0 Maravilhas Terrestres do Jalapão - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Maravilhas Terrestres do Jalapão - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Maravilhas Terrestres do Jalapão

Brasil, Tocantins, Mateiros

Visitando as dunas do Jalapão - TO, com a Serra do Espírito Santo ao fundo

Visitando as dunas do Jalapão - TO, com a Serra do Espírito Santo ao fundo


Dois dias atrás, publiquei um post sobre algumas das maravilhas aquáticas do Jalapão, cachoeiras, rios e fervedouros. Hoje, foi dia de visitar algumas das belezas acima d'água, as chapadas, a Serra do Espírito Santo a as famosas dunas avermelhadas, formação única no Brasil.

A panificadora de Mateiros, no Jalapão - TO

A panificadora de Mateiros, no Jalapão - TO


Visitando o Centro Turístico de Mateiros, no Jalapão - TO

Visitando o Centro Turístico de Mateiros, no Jalapão - TO


A gente tomou um café da manhã reforçado, preparou uns sanduíches e fechou nossa conta na simpática Pousada dos Buritis, em Mateiros. Antes de sair de viagem, ainda passamos na frutaria e na padaria da cidade (as únicas!), para nos abastecer para nosso acampamento. Afinal, a noite seria numa barraca na Prainha do Rio Novo, longe de qualquer restaurante. De frente à padaria, a nova praça da cidade, pronta mas não inaugurada, com um Centro de Turistas provisório, mas muito arrumado. Lá dentro, muitas informações sobre o parque, sua flora e fauna e também a população humana. Espaço para o incrível artesanato do Capim Amarelo, especialidade da região. Fomos muito bem atendidos e foi difícil tirar a Ana lá de dentro...

Quem disse que não tem vulcão no Brasil? (Jalapão - TO)

Quem disse que não tem vulcão no Brasil? (Jalapão - TO)


Enfim, partimos em direção à Serra do Espírito Santo, uma das muitas chapadas da região. Mas algo a torna especial: é da erosão dessa serra que vem a areia que forma as famosas dunas avermelhadas do Jalapão. Isso a fez a mais popular serra do Jalapão e a mais fácil de ser subida. Uma trilha muito bem demarcada nos leva até seu topo e , lá encima, à um mirante de onde se pode ver as dunas avermelhadas.

A vastidão do Jalapão - TO

A vastidão do Jalapão - TO


Fiona nos espera no pé da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO

Fiona nos espera no pé da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO


Apesar do espanto das pessoas ao saberem que queríamos subi-la neste horário, perto do meio-dia, não nos amedrontamos. Afinal, o dia estava nublado e a serra nem é tão alta assim. Foram cerca de 35 min até lá encima. No caminho, cruzamos três pessoas descendo, os únicos outros seres humanos por ali. Tínhamos a serra só para nós! Uma vez lá encima e muitas fotos mais tarde, enfrentamos os 3 km de trilha completamente plana que nos levam até o outro lado da chapada, defronte ao campo de dunas lá embaixo. A visão é simplesmente magnífica!

Flôr de cerrado no alto da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO

Flôr de cerrado no alto da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO


As planícies do Jalapão vistas do alto da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO

As planícies do Jalapão vistas do alto da Serra do Espírito Santo, no Jalapão - TO


Todo aquele lado da Serra do Espírito Santo está sofrendo uma acelerada erosão, pelo vento e chuva. A terra e areia arrancados da montanha se acumulam lá embaixo, na saída de um vale verdejante por onde corre um córrego de águas cristalinas. Milênios de acumulo formaram as incríveis dunas de cor avermelhada e areia fofa. O riacho que sai do vale é forçado a serpentear por entre essas montanhas de areia, para poder seguir seu curso. O resultado disso tudo é uma das mais belas paisagens que se pode ver no interior do Brasil.

No mirante do Espírito Santo, ponto de observação das dunas do Jalapão - TO

No mirante do Espírito Santo, ponto de observação das dunas do Jalapão - TO


A Serra do Espírito Santo se erodindo, alimentando as dunas do Jalapão - TO

A Serra do Espírito Santo se erodindo, alimentando as dunas do Jalapão - TO


Lá do alto, as dunas nem parecem tão grandes assim. Mas o contraste da sua cor com o verde que as cerca é maravilhoso. Ficamos lá admirando, tentando entender em alguns minutos o que a natuleza levou milênios para fazer. Escalas geológicas de tempo tem sempre a capacidade de fundir minha cabeça, acostumada com segundos e minutos, e não com séculos e milênios. Mas, basta um golpe de vento mais forte e, com a ajuda da imaginação, podemos perceber uma certa poeira vermelha se levantar das encostas erodidas da montanha e se dirigir às dunas. É a nova geração de grãos de areia que chegam para substituir aqueles que estão sendo levados riacho abaixo, até o caudaloso Rio Novo, alguns quilômetros à frente.

Dunas do Jalapão - TO, vistas do alto da Serra do Espírito Santo

Dunas do Jalapão - TO, vistas do alto da Serra do Espírito Santo


Muitas fotos, algumas mexiricas e bananas depois e decidimos que era hora de voltar pela trilha, descer a serra e ir até as dunas, para conhecê-las mais de perto. Alguns quilômetros pela estrada principal e chegamos até a estrada secundária, que nos leva até às dunas. No início dessa estrada, uma cancela. É o local do pagamento, cinco reais por pessoa. É o local também onde placas avisam: somente carros 4x4 além deste ponto!

Chegando nas dunas avermelhadas do Jalapão - TO

Chegando nas dunas avermelhadas do Jalapão - TO


O pequeno riacho que margeia as dunas do Jalapão - TO

O pequeno riacho que margeia as dunas do Jalapão - TO


Pois bem, assim que pagamos apareceu uma S10, querendo entrar também. Um casal e seus dois filhos, moradores recentes de Palmas. O carro deles não era traçado e ele me perguntou se eu lhe daria apoio, caso necessitasse. Claro que sim! Mas, piloto experiente, não foi necessário. Ele veio acelerado, lutando contra a areia que teimava em agarrar o seu carro. Mas, valente, chegou até as dunas, para felicidade e orgulho dos filhos!

Caminhando nas dunas do Jalapão - TO

Caminhando nas dunas do Jalapão - TO


E assim, exploramos as dunas nós seis. O cenário não poderia ser mais idílico. Aquele riacho no pé das dunas parece ter sido pintado, de tão perfeiro que fica ali. Um quadro! E as dunas avermelhadas, então... Para nós, que acabamos de passar por tantas regiões de dunas no litoral nordestino, aquele tom fazia parecer que algo estava errado... Além disso, cadê o mar??? Não é à tôa que esta é a paisagem mais conhecida do Jalapão.

Explorando as dunas do Jalapão - TO

Explorando as dunas do Jalapão - TO


Ficamos até o último minuto possível. No nosso caso, isso significava o tempo necessário para chegar até a Cachoeira da Velha ainda com luz do dia, para armar nossa barraca. Chegado este momento, depois de muito andar e fotografar aquelas incríveis formações, acompanhamos nossos amigos até a estrada principal (mais uma vez, chegaram lá sem nossa ajuda). Lá encontramos três carros vindo em direção às dunas. Não só eles, mas uma procissão de mais de 30 pessoas, estudantes da UFT, caminhando esses cinco quilômetros de areia fofa. Todos com o intuito de assistir ao pôr-do-sol do alto das dunas, programa super tadicional do Jalapão. Mesmo em dias nublados...

Nas dunas do Jalapão - TO

Nas dunas do Jalapão - TO


A gente seguiu acelerado a longa viagem. Primeiro, até a ponte do Rio Novo, importante ponto de referência na interminável estrada encascalhada, e depois até a torre de celular, algumas dezenas de quilômetros à frente. É de lá que saí o "atalho" de 10 km de areia fofa em direção à estrada de acesso à Cachoeira da Velha. Nós, que não tínhamos cruzado com nenhum carro na última hora de viagem, desde a saída das dunas, vimos logo duas camionetes e algumas motos paradas ali. Eles nos informaram que, no atalho, cruzaríamos com mais alguns retardatários, provavelmente agarrados à areia da estrada, já que não eram traçados. Pois é, e no meio do atalho, por duas vezes tive de sair da estrada, para dar passagem aos carros 4x2 que vinham à toda, preocupados em não atolarem novamente. Valentes! Provavelmente, um grande grupo que passou o dia ali na Prainha do Rio Novo e na Cachoeira da Velha.

As famosas dunas avernelhadas do Jalapão - TO

As famosas dunas avernelhadas do Jalapão - TO


Passado este breve momento de confusão, pudemos admirar a beleza do cerrado à nossa volta, onde todas as plantas estão florescendo, aproveitando o final do período de chuvas. Uma visão magnífica deste que é um dos mais importantes biomas de nosso país. Pena não podermos ficar mais tempo admirando, mas o o sol acabava de se pôr e nós ainda tínhamos uns dez quilômetros pela frente...

Flores no cerrado, no Jalapão - TO

Flores no cerrado, no Jalapão - TO

Brasil, Tocantins, Mateiros, Dunas, Serra do Espírito Santo

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior Visitando o mais tradicional fervedouro do Jalapão, próximo à Mateiros - TO

O Deserto e os Fervedouros

Post seguinte Manhã saudável no Rio Novo, no Jalapão - TO

O Rio é Novo mas a Cachoeira é Velha

Blog da Ana A Serra do Espírito Santo se erodindo, alimentando as dunas do Jalapão - TO

Dunas do Jalapão

Comentários (4)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 26/12/2012 | 14:33 por Francisco de A. O. da Cruz

    Um bom documentário, com técnica e tudo. Parabens.
    Divulgarei sua página no Face e no meu simples blog.

    Resposta:
    Olá Francisco

    Que legal que vc tenha gostado! O Jalapão é maravilhoso e muito inspirador. Um lugar para onde desejo voltar muitas vezes!

    Abs

  • 04/09/2012 | 21:41 por Dona Lázara do Jalapão

    Olá Rodrigo ,eu já vi muitas fotos bonitas do Jalapão mais as suas superou ,só fiquei triste por que não vi nada da cidade de Ponte Alta o Portal do Jalapão ,Canyon da Sussuapara, cachoeira do Soninho, cachoeira da Fumaça, Pedra Furada, Morro da Cruz, Praia do Araçá ,Morro mão de Deus e outro.
    Se vc não visitou espero que volta ok,
    Um abraço.

    Resposta:
    Olá Dona Lázara

    Nós passamos por Ponte Alta sim! Infelizmente, teve de ser bem rápido. Mas tivemos um ótimo almoço por aí e, depois da comida, ainda pude pular do alto da ponte no rui, inspirado pelos garotos locais que faziam isso. Foi uma delícia! As fotos do salto estão no site!

    Obrigado por mandar essas dicas todas! Quando voltarmos aí, vamos conferir!

    Abs

  • 28/06/2011 | 21:51 por ana rute

    Rodrigo, estou viajando para Carolina e Jalapão.Estou espiando as suas dicas.Eu e aminha familia estamos adorando o seu blog!!!.Obrigada pelas lindas imagens.

    Resposta:
    Oi Ana
    Espero que as dicas sejam úteis! Qualquer dúvida pode perguntar que, se pudermos ajudar, será sempre um prazer!
    Abs

  • 07/06/2011 | 21:41 por clenilça alves da silva(cleo)

    Rodrigo boa noite voltei tá, que maravilha de imagem!parabéns.abraços....

    Resposta:
    Olá clenilça!
    É sempre bom vê-la por aqui!
    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet