0 Fim de Tarde na Antártida - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Fim de Tarde na Antártida - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Fim de Tarde na Antártida

Antártida, Half Moon Island

O visual gelado de Half Moon Island, na Antártida

O visual gelado de Half Moon Island, na Antártida


Aproveitando que estamos na primavera do hemisfério sul e em altas latitudes (mais de 60 graus!), nossas atividades vão até bem tarde, enquanto ainda há luz no céu. Por aqui, nesses dias, só escurece mesmo depois das 10 da noite. Foi isso que possibilitou termos tido um dia tão longo hoje e só desembarcar em Half Moon Island, pelo menos nós do grupo de caiaque, depois das oito da noite. Ou oito da tarde, sendo mais preciso.

Desembarcando na gelada e pequena ilha de Half Moon Island, na Antártida

Desembarcando na gelada e pequena ilha de Half Moon Island, na Antártida


Caminhando em trilha demarcada em Half Moon Island, na Antártida

Caminhando em trilha demarcada em Half Moon Island, na Antártida


Localizada entre duas ilhas maiores, Livingston e Greenwich, do arquipélago de Shetland do Sul, a pequena Half Moon tem apenas 1,7 km2 de área, mas mesmo assim é muito popular entre os navios de turismo. Aqui há uma pequena trilha de quase um quilômetro que leva a uma colônia de pinguins chinstrap, além de possibilitar belas cenas de grandes rochedos e geleiras à distância, nas ilhas maiores.

Colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida

Colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida


Pinguins chinstrap se reúnem em rochedo no alto de Half Moon Island, na Antártida

Pinguins chinstrap se reúnem em rochedo no alto de Half Moon Island, na Antártida


Uma enorme geleira na ilha em frente à Half Moon Island, na Antártida

Uma enorme geleira na ilha em frente à Half Moon Island, na Antártida


Como ainda não estamos no verão, a trilha ainda está coberta de gelo e neve, o que não nos impede de caminhar sobre ela. Na verdade, para nós brasileiros, só faz ela ficar mais interessante! Se os pinguins conseguem caminhar por aqui, daquele jeito desajeitado que tem, nós também podemos!

Passageiros do Sea Spirit se aproximam de colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida

Passageiros do Sea Spirit se aproximam de colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida


Passageiros do Sea Spirit se aproximam de colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida

Passageiros do Sea Spirit se aproximam de colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida


O Bart, nosso passageiro artista, faz seus desenhos durante visita à Half Moon Island, na Antártida (foto de Marla Barker)

O Bart, nosso passageiro artista, faz seus desenhos durante visita à Half Moon Island, na Antártida (foto de Marla Barker)


E assim, com todo o cuidado, chegamos até a colônia de pinguins chinstrap em uma das pontas da ilha. Ao contrário dos pinguins gentoo, que dividem com os chinstraps a pequena Half Moon Island e preferem ficar perto da praia, os chinstrap gostam mais do alto, perto dos rochedos. Devem apreciar a vista de lá, as geleiras ao longe e um grande rochedo coberto por liquens e fungos para lhes fazer sombra.

Pinguins da espécie gentoo e chinstrap se encontram em Half Moon Island, na Antártida

Pinguins da espécie gentoo e chinstrap se encontram em Half Moon Island, na Antártida


Um solitário pinguim chinstrap parece procurar seus amigos em meio ao gelo de Half Moon Island, na Antártida

Um solitário pinguim chinstrap parece procurar seus amigos em meio ao gelo de Half Moon Island, na Antártida


Pinguim chinstrap atravessa campo de gelo em Half Moon Island, na Antártida

Pinguim chinstrap atravessa campo de gelo em Half Moon Island, na Antártida


Interessante acompanhar a caminhada deles da praia até o alto, cruzando com os pinguins gentoo no caminho (será que conversam algo?) e um escorregadio campo de gelo. Depois, quando chegam à área rochosa, aproveitam para segurar uma pequena pedra no bico e, com todo o cuidado trazê-la para cima. É com elas que constroem seu ninho.

Com todo o cuidado, pinguim chinstrap carrega pequena pedra para fazer seu ninho em Half Moon Island, na Antártida

Com todo o cuidado, pinguim chinstrap carrega pequena pedra para fazer seu ninho em Half Moon Island, na Antártida


Com todo o cuidado, pinguim chinstrap carrega pequena pedra para fazer seu ninho em Half Moon Island, na Antártida

Com todo o cuidado, pinguim chinstrap carrega pequena pedra para fazer seu ninho em Half Moon Island, na Antártida


Além dos pinguins e do belíssimo e gelado visual polar, também tivemos a sorte de encontrar mais uma espécie de foca para a nossa coleção: a foca weddell. Estava lá tranquila, descansando sobre a neve e, só de vez em quando, nos dando a honra de um olhar ou outro.

Foca weddel, caracterizada por essas manchas na pelagem, descansa no gelo de Half Moon Island, na Antártida

Foca weddel, caracterizada por essas manchas na pelagem, descansa no gelo de Half Moon Island, na Antártida


Encontro com uma foca weddell em Half Moon Island, na Antártida

Encontro com uma foca weddell em Half Moon Island, na Antártida


O nome dessa foca vem do nome do primeiro europeu a avistá-las, o inglês James Weddell, que também empresta seu nome a um dos mares que circunda a Antártida. Essa foca é o mamífero que vive mais ao sul do mundo, por isso ela demorou mais para ser “descoberta”. Vive ao redor de toda a Antártida e, ao contrário de sua primas, a foca crabeater e a ross, gosta mais de terra firme com gelo que o gelo que se forma sobre o mar.

Uma foca weddell descansa sobre o gelo em Half Moon Island, na Antártida

Uma foca weddell descansa sobre o gelo em Half Moon Island, na Antártida


Um pouco maior que a crabeater, ela é facilmente distinguível pelas manchas arredondadas em sua pele e pelos. Os quase 1 milhão de indivíduos que se calcula existir se alimentam de krill, pequenos peixes e, eventualmente, até pinguins e filhotes de outras focas. Ao mesmo tempo, têm de fugir das focas leopardo e das orcas, seus únicos predadores naturais.

Colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida

Colônia de pinguins chinstrap em Half Moon Island, na Antártida


Pinguim chinstrap aproveita o fim de tarde em Half Moon Island, na Antártida

Pinguim chinstrap aproveita o fim de tarde em Half Moon Island, na Antártida


Um pinguim chinstrap em Half Moon Island, na Antártida

Um pinguim chinstrap em Half Moon Island, na Antártida


E assim, com as últimas luzes do dia e depois de ver e fotografar duas espécies de pinguins e conhecer um novo tipo de foca, voltamos ao Sea Spirit para um merecido jantar. Amanhã, finalmente, será o grande dia de pisarmos em solo antártico de verdade, no próprio continente. Nada de ilhas, queremos o continente mesmo. Antártida, aí vamos nós!

O aspecto polar de Half Moon Island, na Antártida, no final de tarde

O aspecto polar de Half Moon Island, na Antártida, no final de tarde


No fim de tarde durante visita à Half Moon Island, na Antártida

No fim de tarde durante visita à Half Moon Island, na Antártida

Antártida, Half Moon Island, trilha, Bichos, Pinguim, foca weddell

Veja todas as fotos do dia!

A nossa viagem fica melhor ainda se você participar. Comente!

Post anterior Sob os olhos atentos do guia no zodiac, nosso grupo rema ao lado de um bloco de gelo em Half Moon Island, na Antártida (foto de Marla Barker)

Mais um Caiaque Polar

Post seguinte Caiaque em meio ao mar semi-congelado de Kinnes Cove, na Antártida

Remando no Gelo

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet