0 Viajando para as Bermudas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Viajando para as Bermudas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Viajando para as Bermudas

Estados Unidos, New Jersey, Princeton Junction, Bermuda, Hamilton

Chegando á Bermuda, em pleno Oceano Atlântico

Chegando á Bermuda, em pleno Oceano Atlântico


Quase todo mundo já ouviu falar das Bermudas, principalmente por causa do famoso “Triângulo”, mas poucos saberiam apontá-la no mapa. Eu, por exemplo, não sabia, pelo menos até iniciarmos nossa jornada pela América. E olha que fui um leitor inveterado dos livros sobre o misterioso e fatal Triângulo, quando estava entrando na adolescência.

Mapa mostrando o famoso 'Triângulo das Bermudas', onde navios e aviões somem sem deixar pistas, segundo a lenda...

Mapa mostrando o famoso "Triângulo das Bermudas", onde navios e aviões somem sem deixar pistas, segundo a lenda...


Bermuda (ou “Bermudas”, no plural, em português) deve seu nome ao seu descobridor, o espanhol Juan de Bermudez, que aportou na ilha em 1505. Os espanhóis não deram muita bola para a ilha e foram os ingleses, um século mais tarde, que a ocuparam e colonizaram. Desde então a ilha manteve-se unida à Grã-Bretanha e à Rainha e hoje continua sendo território britânico, embora goze de grande autonomia. Ao longo do tempo, os ingleses aprenderam a lidar com o calor, reduzindo o tamanho de suas calças, para que ficassem mais ventiladas, Nascia aí o short conhecido como “Bermuda”, vestimenta preferida de dez entre dez surfistas.

Mapa de Bermuda, uma ilha no meio do Atlântico, em forma de camarão

Mapa de Bermuda, uma ilha no meio do Atlântico, em forma de camarão


Ao contrário do que muita gente pensa, Bermuda não faz parte do Caribe, estando muito mais ao norte, na altura do estado americano da Carolina do Norte, do qual dista cerca de 1.000 km. É a terra firme mais próxima da ilha. Geograficamente, então, pertence à América do Norte. E se está na América do Norte (ou mesmo se estivesse no Caribe...), está no nosso roteiro.

Em meio à névoa e ao Oceano Atlântico, aparecem as misteriosas Bermudas!

Em meio à névoa e ao Oceano Atlântico, aparecem as misteriosas Bermudas!


Não é caro voar para lá, saindo de Nova York. O problema maior é arrumar algum lugar para ficar, principalmente nessa época do ano, considerada a alta estação. Nós compramos nossas passagens há poucos dias, saindo hoje e voltando dia 28. Mas não conseguimos vaga em nenhum dos hotéis que tentamos, via internet. Então, a solução era conseguir por lá mesmo.

Navio-cruzeiro ancorado em Hamilton, capital de Bermuda

Navio-cruzeiro ancorado em Hamilton, capital de Bermuda


A Anita nos deixou na estação de trem de Princeton Junction pela manhã, antes de levar as crianças para o summer camp. Mais uma vez, dissemos apenas um “Até logo!”, ao invés do “Adeus!”. Muito mais fácil assim! Foram 50 minutos até Newark, onde quase perdemos a estação. Teria sido um vexame, passar reto por lá e só descobrir depois, mais para frente. O trem para só por uns 30 segundos e nós saímos esbaforidos pela porta, carregando nossas mochilas, com 35 segundos, apenas porque o cobrador percebeu nossa corrida e segurou as portas. Uffff, foi por pouco!

Uma das tranquilas ruas centrais de Hamilton, capital de Bermuda

Uma das tranquilas ruas centrais de Hamilton, capital de Bermuda


Enfim, o trecho de aero-trem foi muito mais tranquilo e logo já estávamos fazendo check-in e esperando o nosso voo. Ainda estava difícil acreditar que realmente viajaríamos para as enigmáticas Bermudas. Na minha fase crédula, aos 12 anos, não conseguia entender como alguém poderia viver em Bermuda. Afinal, chegar lá de avião ou de barco era tarefa perigosíssima, arriscando-se a ser abduzido por extraterrestres ou simplesmente desaparecer em algum buraco do espaço-tempo. Achava essas hipóteses mais críveis do que as que diziam que algum antigo cristal da civilização perdida da Atlântida estava destruindo os barcos.

Front Street, a principal avenida de Hamilton, capital de Bermuda

Front Street, a principal avenida de Hamilton, capital de Bermuda


Já um pouco mais velho, o ceticismo foi tomando conta da minha personalidade. O mundo ficou mais em graça. Mas ficou mais seguro também. Comecei a duvidar do que lia em livros ou jornais (ainda era uma época pré-internet, então, quando apareceu a wikipedia, eu já não acreditava em nada mesmo, hehehe) e o bom senso passou a ser meu guia maior. No caso do triângulo das Bermudas, por exemplo, essa é uma das áreas com tráfego mais movimentado de barcos e aviões do mundo. Ou seja, seria até normal o número de acidentes ser maior por aqui do que em outra parte. Não é porque há mais atropelamentos na Av. Paulista do que em uma rua de uma pequena vila no interior do Piauí que poderemos dizer que exista uma maldição na movimentada avenida de São Paulo, certo? Pior, boa parte dos misteriosos acidentes no Triângulo não passavam de invenções ou “romantizações” de fatos que não ocorreram, ou ocorreram sim, em outra parte do globo.

Palácio do Governo em Hamilton, capital de Bermuda

Palácio do Governo em Hamilton, capital de Bermuda


Enfim, voamos tranquilamente sobre o tal triângulo e, duas horas mais tarde, em meio à névoa e ao oceano, lá apareceram as pequenas ilhas que formam as Bermudas. Lá de cima, apesar do céu encoberto, já deu para ver a beleza do mar que cerca uma pequena ilha completamente urbanizada.

Catedral Anglicana em Hamilton, capital de Bermuda

Catedral Anglicana em Hamilton, capital de Bermuda


Passamos pelo alfândega sem problemas, apesar da oficial ter feito questão de verificar nossas passagens aéreas saindo do país. No campo “endereço”, simplesmente colocamos o nome de um hotel qualquer, da lista que tínhamos pesquisado. Já no saguão do aeroporto, como não havia nenhum quiosque de informações turísticas para nos ajudar a achar um hotel de verdade, apelamos para o motorista de taxi. Ele ficou estupefato de termos entrado no país sem uma reserva de hotel. Disse que já tinha visto vários turistas sendo mandados de volta para casa, por causa disso. Quando soube do nosso “artifício” de ter colocado um hotel qualquer, aí disse que foi isso que nos salvou...

Marina em Hamilton, capital de Bermuda

Marina em Hamilton, capital de Bermuda


Bom, passado o susto e três ligações telefônicas mais tarde, enquanto já estávamos a caminho de Hamilton, a capital de Bermuda, encontramos o nosso Inn. Finalmente, estava tudo certo para nossa temporada “bermudesa”.

Um dos parques de Hamilton, capital de Bermuda

Um dos parques de Hamilton, capital de Bermuda


Hoje, pelo adiantado da hora, tudo o que pudemos fazer foi caminhar pela simpática capital, que se pode conhecer em menos de uma hora caminhando. A organização e limpeza da cidade, o modo como as pessoas se vestem e se portam e outros detalhes, tudo mostra que realmente não estamos no Caribe. Em compensação, o enorme cruzeiro ali aportado mostra que pode não ser o Caribe, mas que se parece, parece!

Escultura em meio a jardim de parque em Hamilton, capital de Bermuda

Escultura em meio a jardim de parque em Hamilton, capital de Bermuda


Além do passeio pelas ruas da cidade, seus parques, monumentos e igrejas, a gente também definiu nossa programação por aqui. Bermuda é o único país do nosso roteiro, além de Groelândia, que não era coberto por nenhum dos livros-guia que tínhamos. Então, foi só aqui que começamos a conhecer mais profundamente o país e o que ele oferece. Como era de se esperar, muitas praias e oportunidades de mergulho! E se gostássemos de golfe, as opções também seriam muitas. Mas, não é o caso, hehehe. Amanhã, de ônibus, vamos para as praias mais bonitas daqui. No dia seguinte, mergulho, de ônibus também. Isso porque, uma das coisas interessantes que acabamos de descobrir, não existe aluguel de carros por aqui. Acho que tem medo que estrangeiros não saberiam dirigir, na mão contrária, pelas estradas estreitas da ilha. Para quem quiser alugar seu próprio transporte, ou é um carro com motorista ou uma scooter. Quem sabe não alugamos uma?

Estátua pensativa, em parque de Hamilton, capital de Bermuda

Estátua pensativa, em parque de Hamilton, capital de Bermuda

Estados Unidos, New Jersey, Princeton Junction, Bermuda, Hamilton, ilha, história, Bermudas, Triângulo das Bermudas

Veja todas as fotos do dia!

Gostou? Comente! Não gostou? Critique!

Post anterior Philadelphia, em Pennsylvania, nos Estados Unidos

Phinalmente, Philadelphia...

Post seguinte O maravilhoso mar de Bermuda, na costa sul da ilha

No Magnífico Litoral de Bermudas

Blog da Ana Bermudas, traje oficial em Hamilton, em Bermuda

Ilhas Bermudas

Comentários (7)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 02/12/2014 | 21:10 por jonatan

    obrigado em ajudou muitoo valeu. agora ja tenho uma noção . de quanto gastarei brigadaoooo e boa viajem heheh

    Resposta:
    Oi Jonatan

    Legal que pudemos ajudar. Existem viagens para todos os bolsos. Conhecemos um casal que gastava 1.500 dólares por mês, viajando de carro. Um rapaz, de bicicleta, que gastava uns 600 dólares por mês. enfim, cada um vai se ajustando ao seu orçamento. O importante e seguir o seu sonho!

    Um abs

  • 23/11/2014 | 00:36 por johnny

    ola. adorei seu blog. gostaria de fazer uma pergunta. vcis gastão muito em suas viagens, a patrocínio alguem paga, como funciona temqeu ter muito dinheiro, abraços

    Resposta:
    Oi Johnny

    Que legal que tenha gostado do blog!

    Então, o valor dos gastos depende muito do país. Tem os mais caros, como essas ilhas do Caribe, e os mais baratos também, como alguns países da América Central e do Sul. Nós não temos patrocínio não e pagamos tudo do próprio bolso, economia de muitos anos de trabalho.

    Em média, estamos gastando uns 3 mil dólares por mês. Mas é possível viajar por menos, quando dormimos no próprio carro.

    Um abs

  • 14/01/2014 | 03:32 por Kevin

    Oi Gustavo gostaria de saber se vc indica este lugar ,talvez vou fazer intercâmbio de 1 ano para Bermudas ,vc poderia me dizer como é a população eo custo de vida ? É um ótimo lugar ?

    Resposta:
    Oi Kevin

    Nós gostamos muito de Bermudas, mas só ficamos uns poucos dias e não um ano. A ilha é pequena e, depois de poucas semanas, vc já vai conhecer todo mundo. O custo de vida é alto e o sotaque é bem britânico. As praias são lindas e o clima é bem agradável. Se vc gosta de jogar golfe, é o lugar certo para ir.

    Na população, tem os milionários e o povão. Esses últimos, muito simpáticos! Muito turista também, principalmente americanos e ingleses

    Espero ter podido ajudar

    Um abraço

  • 27/12/2012 | 18:51 por andrade

    cara eu sou casado com uma espanhola a qual tenho filho ,e gostariamos de saber se e possivel,eu ,morar la em bermudas legalmente uma vez q pertence a inglaterra.....desde ja agradeco a compeecao e espero sua singelas respostas

    Resposta:
    Olá Andrade

    Não sei os detalhes de se mudar para Bermuda. O fato de sua esposa ser espanhola deve ajudar, certamente. Mas mudar-se para uma ilha é sempre mais complicado, burocraticamente

    Vc pode dar uma olhada nesse site. Talvez te ajude:

    http://www.gov.bm/portal/server.pt?open=512&objID=214&&PageID=512&mode=2&in_hi_userid=2&cached=true

    Abs

  • 24/10/2012 | 12:53 por Cammil

    Olá. Pretendo passar 20 dias em Bermudas, tenho um amigo que é nativo de lá e trabalha do Bermuda Acqurium and zoo... Mas gostaria de saber qual a visão de um brasileiro. srsrs Vestimentas, comportamento, temperatura, estas coisas...

    Ah,existe Hostel por lá?
    Lá parece ser um lugar muito legal!

    Resposta:
    Olá Cammil

    As Bermudas foram uma grande surpresa para nós, especialmente quando conhecemos melhor o país. Praias lindas e vida bem tranquila. O uso de bermudas é quase o uniforme obrigatório, hehehe. A temperatura é bem agradável, pelo menos nessa época em que estivemos por lá.

    Os caras são meio ingleses, então não é a descontração que estamos acostumados no Brasil. Mas, quando se está entre amigos, aí é tudo muito relaxado, bem legal!

    Não há hostel por lá, não. Então, se tiver mesmo que ficar num hotel, prepare-se para gastar um pouquinho... A alternativa é ficar na casa de alguém ou ir de pacote, quando o hotel e transporte ficam um pouco mais em conta

    Abs

  • 17/09/2012 | 21:59 por Gustavo

    Sensacional isso tudo. Estou indo para os EUA em Fevereiro para passar 1 mês na Filadélfia (em estudo). Vou tirar 5 dias para ir até o Caribe e escolhi Bermudas!
    As fotos que vocês tiraram e ao mesmo tempo o desconhecimento acerca de Bermudas o torna magnífico para mim.
    Me fizeram ter uma enorme vontade de conhecer esse local.

    Obrigado!

    Resposta:
    Olá Gustavo

    As Bermudas foram uma agradável surpresa para nós. Ainda mais bela que imaginávamos, cheia de lugares para serem descobertos. Alugar uma vespinha por lá faz toda a diferença!

    Acho que da Filadelfia tem uns voos bem baratos. Os hoteis são caros, mas deve ter uns pacotes bem em conta, saindo dos EUA

    Um abraço e boa viagem!

  • 04/08/2012 | 10:56 por NEY

    Meus recursos não me autorisão a descobrir lugares e a me aventurar do modo maravilhoso que voces,assim sempre que posso acompanho suas fotos e relatos que por sinal são de uma magnifica realidade que viajo junto nas enoçoes descritas em seus relatos.

    Resposta:
    Olá Ney

    Legal que vc viaja junto! Esse é nosso intuito, quando tentamos passar um pouco do que que vemos e sentimos. Comentários como o seu são um estímulo para que continuemos a escrever

    Valeu mesmo!

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet