0 Parque Nacional Morrocoy - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Parque Nacional Morrocoy - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Parque Nacional Morrocoy

Venezuela, Morrocoy

Paisagem de cartão postal em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Paisagem de cartão postal em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Depois de nossas andanças pela Serra de San Luís, partimos ainda ontem para uma das maiores atrações do país, o Parque Nacional de Morrocoy, já a meio caminho da capital Caracas. O parque foi criado para proteger uma belíssima região costeira e os pequenos cayos da região, onde estão as praias mais bonitas da Venezuela continental.


Nosso caminho dos últimos dias, saindo de Coro (A), explorando a serra de San Luís (B e C) e indo até o Parque Nacional de Morrocoy (C), já a meio caminho da capital Caracas

Morrocoy costumava ser bastante popular entre os turistas estrangeiros que visitavam a Venezuela, mas como hoje todo o país parece ter saído dos mapas de turismo mundial, são mesmo os turistas nacionais que fazem quase todo o movimento no parque. Principalmente nos períodos de férias e mesmo em finais de semana, já que esse local paradisíaco está a poucas horas de carro de Caracas. Pudemos ver esse movimento com os próprios olhos, pois era a noite de um sábado e, quando chegamos à Tucacas, a maior cidade em Morrocoy, todos os hotéis estavam lotados. Nas ruas, jovens da classe média capitalina voltavam do dia nas praias, como se fossem paulistanos em Maresias ou cariocas em Búzios. Pela primeira vez desde que chegamos ao país, tivemos contato com hotéis caros (e lotados!), pelo menos para padrões locais. Para nós que trocamos dinheiro no paralelo, nem tanto: cerca de 40 dólares, certamente menos de um quarto do que custaria na maioria dos países que passamos. Bom, tivéssemos trocado na taxa oficial, esse mesmo preço seria de quase 200 dólares...

Cais de Chichiriviche, a caminho do parque Morrocoy, na Venezuela

Cais de Chichiriviche, a caminho do parque Morrocoy, na Venezuela


A belíssima cor do mar no caminho para Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

A belíssima cor do mar no caminho para Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Para se chegar às praias mais belas de Morrocoy, quase sempre é preciso tomar um barco, pois elas estão localizadas nos cayos, o nome que se dá à pequenas ilhas em espanhol. A exceção é justamente em Tucacas, onde as praias estão mesmo no continente e pode-se chegar a elas de carro. Não sem antes passar pela portaria do parque e pagar uma taxa de 15 bolívares, cerca de 1 real. Quando chegamos ontem, já estava fechada e ainda tomamos um susto ao ver que o parque é fechado às segundas. Achávamos que ontem já era domingo e foi um alívio quando descobrimos nosso engano.

Chegando em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Chegando em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Chegando em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Chegando em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Bem, além do dia correto e do fato dos hotéis estarem lotados em Tucacas, também descobrimos que o acesso mais rápido ao Cayo Sombrero, um dos mais belos do parque, não era de Tucacas, mas da pequena Chichiriviche, um pouco mais ao norte. Então, deixamos o cansaço de lado e enfrentamos mais 40 minutos de estrada, dando a volta no parque e chegando à pequena cidade onde foi mais fácil acharmos um lugar para ficar, o hotel de um italiano que se estabeleceu por aqui há duas décadas, num tempo bem diferente do de hoje. Naquela época, eram muitos visitantes estrangeiros e uma cidade bem tranquila. Hoje, Chichiriviche ficou perigosa, com muitos crimes relacionados ao consumo de drogas. Os estabelecimentos comerciais fecham cedo e são cheios de grades e cadeados. Sem dúvidas, falo disso no próximo post, um dos piores efeitos de uma década de chavismo no país, o grande aumento da violência urbana.

Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Enfim, como em quase todos os lugares do mundo, violência é estar no lugar errado, na hora errada. Sábado de noite, céu estrelado, avenida da orla bem movimentada, sabíamos que estávamos no lugar certo e na hora certa! Fomos encontrar um lugar para jantar e caminhar entre as pessoas, todo mundo feliz de estar ali. Grupos de jovens dançando ao redor de carros com o som ligado, comércio ambulante, pais e filhos em frente ao mar, restaurantes com mesas na calçada. Entre os vendedores, os únicos outros estrangeiros reconhecíveis: hippies, ou “artesanos”, como preferem ser chamados, vendendo a sua arte. Os mesmos que temos encontrado por toda a América, viajam para lugares como esse, passam uns meses e seguem para o próximo “point”. Enfim, países como todos os outros, pessoas como todas as outras...

Paisagem de cartão postal em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Paisagem de cartão postal em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Caminhando em praia de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Caminhando em praia de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Voltamos sãos e salvos para nossa pousada e, hoje cedo, já estávamos no porto procurando condução para Cayo Sombrero. Este não é o mais popular cayo entre os turistas que vêm à Morrocoy, principalmente pela distância e custo de se chegar até lá. Quase todos preferem cayos mais próximos e, ali do porto mesmo, podíamos ver as praias brancas desses cayos, já lotadas de guarda-sol. Famílias cheias se apinhavam em pequenos barcos, isopores cheios de cerveja gelada, prontos para a jornada de 10 minutos até essas praias próximas. Para ir até lá, havia barcos o tempo todo. Mas, para o tal Cayo Sombrero, que nada! Ou fretávamos uma lancha só para nós ou torcíamos para alguém mais aparecer querendo ir até lá. A paciência acabou valendo a pena e, 40 minutos mais tarde apareceu um simpático casal de colombianos, também aproveitando os preços baixos do país vizinho. Dividimos o preço do barco e a jornada de 40 minutos pelo mar azul saiu por apenas 10 dólares por casal, incluindo a volta no final da tarde.

Os muitos tons de azul do mar de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Os muitos tons de azul do mar de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Ao deixarmos para trás aqueles cayos mais cheios e chegarmos mais perto do Cayo Sombrero, não foi difícil perceber que a espera havia valido a pena! O caribe é aqui, na costa da Venezuela! Areias brancas, coqueiros se deitando sobre o mar, águas transparentes, disfarçadas naquelas dezenas de tons entre o azul e o verde. Para um lado, paisagem de cinema, para o outro, paisagem de cartão postal. Lindo, lindo, lindo!

Mensagem ecológica em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Mensagem ecológica em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Quando chegamos, o cayo estava relativamente vazio. Aproveitamos para explorar os seus dois lados, um virado para o continente, com águas bem tranquilas, e outro virado para o mar aberto, com ondas e tudo. Na época da alta temporada, é até possível acampar por ali e passar mais de um dia no cayo. Esse era nosso plano original, até descobrirmos que essa possibilidade é vedada na baixa, infelizmente. Então, tínhamos de aproveitar o máximo possível hoje mesmo!

Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


E assim foi. Ora mergulhando nas águas quase mornas, ora caminhando nas areias brancas, ora descansando na sombra de algum coqueiro. Enquanto fazíamos esse “esforço de aproveitamento”, o cayo foi enchendo de gente. Mas, ao contrário daqueles outros cayos mais próximos de Chichiriviche, onde quase todos chegam em “barcos-táxi”, aqui e maioria chega em barcos próprios, trazendo amigos e família. Vêm de Tucacas mesmo, aquela elite venezuelana que veio passar o fim de semana por aqui. Também trazem suas cervejas geladas, sua farofa e até mesmo o som alto nos barcos, todos estacionados ali na frente, na praia de águas calmas.

A maravilhosa praia de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

A maravilhosa praia de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Para nós, não foi muito difícil ficar longe dessa bagunça. O mar e a praia estavam lindos e havia espaço para todos. Mas ficamos imaginando como seria estra ali num dia de semana, muito mais tranquilo. Aí sim, acho que teríamos aquela imagem de comercial, cenário idílico da imagem que todos nós fazemos do paraíso. Essa imagem, só vamos poder imaginar.

O paraíso é aqui: Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

O paraíso é aqui: Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Nadando no incrível mar de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Nadando no incrível mar de Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela


Isso porque amanhã cedo seguimos viagem. Estávamos ainda na dúvida se, estando tão perto da capital, iríamos dar um pulo em Caracas. Seria um pouco fora de mão para nós, já que queremos ir à Mérida, que fica no sentido contrário. Mas a vontade de ir à capital aumentou quando descobrimos que uma grande amiga está morando por lá e até nos convidou para ficar na sua casa. Mas fizemos as contas dos dias que ainda temos no pais e vimos que ficaria muito apertado, se considerarmos tudo o que ainda queremos ver. Por fim, decidimos seguir para Mérida mesmo. A memória de Caracas ainda está fresca em nossa memória, da visita que fizemos em 2007, nossa primeira viagem internacional juntos. Então, fica assim: nós seguimos para os Andes venezuelanos, onde está Mérida, mas escrevo um post da Caracas de 2007. E também das maravilhosas ilhas de Los Roques, onde estivemos naquela viagem, talvez o único lugar do país com praias ainda mais belas que o Cayo Sombrero. Vai ser um bom exercício de memória e também de comparação, observar pelas fotos o quanto envelhecemos nesses últimos seis anos. Acho que a Ana continua a mesma, mas a cor dos meus cabelos não vai deixar dúvidas, hehehe.

Convite ao ócio em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Convite ao ócio em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Venezuela, Morrocoy, Praia, Parque, Chichiriviche

Veja todas as fotos do dia!

Gostou? Comente! Não gostou? Critique!

Post anterior A enorme cobra Cazadora que encontramos nas estradas da Sierra de San Luis, região de Coro, no noroeste da Venezuela

Cobras, Cachoeiras e Buracos

Post seguinte Caminhando por Caracas, na Venezuela (2007)

Caracas 2007

Blog da Ana Paisagem de cartão postal em Cayo Sombrero, no Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela

Parque Nacional Morrocoy

Comentários (4)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 09/08/2016 | 23:10 por ISANE DE FÁTIMA SOARES PEDROSA

    boa noite amigo gostaria que me ajudasse como faço para enviar um imail para essa pousada porque esse imail da erro estou indo para lá.

  • 18/02/2016 | 15:29 por Thales

    Parabéns pelo blog Rodrigo! Então parceiro, pesquisando sobre Morrocoy encontrei sua página e por sinal belíssimas fotos, parecem ser lindas as praias. Acabei de comprar passagem p Caracas em março, estou com dúvidas de ir em Los Roques ou ir em Morrocoy, pesa o fato da passagem CCS/LOS ROQUES está muito cara, cerca de $300 e morrocoy ser bem mais em conta chegar, já estive 2x em Los Roques e sou apaixonado por lá, porém o preço do aéreo está bem inflacionado no momento. Queria sua opinião se vale a pena dedicar 6 dias em Morrocoy, pois já esteve em Los Roques e sabe o paraíso está lá...rsrs! Abraços parceiro e boa sortee

  • 18/02/2016 | 15:26 por Thales

    Parabéns pelo blog Rodrigo! Então parceiro, pesquisando sobre Morrocoy encontrei sua página e por sinal belíssimas fotos, parecem ser lindas as praias. Acabei de comprar passagem p Caracas em março, estou com dúvidas de ir em Los Roques ou ir em Morrocoy, pesa o fato da passagem CCS/LOS ROQUES está muito cara, cerca de $300 e morrocoy ser bem mais em conta chegar, já estive 2x em Los Roques e sou apaixonado por lá, porém o preço do aéreo está bem inflacionado no momento. Queria sua opinião se vale a pena dedicar 6 dias em Morrocoy, pois já esteve em Los Roques e sabe o paraíso está lá...rsrs! Abraços parceiro e boa sortee

  • 16/01/2015 | 17:44 por tim

    Dá hora sua história em Morrocoy!
    Estou indo neste 2015 pra lá...levarei esposa, filhos(2), meu pai e minha mãe!

    será muito legal!!

    Resposta:
    Oi Tim

    Pois é, difícil imaginar águas mais belas do que essas do Parque Morrocoy. Vc só tem de tentar escapar dos feriados nacionais por lá, senão fica tudo muito cheio, hotéis e praias. Fora de temporada, é mesmo um paraíso!

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet