0 Tinha um Alce no Meio do Caminho - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Tinha um Alce no Meio do Caminho - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Tinha um Alce no Meio do Caminho

Canadá, Jasper National Park

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma 'musa') se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma "musa") se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Resolvemos hoje não voltar até os tais lagos coloridos que havíamos “pulado” ontem, no final da tarde. Isso significaria retroceder no caminho e nós estávamos com a ideia de seguir em frente. Afinal, o frio está chegando e queremos chegar ao Alaska antes da neve. Além disso, o parque de Jasper tem muitas atrações para o norte também, já no sentido da nossa rota.

O rio Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

O rio Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Assim, partimos de mala e cuia para o nosso último dia nesse longo caminho de parques nacionais, desde que saímos de Chicago. Foram cinco nos Estados Unidos e outros três aqui no Canadá, além de outras áreas de grande beleza natural, como Black Hills. A exceção em toda essa “natureza” foi a rápida passagem por Calgary. Agora, daqui para frente, nada de cidades ou parques, apenas 3 mil quilômetros de estradas até Fairbanks, no Alaska.


A parte canadense desse nosso circuito por Parques Nacionais. Com o zoom, é possível ver nossas idas e vindas pelas estradas secundárias desses parques

Mas antes disso, vamos ao dia de hoje, que começou com um incrível canyon num rio “maligno” e terminou com um encontro inesquecível com a mais simpática das “musas”, as fêmeas dos alces (“moose”, em inglês).

Visita ao canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Visita ao canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


O rio Maligne é um dos principais a cruzar o Jasper National Park. Ele foi batizado com esse nome por um padre francês que, em suas missões de evangelização, chegou por aqui e precisou cruzar o rio em seu cavalo. Como encontrou grandes dificuldades em fazê-lo, pois o rio é largo e volumoso, chamou o rio com esse nome, já que ele atrapalhava sua missão de cristianizar os índios daqui. O nome acabou pegando...

Observando o canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Observando o canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


O rio só não é largo num trecho de poucos quilômetros onde toda a sua água se avoluma num estreito e profundo canyon. Em algumas partes, são pouco mais de três metros de largura, mas quase cinquenta de profundidade. Imagino que o tal padre tenha pensado em arriscar um salto sobre o vão, mas o difícil foi convencer o cavalo. Foi quando a raiva desse “inconveniente” aumentou e o rio ganhou o seu nome.

O profundo canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

O profundo canyon do Maligne River, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Foi exatamente nesse canyon que fizemos nossa primeira parada do dia, percorrendo, pelo alto, alguns de seus trechos mais espetaculares. Hoje, para a inveja do padre, são cinco pontes que cruzam essa verdadeira garganta natural e dão aos turistas os melhores ângulos de observação. A cada curva, novas chances de fotografar e admirar esse incrível trabalho da natureza.

Medicine Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Medicine Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Uma coisa que logo chama a atenção dos mais observadores é que o rio sai com muito mais água do canyon do que tinha quando entrou. A explicação está nos diversos painéis espalhados ao longo da trilha: a região possui um dos maiores sistemas de cavernas alagadas do mundo, ou seja, muita água corre por baixo da terra. A outra ponta desse quebra-cabeça, iríamos conhecer na nossa próxima parada.

Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


E essa próxima parada foi no “Medicine Lake”. O nome, muito mais simpático, foi dado pelos indígenas. Esse lago tem a propriedade de esvaziar durante o inverno, diminuindo seu nível em quase 20 metros. Depois, na primavera, enche novamente. Os índios atribuíam isso à magia, ou à medicina, que na sua cultura, eram quase a mesma coisa.

Fotografando um alce que se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Fotografando um alce que se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Os pesquisadores atuais, não muito propensos à explicações mágicas, conseguiram resolver o mistério. O lago está conectado à região do canyon por centenas de quilômetros de túneis subterrâneos, por onde sempre corre a água. No inverno, como a água está em forma de neve e gelo, as cavernas dão conta do fluxo do rio. Mas na primavera, com todo aquele gelo derretendo, as cavernas “transbordam” e o lago enche de volta. Para tristeza dos exploradores, a boca dessa cavernas subaquáticas quase sempre está tomada de troncos e sua exploração ainda não foi possível. Eles estão quase concordando com o nome dado pelo padre, hehehe.

Tirando boas fotos de alce no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Tirando boas fotos de alce no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Caiaque se aproxima de fêmea de alce no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Caiaque se aproxima de fêmea de alce no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Seguimos em frente nessa estrada secundária que segue o rio Maligne e chegamos ao enorme lago em que nasce o rio, também chamado de Lake Maligne. Uma paisagem fantástica, cercado de montanhas e florestas, paraíso da vida selvagem e de quem gostas de passear de barco e pescar. O lago ´´e muito longo e só mesmo de barco para chegar aos seus mais belos confins. Mas nós não tínhamos tempo para pegar um dos tours que saíam de lá e ficamos mesmo apenas por ali, na orla, admirando a natureza exuberante que nos cercava.

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma 'musa') se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma "musa") se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Foi quando vimos um vulto estranho se movimentando na água e várias pessoas se dirigindo para lá. Nós também fomos e não demorou muito para descobrir o que era: um alce se alimentando tranquilamente de algas lacustres. Na verdade, não era um alce, mas “uma” alce. As fêmeas da espécie não tem aqueles chifres gigantescos e fica bem fácil discerni-los.

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma 'musa') se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma "musa") se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Simpaticíssima, como quase todas as fêmeas de todas as espécies, ela parecia adorar ser fotografada e ficou ali, posando para nós, enquanto comia algas suculentas. Na verdade, parecia até sorrir, muito feliz com seus quinze minutos de fama. A Ana fez uma sequência linda de fotos, assim com também devem ter feito outros fotógrafos felizardos que ali estavam.

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma 'musa') se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma "musa") se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


A festa acabou quando chegou um funcionário do parque, dispersando todo mundo. Dizia que alces eram perigosos e que há mais acidentes com alces do que com ursos. Talvez, porque ninguém tema o maior de todos os membros da família dos cervídeos, um animal com mais de 600 quilos e muito territorialista. Nós mesmos, na nossa épica caminhada no parque Grand Teton, estivemos por uns 10 minutos a poucos metros de um grande alce macho, que se alimentava na trilha. Procedimento completamente não recomendável pelas normas de segurança. Enfim, não tivemos nenhum problema. Aqui também, a nossa “musa” (mulher do moose) fotogênica não parecia oferecer nenhum perigo e, para falar a verdade, foi quem ficou mais triste com a chegada do park ranger...

Painel explicativo sobre os diversos tipos de cervídeos, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Painel explicativo sobre os diversos tipos de cervídeos, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Depois desse maravilhoso encontro, comemos num restaurante ali mesmo e pegamos a estrada de volta para o caminho principal. Ainda na estrada secundária, novo encontro com a vida selvagem, dessa vez com um apressado coiote. Aqui, tivemos de ser mais rápidos com as fotografias, pois acho que o coiote era macho e não gostava muito dessas coisas. Pelo menos, não havia park ranger para nos atazanar, hehehe

Encontro com coiote no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Encontro com coiote no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Ainda deu tempo de pegarmos outra estrada para vermos uma fonte de águas termais. O local já é explorado comercialmente há quase um século e, ao ver aquela piscina lotada de gente, não animamos muito a entrar não. Mas a magnífica paisagem que atravessamos para chegar até lá já valeu o desvio, com certeza!

Um dos rios no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Um dos rios no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Estrada secundária no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Estrada secundária no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá


Agora, ao final desse dia no parque, a nossa cabeça já estava em outro canal: a famosa Alaska Highway, a estrada que corta o Canadá em direção a este estado norte americano. Logo que saímos da área do Jasper National Park, um pouco antes da cidade vizinha de Hinton, onde vamos dormir, lá estava a indicação para o nosso destino. A nossa primeira placa onde se podia ler o nome “Alaska”! Foi emocionante! Um prelúdio da longa jornada que nos espera nos próximos dias. Finalmente, podemos afirmar, em alto e bom tom: “Estamos indo para o Alaska!”.

Nossa primeira indicação para o Alaska, na saída do Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Nossa primeira indicação para o Alaska, na saída do Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

Canadá, Jasper National Park, trilha, Parque, Alce, Alberta, Maligne Lake, Maligne River, Hinton

Veja todas as fotos do dia!

Diz aí se você gostou, diz!

Post anterior O belíssimo Lake Moraine, na região de Lake Louise, em Alberta, no Canadá

Lagos, Geleiras e Cachoeiras

Post seguinte Chegando ao Alaska, depois de mais de 2 mil quilômetros na Alaska Highway através do Canadá

Viajando Pela Alaska Highway

Blog da Ana Uma simpática e fotogênica fêmea de alce (uma 'musa') se alimenta no Maligne Lake, no Jasper National Park, em Alberta, no Canadá

A Moosa e o Jasper

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 16/09/2012 | 09:16 por mabel

    Paisagens estonteantes!!!!! maravilhoso poder estar vendo tudo isso.

    Resposta:
    Oi Mabel

    Realmente, esse lado do Canadá, com suas montanhas, lagos coloridos e gereiras, além da abundante fauna selvagem, é um lugar muito especial! Que sorte nossa estar tendo esta oportunidade! O mais legal é poder compartilhar essa beleza toda...

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet