0 Deixando Tudo Para Trás - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Deixando Tudo Para Trás - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Deixando Tudo Para Trás

Brasil, Paraná, Curitiba, Ilha do Mel

Na barca, voltando da Ilha

Na barca, voltando da Ilha


Hoje, dia 01/04, foi um dia bem representativo do difícil processo de deixar tudo para trás, para poder seguir em frente. Começamos o dia com uma manhã linda, céu azul, a Ilha do Mel bonita e serena como poucas vezes vi. Despedimo-nos do Zeco e da sua Pousada Grajagan, que consideramos nossa segunda casa. Antes fosse mesmo! Que delícia! Depois, caminhando rapidamente para o pier para não perder a balsa das 8 da manhã, encontramos o André, do restaurante Marisol (onde tantas vezes almojantamos no final da tarde, aqueles pratos fartos que dão para 4 pessoas - delícia!), que nos acompanhou na travessia para Pontal, sobre um mar que mais parecia um tapete. Lá, encontramos a Lúcia, do Portal do Mel Estacionamento, que sempre cuida muito bem do nosso carro e que fez muita festa para gente, principalmente depois de saber da nossa viagem. Ela adorou a Fiona adesivada.

Depois de nos despedirmos, nós já estávamos em frente ao balneário Atami, no caminho de volta para Curitiba quando a Lúcia apareceu no meu retrovisor, a toda, fazendo sinal e mandando eu encostar. Eu tinha esquecido nosso computador no estacionamento e ela veio atrás de mim para devolver. Que amor! Muito obrigado, Lúcia!!!

Em Curitiba, dei uma última passada no nosso antigo apartamento, todo pintado e preparado para o próximo felizardo que for alugá-lo. Quem me dera fosse eu! Tenho muita dificuldade de deixar minhas coisas para trás. Principalmente aquelas que me trazem tantas boas lembranças. Aproveitei para me despedir do casal de zeladores, Alcides e Cida, que cuidaram tão bem da gente nos últimos 5 anos. Do apartamento, tive de ir na concessionária verificar uma questão da Fiona. No caminho, passei pela loja que tinha comprado o meu Fox, fiel companheiro de tantas viagens. Cheguei lá e o carro tinha sido revendido no dia anterior mas, por sorte minha, o novo proprietário só iria buscá-lo hoje. Desse modo, ainda pude dar um "último abraço" no companheiro de aventuras. E ainda tirei uma foto com a Fiona e o Fox juntos. Passado e futuro, mas o mesmo espírito!

Despedida do Fox, chegada da Fiona.

Despedida do Fox, chegada da Fiona.


De lá para a casa da Patícia, minha querida sogra. Ficamos lá arrumando e rearrumando as malas, decidindo o que ía e o que ficava. Soma-se a isso a reunião que tivemos com os desenvolvedores do nosso site e mais a visita ao apartamento novo da Dani e do Dudu (cunhados e pais da nossa sobrinha que está quase chegando) e ficamos bem apertados para chegar a tempo ao aeroporto. Principalmente com a pane nos semáforos em todo o centro de Curitiba. A Patrícia se esgueirava pelo trânsito engarrafado e eu ligava e atazanava o pessoal da TAM. Resultado, chegamos no último minuto possível, literalmente no ÚLTIMO minuto possível, a Ana segurando a moça do check-in enquanto eu carregava a nossa enorme bagagem por um aeroporto lotado, véspera de feriado, com cara de rodoviária.

Enfim, tudo está bem quando termina bem. Nós, nas nossas apertadas poltronas do avião, muitas das nossas coisas (inclusive a Fiona!) nos esperando em Maio, e muitas outras coisas, queridas para sempre, nos esperando em algum lugar da nossa memória.

Em tempo: no nosso embarque internacional, já em Guarulhos, a Ana apelidou o vidro que separa os viajantes internacionais dos nacionais de "Muro de Berlim". Ao mesmo tempo tão perto e tão longe uns dos outros. Nessa hora, estávamos do "lado certo" do muro. Mas, depois, quando entramos no avião, fomos parar do lado "errado" de outro muro de Berlin. Uma fina divisória separa os que viajam amontoados na classe econômica dos que que viajam confortavelmente na business class. Um desses, o nosso eterno ídolo do tênis, Gustavo Kuerten, que viajava para jogar e se divertir em Miami.

Brasil, Paraná, Curitiba, Ilha do Mel, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior

Burocracias

Post seguinte Passeando em South Beach

Um Dia Tranquilo - Finalmente

Blog da Ana Última vista do Farol numa linda manhã

Pit Stop em Curitiba

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet