0 Praias e Charutos - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Praias e Charutos - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Praias e Charutos

Cuba, Playa Santa Lucia, Santiago de Cuba

Fumando um legítimo charuto cubano na Casa de La Trova, em Santiago de Cuba

Fumando um legítimo charuto cubano na Casa de La Trova, em Santiago de Cuba


Depois de termos estado em várias praias da costa sul de Cuba, como na Isla de La Juventud, na Playa Girón e na Playa Ancón, chegou a vez de conhecer a costa norte. Assim, saímos cedo de Camaguey em direção ao norte, para a Playa Santa Lucía

A bela e tranquila Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

A bela e tranquila Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Apesar de um erro no caminho, onde acabamos dirigindo uns 30 km a mais, chegamos ansiosos à praia tão recomendada por alguns dos nossos conhecidos cubanos. A expectativa era grande, do mesma maneira que foi a decepção. Realmente, àquela primeira vista, as praias do sul estavam melhores. Faixa de areia muito estreita e vegetação na água.

Admirando o visual da Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Admirando o visual da Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Resolvemos explorar mais a costa, indo até onde estão os resorts. A praia melhorou um pouco, mas ainda não valeria o esforço de ter dirigido até lá. Em regiões como essa, considerada de grande valor turístico, o governo cubano ainda não permite que cidadãos recebam os turistas em casa. Não querem concorrência para seus hotéis e resorts estatais de preço bem inflado.

Visual paradisíaco na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Visual paradisíaco na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Nossa última esperança era seguir por uma estrada de terra mais alguns quilômetros, até a chamada Praia da Boca, onde a água do mar se encontra com as salinas que existem na região. Para minha surpresa, ultrapassamos nesta estrada de terra várias charretes carregadas de turistas. “Hmmmm... se essas pessoas saem do conforto de seus resorts para enfrentar alguns quilômetros de estrada poeirenta embaixo de sol forte, quem sabe o que há do lado de lá?

Tomando sol na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Tomando sol na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Pois é! A tal Praia da Boca é linda!!! Areia branquinha, coqueiros e água transparente. E sem resorts!!! Uma delícia, caribe cubano da melhor qualidade. Enfim, a viagem tinha valido à pena!

Mar transparente na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Mar transparente na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Aí passamos algumas horas, nos refestelando na paisagem, na água e no bar ali do lado. Depois, antes de encarar as quase quatro horas até Santiago, só faltava cuidar do estômago. Mas já tínhamos tudo esquematizado! Um simpático casal nos receberia em casa, em frente à praia, com uma generosa porção de lagosta e peixe, acompanhado de salada, feijão, arroz e plátano. Um banquete! Tudo por uns 15-20% do preço que teríamos no Brasil, por pratos semelhantes. E com direito à longa conversa sobre as dificuldades das regras do governo e como dar um “jeitinho” para sobreviver.

Aproveitando o mar e o sol da Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Aproveitando o mar e o sol da Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Combinação perfeita: praia, sol, mar e mojito na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Combinação perfeita: praia, sol, mar e mojito na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Nos contaram, por exemplo, que é daquela região que saem quase todos os barcos carregados de imigrantes ilegais para a Flórida (aqui estamos no ponto mais próximo dos EUA!). Aliás, ter barco por aqui é um perigo, pois a chance de ele ser roubado por gente querendo atravessar o canal é grande!

Sombra estratégica para estacionar na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Sombra estratégica para estacionar na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Depois do banquete e da aula, seguimos em viagem para Santiago. O final de tarde foi justo quando a famosa Sierra Maestra passou a dominar a paisagem, ao longe. Majestosa, foi aí que Fidel e seus companheiros passaram quase dois anos de penosa luta, até que o movimento se consolidou e colunas foram enviadas à outras regiões do país, na ofensiva que derrubou o tirano Batista. Histórias para um próximo post...

Casa onde almoçamos na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Casa onde almoçamos na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Chegamos à cidade já de noite. O instinto nos levou praticamente à porta da casa de Hóspedes agendada desde Havana. Só pare descobrir que nosso “amigo” lá de Trinidad havia cancelado a reserva e os quartos já estavam ocupados. Mas nossa amiga arquiteta dona da Casa de Hóspedes de Camaguey já tinha falado para eles que íamos sim para lá. Então, com os quartos já ocupados, já tinham providenciado outro lugar para ficarmos, ali perto. Menos mal!

Sorriso depois do delicioso almoço na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Sorriso depois do delicioso almoço na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba


Instalados, fomos passear no Parque Céspedes, coração da cidade. Muitos monumentos e prédios históricos iluminados, bastante movimento nas ruas. O Rafa e a Laura voltaram para casa depois do nosso jantar, mas eu e a Ana resolvemos esticar um pouco, passear pelas ruas do centro histórico. Não demorou muito e encontramos a Casa de La Trova de Santiago e, diante da animação do lugar, resolvemos entrar.

Restaurante de hotel tradicional em Santiago de Cuba

Restaurante de hotel tradicional em Santiago de Cuba


Show de música em hotel de Santiago de Cuba

Show de música em hotel de Santiago de Cuba


Casa bem mais charmosa que sua similar em Trinidad. Mais turística também. Depois de um pouco de música e de cervejas, resolvemos que era hora de provar outro produto cubano que é famoso pelo mundo: um “puro”, popularmente conhecido como “charuto”.

A Catedral no Parque Céspedes, coração de Santiago de Cuba

A Catedral no Parque Céspedes, coração de Santiago de Cuba


Os melhores charutos cubanos são produzidos no oeste da ilha, na região de Pinar del Rio (ainda vamos passar lá!). São esses que são exportados. Em outras partes da ilha são produzidos charutos para consumo nacional. De qualquer maneira, muito bons por qualquer padrão. É muito fácil encontrá-los nas ruas. A história é sempre a mesma: “São legítimos! Trabalho na fábrica e tirei eu mesmo de lá. Charutos de exportação!”. O preço: uma pechincha! Quatro, cinco vezes mais barato que na loja oficial. Sei... Mas, mesmo esses, ruins não são. A não ser que você seja muito exigente e profundo conhecedor. No caso de consumidores amadores como nós, tudo é lucro.

Fachada da Casa de La Trova em Santiago de Cuba

Fachada da Casa de La Trova em Santiago de Cuba


Bom, compramos ali no bar mesmo. Um Cohiba. Legítimo, disseram. Hmmm... Bom, para nós, uma delícia! Fumamos ali mesmo, no maior estilo, tentando fazer pose. Agora sim, sentíamo-nos em Cuba: numa Casa de La Trova, ouvindo boa salsa, copo de mojito numa mão e Cohiba na outra. Que beleza!

Fumando um legítimo charuto cubano na Casa de La Trova, em Santiago de Cuba

Fumando um legítimo charuto cubano na Casa de La Trova, em Santiago de Cuba

Cuba, Playa Santa Lucia, Santiago de Cuba, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Diz aí se você gostou, diz!

Post anterior Meio de transporte em Camaguey, em Cuba

Passagem em Camaguey

Post seguinte A bela vista do Castillo San Pedro del Morro, ao sul de  Santiago de Cuba

Santiago de Cuba

Blog da Ana Visual cubano na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Playa de La Boca a Santiago

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 22/01/2016 | 00:47 por Marcelo Barbosa

    esse da foto é um cohiba maduro 5?!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet