0 A Capital dos Naufrágios - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A Capital dos Naufrágios - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

A Capital dos Naufrágios

Granada, St Georges

Mergulhando na parte interna do navio-cruzeiro Bianca C, naufragado em 1961 em Granada

Mergulhando na parte interna do navio-cruzeiro Bianca C, naufragado em 1961 em Granada


Granada é considerada a “capital dos naufrágios do Caribe”, tal a quantidade de barcos afundados em águas mergulháveis ao redor da ilha. A gente já tinha ouvido falar disso, mas nessa correria nossa pelas ilhas caribenhas, chegamos aqui completamente esquecidos desse fato. Nossa última etapa nesse longo giro pela região, clima de final de viagem, já pensando no retorno a NY, estávamos meio perdidos por aqui, seguindo na inércia...

Em Grande Anse, embarcando para os mergulhos do dia (em Granada, no Caribe)

Em Grande Anse, embarcando para os mergulhos do dia (em Granada, no Caribe)


Mas ontem de manhã, antes de seguir para o Fort George, passamos no escritório de turismo e bastou um minuto folheando as várias revistas para relembramos o tesouro escondido nos mares granadinos. O problema é que só teríamos mais um dia no país, hoje, e ainda pensávamos em rodar de carro pelo interior. Sem contar que voaríamos no dia seguinte pela manhã, e não se deve mergulhar com menos de 24 horas antes de viagens de avião. Confabulamos e, dali mesmo, já ligamos para uma operadora para marcar uma sessão de mergulhos para hoje de manhã. Nossa ideia foi combinar tudo: o mundo subaquático com as montanhas e cachoeiras do interior de Granada, num dia corrido e intenso, daqueles que a gente adora!

Explorando a piscina do Bianca C, o enorme navio-cruzeiro naufragado em Granada

Explorando a piscina do Bianca C, o enorme navio-cruzeiro naufragado em Granada


E assim foi. Bem cedinho, já estávamos motorizados e seguindo para Grande Anse, a mesma praia que estivemos ontem de tarde. Aí estão os grandes hotéis de Granada e também as operadoras de mergulho, quase sempre dentro de algum resort. O mergulho escolhido por nós não deixava por menos: simplesmente, o Bianca C, conhecido como o “Titanic do Caribe”! Um navio-cruzeiro italiano que começou a operar logo depois da 2ª Guerra Mundial e que, em 1961, trazia centenas de cliente para um giro pelo Caribe. Quando estava aportado em St. George’s, uma de suas caldeiras explodiu, matando um tripulante e condenando o navio. A tripulação e passageiros foram retirados do barco e o Bianca C foi rebocado por uma fragata inglesa para longe do porto, onde pode naufragar em paz.

Mergulhando na parte externa do enorme naufrágio Bianca C, em Granada

Mergulhando na parte externa do enorme naufrágio Bianca C, em Granada


Para a sorte dos mergulhadores do futuro (nós!), eram águas mergulháveis, isso é, com profundidade de até 70 metros. Pois é, não é um mergulho para qualquer um, pois é preciso mais treinamento para mergulhos profundos. Mas, definitivamente, vale a pena! O navio tem cerca de 200 metros de comprimento e está dividido em dois, com quase toda a estrutura ainda em pé, apesar dos 50 anos de ação do mar. São necessários vários mergulhos para se conhecer todo o naufrágio, ainda mais que, nessa profundidade, o consumo de ar é muito maior e o tempo que podemos ficar por lá é muito menor, para mergulhos não-descompressivos.

Mergulhando na parte externa do enorme naufrágio Bianca C, em Granada

Mergulhando na parte externa do enorme naufrágio Bianca C, em Granada


Mas nós só tínhamos um mergulho. A ideia era só dar uma geral no naufrágio. Não iríamos até o fundo, na areia, pois com isso ganharíamos mais tempo e ar nos “andares acima”. Mergulhando um pouco acima dos 40 metros, teríamos 15 minutos de fundo e poderíamos ver uma boa parte do exterior do navio, de seus decks, dar uma olhada rápida em seu interior e até “mergulhar” na antiga piscina que fazia a festa dos turistas.

Escada de aparência fantasmagórica dentro do naufrágio do Bianca C, em Granada

Escada de aparência fantasmagórica dentro do naufrágio do Bianca C, em Granada


E assim foi. O Oscar, nosso guia, nos levou diretamente para a piscina, sua armações de metal retorcidas pela ação do tempo. De lá, começamos a navegar ao lado do barco, uma estrutura gigantesca e fantasmagórica naquela água azul própria de mergulhos profundos. Eram dezenas de aberturas para se olhar para dentro do barco, uma tentação enorme de fazer a penetração e explorar aquela gigantesca “caverna artificial”.

Mergulhando na parte interna do navio-cruzeiro Bianca C, naufragado em 1961 em Granada

Mergulhando na parte interna do navio-cruzeiro Bianca C, naufragado em 1961 em Granada


Mas não tínhamos tempo para isso, infelizmente. Entramos em um dos decks, mais espaçosos, eu fotografando e a Ana filmando. A visibilidade era de uns 20 metros, tudo muito azul. Difícil ter uma ideia de toda a grandiosidade do lugar pela foto, que não consegue capturar tudo. Mesmo os nossos olhos, a gente só vê um pedaço. Apenas nadando por lá é que se tem a ideia.

Chegando ao naufrágio Veronica L, em Granada

Chegando ao naufrágio Veronica L, em Granada


Logo já estávamos subindo para a superfície. O Bianca C foi se transformando apenas numa sombra e depois sumiu sob nós. Mas continua lá embaixo, imóvel, esperando novas visitas e explorações. Pelo menos até que o mar e a natureza acabem com seu trabalho de desmontá-lo.

Mergulhando no pequeno cargueiro Veronica L, em Granada

Mergulhando no pequeno cargueiro Veronica L, em Granada


Mergulhando no pequeno cargueiro Veronica L, em Granada

Mergulhando no pequeno cargueiro Veronica L, em Granada


Já nós, seguimos lentamente para o segundo ponto de mergulho, enquanto corria o chamado “tempo de superfície”, para que pudéssemos mergulhar novamente. O ponto escolhido foi outro naufrágio, este em águas rasas e o barco bem menor. Um pequeno cargueiro chamado Veronica L.

Entrando no compartimento de carga do Veronica L, em Granada

Entrando no compartimento de carga do Veronica L, em Granada


Respirando em uma bolha de ar a quase 10 metros de profundidade, no naufrágio Veronica L, em Granada

Respirando em uma bolha de ar a quase 10 metros de profundidade, no naufrágio Veronica L, em Granada


Aí tivemos mais de 40 minutos para explorar o barco e os corais ao seu redor. Aliás, a paisagem formada por esses corais parecia cenário de outro planeta. Acho que esses escritores e diretores de filmes de ficção científica vem ao fundo do mar, para buscar inspiração. Até o James Cameron confessou isso, com o seu “Avatar”.

uma enorme e linda moréia verde ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada

uma enorme e linda moréia verde ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada


uma enorme e linda moréia verde ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada

uma enorme e linda moréia verde ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada


Quanto ao pequeno Veronica L, duas cosias foram muito legais. Primeiro, ainda do lado de fora, uma gigantesca, talvez a maior que eu já tenha visto, moreia verde. Estava quase toda fora da toca, inchada, ameaçadora. Ao contrário das moreias pintadas, menores, dessa aí não tive coragem de me aproximar muito não. Como pode um bicho ser, ao mesmo tempo, tão bonito e tão feio?

Peixes nadam sobre corais que mais parecem um cenário de outro planeta, ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada

Peixes nadam sobre corais que mais parecem um cenário de outro planeta, ao lado do naufrágio Veronica L, em Granada


A outra coisa muito interessante foi uma bolha de ar que se formou dentro do naufrágio, depois das milhares de visitas de mergulhadores. Assim, a quase dez metros de profundidade, pudemos tirar nossos reguladores e conversar lá embaixo. Um ar pesado, com o dobro da pressão da nossa atmosfera ao nível do mar, faz os sons ficarem meio estranhos. Muito joia!

A belíssima praia de Grande Anse, ao sul de St. George's, em Granada, no Caribe

A belíssima praia de Grande Anse, ao sul de St. George's, em Granada, no Caribe


Era meio dia quando voltamos à praia de Grande Anse. Apenas o tempo de um lanche rápido e dirigirmos rapidamente para o parque de Grand Etang, no interior montanhoso de Granada. Assunto para o próximo post...

Depois dos mergulhos, lanchando na praia de Grande Anse, ao sul de St. George's, em Granada, no Caribe

Depois dos mergulhos, lanchando na praia de Grande Anse, ao sul de St. George's, em Granada, no Caribe

Granada, St Georges, Mergulho, Naufrágio, Praia, Grande Anse, Bianca C, Veronica L

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Observando do alto do forte a cidade de St. George's, capital de Granada

Um Passeio na Capital e na História de Granada

Post seguinte Mergulhando com o 'Deep Christ' no Sculptures Park, em Granada

Fantasmas...

Blog da Ana A famosa escultura da ciranda, no Sculptures Park, em Granada

Arte Submarina

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet