0 A Extraordinária Semuc Champey - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A Extraordinária Semuc Champey - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

A Extraordinária Semuc Champey

Guatemala, Semuc Champey

A incrível paisagem do mirante de Semuc Champey, na Guatemala

A incrível paisagem do mirante de Semuc Champey, na Guatemala


Partimos para o trecho final da nossa viagem logo cedo, felizes ao sermos informados de que boa parte da estrada à frente havia sido asfaltada. Ontem tínhamos evitado esse trecho final para não viajarmos de noite em uma estrada tão erma. O que nos desanimava um pouco era o frio, temperatura de 13 graus. A região de Cobán é bem alta e esfria bastante de noite.

Subindo as escadas pela floresta para chegar ao mirante de Semuc Champey, na Guatemala

Subindo as escadas pela floresta para chegar ao mirante de Semuc Champey, na Guatemala


Mas quando terminamos o trecho de asfalto e pegamos o desvio à direita na estrada de terra, começamos a “mergulhar” no vale, serpenteando encosta abaixo e descendo quase mil metros de altitude. Foi o bastante para a temperatura começar a subir e subir, a gente acompanhando tudo no termômetro da Fiona. Ao vencer os árduos 11 km de terra e chegar em Lanquín, a temperatura já estava em 21 graus! Esse pequeno povoado é famoso por uma enorme caverna que ainda não foi inteiramente explorada. Além dos enormes e ornamentados salões, a fama vem dos milhões de morcegos que nela habitam. Mas esse programa era para depois. Primeiro, Semuc Champey, um pouco mais à frente.

A mágica visão do mirante de Semuc Champey, na Guatemala

A mágica visão do mirante de Semuc Champey, na Guatemala


Outros 11 km de terra descendo ainda mais e chegamos finalmente à este lugar encantado. Eu tinha lido e relido a descrição sobre o lugar, mas não queria entender. Agora, ía ver com os próprios olhos que o relato do livro estava mesmo correto. Trata-se de um caudaloso rio espremido em um profundo e estreito vale verdejante. De repente, o rio some completamente embaixo de um leito de pedras, entrando em uma caverna, para reaparecer 300 metros adiante, ainda mais furioso. Mas o melhor não é isso! O mais bonito está acima do leito de pedras, sobre o teto da caverna por onde passa o rio bravio. Ali, a água que escorre das encostas verdejantes do vale criou um outro rio, muito mais tranquilo e de águas magicamente azuis. Ele desce os terraços do leito de pedras formando piscinas em suas prateleiras e pequenas cascatas entre elas. Ao final, em uma última cascata, se junta ao enorme rio que corre abaixo dele e que, justo neste ponto, está saindo da caverna. Ver isso tudo por cima, o rio que some e reaparece e as piscinas azuis bem neste intervalo é realmente magnífico!

As famosas piscinas em forma de terraços de Semuc Champey, na Guatemala

As famosas piscinas em forma de terraços de Semuc Champey, na Guatemala


O lugar foi transformado, com toda a justiça, em um parque com uma portaria e tudo. Ali deixamos a Fiona, olhamos o mapa de trilhas, definimos o nosso roteiro e partimos para nossas explorações. Seguindo o bom senso, começamos pelo trecho que exige o maior esforço (subir até o mirante) para depois terminar nas piscinas.

Observando o caudaloso rio que passa abaixo dos terraços de Semuc Champey, na Guatemala

Observando o caudaloso rio que passa abaixo dos terraços de Semuc Champey, na Guatemala


A subida é bem íngreme, mas a trilha está muito bem construída, com escadarias e passarelas. Não demorou muito e chegamos ao mirante para poder vislumbrar e finalmente entender aquela maravilha da natureza. A primeira vez que vemos, é de perder o fôlego! Depois, passamos à fase de contemplação e de fotos. Finalmente, dá aquela vontade louca de descer logo e ver tudo de perto.

Piscinas de águas azuis em forma de terraços em Semuc Champey, na Guatemala

Piscinas de águas azuis em forma de terraços em Semuc Champey, na Guatemala


A descida nos leva justo ao ponto onde o rio entra de forma violenta em sua caverna. Será que alguém já conseguiu passar lá com vida? “Não!” – foi a resposta enfática do guarda-parque. Mortinho da Silva, alguns... É, segurar o fôlego por trezentos metros, no meio daquela turbulência toda, não deve ser fácil!

Mergulhos nas águas azuis de Semuc Champey, na Guatemala

Mergulhos nas águas azuis de Semuc Champey, na Guatemala


De lá, passamos às piscinas distribuídas por vários terraços e separadas por gentis cascatas. Imagem do paraíso! Temperatura super agradável, o mergulho ficou ainda mais gostoso depois do esforço de se chegar ao mirante. Ali do lado, cartazes explicativos nos ensinam que toda a rocha que forma a ponte de pedra sobre a qual estão as piscinas azuis e sob a qual correr o rio caudaloso é constituída de restos de conchas e ossos de antigos animais marinhos. Nossa, que incrível! O mar já esteve ali onde, por milhões de anos, se acumularam conchas e animais marinhos mortos. Seus restos se transformaram em pó (mesmo processo de formação das praias que tanto frequentamos!), e esse pó se aglutinou nesse tipo de rocha frágil que forma a “ponte de pedra”. Impossível não admirar o resultado do laborioso trabalho de milhões de anos da mamãe natureza!

Caminhando nas pontes de pedra em Semuc Champey, na Guatemala

Caminhando nas pontes de pedra em Semuc Champey, na Guatemala


Daí, só faltou seguir algumas centenas de metros abaixo para chegarmos ao ponto onde o plácido rio do andar de cima se encontra com o violento rio do andar de baixo, as águas azuis sendo engolidas pelas corredeiras brancas, no mais impressionante “encontro das águas” que já vimos nesta viagem.

Mirante para se observar a força do rio que atravessa a caverna de Semuc Champey, na Guatemala

Mirante para se observar a força do rio que atravessa a caverna de Semuc Champey, na Guatemala


Só faltou dizer que “Semuc Champey” é a expressão indígena que quer dizer “água que some”. É... esse lugar extraordinário já vem sendo admirado há milhares de anos...

Pequenas cascatas no rio que passa acima de Semuc Champey, na Guatemala

Pequenas cascatas no rio que passa acima de Semuc Champey, na Guatemala

Guatemala, Semuc Champey, trilha, Rio, Lanquin

Veja todas as fotos do dia!

A nossa viagem fica melhor ainda se você participar. Comente!

Post anterior A magnífica paisagem do interior da Guatemala no caminho para Cobán

Atravessando o País

Post seguinte Impressionados com a amplitude e formações dos salões da Caverna de Lanquin, na região de Semuc Champey, na Guatemala

Cavernas, Mayas e Morcegos

Blog da Ana Entrada da Caverna de Lanquin, na região de Semuc Champey, na Guatemala

A Magia dos Mayas

Comentários (6)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 15/03/2014 | 22:39 por gleice

    Adorei ,lindíssimas imagens. Gostaria de ter no meu perfil,compartilhar,mas não sei como.Pode me ajudar?

    Resposta:
    Oi Gleice

    Podemos ajudar sim! Qual foto vc gostou? Todas elas estão no nosso site e podem ser compartilhadas. Vai aparecer uma marca dágua nossa no canto da foto.

    Se não conseguir, nos avise

    Um abraço

  • 14/09/2012 | 04:31 por Paulinha Ribas

    Queria ir até aí para ver e entender melhor todo ese processo! Que lugar lindo!

    Resposta:
    Oi Paulinha

    Tem de vir sim! Não só para "entender todo esse processo", mas também para ver de perto "toda essa beleza"!

    Beijos

  • 23/02/2012 | 12:11 por Nina

    Maravilhoso! Vocês podem me explicar como se chega nesse paraíso, saindo da cidade da guatemala?

    Resposta:
    Oi Nina

    Nós fomos de carro (demora umas 3 horas), mas tem ônibus direto para lá, nas agências de turismo. Não é difícil não! Vale muito a pena!!! E bem pertinho tem umas pousadas bem legais!

    Abs

  • 08/01/2012 | 14:49 por Nelson Vasconcelos

    Acompanho vcs no facebook. Fiquei impressionado com o relato acima, mas não consegui explicação para esse azul das águas. Não é do fundo do rio.... Esplêndido!!

    Resposta:
    Olá Nelson!

    O facebook é jóia, mas é nos posts que coonseguimos colocar mais informações!

    O azul das águas vem do fato de ser uma água muito limpa, quase transparente, correndo sobre um piso de calcário. Quase não há terra e barro para sujar o rio.

    Abs

  • 07/01/2012 | 21:58 por Dona Helen

    Rô, que beleza mesmo! melhor ainda é o seu entusiasmo que
    não esmorece !
    Ainda bem que a ousadia estava no seu devido lugar.
    Beijo a voces. Mm


    Resposta:
    Olá mama!!!

    Difícil não se estusiasmar passando nesses lugares!

    Agora, querer passar pela caverna abaixo de Semuc Champey não é ousadia, é suicídio!!!

    Beijos e saudades

  • 07/01/2012 | 20:56 por Lurdes

    Olá Ana e Rodrigo,este lugar é mágico,magnífico,extraordinário e tudo mais.....um abraço Lurdes

    Resposta:
    Oi Lurdes

    A gente se eforçou para mstrar a magia do lugar pelas fotos e textos, mas ainda ficamos muito aquém do que ele é, ao vivo. É simplesmente incrível!

    Bjs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet