0 Passeio na Capital - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Passeio na Capital - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Passeio na Capital

Nicarágua, Ometepe, Manágua, León

A moderna Catedral de Manágua, capital da Nicarágua

A moderna Catedral de Manágua, capital da Nicarágua


Atravessamos a Isla Ometepe hoje cedo em tempo de pegar o ferry das 09:00 da manhã, já com reserva antecipada para garantir o disputado espaço para a Fiona. De "volta" ao continente, era tempo de seguirmos ao norte do país. Passamos ao lado da histórica Granada, mas resolvemos deixá-la para a volta, daqui a uns 7-8 meses. A nossa primeira parada estava programada para a capital Manágua.

Bandeiras do país e da FSLN tremulam em Manágua, capital da Nicarágua

Bandeiras do país e da FSLN tremulam em Manágua, capital da Nicarágua


Durante boa parte da história do país, as duas mais importantes cidades da Nicarágua eram Granada e León. De tendências políticas opostas, elas disputavam continuamente o poder no país, conservadores contra liberais, muitas vezes levando a nação à guerra civil. Finalmente, em meados do século XIX, numa resolução por compromisso, as duas forças políticas aceitaram que a capital fosse transferida para uma terceira cidade, a pequena e pacata Manágua, situada entre León e Granada.

Estátua de revolucionário em Manágua, capital da Nicarágua

Estátua de revolucionário em Manágua, capital da Nicarágua


A tranquila vila logo cresceu para se tornar a maior cidade da Nicarágua, com um belo centro histórico,segundo relatos da época. Temos de nos fiar nesses "relatos" porque esse centro foi completamente destruído por um grande terremoto seguido por incêncio no final da década de 20 do século passado. Sobre as cinzas um novo centro foi construído, com o árduo esforço dos cidadãos de Manágua. A cidade era uma das mais dinâmicas da América Central quando um novo e devastador terremoto botou tudo abaixo, em 1972.

O grande lago de Manágua, capital da Nicarágua

O grande lago de Manágua, capital da Nicarágua


Enquanto o ditador Somoza soube aproveitar a desgraça para faturar milhões com a especulação imobiliária que se seguiu a tragédia, com novos bairros sendo criados em locais mais "seguros", cientistas advertiam que uma nova reconstrução do centro estaria fadada a ser destruída por novos terremotos. Assim, essa área central foi deixada como área livre de novas construções, um lembrete da força destrutiva da natureza, passada e futura. A antiga Catedral, interditada desde então, é a lembrança viva deste fato.

Silhueta gigante de Sandino, líder revolucionário do país (em Manágua, capital da Nicarágua)

Silhueta gigante de Sandino, líder revolucionário do país (em Manágua, capital da Nicarágua)


Resolvemos aproveitar as facilidades de um trânsito dominical para passarmos algumas horas na capital nicaraguense. Começamos nossa visita pela Laguna Tiscapa, uma antiga caldeira de vulcão em pleno centro de Manágua. Ali do lado, num promotório, a gigantesca silhueta de Sandino, o reverenciado herói nacional, observa toda a cidade. Com menos de 40 anos ele liderava um exército que por anos enfrentou os marines americanos sem se deixar capturar. Seu nome se tornou uma legenda na época, tanto na América Central como em todo o mundo. Comunistas da URSS ao México o glorificavam. Finalmente, com a saída dos gringos do país, Sandino estava negociando um acordo com o presidente liberal da época. Mas ao sair do palácio governamental após uma sessão de negociação, foi capturado pela Guarda Nacional de Somoza (o pai, fundador da dinastia) e morto em seguida. Pouco depois o presidente seria derrubado em um golpe e mais de 40 anos de feroz ditadura seguiriam. Fico imaginando o que diziam os livros de história da Nicarágua sobre essa interessantíssima figura (Sandino) na época em que a família Somoza ainda reinava no país...

Fotos de duas reverenciadas personagens do país: o poeta Dario e o revolucionário Sandino (em Manágua, capital da Nicarágua)

Fotos de duas reverenciadas personagens do país: o poeta Dario e o revolucionário Sandino (em Manágua, capital da Nicarágua)


A moderna Catedral de Manágua, capital da Nicarágua

A moderna Catedral de Manágua, capital da Nicarágua


Bom, daí seguimos para a moderna Nova Catedral de Manágua, uma construção meio com cara de Niemayer. Aliás, Manágua lembra Brasília, muitas avenidas e poucas esquinas. Uma parada para fotos e rápida caminhada pelo enorme prédio e continuamos nosso tour para o antigo centro, a antiga Catedral ainda torta desde o terremoto de 72.

A antiga Catedral de Manágua, semi-destruída pelo grande terremoto de 1972 em Manágua, capital da Nicarágua

A antiga Catedral de Manágua, semi-destruída pelo grande terremoto de 1972 em Manágua, capital da Nicarágua


Ali do lado, em frente ao enorme e poluído Lago de Manágua, o Puerto Salvador Allende, com restaurantes e bares à beira d'água. Entre estátuas e textos homenageando o antigo presidente chileno, além de Sandino e do poeta Dario, tivemos uma agradável refeição, admirando ao longe, do outro lado do lago, o cone vulcânico mais perfeito da América Central, do vulcão Momotombo. Local concorrido pela classe média da capital num domingo de tarde, éramos os úncos turistas à vista, o que tornou o passeio ainda mais interessante.

Clima de natal em Manágua, capital da Nicarágua

Clima de natal em Manágua, capital da Nicarágua


De estômagos cheios, demos adeus à politizada capital e seguimos para León, quase 100 km ao norte, nosso destino final hoje. Seguimos pela estrada velha, um pedaço dela de terra, quase sem movimento, se desconsiderarmos bovinos e equinos. Devagarzinho chegamos à antiga capital do país, um dos berços do sandinismo honrando suas centenárias tradições liberais. Instalamo-nos no Lazy Bones e ainda fomos passear, pela noite, pelas históricas ruas do centro da cidade. O nosso primeiro gostinho dessa bela cidade foram a decoração natalina da praça central e a enorme catedral, a maior da América central, iluminada para a noite

A Catedral de León, norte da Nicarágua, a maior da América Central

A Catedral de León, norte da Nicarágua, a maior da América Central


Amanhã devemos ficar aqui no centro mesmo, passeando pela cidade, seus museus e igrejas. E quando cansarmos ou ficarmos com preguiça, estaremos sempre perto do Lazy Bones, estrategicamente posicionado entre as principais atrações e prédios históricos.

Clima natalino: presépio na praça central de León, norte da Nicarágua

Clima natalino: presépio na praça central de León, norte da Nicarágua

Nicarágua, Ometepe, Manágua, León,

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Delicioso 'chuveirão' na Cachoeira de San Ramón, na Isla Ometepe, no Lago de Nicarágua

Um Dia Espetacular!

Post seguinte Mural nas ruas de León, na Nicarágua

Uma Aula de História

Blog da Ana Silhueta gigante de Sandino, líder revolucionário do país (em Manágua, capital da Nicarágua)

Manágua

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 26/12/2011 | 14:48 por lalau

    Sentimos falta de vocês na sempre divertida noite de Natal. Senti falta de fotos de Manágua, não deu para visualizar a cidade. beijos, beijos Lalau

    Resposta:
    Oi Lalau

    Bem que tentamos achar vcs no skype, mas ninguém respondia, infelizmente.

    Vc não viu as fotos de Manágua?

    Boa viagem para a família para Londres! Estaremos esperando fotos e relatos!!!

  • 23/12/2011 | 01:31 por Marcos Silva

    Fantástico relato! Principalmente as fotos da Catedral (moderna)! Só discordo quando diz que tem a cara do Niemeyer! Acho a cara do Le Corbusier!
    Uma pergunta ao casal, qual foi o tempo de planejamento dessa aventura?
    abraços de SP!

    Resposta:
    Olá Marcos!

    Vivendo e aprendendo! Concordo com vc que ela tem mesmo a cara do Le Corbusier. mas tem uma pitadinha de Niemayer tb, hehehe!

    Olha, a idéia surgiu uns dois anos antes do início da viagem. Mas começou bem mais modesta! Palenjamento mesmo, mais detalhado, foram só nos poucos meses anteriores ao início, após nos desvencilharmos dos empregos. Boa parte do planejamento é feito agora mesmo, enquanto estamos viajando!

    Abs e feliz ano novo!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet