0 Viagem no Tempo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Viagem no Tempo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Viagem no Tempo

Estados Unidos, Arizona, Petrified Forest

Enorme árvore petrificada no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Enorme árvore petrificada no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Durante a tarde de hoje visitamos um mundo bem antigo, muito diferente do nosso. Geralmente, quando pensamos num mundo antigo, mas antigo mesmo, nossa mente logo nos remete aos dinossauros. Essas feras dominaram o mundo por quase 150 milhões de anos, numa época em que os mamíferos viviam apenas nas sombras, sempre tentando se esconder dos seus “primos” maiores. Mas um meteoro, bem maior do que aquele que visitamos a cratera na manhã de hoje, ajudou a por fim nesse longo reinado, há pouco mais de 60 milhões de anos. Seu cataclísmico impacto na península do Yucatán foi particularmente devastador para os dinossauros e os mamíferos souberam aproveitar a oportunidade.

Madeira petrificada há mais de 200 milhões de anos, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Madeira petrificada há mais de 200 milhões de anos, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Mas o mundo que visitamos hoje é ainda mais antigo que essa história toda. Estou falando da época que os cientistas chamam de “triássico tardio”, há cerca de 225 milhões de anos. Nesses tempos, os dinossauros ainda “engatinhavam” e eram eles que viviam nas sombras, se escondendo dos verdadeiros senhores daquela época, enormes anfíbios e phytossauros, répteis da mesma família dos crocodilos. Esses monstros comiam dinossauros no café da manhã e mamíferos na sobremesa.

Observando troncos petrificados no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Observando troncos petrificados no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Naquela época, essa área que hoje é um deserto colorido no leste do Arizona fazia parte do sudoeste do supercontinente Pangeia e estava localizada muito mais próxima do equador. Seu clima era semi-tropical e muito mais úmido do que é hoje. Densas florestas de coníferas, árvores primas nas nossas araucárias paranaenses, cobriam a região pantanosa e cheia de rios. Foi exatamente esse terreno pantanoso que ajudou a preservar toda essa história que hoje conhecemos através dos fósseis.

Observando troncos petrificados no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Observando troncos petrificados no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Normalmente, quando um ser vivo morre, sua matéria orgânica é logo decomposta e não sobra nada para contar a história. Mas, em raros casos, há um processo de fossilização, e os restos podem durar centenas de milhões de anos. O segredo está em proteger o corpo rapidamente, após a morte, da ação de bactérias, fungos e outros agentes decompositores.

Caminhando no surpreendente Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Caminhando no surpreendente Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Era exatamente o que acontecia por aqui, há 225 milhões de anos! Grandes troncos e corpos de animais mortos eram trazidos pelos rios até os pântanos, onde muitos deles afundavam na lama pegajosa e anaeróbica do fundo, onde nem bactérias sobrevivem. Aí, a água subterrânea circulava lentamente pela porosa matéria orgânica dos troncos ou ossos, levando consigo minerais dissolvidos de origem vulcânica. Lá dentro, já sob a forma de cristais, eles iam se “encaixando” exatamente nos locais em que a matéria orgânica se “dissolvia”. Resumindo, com o passar dos tempos, a antiga madeira, ou o cálcio, era substituído por pedra, mantendo o formato original. Estava feita a mágica, após algumas centenas de anos: uma árvore ou osso de pedra! Com a mesma aparência da forma criadoura!

Gigantesco tronco petrificado, picotado por caçadores de cristais no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Gigantesco tronco petrificado, picotado por caçadores de cristais no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Milhões e milhões de anos de depósitos de material depois, todos esses fósseis estavam enterrados a quilômetros de profundidade. Aí, aconteceu o outro fator que nos permite admirar a maravilha que é esse parque nacional hoje: forças tectônicas passaram a levantar toda essa região, trazendo de volta à superfície material que foi enterrado há mais de 200 milhões de anos. Na verdade, o que veio à tona foi um grande planalto, mas algumas centenas de milhares de anos de erosão pela água e pelo vento foi limpando o terreno, derretendo a terra mais mole e deixando apenas as pedras mais duras (os fósseis!) inteiros.

Admirando a belíssima paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Admirando a belíssima paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Fim da mágica, temos uma floresta inteira de árvores petrificadas e, entre elas, ossos dos monstros que reinavam por aqui, além das pequenas criaturas que comiam (os dinossauros!). Esse foi o parque que visitamos hoje, o “Petrified Forest National Park”, criado na década de 60, mas que já fazia a festa dos turistas há mais de um século! Pois é, aqui do lado passava uma das mais antigas ferrovias transcontinentais do país e muitos passageiros, já no início do século passado, paravam por aqui um dia e faziam um day-tour oferecido pela própria companhia ferroviária para admirar as estranhas e coloridas árvores petrificadas.

O deserto colorido do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

O deserto colorido do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Coloridas porque os minerais de origem vulcânica que ocuparam o lugar da matéria orgânica nos fósseis são avermelhados ou amarelados e formam lindos cristais coloridos dentro dos troncos. O problema é que isso sempre atraiu (e continua atraindo) colecionadores que vem saqueando a área desde então. Afinal, ter uma mesinha de café na sua casa, feita de madeira colorida petrificada há 225 milhões de anos é muito chique! Ainda hoje, mesmo com toda a proteção, cerca de 12 toneladas de madeira petrificada são roubadas anualmente do parque, infelizmente.

Fiona nos leva através do magnífico Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Fiona nos leva através do magnífico Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Se hoje já ficamos impressionados com a quantidade de árvores petrificadas que se pode ver em certas áreas do parque, imagine como era quando os primeiros europeus chegaram por aqui. Os antigos relatos são sempre de pessoas extremamente impressionadas com a riqueza arqueológica que se via na região. Hoje está mais difícil saquear o parque, mas no início do século passado, as pessoas não se acanhavam em dinamitar os troncos para picotá-los e extrair suas partes mais coloridas. É por isso que boa parte dos troncos que vemos está todo repartido, como se tivessem sido picotados à machado ontem, para fazer lenha. Mas a aparência engana! A madeira, na verdade, é pedra, o machado é dinamite e o ontem faz 100 anos! Incrível!

Admirando a belíssima paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Admirando a belíssima paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Além da floresta petrificada e do mundo triássico que ela retrata, há duas outras grandes atrações no parque. Primeiro, sua impressionante beleza cênica. O mesmo processo tectônico e de erosão que trouxe de volta “à vida” as árvores de 225 milhões de anos atrás, criou também um cenário de canyons e montanhas coloridas, com diversas camadas geológicas com características distintas à vista. Observá-las e caminhar entre elas é o mesmo que caminhar pelo tempo, além de ser um colírio para os olhos.

Ruínas de antiga cidade dos Pueblos, povo misterioso do sudoeste americano (no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos)

Ruínas de antiga cidade dos Pueblos, povo misterioso do sudoeste americano (no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos)


A outra atração é a história da ocupação humana. Por aqui viveu passou a mais adiantada civilização pré-colombiana em território americano, os Pueblos. Tanto falamos e pensamos em mayas, astecas e incas que pouca gente sabe que aqui no Arizona havia um povo que construía pequenas cidades de pedra, cultivava o milho e deixou para a posterioridade algumas das mais belas pinturas rupestres dos Estados Unidos. Aliás, isso é até engraçado... justo no mais belo painel de pinturas, o acesso é proibido. No lugar do acesso, temos uma luneta para ver o painel bem de longe. Ver pinturas rupestres de luneta é fogo!

A mais famosa pintura rupestre americana, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

A mais famosa pintura rupestre americana, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Outro aspecto histórico são as ferrovias e a famosa Rota 66 que passava por aqui. A ferrovia ainda está em uso e são mais de 20 enormes comboios que passam pelo parque diariamente. A Rota 66 já foi desativada faz tempo no seu trecho pelo parque e a vegetação está retomando seu lugar.

Uma luneta para observar pinturas rupestres inacessíveis à turistas, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Uma luneta para observar pinturas rupestres inacessíveis à turistas, no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Foi uma tarde incrível nesse parque maravilhoso. O interessante foi ver que, por mais que estejamos falando de períodos tão grandes de tempo, é fácil ver que as coisas continuam “acontecendo”. O melhor exemplo é uma ponte natural criada pela erosão. A água e o vento escavaram um desfiladeiro, levando a terra mole embora. Mas lá ficou um tronco petrificado unido os dois lados do pequeno canyon. Uma ponte natural que apareceu apenas há um século, mas com um tronco de mais de 200 milhões de anos!!!

Tronco petrificado forma ponte natural no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Tronco petrificado forma ponte natural no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos


Mas nem tudo muda, pelo menos no período da nossa ridícula vida de 70-80 anos. Num dos mirantes do parque, lá está um painel com duas fotos tiradas com um intervalo de sessenta anos. O garoto virou um senhor respeitável. A mesma posição, o mesmo ângulo, o mesmo sorriso na boca. A primeira foto foi tirada pelos seus avós, a segunda por seus netos. No fundo da foto, exatamente a mesma encosta, com as mesmas camadas geológicas expostas. Pelo menos pelos próximos milhares de anos...

A mesma pessoa e a mesma paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos, em fotos com60 anos de intervalo

A mesma pessoa e a mesma paisagem do Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos, em fotos com60 anos de intervalo


Bom, enquanto esses milhares de anos não passam, eu e a Ana seguimos viagem, entramos no Novo México, jantamos comida australiana em Albuquerque e chegamos à Santa Fé. Infelizmente, todos os hotelzinhos charmosos já estavam fechados às 11 da noite e a gente teve de apelar para os sempre confiáveis e sempre abertos hotéis de rede. Amanhã, chega de estrada, é dia de cidade!

Fim de tarde no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Fim de tarde no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Estados Unidos, Arizona, Petrified Forest, trilha, Parque, deserto, Petrified Forest National Park

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior A impressionante cratera do meteoro, ou 'Meteor Crater', no Arizona - Estados Unidos

Na Cratera do Meteoro

Post seguinte O prédio da Ópera em Santa Fé, no Novo México - Estados Unidos

O Antigo e o Novo Mexico

Blog da Ana Troncos petrificados há mais de 200 milhões de anos no Petrified Forest National Park, no Arizona - Estados Unidos

Floresta Petrificada

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 01/03/2016 | 19:07 por Fernando

    Agora só falta conhecer a cidade de Mata, RS. http://cenasperdidas.blogspot.com.br/search/label/Mata.RS.%20Pontos%20Tur%C3%ADsticos

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet