2 Ode à Chapada dos Guimarães - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Ode à Chapada dos Guimarães - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Ode à Chapada dos Guimarães

Brasil, Mato Grosso, Chapada dos Guimarães

No mirante do centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

No mirante do centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Já há algum tempo que definimos quais os lugares que queríamos visitar no estado do Mato Grosso: o Pantanal, a Chapada dos Guimarães e a região de Nobres. Além deles, um pulinho em Cuiabá, claro! Definidos os destinos, faltava decidir a ordem de visita. Todas essas atrações estão nas cercanias da capital, duas delas ao norte e outra ao sul. Além disso, para seguir ao próximo estado, o Mato Grosso do Sul, teremos de passar, de qualquer maneira, por Cuiabá que, pelo menos por aqui, sempre parece estar no meio de tudo, todos os caminhos convergindo para a capital.


Nossos caminhos pelo Mato Grosso: saindo de Cáceres (A), fomos para a região de Nobres (B) e Bom Jardim (C). Daí para a famosa Chapada dos Guimarães (D), ainda no norte da capital. Depois, passando por Cuiabá, seguimos para Poconé (E), que marca o início da rodovia transpantaneira, que termina em Porto Jofre (F), melhor lugar do mundo para se observar onças pintadas. Finalmente, fomos conhecer Cuiabá (G) de perto e, de lá, para a fronteira com o Mato Grosso do Sul (H)

Assim, ficou mais fácil definir nosso roteiro: primeiro as atrações do norte, depois o Pantanal, ao sul, e finalmente, a capital Cuiabá, para depois seguirmos para Campo Grande. No norte, começamos com as belezas de Nobres, que na verdade ficam em Bom Jardim. Faltava, então, a famosa Chapada dos Guimarães.

Chegando à Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Chegando à Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Chegando à Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Chegando à Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Desde os tempos de estudante que eu já viajo muito pelo Brasil. Ainda na década de 90 tive a chance de conhecer as três conhecidas Chapadas: a Diamantina, a dos Veadeiros e a dos Guimarães. Todas magníficas, nunca perdi a chance de voltar à elas, quando tive a oportunidade. Mas confesso que, dentre as três, sempre achei a Chapada dos Guimarães a mais fraquinha. Um ou dois dias seriam suficientes para conhecê-la bem, enquanto a Chapada Diamantina precisaria de um mês e a dos Veadeiros de umas duas semanas. Essa era a ideia de alguém que achava que sabia do que estava falando...

Admirando a grandiosidade da paisagem da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Admirando a grandiosidade da paisagem da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Pois é... achava. Pura ignorância. Estava completamente equivocado sobre a Chapada dos Guimarães e esses dias por aqui me ensinaram uma bela lição. Um ou dois dias serão suficientes para ver as atrações mais conhecidas, como o Véu da Noiva e o Mirante do Centro Geodésico, mas a Chapada é muito mais do que isso. São dezenas de cachoeiras, cavernas incríveis e um visual do chapadão de tirar o fôlego. Um clima de serra em pleno Mato Grosso, com direito a temperaturas abaixo de 10 graus e comida quentinha ao lado de lareiras, um charme só!

No mirante do centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

No mirante do centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Nós chegamos à Chapada no meio da tarde. De longe, a forma inconfundível dos enormes paredões avermelhados já anunciavam: estávamos perto! As placas também não deixam dúvidas: essa é a Chapada dos Guimarães. É o nome não apenas da região geográfica, mas também da pequena e simpática vila construída no alto do chapadão e que vem atraindo místicos de todo o país há pelo menos três décadas. Localizada quase no centro geográfico de todo o continente, equidistante dos oceanos Pacífico e Atlântico, seria um incrível polo de “energia”, um imã para OVNIs, duendes e todos aqueles que acreditam nisso.

Encantada com a grandiosidade da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Encantada com a grandiosidade da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


O nome da chapada é uma homenagem à região de Guimarães, em Portugal, dada por seus primeiros exploradores, ainda em tempos coloniais. Um pouco mais tarde, no início do século XX, passou aqui perto o famoso Marechal Rondon, justamente quando calculou que o Centro Geodésico da América do Sul estaria na praça central de Cuiabá, distante menos de 60 quilômetros da Chapada. Desde então, cálculos foram refeitos e muita gente diz que o ponto exato seria mesmo na Chapada. Existe até um conflito entre as duas cidades sobre onde realmente seria esse tal “Centro Geodésico”.

Encantada com a grandiosidade da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Encantada com a grandiosidade da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Na verdade, esse não é um conceito muito bem definido e, portanto, não há um ponto exato e indiscutível onde ele estaria localizado. A solução napoleônica para a pendenga é que o “centro” fica mesmo em Cuiabá, mas o melhor mirante para observá-lo é mesmo no alto da Chapada de onde, em dias limpos, se vê Cuiabá com clareza! Acho que até o magnânimo Rondón ficaria feliz com essa resposta!

Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Enfim, esse mirante é o ponto mais conhecido da Chapada dos Guimarães e foi para lá que eu levei a Ana, já no final de tarde, depois de termos encontrado uma pousada para nós. Queria que ela tivesse um gostinho daqui ainda hoje e não poderia ter escolhido melhor lugar! Quase não havia gente, o dia estava lindo e a paisagem, simplesmente magnífica! Passamos mais de uma hora no mirante, quase na borda dos enormes paredões que são a marca registrada da Chapada, uma visão de emocionar e fazer cair o queixo.

Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Um casal de araras coloridas dá um show em revoada no Centro Geodésico, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso


Nada está tão bom que não possa ser melhorado e foi o que aconteceu. De repente, duas coloridíssimas araras começaram a fazer um show de revoadas para nós, como que dizendo: “Então, você acha a Chapada dos Guimarães meio “fraquinha”, né?”. É... fraquinho sou eu! E aquilo foi só o começo... Voltamos para a nossa pousada já pensando no passeio do dia seguinte, mas eu já sabia que meu conceito iria mudar bastante.

Admirando a grandiosidade da paisagem da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Admirando a grandiosidade da paisagem da Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Brasil, Mato Grosso, Chapada dos Guimarães, Parque, Centro Geodésico

Veja todas as fotos do dia!

Diz aí se você gostou, diz!

Post anterior A belíssima Cachoeira da Serra Azul, em Bom Jardim, no Mato Grosso

As Belezas de Bom Jardim

Post seguinte Visitando a Aroe-Jari, a maior caverna de arenito do Brasil, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso

Nas Cavernas da Chapada

Comentários (4)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 19/03/2015 | 14:33 por Alberto

    dicas legais e inspiradoras
    Um Post que complementa http://www.viagembem.net.br/chapada-dos-guimaraes/

    Resposta:
    Oi Alberto

    Legal que vc tenha gostado do post

    O link que vc passou é muito completo e cheio de informações e dicas. E ainda tem o video com a belíssima Priscila!

    Muito obrigado!

  • 21/04/2014 | 04:08 por Pedro

    A Chapada dos Guimarães é injustiçada, o turismo perde para o agronegócio....existem muitas atrações escondidas em propriedades particulares, um exemplo é a Fazenda Xarayés, distante apenas 20km do centro, trata-se de uma fazenda com mais de 20 cachoeiras, mas infelizmente não existe turismo, pois o proprietário quer apenas plantar soja, nos anos 90 ainda tinham pessoas tinham o privilégio de visitar esse paraíso. Existe tbm dentro do município de Chapada dos Guimarães uma região chamada "Pedra Grande", trata-se de uma "outra" Chapada, tbm com imensos paredões contínuos e VÁRIAS cachoeiras ainda virgens, distante 90km da sede do município, o turismo não existe, porém, é possível encontrar algumas raras fotos, dê uma olhada:https://www.flickr.com/photos/rosanomauro/3333736201 https://www.flickr.com/photos/rosanomauro/3321282512/in/photolist-64urzA-64qgxt-9JeHRL

    Resposta:
    Olá Pedro

    Obrigado pelas dicas! É impressionante a quantidade de lugares lindos que existe em nosso país e que não ficamos sabendo. Pior é quando acontece isso que vc relatou, as atrações ficam dentro de fazendas que simplesmente proíbem o acesso...

    Um abraço

  • 22/10/2013 | 15:55 por cecilia

    Chapada Guimarães , grandiosidade, belezas sem par..... parabéns amigos ,......

    Resposta:
    Olá Cecilia

    Essa é mesmo a palavra para descrever a Chapada: grandiosidade!

    Um abraço

  • 18/10/2013 | 12:29 por Fábio Luiz D´Almeida

    Prezados Rodrigo e Ana

    Primeiramente parabéns pela viagem, acompanho vocês há um bom tempo....assim, ao passarem pelo Mato Grosso, aproveitem e façam mergulho(scuba), temos vários pontos interessantes por aqui, mas o melhor fica em Cáceres-MT...trata-se de uma dolina, se chama Dolina água Milagrosa...o local é fantástico...com profundidade superior a 185mts...visibilidade de 50mts...além de ser um antigo refúgio de escravos...tem uma história interessante...postei esses dados, pois sei que gostam de mergulho também...

    Em Cuiabá tem a operadora de mergulho West Dive que organiza toda operação, instrutor: Rogério Perdigão..fone: 65 8132-8788...

    Abração...

    Resposta:
    Olá Fabio

    Pois é... passamos por Caceres e perdemos essa chance! Só ficamos sabendo da Dolina Água Milagrosa quando já estávamos em Bom Jardim. Aí, não tínhamos mais tempo para voltar. Uma infelicidade!

    Nós adoramos mesmo mergulhar e teria sido incrível. Enfim, um ótimo motivo para voltarmos lá algum dia. E, com certeza, voltaremos!

    De qualquer maneira, muito obrigado pela dica. Já está anotada e fica também para quem ler esse post.

    Um grande abraço para vc

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet