0 Saksawaman, a Forteleza Inca - Blog da Ana - 1000 dias

Saksawaman, a Forteleza Inca - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Saksawaman, a Forteleza Inca

Peru, Cusco

As ruínas da antiga fortaleza de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

As ruínas da antiga fortaleza de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Saksawaman, mais conhecido pelos turistas gringos como “Sexy Woman” pela difícil pronúncia e similaridade fônica, é um dos principais sítios arqueológicos incas próximos à cidade de Cusco. Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco, está localizado a 3.700m de altitude no alto das montanhas que rodeiam a antiga capital inca.

A bela vista que se tem de Cusco do alto das ruínas de Saqsaywamán, no Peru

A bela vista que se tem de Cusco do alto das ruínas de Saqsaywamán, no Peru


Sua localização não é apenas estratégica para rituais e cerimônias religiosas, como já haviam pensado os Incas, mas também como ponto de defesa das invasões espanholas em meados do século XV. Pedro Pizarro relatou nos idos de 1500 que suas numerosas salas estariam repletas de armamentos militares para combate e defesa da cidade.

As imponentes ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

As imponentes ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Na atualidade além de um interessantíssimo sítio arqueológico, Saksawaman também é um dos mais lindos mirantes da cidade de Cusco, com vista para todo o vale e montanhas ao seu redor. Jovens cusquenhos também frequentam o local como ponto de encontro para fazer todas aquelas coisas que jovens gostam de fazer... Humm, você sabe.

A bela vista que se tem de Cusco do alto das ruínas de Saqsaywamán, no Peru

A bela vista que se tem de Cusco do alto das ruínas de Saqsaywamán, no Peru


A nós, turistas não andinos, nos é cobrada uma taxa de entrada no sítio arqueológico e ali mesmo, na porta, vários guias locais oferecem seus serviços. Com a chegada do mais novo tripulante para o nosso tour pelo mundo andino, meu amigo e irmão Gustavo, decidimos que seria bacana ter uma explicação geral sobre a cultura inca antes de chegarmos ao Vale Sagrado.

Com o Gustavo, visitando as ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Com o Gustavo, visitando as ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Dentre muitas informações, Julieta, nossa guia, comentou que o formato da fortaleza vista de cima é parecido com o símbolo de um raio, e que existe uma possível relação com o Deus Trovão dos Incas, Chiqui-Illapa – Deus das tempestades que norteia a cadência das secas e das chuvas. Ainda assim, ao que tudo indica, o local foi construído com finalidades militares e era utilizado como academia de treinamento para as tropas de defesa e conquista dos grandes Incas.

O incrível encaixe das construções incas nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

O incrível encaixe das construções incas nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Caminhamos pela Gran Plaza entre as ruínas da antiga fortaleza que não hesita em nos apequenar diante dos seus imensos muros de pedra. Estes muros são sua principal atração, construídos com blocos de pedra gigantescos que guardam um dos maiores mistérios desta construção. Sabe-se que as pedras não são originárias daqui e sim de uma montanha a pelo menos 3 quilômetros de distância em linha reta. Como os antigos incas teriam conseguido cortar, polir e transportar estas pedras até aqui?

Os enormes monolitos das ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Os enormes monolitos das ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Outra coisa que chama a atenção dos arqueólogos é a perfeição do encaixe de cada um desses blocos, que estão aí, perfeitos, sem precisar de nenhum tipo de cimento, por centenas e centenas de anos. Nas paredes encontramos a pata do jaguar e outros formatos curiosos.

A 'Pegada do Jaguar', nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

A "Pegada do Jaguar", nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


A grandeza da praça, contudo, não está apenas no tamanho de suas pedras e muros, mas também no espaço aberto dos seus pátios internos, que devem ter recebido milhares de pessoas para grandes rituais e cerimônias.

Turistas visitam, no fim da tarde, as ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Turistas visitam, no fim da tarde, as ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Caminhamos até o mirador da cidade, passando pelo Portal del Inca, porta mais fotografada de Saksawaman e depois cruzamos para o lado esquerdo do sítio onde se encontram um teatro que lembra os teatros do estilo romano, com uma ótima acústica, além das áreas cerimoniais.

O casal 1000dias assediado por fotógrafos durante visita às ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

O casal 1000dias assediado por fotógrafos durante visita às ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


As salas de rituais eram utilizadas para cerimônias religiosas pelos antigos incas. Mesas cerimoniais de sacrifícios de animais, nichos mortuários e até uma poltrona real pomposa e imponente, de pedra, é claro. Fico imaginando como ela seria adornada... Ouro? Jade? Plumas? Peles de Jaguar? Provavelmente tudo junto e misturado. Nós esquecemos de olhar estes lugares como casas, palácios vivos e com cores, mas essas pedras frias e escuras nem sempre foram assim. Quando visitamos ruínas e templos antigos temos que treinar a nossa mente e deixar a imaginação se levar pela energia do lugar, enxergando as cores e a vida que um dia existiram ali.

Descansando em um dos muitos tronos reais nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Descansando em um dos muitos tronos reais nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


Já no final do dia o Gustavo não resistiu e até encarou o escorregador natural esculpido na rocha, lisinho e rápido perfeito para uma corrida entre o Gustavo e o Paolo, filho da nossa guia Julieta. Finalizamos a visita e ainda demos carona para mãe e filho que nos acompanharam e dividiram tantas experiências e conhecimentos conosco, um jeito gostoso e prático de entrar mais em contato com a cultura local.

O Gustavo aproveita um escorregador natural nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

O Gustavo aproveita um escorregador natural nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru


De volta à Cusco jantamos em um restaurante fora do percurso mais turístico, em frente à Plaza San Francisco. Carne de llama, papas horneadas e risoto de quinoa, hummm, como é bom poder voltar a comer normalmente! Uma bisbilhotada noturna na Plaza Mayor, só para deixar o Gustavo ainda mais animado para as nossas explorações andinas.

Fim de tarde glorioso nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Fim de tarde glorioso nas ruínas de Saqsaywamán, em Cusco, no Peru

Peru, Cusco, arqueologia, Unesco, Ruínas, Inca, Patrimônio da Humanidade, Saksawaman

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Reencontro com a Karin e o Coen, os holandeses do Lanncruising Adventure que viajam há mais de dez anos, em Cusco, no Peru

Landcruising Adventure

Post seguinte Hábeis artesãs praticam o tear em pátio interno de museu em Cusco, no Peru

Cusco em um Dia

Blog do Rodrigo Recebendo o Gustavo no aeroporto de Cusco, no Peru

Reencontros e Overlanders

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 03/06/2015 | 23:22 por samuel baker mororo aragao

    Hunting high And Low.

  • 26/08/2014 | 21:54 por Helder Geraldo Ribeiro

    Puxa vida, não dá nem pra visitar um sítio arqueológico que esses paparazzi aparecem aos montes, hein?
    Engraçado como funciona o esquema do "Sexy Woman", nosso guia nos contou em 2007 e eu nunca iria guardar o nome desse lugar, mesmo sendo tão bonito. E o trabalho feito com as pedras realmente impressiona.

    Abraços,
    Helder

    Resposta:
    Hahaha! Boa essa foto, nós famosos em Sexy Woman! Rsrs! A piada vale a fila para tirar fotos lá! =)
    Adoro o lugar e é o trabalho com essas pedras que encontramos quase idêntico na Ilha de Páscoa, uma das pistas que levam arqueólogos e historiadores crerem que Incas e Rapa Nuis se encontraram na era pré-hispânica. Beijos!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet