0 Salve a Mata Atlântica! - Blog da Ana - 1000 dias

Salve a Mata Atlântica! - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Salve a Mata Atlântica!

Brasil, São Paulo, Juréia

Visão da praia do Arpoador,vista através de uma janela na vegetação densa da Mata Atlântica

Visão da praia do Arpoador,vista através de uma janela na vegetação densa da Mata Atlântica


Hoje é o dia da Mata Atlântica, e estamos comemorando dentro dela! Triste pensar que de toda esta riqueza natural que vemos, sobraram apenas 6 ou 7%. A biodiversidade da Mata Atlântica é muito maior que a encontrada na Amazônia. São milhares de tipos de plantas, fungos, insetos, pássaros, animais silvestres e todos aqui, debaixo do nosso nariz.

Cogumelo em árvore caída na Juréia - SP

Cogumelo em árvore caída na Juréia - SP

Vegetação na Juréia - SP

Vegetação na Juréia - SP

Vegetação na Juréia - SP

Vegetação na Juréia - SP


A diversidade de espécies que vivem neste bioma é tão grande que nós, meros mortais, não temos a mínima noção. Fica ainda mais clara a nossa ignorância quando conhecemos alguém que nasceu dentro dela, como o nosso guia, o Amilton. Um caiçara, surfista que com 30 anos resolveu estudar biologia. Ele teve um empurrãozinho especial, uma bióloga que conheceu enquanto guiava pelas trilhas aqui do Parque Estadual da Juréia pagou a sua inscrição no vestibular. Aí não tinha mais desculpa, passou e estudou biologia marinha em Santos. Hoje o Tom une este conhecimento teórico com toda a cultura local que foi passada em sua família de geração em geração. Em resumo, quando se trata de Mata Atlântica o homem é uma biblioteca ambulante.

Canoa a caminho da Juréia - SP. O Amilton, nosso guia, está no leme

Canoa a caminho da Juréia - SP. O Amilton, nosso guia, está no leme


Na trilha logo percebemos que a sua preferência é a botânica, cada espécie de árvore ele tinha prazer em parar e nos explicar por que tem aquela morfologia, se é uma erva ou planta medicinal utilizada pelos nativos, seu nome comum e até seu nome científico. O nosso plano era seguir até a praia do Juquiá, passando pelas praias de Guarauzinho, Arpoador, Parnapoa e Brava. Cumprimos o plano sem nem sentir o tempo passar, as praias são maravilhosas, algumas delas com rios e cachoeiras a apenas 5 minutos da praia, mas desta vez o mais marcante foi o caminho. A trilha por si só já era um atrativo, que nós geralmente passamos reto, por não conhecermos e não termos os olhos treinados. A partir do momento que temos um professor de biologia nativo, a mata ganha outro significado.

Figueira na Mata Atlântica, Juréia - SP

Figueira na Mata Atlântica, Juréia - SP

Flor na Juréia - SP

Flor na Juréia - SP

Cogumelo em árvore caída na Juréia - SP

Cogumelo em árvore caída na Juréia - SP


Eu adoro a natureza, desde que me conheço por gente meus pais já me levavam para trilhas, acampamentos, aos poucos fui aprendendo um pouco sobre a mata e sempre fui defensora do meio ambiente. Mesmo assim, hoje aprendi a dar ainda mais valor a esta riqueza imensurável que o Brasil possui e está perdendo. Lembro que aprendi na escola que tínhamos em torno de 8% de Mata Atlântica. Hoje, mesmo com toda a luta que diversas ONGs encamparam pela preservação, restam apenas 6%. Dizem que não damos valor àquilo que não conhecemos, e por isso pergunto, será que não é hora de conhecermos melhor o nosso patrimônio para aprendermos a dar valor e a preservá-lo? Ainda vemos lixo jogado nas praias, ainda vemos pessoas jogando lixo pela janela do carro em plena área de conservação! Situações indignantes e tão absurdas que só devem acontecer por pura ignorância. Conheça o seu país, conheça as suas riquezas naturais e preserve. Salve a Mata Atlântica!

Piscina natural em pequeno rio na praia do Arpoador, na Juréia - SP

Piscina natural em pequeno rio na praia do Arpoador, na Juréia - SP


Praia do Arpoador, já no fim do nosso passeio pelas praias da Juréia - SP

Praia do Arpoador, já no fim do nosso passeio pelas praias da Juréia - SP

Brasil, São Paulo, Juréia, Praia, trilha, cachoeira

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior

Soy loco por ti América

Post seguinte Medindo a pressão do pneu furado da Fiona, no PETAR

Atenção produção!

Blog do Rodrigo Praia do Arpoador, já no fim do nosso passeio pelas praias da Juréia - SP

Caminhada na Juréia no Dia Certo

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 16/11/2014 | 00:51 por chico

    Achei muito lindas as sua imagens da jureia.

    Resposta:
    Obrigada Chico! Saudades dessa terra, voltaremos!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet