0 No Ojo del Inca - Blog do Rodrigo - 1000 dias

No Ojo del Inca - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

No Ojo del Inca

Bolívia, Potosí

O Ojo del Inca, lago de águas termais próximo à em Potosí - Bolívia

O Ojo del Inca, lago de águas termais próximo à em Potosí - Bolívia


Tomando coragem para tirar a Fiona de sua segura garagem no hotel, fomos hoje passear pelas redondezas de Potosí, na direção noroeste. Depois de negociar e driblar o trânsito caótico do centro histórico, chegamos à estrada que liga a cidade à La Paz. É por ela que se chega ao "Ojo del Inca".

Lhamas caminham ao lado da estrada, em Potosí - Bolívia

Lhamas caminham ao lado da estrada, em Potosí - Bolívia


Trata-se de uma lagoa com águas termais para onde vinha, conta-se, o Inca banhar-se em suas águas e barro medicinais. Considerando a distância de Potosí à Cuzco, onde o Inca morava, e que naquela época não havia avião e nem carro, e que nem cavalos os incas possuíam, é fácil concluir que a tal lagoa realmente deve ser especial. Esse passeio nos foi muito recomendado pela Roberta e seu marido, que tinham nos levado às minas de Potosí. Mas eles nos aconselharam também a ficar apenas nas bordas da lagoa, já que haveria um redemoinho em seu centro que costumava engolir turistas incautos. O gerente do nosso hotel foi mais incisivo: "Apenas olhem e fotografem! Não é para nadar. Se quiserem nadar, sigam adiante e nadem nas piscinas dos balneários". Pois é, alguns quilômetros vale abaixo, foram construídos balneários com piscinas "seguras" para o banho.

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia


E lá fomos nós para a lagoa. No caminho, para ajudar a nos lembrar aonde estamos, rebanhos de lhamas. Mais pitoresco, impossível! A isso se soma a incrível beleza da paisagem, onde as cores são mais vivas do que nunca e o passeio já vale à pena por si só. Perto dos 4 mil metros, onde o ar é mais rarefeito, a atmosfera fica mais limpa, o céu é muito mais azul, pode-se ver muito mais longe, as formas são mais definidas, enfim, a paisagem é um colírio para os olhos.

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia


Saindo por uma estrada de terra da estrada principal, chegamos à lagoa. Lá, o administrador nos explica que aquela é a maior lagoa de águas termais do imperio inca. Seria a boca de um antigo vulcão, pouco mais de 50 metros de diâmetro e 22 metros de profundidade, na sua parte mais profunda, bem ao centro. Diz também que a história do redemoinho é bobagem. De certo, conversa inventada pelos donos dos balneários, penso eu...

O Ojo del Inca, lago de águas termais próximo à em Potosí - Bolívia

O Ojo del Inca, lago de águas termais próximo à em Potosí - Bolívia


A temperatura externa estava pero de uns 12 graus. Com o vento, muito menos. Mas a água, hmmmmm, que delícia!, estava perto dos 30 graus. Fomos logo entrando e nadando por ela. Cercada de montanhas, o visual é inesquecível. Numa parte menos profunda, fui até o solo e busquei a lama "sagrada" para a Ana passar em sua pele. Se era boa para o Inca, seria boa para ela também!

Visitando o Ojo del inca, lago de águas termais próximo à Potosí - Bolívia

Visitando o Ojo del inca, lago de águas termais próximo à Potosí - Bolívia


Logo chegaram mais duas vans com turistas. Todos sabendo da história do redemoinho, foram só alguns que se arriscaram nas águas "perigosas". Mas quem o fez, não se arrependeu! Difícil mesmo é sair e enfrentar o frio e o vento do lado de fora. Depois de muita enrolação nós tivemos de fazer isso. E, na volta, demos carona para três simpáticas espanholas que tinham chegado até ali de ônibus.

Nadando no Ojo del inca, lago de águas termais próximo à Potosí - Bolívia

Nadando no Ojo del inca, lago de águas termais próximo à Potosí - Bolívia


Viemos em conversa animada com as duas Marias e uma Ana, todas de Múrcia, até a entrada da cidade quando uma das Marias me perguntou sobre como era dirigir ali, que era preciso muita coragem. Quando estava lhe respondendo que, mais do que coragem era preciso paciência, bem ali, na nossa frente, em câmara lenta, todos assistimos um ônibus arrebentando a frente de um carro. Era um cruzamento caótico como outros, carros vindos de todas as direções, querendo virar para todas as direções. Coisa normal por aqui. O ônibus virou mais do que devia e o carro, parado entre outros, sem ter para onde fugir, levou a pior.

As Anas e as Marias, amigas espanholas no Ojo del Inca, em Potosí - Bolívia

As Anas e as Marias, amigas espanholas no Ojo del Inca, em Potosí - Bolívia


O trânsito, que já estava terrível, piorou mais ainda. Com muita paciência, conseguimos passar e deixar a confusão para trás e seguir adiante. A paciência continuou para passar por ruas de mão dupla onde só cabe um carro (e não uma Fiona!) e mercados onde os pedestres tomam conta de tudo. Mas, enfim, chegamos e deixamos a Fiona novamente em seu porto seguro.

Canyon estreito na estrada que leva ao olo del Inca, próximo à Potosí - Bolívia

Canyon estreito na estrada que leva ao olo del Inca, próximo à Potosí - Bolívia


De noite ainda fomos a um bar (La Casona) onde se ouvia boa música boliviana e voltamos já depois da meia noite. Amanhã cedo, rumamos para o sul, para a cidade de Tarija, centro da região produtora de vinho da Bolívia, já bem próxima da Argentina.

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia

A magnífica paisagem nas estradas próximas à em Potosí - Bolívia

Bolívia, Potosí,

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior A cidade de Potosí - Bolívia, ao pé do Cerro Rico

Passeando em Potosí

Post seguinte Fiona enfrenta estradas de rípio e lindas paisagens na viagem entre Potosí e Tarija - Boívia

Paisagens Cinematográficas

Blog da Ana Lhamas caminham ao lado da estrada, em Potosí - Bolívia

El ojo del Inca

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 31/07/2011 | 17:10 por Christian (Sapo)

    Fala Belô! Beleza de projeto, muito fôlego e persistência, que devem estar valendo a pena! Ontem Lemão esteve em casa e ele me disse sobre sua viagem. Valeu Magrão!

    Resposta:
    Fala Sapo!!!
    Há quanto tempo!
    Que legal ouvir de vc!
    O que tem feito nesses últimos 18 anos???
    Por aqui, tudo ótimo, como vc pode ver pelo site. Viagem fantástica!
    Um grande abraço e espero ter notícias suas!

    P.S Abraços ao German tb!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet