0 San Salvador e as Maras - Blog do Rodrigo - 1000 dias

San Salvador e as Maras - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

San Salvador e as Maras

El Salvador, El Tunco, San Salvador

O belo interior da moderna Igreja do Rosário, no centro de San Salvador, capital de El Salvador

O belo interior da moderna Igreja do Rosário, no centro de San Salvador, capital de El Salvador


Céu absolutamente sem nuvens, típico daqueles dias em que vamos deixar a praia e voltar para a cidade grande. Aproveitamos para um último mergulho na praia de El Tunco, hoje já bem mais vazia que ontem. A maré baixa deixa o mar bem tranquilo e eu e a Ana pudemos nadar tranquilamente no Oceano Pacífico, uma despedida por um bom tempo. Acho que a próxima vez, só no México.

Trãnsito pesado na volta à San Salvador, capital de El Salvador

Trãnsito pesado na volta à San Salvador, capital de El Salvador


Rumamos para San Salvador, a capital do país, a meros quarenta minutos dali, dirigindo. Mesmo antes do início da nossa viagem, há quase dois anos, a gente vem ouvindo sobre a má fama do país e, principalmente da capital, na questão de segurança. Junto com Guatemala e México, são os países de que mais ouvimos: “Nossa, vai passar por lá? Não tem medo? Cuidado, hein!”. São informações que nos chegam pela imprensa e noticiário e que vão, pouco a pouco, nos formando uma imagem e um conceito sobre um país...

O belo interior da moderna Igreja do Rosário, no centro de San Salvador, capital de El Salvador

O belo interior da moderna Igreja do Rosário, no centro de San Salvador, capital de El Salvador


Eu não costumo dar muita bola para isso não. Sempre penso no Brasil e no Rio como exemplos. Se fôssemos acreditar em tudo o que a TV ou os jornais parecem intuir sobre a cidade e o país, como muitos gringos acreditam, o melhor a fazer seria nunca pisar na Cidade Maravilhosa e passar longe do Brasil. Cansamos de ouvir perguntas de gringos sobre a segurança em nosso país, sobre se é possível viajar pelo Brasil. Bom, se não tivermos o azar de estarmos no lugar errado na hora errada, com certeza não só é possível, mas também altamente recompensador viajar no Brasil. Por analogia, uso o mesmo raciocínio para os outros países, apesar das constantes notícias sobre massacres e de pessoas que andam armadas e etc, etc, etc.

De qualquer maneira, o seguro morreu de velho e sempre é bom se precaver. Assim, em San Salvador, fomos diretamente à Zona Rosa, uma espécie de Jardins da capital salvadorenha. É onde estão os melhores hotéis, restaurantes, lojas e onde se concentra a night life de San Salvador. Não demorou muito e já estávamos muito bem instalados no Clarion, com uma magnífica vista da cidade e do vulcão vizinho, chamado San Salvador também.

A Catedral de San Salvador, capital de El Salvador

A Catedral de San Salvador, capital de El Salvador


Voltando à questão da segurança, enquanto o problema maior no México e, mais recentemente na Guatemala, são os cartéis de drogas, aqui em El Salvador são as “Maras”, ou gangues. A maior e mais famosa delas tem o peculiar nome de “Salvatrucha”. Surgiu na década de 80, na periferia de Los Angeles, EUA. Foi criada por imigrantes salvadorenhos fugidos da guerra civil que assolava o país e cansados de serem explorados por gangues mexicanas já há muito estabelecidas na cidade. Esteticamente, a principal característica de seus membros é a pele toda tatuada. A gangue logo cresceu, se tornando uma das mais violentas e poderosas por lá. A polícia americana, assustada, não pensou dias vezes: deportação em massa! O que parecia ser a solução foi, na verdade, a ampliação do problema. Os membros da Salvatrucha deportados para San Salvador logo se estabeleceram na própria cidade natal, angariando novos membros num ambiente de pobreza e falta de perspectivas num país afundado na guerra civil e governado por uma oligarquia corrupta. A Salvatrucha continuou se expandindo e cruzando fronteiras e hoje, segundo estimativas, conta com mais de 30 mil membros, do Canadá à América Central. Sua principal fonte de renda é a “proteção”, de contratação obrigatória por todos os comerciantes da área. Quem não paga, nem preciso dizer o que acontece, né?

A imponente Catedral de San Salvador, capital de El Salvador

A imponente Catedral de San Salvador, capital de El Salvador


Bom, muito bem instalados na Zona Rosa e com a Fiona devidamente guardada na garagem do hotel, fomos de taxi para o centro da cidade, conhecer um pouco do mundo “real”. O primeiro ponto, sugestão do nosso livro-guia foi a Igreja do Rosário. O guia foi categórico: “Se for conhecer apenas uma igreja na cidade, e mesmo em todo o país, que seja essa!” O engraçado foi que nem o pessoal do hotel, nem o motorista de taxi souberam identificar a igreja pelo nome. Mas, como tínhamos o endereço, para lá fomos. Um igreja moderna, feia por fora mas muito bonita e interessante por dentro! Gostamos bastante.

Pintura na parede externa da Catedral de San Salvador, capital de El Salvador

Pintura na parede externa da Catedral de San Salvador, capital de El Salvador


De lá seguimos para a vizinha Plaza Barrios, centro nervoso da capital, onde estão o Palácio Nacional e a Catedral Metropolitana. Ainda hoje, é lá que ocorrem as grandes manifestações políticas e religiosas. Foi lá também que ocorreu o funeral do arcebispo Oscar Romero, que terminou em carnificina, em 1980. No dia de hoje, o ambiente estava bem mais tranquilo mas, mesmo assim, as ruas no seu entorno são um verdadeiro caos, totalmente tomadas pelo comércio ambulante. Depois de passear e fotografar a praça, andamos um pouco pelas redondezas sem nunca conseguir escapar da confusão. O ponto positivo foi que, depois de tantos turistas em El Tunco, aqui no centro de San Salvador não encontramos nenhum. Zero! A minha querida esposa, armada de sua Nikon a tiracolo, passou a ser uma das atrações turísticas do local, hehehe!

O Palacio Nacional, sede do governo no centro de San Salvador, capital de El Salvador

O Palacio Nacional, sede do governo no centro de San Salvador, capital de El Salvador


Pouco mais de uma hora de caos e sentimos saudades da tranquilidade de novo. Voltamos ao oásis da Zona Rosa, diretamente para o Multiplaza, um dos maiores sho´pings da cidade. Objetivo: comprar um computador. E assim fizemos, o que vai facilitar bastante meu trabalho daqui para frente! Meu presente de natal! A Ana foi mais modesta e, como presente de natal, se deu uma sessão dupla de massagem, uma hoje e outra marcada para amanhã. De volta ao nosso hotel, não foi difícil achar lugar gostoso para comer, carne de muito boa qualidade. Amanhã, faremos uma day-trip para uma cidade histórica aqui perto, Suchitoto, e voltamos para nosso refúgio na Zona Rosa. De noite tem mais massagem e até cinema!

Ringue de patinação do gelo no shopping Multiplaza, em San salvador, capital de El Salvador

Ringue de patinação do gelo no shopping Multiplaza, em San salvador, capital de El Salvador



P.S. Já ía esquecendo... a segurança. Não, não vimos ninguém tatuado nas ruas e nem nos sentimos ameaçados, em qualquer momento. No centro, ruas cheias e caóticas, mas assim também é em várias outras grandes cidades latino-americanas. O que nos faz lembrar sobre esta questão é a quantidade de guardas públicos e seguranças privados portando suas escopetas nas ruas e lojas. Já tinha sido assim em El Tunco também. No começo achamos meio estranho, mas depois acostumamos. Ver uma escopeta ou um rifle passou a ser como ver uma árvore ou um poste de luz. Faz parte da paisagem...

El Salvador, El Tunco, San Salvador, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior Praia de El Tunco, litoral de El Salvador

Guerra e Paz

Post seguinte A pacata cidade colonial de Suchitoto, nas montanhas no norte de El Salvador

Tranquilidade em Suchitoto

Blog da Ana Pintura na parede externa da Catedral de San Salvador, capital de El Salvador

San Salvador

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet