0 Tompkins, Pumalín, Alerces e o Conservacionismo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Tompkins, Pumalín, Alerces e o Conservacionismo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Tompkins, Pumalín, Alerces e o Conservacionismo

Chile, Chaitén

Gigantescos alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Gigantescos alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Na nossa viagem ao longo da Carretera Austral, aqui no sul do Chile, um nome era sempre recorrente: Douglas Tompkins. Muito mais conhecido por essas bandas do que em sua própria terra natal, os Estados Unidos, esse milionário americano é fonte de amor e ódio em terras patagônicas, um modelo para conservacionistas e alvo predileto de desenvolvimentistas e nacionalistas.

Parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Cachoeira escorre em encosta do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Cachoeira escorre em encosta do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Fundador de marcas famosas como a “The North Face” e “Esprit”, há tempos que Tompkins se desfez de suas participações nessas companhias para, segundo ele, “deixar de vender coisas que as pessoas não precisam”. Desde então, todas as suas energias (e o dinheiro também) são devotadas à preservação da natureza na região patagônica. Desde jovem, quando viajou, subiu montanhas e explorou rios da região, Tompkins é apaixonado por esse lado do planeta e hoje não poupa esforços na luta por sua conservação. A partir da década de 90, Tompkins e sua esposa, antiga CEO de outra marca famosa, a “Patagonia”, compram propriedades dos dois lados da cordilheira andina com o intuito de formar grandes áreas contínuas de preservação. Nelas, Tompkins desenvolve grandes parques privados, alguns dos maiores do mundo, e depois os transforma em Parques Nacionais, devolvendo a área aos países onde estão. Um bom exemplo disso é o Parque Nacional Corcovado, no Chile. O outro é o Pumalín, também no Chile, uma área privada em vias de ser transformada em parque nacional.

A trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

A trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


A espessa vegetação do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

A espessa vegetação do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Atualmente, é uma outra área sua que está no centro das controvérsias: o Vale de Chacabuco. Nós passamos bem perto dele quando entramos no Chile na região de Cochrane, início da nossa jornada pela Carretera Austral. Tompkins comprou o vale de uma companhia belga que o explorava com a terceira maior criação e ovelhas do país. Claramente, o vale havia sido sobre explorado e já não conseguia dar lucro aos antigos proprietários. Tompkins comprou a área e se desfez de todo o gado ovino e bovino que aí vivia. Depois, mandou que cada planta que não pertencesse à flora original fosse arrancada de lá. O plano é fazer o vale voltar ás condições que tinha antes da chegada de colonizadores. Antigos animais, como huemuls e guanacos já estão voltando, assim como pumas. E quem não está nada contente são os vizinhos rancheiros e a antiga mão-de-obra da fazenda. Para eles, é seu meio de vida que está sendo destruído. A popularidade de Tompkins na região e na cidade de Cochrane não é das melhores...

Cruzando com riacho de águas puríssimas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Cruzando com riacho de águas puríssimas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Muito verde (e algum vermelho!) em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Muito verde (e algum vermelho!) em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Ainda mais depois que o milionário americano se envolveu numa verdadeira briga de cachorro grande. Como já expliquei em outro post, uma grande companhia pretendia construir várias hidrelétricas na região ao longo do rio Baker para produzir e enviar energia para o norte do Chile É claro que Tompkins, assim como todos os ecologistas do Chile, foi contra. Seguiu-se uma verdadeira guerra de relações públicas na região e no país. Centenas de outdoors foram espalhados ao logo de Aysén a favor e contra o empreendimento. Felizmente, a Hidroaysen parece ter perdido a batalha, mas ao longo da guerra ela fomentou bastante o sentimento anti-Tompkins na área, dando voz aos rancheiros e nacionalistas que são contra o fato de um gringo vir ao país comprar terras e despedir pessoas, além de quase criminalizar a “destruição” causada por ovelhas.

Caminhando em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Caminhando em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Cruzando com riacho de águas puríssimas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Cruzando com riacho de águas puríssimas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Enfim, não é uma discussão fácil, havendo bons argumentos para os dois lados. Nós mesmos os ouvimos ao longo da nossa viagem. Uma das melhores conversas foi com uma americana que conhecemos enquanto atravessávamos de balsa em direção a Villa O’Higgins. Ela já estava no país há meses, justamente produzindo uma reportagem sobre o assunto. Nós não a vimos mais depois disso, mas eis que, ao pesquisar mais sobre o tema para escrever este post, encontro o seu artigo. Achei muito bom e completo, ouvindo todas as partes envolvidas e dando uma noção muito mais clara do que está em disputa por aqui. Então, recomendo a todos que queiram saber um pouco mais, ler o tal artigo. Está em inglês é uma agradável e esclarecedora leitura: O link é http://www.theatlantic.com/features/archive/2014/09/the-entrepreneur-who-wants-to-save-paradise/380116/

Trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Placa informativa sobre alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Placa informativa sobre alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Bom, depois desse belo artigo, continuemos com a nossa viagem! Aqui ao lado de Chaitén está a primeira grande área protegida por Tompkins na patagônia: o parque Pumalín. Depois de mais de 20 anos de esforços de conservação, o parque se tornou um dos mais belos e com melhor infraestrutura do país. E olha que, no meio do caminho, Tompkins teve de enfrentar uma ameaça muito mais perigosa e impiedosa do que rancheiros ou hidrelétricas. Foi a erupção do vulcão Chaitén, que fica dentro dos limites do parque. O Pumalín teve de fechar suas portas por anos, teve florestas centenárias destruídas e estradas que sumiram do mapa. Mas muito trabalho depois e o parque reabriu suas portas, agora com uma atração a mais: um trilha até o alto do vulcão, além de um belo laboratório a céu aberto sobre como a natureza e a vegetação se recompõe após um evento como esse.

Placa informativa em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Placa informativa em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Um imponente alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Um imponente alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Ontem, nós fizemos essa trilha. Hoje, antes de fazermos o último trecho da Carretera Austral antes de chegarmos a Puerto Montt (próximo post), nós ainda tivemos a chance de dar mais uma olhada nesse parque exuberante. Entre as várias trilhas possíveis, escolhemos uma que nos daria nossa última chance de ver de perto as maiores árvores do continente, os alerces.

Caminhando na trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Caminhando na trilha dos alerces no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Tronco de alerce, árvore emblemática do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Tronco de alerce, árvore emblemática do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Essa árvore magnífica é própria das encostas andinas subtropicais aqui do sul do Chile e da Argentina. Aliás, do lado de lá da cordilheira, nós até já tínhamos ido ao Parque Nacional Los Alerces (post aqui), mas as árvores que dão nome ao parque estão em uma parte quase inacessível da região, apenas para quem tem o tempo de fazer o passeio de barco. Nós não fizemos e vimos apenas um exemplar, ainda adolescente (talvez com uns 100 anos de idade...). Ou seja, ainda não conhecíamos alerces de verdade.

Um imponente alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Um imponente alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Venerando os belíssimos alerces, uma das maiores árvores das Américas, em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Venerando os belíssimos alerces, uma das maiores árvores das Américas, em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Essa árvore é um gigante, chegando aos 70 metros de altura. Era bem comum em toda essa área, mas no final do século XIX e início do XX, milhares de hectares de florestas foram queimados para dar lugar à pastagens no esforço colonizatório e de ocupação da região. Para piorar, por ter uma madeira de tão boa qualidade, os alerces eram duplamente procurados, tanto para construção de casas como para uma boa fogueira, mesmo em tempos de chuva. Suas tábuas chegaram a servir de dinheiro aqui no sul do Chile. O resultado dessa procura foi catastrófica para a árvore, que quase se extinguiu. Gigantes com mais de 3 mil anos de idade e 10 metros de diâmetro (numa descrição de Darwin) quase exterminados em apenas duas gerações.

Tronco de alerce coberto por plantas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Tronco de alerce coberto por plantas em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Tronco de alerce, árvore emblemática do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Tronco de alerce, árvore emblemática do parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Finalmente, na década de 70, o seu corte se tornou ilegal. E foi em Pumalín que alguns dos maiores exemplares sobreviveram, em um autêntico bosque de titãs. Para nós, impossível não relembrar os bosques de sequoias e redwoods que visitamos na Califórnia. Parentes distantes de porte semelhante, mas separados por um hemisfério de distância. O sentimento de andar entre elas e se maravilhar com esses seres quase sagrados é o mesmo: o mais completo deslumbramento com a força e beleza da natureza.

Tronco de alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Tronco de alerce em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Um par de gigantescos alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Um par de gigantescos alerces em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile


Uma trilha de menos de três quilômetros nos leva para o meio desses gigantes milenares. Infelizmente, no meio do bosque, não há espaço para, em uma única fotografia, captar todo o tamanho dessas árvores. Mas as fotos, ou a ausência delas, não é nada perto do que sentimos em estar ali, respirar o ar filtrado por suas folhas, ser molhado pelos pingos que caem de suas copas, admirar a verdadeira comunidade de vida que cresce em seus troncos. Desculpem-me rancheiros ou empresários, aqui só posso agradecer a este gringo excêntrico que veio gastar suas montanhas de dinheiro para preservar o patrimônio natural que não é só do Chile ou da humanidade. Não, nós estamos aqui provisoriamente. Esse patrimônio é do planeta. Repetindo uma frase de Lincoln e que Tompkins adora repetir: “As leis mudam. Os homens morrem. A terra fica”. Nessa polêmica, meu espírito já tomou seu partido faz tempo.

Venerando os belíssimos alerces, uma das maiores árvores das Américas, em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Venerando os belíssimos alerces, uma das maiores árvores das Américas, em trilha no parque de Pumalín, região de Chaitén, na Carretera Austral, sul do Chile

Chile, Chaitén, trilha, Parque, Plantas, Patagônia, Carretera Austral, Alerce, Pumalín

Veja todas as fotos do dia!

Quer saber mais? Clique aqui e pergunte!

Post anterior Na crista do vulcão Chaitén, que entrou em erupção em 2008, no sul do Chile

O Vulcão Chaitén

Post seguinte De ré, embarcando em balsa para cruzar a Caleta Gonzalo, no parque Pumalín, trecho da Carretera Austral no sul do Chile

Entre Barcas e Florestas

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 12/03/2015 | 20:23 por samuel baker mororo aragao

    Esse preservacionista, devia ser presidente do nosso Brasil, pois hoje vemos o desgoverno, diminuindo as áreas de preservação, principalmente na Amazônia, RESULTADO: SECAS severas no sudeste e enchentes colossais, no norte setentrional. O ser humano destrói e a natureza manda a conta.Que mais Tompinks, tenhamos nós e menos lulas e Zés Dirceu.

    Resposta:
    Oi Samuel

    APOIADO! Onde eu assino?

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet