0 Garopaba e a Praia do Rosa - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Garopaba e a Praia do Rosa - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Garopaba e a Praia do Rosa

Brasil, Santa Catarina, Garopaba

Praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


No final da década de 80 e início da década de 90, justamente quando eu vivia a minha fase universitária, Garopaba estava explodindo para o turismo. Para nós, jovens da época, não poderia haver melhor lugar para se passar o carnaval ou o réveillon. Estudantes e mochileiros cariocas, paulistas, paranaenses e principalmente gaúchos tinham um encontro marcado por lá a cada verão. Mas não era exatamente em Garopaba. No município, mas não na cidade. Íamos todos, diretamente, para a Praia da Ferrugem. Como nas praias do litoral norte de São Paulo, cada praia dessa região é semiautônoma, tem vida própria, uma pequena vila, mercado, farmácia, bares, etc... Assim, como muita gente vai para Maresias ou Juqueí e nunca coloca os pés no centro de São Sebastião, nós também íamos para a Ferrugem sem nunca conhecer o centro de Garopaba.


Mapa da Praia do Rosa mostrando a Lagoa do Meio (que divide a praia) e as trilhas para a Praia da Luz, ao sul, e praias Vermelha e do Ouvidor, para o norte (litoral sul de Santa Catarina)

Mapa da Praia do Rosa mostrando a Lagoa do Meio (que divide a praia) e as trilhas para a Praia da Luz, ao sul, e praias Vermelha e do Ouvidor, para o norte (litoral sul de Santa Catarina)


Era o paraíso na Terra, pelo menos para nós. Pousadas e casas não eram muito confortáveis, mas a praia era linda, o mar tinha ondas e, o melhor de tudo, lá estava a maior concentração de mulheres bonitas por metro quadrado que já havíamos visto. Durante o dia, então, quando muitos dos homens passavam o dia surfando, para quem ficava na areia da praia, até parecia um harém de filme de Hollywood. A noite também era fantástica: vários bares na sequência, todos com boa música e nenhum cobrando entrada. Passávamos de um a outro durante toda a madrugada. Doces lembranças!

Dia de muito sol na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Dia de muito sol na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Ponta norte da Praia do Rosa, no litoral sul de Santa Catarina

Ponta norte da Praia do Rosa, no litoral sul de Santa Catarina


Pois bem... economista que sou, sabia que algo assim não poderia durar. Tudo tende ao equilíbrio, se não houver imperfeições no mercado. Aos poucos, mais gente veio chegando, os bares começaram a cobrar e as enormes filas de carro para se chegar até o centro da Ferrugem começaram a afastar os antigos frequentadores. Quando voltei para cá já no final da década de 90, o melhor já havia passado, embora ainda continuasse muito bom.

Admirando a famosa Praia do Rosa, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Admirando a famosa Praia do Rosa, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Surf na Praia do Rosa, no litoral sul de Santa Catarina

Surf na Praia do Rosa, no litoral sul de Santa Catarina


Pois bem, a estrela da época era mesmo a ferrugem, mas uma outra praia atraia cada vez mais pessoas também. Era a Praia do Rosa, um pouco mais ao sul. Primeiro, foram os hippies, depois os surfistas, depois os antenados, seguidos pelos bacanas. Com uma paisagem ainda mais bela que a Ferrugem, a praia espremida entre o mar e um morro coberto de mata, o desenvolvimento urbano da Praia do rosa foi completamente distinto da Ferrugem. Aí se instalaram belíssimas pousadas, restaurantes de altíssimo nível e o centro da vila ficou longe do mar, separado dela pelo morro. A mata foi mantida no lugar, na medida do possível, e a Praia do rosa tornou-se um dos lugares mais charmosos de todo o litoral brasileiro.

Céu azul na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Céu azul na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Aula de surf na Praia do rosa, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Aula de surf na Praia do rosa, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Felizes daqueles que compraram terrenos por lá naquele início de desenvolvimento. Deram-se muito bem! Na minha fase estudantil, sempre preferi ficar na Ferrugem, atrás do agito e das festas. Mas sempre caminhava até aquela praia distante, quase exótica. Pelo menos uma vez por temporada. Depois, quando voltei já na virada da década, o Rosa já era famoso, atraindo a classe média alta paulistana e gaúcha todo final de ano.

Standup paddle na Lagoa do Meio, na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Standup paddle na Lagoa do Meio, na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Surfistas voltam remando para casa na Lagoa do Meio, na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Surfistas voltam remando para casa na Lagoa do Meio, na Praia do Rosa, Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Pois bem, para mim e para os que frequentavam a Ferrugem no início dos anos 90, o Rosa sempre foi uma praia de Garopaba. Mas não era. Na verdade, ela já está localizada no próximo município, Imbituba. Aqui também funciona aquela regra: quase todo mundo que vai ou já foi para o Rosa nunca colocou os pés na sede do município. O Rosa também é “semiautônomo”. Aliás, antes que eu me esqueça, o nome da praia vem do sobrenome do antigo proprietário da fazenda que ocupava toda a área. Os turistas pioneiros que descobriram esse paraíso, para chegar até a praia, tinha de pedir permissão ao Sr. Rosa para passar por sua fazenda.

Praia do Rosa vista do alto do morro na parte sul, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Praia do Rosa vista do alto do morro na parte sul, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Trilha entre a Praia do Rosa e a Praia da Luz, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Trilha entre a Praia do Rosa e a Praia da Luz, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Enfim, chega de passado e vamos ao presente. Em pleno 2014, pelo menos para o meu gosto, já não há dúvidas sobre qual a melhor praia da região para se veranear. Viemos direto para o Rosa que, apesar de ser em Imbituba, virou nossa base para passear na região de Garopaba. Ainda acompanhados do João Pedro e da Bruna, aproveitando a temporada pós-carnaval, encontramos um belo lugar para ficarmos. Bom preço, estrategicamente colocado entre a vila e o mar. Podemos caminhar para os dois, uma para cada lado. E, quase no alto do morro, com uma belíssima vista do mar.

Quase no final da trilha, chegando à Praia da Luz e Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Quase no final da trilha, chegando à Praia da Luz e Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


O joão Pedro quase no final da trilha, chegando à Praia da Luz e Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

O joão Pedro quase no final da trilha, chegando à Praia da Luz e Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Chegamos no dia 6, de tarde, vindos lá de Laguna, e ainda tivemos tempo de um bom mergulho no mar e na lagoa. Para quem ainda não conhece o Rosa, quase no meio da faixa de areia (que deve ter algo próximo aos 3 km de extensão) tem uma lagoa de água salobra que divide o Rosa em Rosa Sul e Rosa Norte. A lagoa é ótima para nos limparmos da água salgada ou para praticarmos stand-up paddle, o esporte da moda. A água do mar chega até aí apenas nas marés mais cheias e a lagoa é quase sempre mais quentinha e tranquila que o mar.

Barra da lagoa na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Barra da lagoa na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Standup paddle em família na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Standup paddle em família na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


A parte sul da praia é mais desenvolvida, com alguns bares na beira da areia. Para o norte, a gente tem a sensação de se afastar da civilização. Por aí segue o caminho para a deserta Praia Vermelha (atrás do morro) e, bem mais adiante, a Ferrugem de Garopaba. Eu e a Ana vamos fazer essa caminhada amanhã ou depois, dependendo do tempo. Para o sul, depois do morro, estão as praias da Luz e de Ibiraquera, na boca da lagoa tão conhecida pelos amantes do kite surf.

O delicioso e tradicional restaurante Tartaruga, na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

O delicioso e tradicional restaurante Tartaruga, na praia de Ibiraquera, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Pesca solitária na Praia da Luz, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina

Pesca solitária na Praia da Luz, em Imbituba, litoral sul de Santa Catarina


Foi para lá que seguimos ontem, na companhia do João e da Bruna. Caminhada tranquila e agradável, uma meia hora, talvez. No alto do morro, caminhamos por pastos e por uma mata e logo temos a impressionante visão das praias abaixo. Lindas! A praia da Luz é mais vazia, mas o movimento aumenta novamente em Ibiraquera. Atravessar a boca da lagoa para o outro lado é uma diversão. Água no pescoço, todo o cuidado para não molhar a máquina fotográfica ou carteira. Sempre há a possibilidade de se pagar um barquinho, mas quando vemos até cães fazendo a travessia, é difícil não tentarmos também.

Despedida do João Pedro e da Bruna em lanchonete da rodoviária de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Despedida do João Pedro e da Bruna em lanchonete da rodoviária de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Do alto da igreja, visão da praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Do alto da igreja, visão da praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


O esforço vale a pena, pois do outro lado está o tradicional e delicioso restaurante Tartaruga. Peixes, pastéis de lamber o beiço e cerveja gelada. Realmente, um programão para quem está hospedado no Rosa, tanto a caminhada como o restaurante. Depois, para quem chegou lá a pé, não tem remédio: tem de voltar pelo mesmo caminho. Com a luz de fim de tarde, tudo ganha novos ares e cores. E depois, já no alto do morro, a vista passa a ser a da Praia do Rosa, uma das mais famosas e belas do país. Vale a pena!

Praça em frente à praia no centro de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Praça em frente à praia no centro de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Praça no centro histórico de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Praça no centro histórico de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Hoje, chegou o dia da despedida do meu sobrinho e sua namorada. Eles seguiriam de ônibus para Florianópolis e Curitiba, onde estuda a Bruna. Então, fomos levá-los à rodoviária, no centro da cidade. Pois é, quem diria, depois de tanto tempo fui conhecer a cidade de Garopaba! Já estava mais do que na hora! Tempo nublado, mas não tinha problema; deixamos os dois, ficamos mais uma vez sós nos nossos 1000dias e seguimos para o centro histórico.

Escadaria da igreja em Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Escadaria da igreja em Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Igreja histórica de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Igreja histórica de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Garopaba já consta nos mapas há 500 anos, uma enseada segura para se proteger de tempestades e mares violentos. Mas os índios foram deixados em paz por outros 200 anos até que, no início do séc. XVIII, começou a ocupação. Mas o desenvolvimento só veio no início do século XX. Infelizmente, o motor do progresso foi a pesca da baleia, algo muito comum aqui no litoral de Santa Catarina. Essa costa sempre atraiu as baleias francas e elas quase foram extintas com a perseguição impiedosa. Na época, o seu óleo valia ouro e movia a economia de cidades e estados. Garopaba era mais uma cidade nesse circuito.

Casa centenária em Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Casa centenária em Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Dia nublado na praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Dia nublado na praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Felizmente, já há meio século isso parou. Hoje, a principal força econômica vem mesmo do turismo. E, ironicamente, as baleias também tem seu papel nessa atividade. Muitos vêm para cá para avistar as baleias francas. Mas a maioria continua vindo mesmo é atrás das belas praias: a já tradicional Ferrugem, o Rosa e outras como a Silveira e o Siriú, que pretendo conhecer nos próximos dias. Mas hoje, o que queria mesmo era sanar uma deficiência do meu passado: conhecer o centro da cidade cujo nome me traz tão boas lembranças.

Momento de descontração e alegria no centro de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Momento de descontração e alegria no centro de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


Dia nublado na praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Dia nublado na praia central de Garopaba, litoral sul de Santa Catarina


E assim foi. Subimos até a histórica igreja de São Joaquim, no alto do morro, de onde se tem uma visão ampla da cidade e da tal enseada que protegia os navios. Passeamos na praça em frente à praia e nos refestelamos com um sorvete da sorveteria local. Caminhamos pela praia cheia de pequenos barcos ancorados quando a chuva rala deu um tempo. Muito gostoso o passeio, algo que recomendo e que já deveria ter feito 20 anos atrás! Aposto que não mudou quase nada por aqui!

Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina

Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina


Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina

Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina


De alma e consciência saciadas, voltamos para o Rosa. De noite, foi o momento de irmos atrás de outra das grandes atrações dessa praia famosa: sua culinária. Para quem quiser, sempre é possível encontrar comida mais barata. Mas já que veio até aqui, recomendo que, pelo menos uma vez, faça um investimento em seu prazer e entre em algum dos ótimos (e caros!) restaurantes da vila. Foi o que fizemos! Talvez no mais famoso restaurante do Rosa, que serve comidas orientais, nós nos esbaldamos. Valeu cada centavo! O jantar nos fez entender ainda mais porque a Praia do Rosa continua atraindo gente bacana dos quatro cantos do país. O turismo culinário, assim como o óleo de baleia um século atrás, vale ouro!

Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina

Jantando em famoso restaurante de comida oriental na Praia do Rosa, litoral sul de Santa Catarina

Brasil, Santa Catarina, Garopaba, Praia, Imbituba, Praia do Rosa

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior Um quadro mostrando a valente Anita Garibaldi, na casa onde morou em Laguna, no sul de Santa Catarina

Laguna e os Garibaldis

Post seguinte A Ana é a única pessoa na Praia Vermelha, no nosso caminho entre a Praia do Rosa e a Praia da Ferrugem, em Garopaba, litoral sul de Santa Catarina

Do Rosa Para a Ferrugem

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet