0 Uma Volta em Rapa Nui - 2a Parte - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Uma Volta em Rapa Nui - 2a Parte - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Uma Volta em Rapa Nui - 2a Parte

Chile, Ilha de Pascoa, Ilha De Pascoa, Hanga Roa

Chegando às ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Chegando às ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Os quinze Moais perfilados que compõe o Ahu Tongariki, costas para o cintilante mar azul e frente para o amplo vale entre o Rano Raraku e as encostas do vulcão Puakatike são uma das visões mais cinematográficas da Ilha de Pascoa. É a cena que mais dá força ao imaginário que fazemos de Rapa Nui, com suas gigantescas e misteriosas estátuas de pedra, um mundo perdido em meio ao Oceano Pacífico.

O litoral sul de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

O litoral sul de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Os magníficos Moais de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Os magníficos Moais de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Mas, na verdade, essa é uma cena nova. Todos os Moais de Rapa Nui estavam destruídos ou derrubados até o final da década de 50, quando passaram a ser restaurados e levantados novamente. Foi o que aconteceu com os Moais de Ahu Tongariki. Derrubados em meados do séc. XVIII, seus restos descansavam na baía onde se encontram hoje, como que dormindo de bruços. Foi quando um tsunami causado por um terremoto varreu a baía, desorganizando todas as ruínas do local, os Moais, seus pukaos e até o enorme ahu onde repousavam. E foi assim, nesse verdadeiro caos de pedras que o local permaneceu pelas próximas três décadas.

Tongariki, um dos mais emblemáticos sítios arqueológicos de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Tongariki, um dos mais emblemáticos sítios arqueológicos de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Tongariki, um dos mais emblemáticos sítios arqueológicos de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Tongariki, um dos mais emblemáticos sítios arqueológicos de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Então, na década de 90, o governo japonês presenteou o Chile e a Ilha de Páscoa com um presente. Com a ajuda de antigos moradores que se lembravam da baía antes do tsunami, eles restauraram todo o cenário. Não como era na década de 50, mas como deveria ter sido há três séculos! A única falha foi na restauração dos pukaos, que não mais se encaixaram sobre seus Moais, exceto por um deles. De qualquer maneira, o resultado foi impressionante e esse conjunto de Moais é o mais belo da ilha. Como sinal de agradecimento, o Chile permitiu que os japoneses levassem para seu país um dos Moais, o décimo-sexto a ser restaurado e o único a já ter saído da ilha. Ficou exposto no Japão por algum tempo e regressou para seu local de origem. Ele fica só, ali na mesma baía, o chamado “Moai viajante”.

Visitando as ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Visitando as ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Os magníficos Moais de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Os magníficos Moais de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Nós descemos até essa baía e ficamos ali, encantados, tirando fotos e admirando a paisagem. Ao mesmo tempo, conversava com o Patricio sobre o que teria acontecido na ilha para que os Moais tivessem sido derrubados e a fábrica parasse, tão de repente, sua produção de estátuas gigantes. Essa é uma matéria controversa, baseada nos relatos de europeus que estiveram na ilha no séc. XVIII e na tradição oral dos seus habitantes, onde lendas se misturam com história. Claro que também há uma pesquisa arqueológica, antropológica e, hoje em dia, até genética com os habitantes. Mas, como disse, a resolução do mistério desse evento e até das origens da população de Páscoa continua em discussão.

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


O primeiro estudioso do assunto foi o norueguês Thor Heyerdahl, famoso por atravessar o Oceano Pacífico em um barco rústico que ele mesmo fez, para ajudar a comprovar sua tese de que os antigos polinésios poderiam ter atravessado aquele oceano 1.000 anos antes. Thor esteve na Ilha de Páscoa em 1956 e foi o primeiro estudioso a reerguer um Moai. Depois de muitos estudos e entrevistas com habitantes de Rapa Nui, ele lançou a tese de que a ilha foi ocupada por dois povos de origens distintas, um vindo da Polinésia (os “orelhas curtas”) e outro da América do Sul (os orelhas-longas) . Os orelhas-longas teriam escravizado os orelhas-curtas e eram eles o povo dos Moais. Os orelhas-curtas teriam se revoltado em meados do séc XVIII, matado todos os orelhas-longas e derrubado seus Moais. A história desses dois povos e dessa guerra é amplamente amparada pelas lendas rapa nuis, exceto pela origem sul-americana dos orelhas-longas.

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Teorias mais modernas dizem que os dois povos são de origem polinésia e que teriam chegado à ilha em ondas distintas de migração ou que chegaram juntos, uns já escravos dos outros. Seriam, provavelmente, o mesmo povo, mas de duas castas distintas. A casta dominante seria mais ornamentada, usando longos brincos nas orelhas (daí, o termo “orelhas-longas”).

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Os Moais de Tongariki, destruídos por um tsunami em 1960 e restaurados por arqueólogos japoneses na década de 90, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


O fato concreto é que quando os holandeses chegaram à Rapa Nui no domingo de Páscoa de 1722, os Moais ainda estavam de pé e eles viram dois povos coexistindo na ilha. Quando James Cook aportou na ilha, meio século mais tarde, boa parte dos Moais estava derrubada e ele só distinguiu um povo na ilha. O que aconteceu nesse intervalo? O mais provável é que a superpopulação da ilha tenha levado a um esgotamento dos recursos naturais (fim da floresta), elevando a tensão pela sobrevivência entre as duas castas que antes coexistiam pacificamente. A casta que adorava os Moais foi aniquilada (ou seus poucos sobreviventes foram “absorvidos” pela outra casta) e a religião que passou a vigorar foi a do homem-pássaro (ainda vou falar dela em outro post). Enfim, até hoje, são apenas especulações e talvez nunca tenhamos certeza do que ocorreu na ilha. Digno de nota é a existência de um Moai completamente diverso dos outros, aos pés do Rano Raraku. Ele olha para a própria montanha e tem um tipo físico diferente. Teria sido feito pelos orelhas-curtas, após sua vitória na guerra, a última estátua de pedra da ilha, talvez para celebrar sua vitória. Outro mistério da Ilha de Páscoa

Um estilo diferente de Moai, em Rano Raraku, um dos vulcões de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Um estilo diferente de Moai, em Rano Raraku, um dos vulcões de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Voltando ao nosso tour, fomos ver antigas pictografias deixadas na rocha pelos moradores de então. São peixes, tubarões, tartarugas e feições humanas marcadas na pedra, mostrando que nem só de Moais viviam os artistas daquela época. Imagens como estas podem ser encontradas em várias partes da ilha, mas algumas das mais claras estão aqui, ao lado de Ahu Tongariki. O que se encontrou também, mas em outras partes da ilha, são grifos que representariam uma espécie de escrita. Infelizmente, nunca foram decifradas e imagina-se que descrevam calendários e genealogia de famílias poderosas. Enfim, poderiam também ser a chave para a solução de vários dos mistérios da ilha. Mas por enquanto, essa chave é, também ela, mais um mistério.

Na área de Tongariki, petroglifos da antiga civilização de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Na área de Tongariki, petroglifos da antiga civilização de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


O belo litoral norte de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

O belo litoral norte de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Depois, deixamos para trás o litoral sul da ilha e fomos para a costa norte, onde encontramos o maior dos Moais, com mais de 10 metros e 80 toneladas! Este ainda está derrubado, mas não estava quando o navegador francês la Perouse chegou a ilha, em 1782, na baía que hoje leva o seu nome. Ali, o que chama a atenção, além do gigantesco Moai derrubado, é a pedra conhecia como Te Pitu Kuras. Ela é uma pedra magnética de formato ovalado. Qualquer bússola que se aproxima da pedra perde o sentido e é até mesmo possível sentir os dedos formigando quando tocamos essa rocha. Diz a lenda que ela foi trazida por Hoto Matu, o rei que teria liderado a migração para Rapa Nui. Quando os franceses de La Perouse estiveram aqui, a pedra estava em lugar especial, próximo ao Moai gigante que ainda estava de pé. Em algum momento do futuro, europeus tentaram levar a pedra magnética embora, mas ela é tão pesada que foi abandonada ali, na areia, quase no mar. Hoje, é mais uma atração que faz a alegria dos turistas. Outro mistério para a lista...

Pedra magnetizada (um antigo meteorito) no litoral norte de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Pedra magnetizada (um antigo meteorito) no litoral norte de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


A bela praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

A bela praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Por fim, daí seguimos para a última atração do dia, a única praia verdadeira de Rapa Nui, chamada Ana Kena. Aí está o Moai que foi levantado por Thor Heyerdahl e outros que foram levantados depois; Moais entre coqueiros e palmeiras, com uma praia paradisíaca ao fundo, imagina o número de fotografias que são tiradas por lá, diariamente. As nossas foram apenas uma parte infinitesimal delas! Já era final da tarde e não nos animamos a entrar na água, mas juramos que vamos voltar ali, para aproveitar melhor.

Moais na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Moais na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


O primeiro Moai a ser recolocado de pé, na década de 50, na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

O primeiro Moai a ser recolocado de pé, na década de 50, na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


De volta para casa, despedimo-nos do Patricio e fomos comprar uma garrafa de vinho. Afinal, tínhamos de celebrar. Não apenas pelo dia incrível de descobertas que tivemos hoje, mas também porque hoje é meu aniversário. Meu último aniversário durante essa viagem dos 1000dias. E escolhemos muito bem onde celebrá-lo: em Rapa Nui, uma ilha mágica no meio do Pacífico!

Caminhando na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Caminhando na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Caminhando na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Caminhando na praia de Anakena, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico


Chegamos a tempo de ver o pôr-do-sol no mesmo lugar que ontem, o Ahu Tahai, o conjunto de Moais próximo a Hanga Roa. Ali, já sob a luz das estrelas, saboreamos o vinho, gole a gole, nos deliciando com toda a magia que nos cercava. Até tentei me comunicar com os antigos espíritos da ilha, para que me dessem a resposta de tantos mistérios. E eles responderam! Disseram que são exatamente esses mistérios que fazem o charme da ilha e que assim deve continuar. E que eu bebesse meu vinho tranquilamente e curtisse meu aniversário. Afinal, não é todo dia que se pode comemorar um aniversário entre Moais, no meio do Oceano Pacífico, sob um céu estrelado e ouvindo as ondas do mar. É isso mesmo, eles estão certíssimos! Amém!

Visitando as ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Visitando as ruínas de Tongariki, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Chile, Ilha de Pascoa, Ilha De Pascoa, Hanga Roa, Praia, arte, arqueologia, história, Ana Kena, Ahu Tongariki

Veja todas as fotos do dia!

Gostou? Comente! Não gostou? Critique!

Post anterior Antigos Moais em Rano Raraku, a fábrica de Moais, parcialmente cobertos pelo tempo. Ainda estavam a venda quando a civilização se perdeu (em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico)

Uma Volta em Rapa Nui - 1a Parte

Post seguinte Ao longo da trilha na costa norte da ilha, encontro com ruínas da antiga civilização da Ilha de Páscoa, no sul do Oceano Pacífico

Mergulhando e Caminhando em Rapa Nui

Blog da Ana Os famosos Moais de tongariki, vistos de Rano Raraku, em Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), território chileno no meio do Oceano Pacífico

Day tour - Ilha de Páscoa

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 24/03/2016 | 10:47 por Sônia

    AMEI SEU TEXTO. EMOCIONANTE! VIAJEI NELE. TENHO HA MUITOS ANOS VONTADE DE CONHECER ESSE LUGAR E AINDA VOU. PARABENS PELO TEXTO E PELA VIAGEM.

  • 02/06/2014 | 21:30 por Ana Christ

    Acho que aprendi mais sobre Rapa Nui nesses posts do que em toda a minha vida escolar! rs
    Muito bom!!!!
    Bjos

    Resposta:
    Oi Ana

    Nós também aprendemos mais sobre Rapa Nui nesses 4 dias na ilha do que em toda a nossa vida escolar! Então, tratamos de tentar compartilhar isso tudo!!!

    Que bom que vc gostou!

    Bjs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet