0 La Guajira, a Ponta da América do Sul - Blog do Rodrigo - 1000 dias

La Guajira, a Ponta da América do Sul - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

La Guajira, a Ponta da América do Sul

Colômbia, La Guajira

As paisagens grandiosas da península La Guajira, na Colômbia, no extremo norte da América do Sul

As paisagens grandiosas da península La Guajira, na Colômbia, no extremo norte da América do Sul


Logo quando conhecemos o Marco e a Tina, o casal suíço que compartiu conosco o contêiner em que viajou a Fiona, ainda lá no Panamá, eles nos perguntaram que roteiro seguiríamos, aqui na Colômbia. Quando respondemos que iríamos à santa Marta e Tayrona e, de lá, para a Venezuela, perguntaram espantados: “Não vão à La Guajira?”. “La Guajira?”, respondi com outra pergunta. “O ponto mais a norte da América do Sul!”, responderam.

Mapa da península La Guajira, extremo noirte da América do Sul, em agência de viagem em Riochacha, maior cidade da região, na Colômbia

Mapa da península La Guajira, extremo noirte da América do Sul, em agência de viagem em Riochacha, maior cidade da região, na Colômbia


É... nunca tinha estado em nossos planos. Dois dias depois disso, caiu na minha mão uma revista da Avianca. Entre as principais reportagens, uma viagem à La Guajira. Fotos lindas das paisagens de lá. Região desértica, ocupada por indígenas da etnia Guaiju. Acesso apenas à veículos 4x4. A tentação aumentou! Outros dias se passaram e, já em Providencia, um colombiano daquele grupo da FAM Trip decretou: “Vocês têm de ir lá! É imperdível!”.

Praia em Riochacha, cidade na entrada da península de La Guajira, no norte da Colômbia

Praia em Riochacha, cidade na entrada da península de La Guajira, no norte da Colômbia


Praia em Riochacha, cidade na entrada da península de La Guajira, no norte da Colômbia

Praia em Riochacha, cidade na entrada da península de La Guajira, no norte da Colômbia


Bom, com o destino conspirando desse jeito, estava mesmo decidido. Tínhamos de ir lá. Engraçado, sempre me interessei pela ponta sul da América do Sul, mas nunca tinha pensado no extremo norte. Que falha! Querer conhecer toda a América e não planejar conhecer esse lugar! Felizmente, na hora certa o destino nos mostrou o caminho, hehehe. Então, redefinido o roteiro, só faltava saber como chegar até lá.

A estrada de terra que segue ao lado do caminho de trem para o norte da península La Guajira, na Colômbia

A estrada de terra que segue ao lado do caminho de trem para o norte da península La Guajira, na Colômbia


Início do labirinto de pequenas estradas que nos leva ao deserto no norte de La Guajira, na Colômbia

Início do labirinto de pequenas estradas que nos leva ao deserto no norte de La Guajira, na Colômbia


A península de La Guajira está praticamente na fronteira entre Colômbia e Venezuela, justamente no nosso caminho. Mas a maior parte dela está mesmo em território colombiano, inclusive seu extremo norte, Punta Gallinas, que era onde queríamos chegar. Toda essa área da fronteira entre os dois países é ocupada pelos índios Guaiju e são eles que administram a península, conhecem seus caminhos e segredos. No sul da península está Uribia, a cidade considerada a capital indígena da Colômbia.

Cruzando o deserto da península de La Guajira, na Colômbia, extremo norte da América do Sul

Cruzando o deserto da península de La Guajira, na Colômbia, extremo norte da América do Sul


A Fiona enfrenta os 40 graus do deserto de La Guajira, no norte da Colômbia

A Fiona enfrenta os 40 graus do deserto de La Guajira, no norte da Colômbia


Outras referências importantes são a cidade de Riohacha, na entrada da península e onde dormimos ontem e o movimentado Puerto Bolivar, no noroeste de La Guajira, destino final de uma ferrovia que atravessa boa parte da península. Os trens são de carga e levam apenas carvão para ser exportado pelo porto. Finalmente, um pouco ao sul de Puerto Bolivar, está Cabo de la Vela, cidade praiana e principal polo turístico de La Guajira.

o Edwin e seu sobrinho Alex, nossos guias na península La Guajira, na Colômbia

o Edwin e seu sobrinho Alex, nossos guias na península La Guajira, na Colômbia


Trilhas de carro cortam o deserto de La Guajira, no extremo norte da Colômbia e da América do Sul

Trilhas de carro cortam o deserto de La Guajira, no extremo norte da Colômbia e da América do Sul


Ontem, depois de deixarmos o parque de Tayrona, dirigimos até Riohacha, de onde queríamos partir hoje para a península. Logo pela manhã, fomos a uma agência de turismo que organiza tours para lá. Essa é a maneira que a grande maioria das pessoas conhece La Guajira: tours de três dias. O roteiro mais comum é seguir de carro pela estrada até o cruzamento com a linha de trem e aí, seguir para o norte na estrada que segue paralela ao caminho de ferro. Essa estrada é asfaltada até a cidade de Uribia, primeira parada do roteiro. Daí, já em estrada de terra, segue-se até umas minas de sal. Depois, através de caminhos no deserto, segue para Cabo de la Vela, onde se visita algumas atrações locais, há um tempo para se refrescar no mar e armar acampamento. No dia seguinte, através de trilhas no deserto, vai-se até Punta Gallinas, com uma parada nas dunas. A segunda noite é aí, no ponto estremo da América do Sul. No dia seguinte, volta para casa.

O belíssimo deserto na parte norte da península de La Guajira, na Colômbia

O belíssimo deserto na parte norte da península de La Guajira, na Colômbia


O belíssimo deserto na parte norte da península de La Guajira, na Colômbia

O belíssimo deserto na parte norte da península de La Guajira, na Colômbia


Solo molhado e perigoso das salinas no deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia

Solo molhado e perigoso das salinas no deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia


Como nós estávamos de Fiona, não queríamos o tour, mas um guia para nos levar através do deserto. Na verdade, até seria possível fazer sem guia. Mas não tínhamos tempo para nos perder no deserto. Além disso, um casal de espanhóis foi sequestrado na semana passada na região e seu carro encontrado em La Guajira. As famílias acabam de ser contatadas, para pagamento de resgate. Aparentemente, teriam sido “aqueles que andam por aí”, que é a maneira como eles se referem por aqui ao pessoal das FARC. Nós estamos bem próximos da Sierra Nevada, um território de intensa atuação “daqueles que andam por aí”. Os espanhóis teriam saído de Tayrona rumo a La Guajira, mas todo mundo acha que eles foram sequestrados perto de Santa Marta mesmo. O carro teria sido deixado por aqui apenas para despistar a polícia, apenas um golpe “daqueles que andam por aí”. O pobre casal espanhol ganhou uma temporada nas montanhas e La Guajira ficou com fama de perigosa...

O incrível reencontro com os suiços Marco e Tina, em pleno deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia

O incrível reencontro com os suiços Marco e Tina, em pleno deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia


O incrível reencontro com os suiços Marco e Tina, em pleno deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia

O incrível reencontro com os suiços Marco e Tina, em pleno deserto da península de La Guajira, no norte da Colômbia


Enfim, uma razão a mais para seguirmos com guia local, que conhece todo mundo na região. Inicialmente, a agência nos ofereceu um guia mais jovem, de apenas 17 anos. Mas quando insistimos que queríamos fazer todo o tour em apenas dois dias, eles acharam por bem chamar um guia mais experiente, que conhece melhor os caminhos do deserto, para que pudéssemos chegar mais rápido à Punta Gallinas. A ideia era seguir direto para lá, hoje, onde iríamos dormir. Amanhã, já na volta, passaríamos por Cabo de La Vela. Como andou chovendo ultimamente e o solo do deserto fica empapado, com grande riso de atolamento, melhor seguir com alguém que conheça todos os possíveis caminhos, caso seja necessário contornar terrenos alagadiços. Ao final, o guia mais velho e experiente era tio do mais novo e ele também foi conosco, para aprender com o tio esses outros caminhos. Ambos são índios guaiju e, portanto, estávamos muito bem acompanhados!

Rancho onde almoçamos, no meio do deserto de La Guajira, na Colômbia

Rancho onde almoçamos, no meio do deserto de La Guajira, na Colômbia


A simpática índia gaiju que nos serviu o almoço na durante a jornada pela península La Guajira, na Colômbia

A simpática índia gaiju que nos serviu o almoço na durante a jornada pela península La Guajira, na Colômbia


Então, tudo devidamente acertado, saímos os quatro sem mais delongas, afinal já era mais de dez da manhã, bem tarde para quem pretendia chegar até Punta Gallinas. Seguimos pela estrada que vai para a Venezuela, mas no encontro com a linha de trem, viramos à esquerda rumo aos confins da América do Sul. Quarenta quilômetros de asfalto mais tarde, chegamos à Uribia, onde paramos rapidamente na estação de polícia. O objetivo era avisar que estávamos entrando no deserto, pois desde o desaparecimento dos espanhóis, eles estão bem atentos. Só ficaram meio surpresos de que iríamos até Punta Gallinas ainda hoje. Eles disseram que demoraria umas 10 horas para chegar até lá. Isso virou motivo de piada, durante o resto da viagem, para o Edwin e o Alex, tio e sobrinho que nos guiavam. Eles disseram que esse pessoal do exército não tem a menor ideia de como andar em La Guajira.

Cruzando o deserto da península La Guajira, na Colômbia

Cruzando o deserto da península La Guajira, na Colômbia


Um dos muitos pequenos cemitérios espalhados pelo deserto da península La Guajira, na Colômbia

Um dos muitos pequenos cemitérios espalhados pelo deserto da península La Guajira, na Colômbia


Bom, deixamos Uribia e o asfalto para trás e seguimos em frente. Foram mais cinquenta quilômetros acompanhando a linha do trem até deixarmos também essa estrada de lado e começarmos a seguir pela verdadeira miríade de caminhos e trilhas que cortam a parte norte da península. Aos poucos, a vegetação foi escasseando e ficando cada vez mais parecido com um deserto. A temperatura lá fora também não deixava dúvidas: 40 graus! Felizmente, dentro da nossa Fiona, seguíamos a confortáveis 21 graus. O deserto era apenas o cinema que passava lá fora.

Explorando as incríveis dunas na parte norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia

Explorando as incríveis dunas na parte norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia


As incríveis dunas na parte norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia

As incríveis dunas na parte norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia


E o “cinema” fixou ainda mais bonito quando começamos a atravessar as enormes planícies de sal, leitos secos de lagos ou terrenos ocupados pelo mar na maré cheia. Aí sim, era preciso tomar cuidado. Em alguns pontos, o terreno virava uma verdadeira areia movediça. Olhos atentos, o Edwin nos guiava, sempre dando a volta nos lugares mais molhados.

A Fiona e o Boudi aos pés da enorme duna no norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia

A Fiona e o Boudi aos pés da enorme duna no norte do deserto na península La Guajira, na Colômbia


Junto com o Marco, no ponto onde o deserto encontra o mar no norte da península La Guajira, na Colômbia

Junto com o Marco, no ponto onde o deserto encontra o mar no norte da península La Guajira, na Colômbia


Depois do terceiro leito seco que atravessamos, quando já estávamos num trecho um pouco mais alto, eis que, em um dos pedágios armados pelas crianças locais (nos quais pagamos alguns centavos ou então, balas e chicletes), encontramos um carro conhecido. Era o Boudi, o carro dos nossos amigos suíços!!! Eles tinham chegado até ali sozinhos e lutavam para encontrar o caminho para o norte. Fizemos muita festa e, mais uma vez, confirmamos a velha máxima de que o mundo é muito pequeno, hehehe.

No extremo norte da América do Sul, no ponto onde as dunas encontram o mar, península La Guajira, na Colômbia

No extremo norte da América do Sul, no ponto onde as dunas encontram o mar, península La Guajira, na Colômbia


Eles já estavam na península há dois dias, no litoral, e hoje partiram bem cedo para Punta Gallinas. Tinham se perdido algumas vezes, mas avançavam lentamente. O maior problema tinha sido para cruzar os lagos secos. Os dois tinham os pés cobertos de lama até a canela, pois nas regiões alagadiças, um deles seguia a pé, na frente do carro, para testar o solo. Bem, agora, já não teriam esse problema, pois viriam conosco!

Encontro do deserto com o mar, no extremo norte da América do Sul, península La Guajira, na Colômbia

Encontro do deserto com o mar, no extremo norte da América do Sul, península La Guajira, na Colômbia


Encontro de viajantes, brasileiros e suiços, no extremo norte da América do Sul, península La Guajira, na Colômbia

Encontro de viajantes, brasileiros e suiços, no extremo norte da América do Sul, península La Guajira, na Colômbia


Uma hora mais tarde, depois de vários outros lagos secos, inúmeros pedágios (nossas moedas estavam acabando!), paisagens magníficas e muitos cactos, chegamos a um rancho no deserto que era nosso ponto de almoço. São vários pequenos ranchos no caminho, cada um composto por um punhado de casas e um cemitério, sinais de que a civilização chegou até esse lugar perdido do mundo já há algumas gerações.. Aí, nos foi servido peixe e cerveja, naquele cenário típico de um comercial de TV que fez história e que os mais velhos se lembrarão: “A gente veio aqui prá beber, ou prá conversar?”.

Nossos amigos, Marco e Tina, a bordo do Boudi, na península La Guajira, na Colômbia

Nossos amigos, Marco e Tina, a bordo do Boudi, na península La Guajira, na Colômbia


Depois do almoço, estrada novamente. Quer dizer, nem dá para chamar de estrada. Caminhos no deserto, seria mais apropriado. De pouco em pouco, dando uma enorme volta para se chegar a uma península na península, fomos indo para o norte. O norte de La Guajira, o norte da Colômbia, o norte da América do Sul. Já era fim de tarde quando chegamos às dunas, um dos maiores e mais belos atrativos da região. É aqui que o deserto encontra o mar, que a América do Sul acaba e começa o mar do Caribe.

As paisagens grandiosas da península La Guajira, na Colômbia, no extremo norte da América do Sul

As paisagens grandiosas da península La Guajira, na Colômbia, no extremo norte da América do Sul


Região lindíssima! Já fazia tempo que não andávamos sobre dunas. A última vez tinha sido nos EUA, em Mojave, quase 40 graus mais frio do que estava hoje. Mas, mais impressionados do que nós estavam o Marco e a Tina. Como todos devem saber, não há dunas na Suíça! Aí ficamos quase uma hora, tirando fotos, sentindo a brisa fresca que vinha do mar a admirando aquela beleza toda.

A Fiona e nossos guias nos levam com segurança pelas estradas do deserto na península La Guajira, na Colômbia

A Fiona e nossos guias nos levam com segurança pelas estradas do deserto na península La Guajira, na Colômbia


Mas com o dia acabando, tínhamos de seguir em frente. Passamos direto pela entrada de Punta Gallinas (vamos amanhã!) para ir até o rancho onde dormiríamos. Nossas redes já estavam até armadas para nós, mas ainda deu tempo de descermos até uma praia ali do lado, para caminha na areia e ver o sol se pôr no oceano. Aí dormiriam o Marco e a Tina, que carregam uma barraca no teto do seu carro.

Bicicleta no fim de tarde do deserto na península La Guajira, na Colômbia

Bicicleta no fim de tarde do deserto na península La Guajira, na Colômbia


Ainda deu tempo de dar um mergulho rápido naquelas águas especiais, a praia mais boreal da nossa América do Sul. Depois, enquanto nos secávamos, o céu se encheu de estrelas e, entre tantas, lá estava uma rara conjunção planetária. Júpiter, Vênus e Mercúrio pareciam nos dar as boas-vindas ao extremo norte da América do Sul. Foi emocionante ver esse encontro nos céus, justamente naquele lugar, naquela hora. Muito especial!

O sol se põe na praia mais ao norte da América do Sul, na península La Guajira, na Colômbia

O sol se põe na praia mais ao norte da América do Sul, na península La Guajira, na Colômbia


Deixamos os suíços em sua lua de mel e voltamos ao nosso rancho, onde jantamos em companhia do único outro casal de turistas por lá. Os italianos Marco e Elisiana haviam chegado até lá de barco, numa jornada infernal sobre um mar batido. Muito simpáticos e mantes de viagens e da América Latina, foram uma companhia interessantíssima.

Um belo fim de tarde no extremo norte da América do Sul, na península La Guajira, na Colômbia

Um belo fim de tarde no extremo norte da América do Sul, na península La Guajira, na Colômbia


Nós fomos para nossas redes, mentes cansadas com o dia intenso, mas extremamente felizes por tudo o que havíamos visto e vivido hoje. Um dia que, mesmo para os nossos padrões nesses 1000dias, foi muito intenso. E amanhã, tem mais...

Um raro alinhamento de Jupiter, Venus e Mercurio nos sauda no extremo norte da América do Sul, a península La Guajira, na Colômbia

Um raro alinhamento de Jupiter, Venus e Mercurio nos sauda no extremo norte da América do Sul, a península La Guajira, na Colômbia

Colômbia, La Guajira, deserto, Riohacha

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Pela primeira vez, observando o mar na trilha no Parque Nacional Tayrona, no litoral norte da Colômbia

Parque Nacional Tayrona

Post seguinte Exatamente no ponto mais ao norte da América do Sul, em Punta Gallinas, península de La Guajira, na Colômbia

Punta Gallinas, Aqui Começa a América do Sul

Blog da Ana As paisagens grandiosas da península La Guajira, na Colômbia, no extremo norte da América do Sul

La Guajira e os Wayuus

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 08/06/2013 | 16:39 por mabel

    Tudo muito lindo!!!!!!!!!!!! às vezes não temos vontade de visitar alguns lugares devido à fama de violentos, mas vocês estão se mostrando muito destemidos...acho que é a juventude rsrsrsr

    Resposta:
    Olá Mabel

    Normalmente, essa "fama", é só fama mesmo! A imprensa sempre exagera! De qq maneira, é sempre bom tomar cuidado e checar informações com as pessoas locais, que são quem realmente conhecem!

    La Guajira foi absolutamente ESPETACULAR. e totalmente SEGURO!!! Que bom que passamos por lá!

    Um abs

  • 07/06/2013 | 13:10 por Thamiris

    Cada foto mais linda q a outra!! PARABENS
    a américa do sul é maravilhosa!!!

    Resposta:
    Olá Thamiris

    Obrigado pelo elogio!

    Concordamos plenamente! Viva a nossa América do Sul!

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet