a pedra.

No topo de uma antiga ilha num lago que secou no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

No topo de uma antiga ilha num lago que secou no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


As pedras estão lá, quietas e imóveis. Mas os estranhos rastros parecem mesmo dizer alguma coisa. Alguns dos rastros claramente são o fruto da brincadeira de algum espírito de porco. Difícil, quase impossível, fazer com a mão. Mas com as rodas de um automóvel ou motocicleta, aí sim. Mas, outros rastros, por mais estranho que isso possa soar, parecem mesmo autênticos! Incrível!

As incríveis pedras que se movem e seus rastros, na Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

As incríveis pedras que se movem e seus rastros, na Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Ali do lado da ilha não eram muitos os exemplares das pedras que se movem. A maioria delas está no extremo sul do antigo lago, mas já não tínhamos tempo para chegar lá, a luz do dia quase se acabando e a gente ainda tendo de armar acampamento. Deixamos para visitar essa parte hoje de manhã.

Desconfiado dos rastros dessa pedra no Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Desconfiado dos rastros dessa pedra no Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Dirigimos mais alguns quilômetros pela estrada de terra até chegar à área de acampamento. Aí armamos nossa barraca e cozinhamos aquele tradicional macarrão instantâneo, que nessa hora de fome e frio, parece um banquete!

Nosso acampamento ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Nosso acampamento ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Felizes com o dia magnífico, acampados ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Felizes com o dia magnífico, acampados ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Além de algumas poucas barracas a centenas de metros de nós, tivemos outros dois companheiros na noite. Primeiro, uma curiosa raposa, seus olhos brilhando na escuridão, atraída pelo cheiro do nosso macarrão. E segundo, uma maravilhosa lua cheia, soberana num céu cheio de estrelas, longe que estávamos de qualquer iluminação produzida pelo homem. Nessa hora, admirando o impressionante céu sobre nossas cabeças, impossível não pensar sobre as incontáveis gerações de seres humanos que, ao longo de dezenas de milhares de anos, puderam observar o mesmo espetáculo diário, fonte de medos, crenças, deuses, admiração e veneração. Conheciam cada detalhe desse céu, planetas e estrelas, estações e direções. Um conhecimento que se perdeu quase que completamente nessa era de grandes cidades que todos vivemos. Mas basta uma noite sob um céu assim para percebermos o quão inspirador esse infinito que paira sobre nossas cabeças ainda pode ser...

Noite de lua cheia e maravilhosa no acampamento ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Noite de lua cheia e maravilhosa no acampamento ao lado do Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Hoje pela manhã, barraca empacotada na Fiona, voltamos ao Race Track, dessa vez na parte sul do antigo lago. Lá estão dezenas de pedras andantes, cada uma com seu rastro, numa estranha e silenciosa corrida que já dura décadas ou séculos. Uma visão surreal. Afinal, pedras não deveriam se mover!

Nosso acampamento em meio a bela paisagem perto da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Nosso acampamento em meio a bela paisagem perto da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Acordando depois de acampar perto da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Acordando depois de acampar perto da Race Track, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Pois é, precisam contar essa regra para essas daqui. Há muitas tentativas de explicação para o estranho fenômeno. A que faz mais sentido é que, de tempos em tempos uma fina camada de gelo cobre o leito do lago, tornando-o bem escorregadio. Aí, o forte vento da região se encarrega de empurrar as pedras por alguns centímetros ou milímetros. Os rastros vão sendo criados e não há erosão que os apague. Pelo menos, não nessa última piscada de olhos do tempo geológico.

As incríveis pedras que se movem, no leito seco de um antigo lago no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

As incríveis pedras que se movem, no leito seco de um antigo lago no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Apostando corrida com as pedras do 'Race Track', no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Apostando corrida com as pedras do "Race Track", no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


Muitas fotos depois, seguimos viagem para Las Vegas. Mas primeiro, uma parada em Furnace Creek para mais uma sessão de piscina e de chuveiros revitalizantes. Dessa vez, conseguimos chegar antes das onze da manhã e nosso ingresso do dia anterior ainda estava valendo. Se os antigos colonizadores que cruzaram o Vale da Morte tivessem a sua disposição por aqui um hotel como esse, certamente o temido vale teria outro nome...

A deliciosa piscina do hotel em Furnace Creek, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

A deliciosa piscina do hotel em Furnace Creek, no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA


E nós, devidamente lavados e banhados, seguimos para a capital mundial do jogo, um enorme contraste desse paraíso natural que deixamos para chegarmos a um mundo criado completamente pelo homem e para o homem. Ju e David nos esperam por lá!

A conhecida placa de boasvindas à Las Vegas, em Nevada, nos Estados Unidos

A conhecida placa de boasvindas à Las Vegas, em Nevada, nos Estados Unidos

Estados Unidos, Califórnia, Death Valley, trilha, Trekking, parque nacional, deserto, Death Valley National Park, Racetrack

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior No alto da Dante´s View, admirando o  Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Dante´s View, o Castelo e o Vulcão

Post seguinte A famosa rua Fremont, em Las Vegas - Nevada, nos Estados Unidos

Vegas

Blog da Ana As incríveis pedras que se movem, no leito seco de um antigo lago no Death Valley National Park, na Califórnia - EUA

Planejamento de Viagem

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 12/07/2016 | 12:11 por RODRIGO

    muito bom....legal demais essa aventura...parabens!!!

  • 02/05/2012 | 17:10 por Karen

    Olá, que lindo os lugares que voces percorrem? Como vcs viajam tanto? Nossa... e tem como ir junto com vcs?

    Resposta:
    Oi Karen

    Estamos realizando um sonho, fruto de muito trabalho e planos. Quando acabar, de volta à vida dura...

    Vir junto conosco? É só vir nos encontrar! Enquanto não vem, tem de ser mesmo pelos posts e fotos, né?

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet