0 Geisers - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Geisers - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Geisers

Chile, San Pedro de Atacama

Um dos grandes Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Um dos grandes Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Um dos programas mais espetaculares da região do Atacama é ir conhecer os Geisers El Tatio. Brasileiros, normalmente, só conhecem geisers pelos desenhos animados do Zé Colméia. Então, para nós, é ainda mais especial. Ainda mais que estes são os mais altos do mundo, localizados na puna chilena a mais de 4.300 metros de altitude.

Amanhecer nos fantásticos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Amanhecer nos fantásticos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


A melhor hora de se observá-los é quando o sol está nascendo, usualmente a hora mais fria do dia. Assim, além da beleza normal das primeiras luzes a manhã pintando o céu, temos uma maior diferença de temperatura entre a água quente que brota da terra e o ar frio da atmosfera. O resultado é uma coluna de vapor mais alta e visível, uma espécie de chaminé de fumaça branca que pode ser vista a quilômetros. Uma não, dezenas de "chaminés" formando um espetáculo incomum aos nossos olhos.

Fiona nos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Fiona nos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Um dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Um dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


A maior dificuldade está em chegar lá na hora certa. São quase cem quilômetros de distância por estradas precárias e cheias de curva, o que faz a viagem levar umas duas horas. Para quem segue num tour, o problema está em acordar de madrugada e depois ter a paciência de passar por uns dez hotéis, até encher a van ou microônibus. Depois, é tentar relaxar e dormir novamente, ignorando os solavancos, para acordar já diantes dos geisers, com o sol nascendo.

Visitando os incríveis Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Visitando os incríveis Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Aquecendo as mãos no vapor dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Aquecendo as mãos no vapor dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Para quem vai de Fiona, acordar de madrugada é só o início das dificuldades! Depois, temos de achar a estrada durante a noite fria e escura e conseguir seguir por ela nas próximas duas horas. São duas estradas e eu e a Ana optamos pela mais curta, aquela indicada pelas placas. Só que, em pleno inverno, esta estrada que segue pela parte mais alta do altiplano, acima dos 4 mil metros, está cheia de neve. Não é para menos: o termômetro da Fiona bateu seu recorde mais uma vez, chegando aos 11 graus negativos! Em alguns lugares dá para passar por cima da neve, mas em outros, na grande maioria, existe desvios que seguem paralelos à estrada principal. De dia é fácil localizá-los, mas de noite... Enfim, com todo o cuidado, fomos seguindo em frente até conseguir chegar em El Tatio justo na hora certa. Apenas um pouco antes da maioria dos ônibus, que vieram pela estrada mais longa mas em muito melhor estado.

A água frevente dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

A água frevente dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Observando os Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Observando os Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


A primeira visão realmente impressiona. Nossos olhos não querem acreditar no que veem. São dezenas de colunas de fumaça nascendo do chão, um berçário de nuvens para encher o céu de algodão. Pagamos o ingresso e podemos chegar bem mais perto, até começar a passar por entre os geisers. Aí, deixamos o carro e começamos a caminhar ali, entre um geiser e outro, entre uma piscina de água fervente e um rio de água colorida, entre uma miniatura de vulcão de água e um sonoro geiser que lembra uma panela de pressão.

Saltando sobre um dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Saltando sobre um dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


São dezenas e dezenas de turistas fazendo a mesma coisa, mas a área é tão grande e os geisers tão numerosos que não é difícil estar ali sozinho, posando para fotos ou simplesmente admirando aquela aberração da natureza, aquela prova de que há algo muito vivo sob os nossos pés. Aos poucos, vamos nos acostumando com o cenário, tornando-nos íntimos daquela força da natureza. Tanto que já somos capazes de passar por entre as colunas de fumaça e mesmo saltar por cima das chaminés. O calor que sai das fontes serve também para aquecer nossas mãos, congeladas pelo frio da madrugada.

No meio de uma das colunas de vapor dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

No meio de uma das colunas de vapor dos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Depois de muitas e muitas fotos e explorações, o sol já começa a nos esquentar um pouco. Mas o frio ainda é intenso e é preciso coragem para enfrentar o ar gelado, tirar os casacos e roupas e entrar na piscina de água quente que existe no local. Ainda mais que ela nem é tão quente assim, mas isso descobrimos tarde demais, hehehe. Só então entendemos porque todos os turistas corajosos se aglomeravam em apenas um lado da piscina, cada um buscando a mancha de água mais quente.

Banho aquecido na manhã gelada a mais de 4,3 mil metros de altitude nos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Banho aquecido na manhã gelada a mais de 4,3 mil metros de altitude nos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile


Com o sol mais alto, os geisers se "acalmam" e as colunas de fumaça ficam mais baixas e tênues. É o sinal para ir embora. A volta para San Pedro foi bem mais tranquila, ajudado pela luz do dia e pela estrada mais longa, porém muito mais rápida. O resto do dia foi muito bem utilizado para recuperar o sono atrasado, tentar botar o trabalho em dia e comer, beber e socializar na medida certa. Nosso tempo por aqui está acabando e o próximo destino é o Salar de Uyuni, na Bolívia. Uma longa jornada de três dias que, dizem, é uma experiência inesquecível. Estamos loucos para conferir!

Visita aos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Visita aos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Chile, San Pedro de Atacama,

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Observando as diversas camadas geológicas à mostra em paredes do Vale da Morte, no Deserto do Atacama - norte do Chile

No Vale da Morte

Post seguinte Gravação no deserto de Atacama, próximo à San Pedro de Atacama, no Chile

Será?

Blog da Ana Amanhecer nos Geisers del Tatio, na região do Atacama, no norte do Chile

Geisers El Tatio

Comentários (5)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 25/09/2013 | 15:37 por Samuri

    Olá caro Rodrigo, bom dia!
    Acompanho seu site a muito tempo e sou admirador de sua bravura. Também faço minhas viagens...mas como não disponho de tanto tempo, faço aos poucos...sempre de carro!
    Para a final deste ano estou organizando viagem para o atacama, nazca,machu-picchu, titicaca, carretra de la muerte e uyuni...Me tire uma dúvida! Ouvi dizer que há um refúgio próximo aos Geisers del tatio. Sabe me dizer se posso acampar por ali?
    Aguardo retorno.
    Mais uma vez parabéns e felicidades.

    Resposta:
    Oi Samuri

    Legal saber que vc nos acompanha! Viajar de carro é mesmo muito bom, mas somos meios suspeitos para dizer isso, né?

    Essa sua viagem de fim de ano promete! Só lugar incrível! Em quanto tempo pretende fazer tudo isso? Muito em breve estaremos postando sobre a Carretera de la Muerte. Vc vai ver as fotos...

    Então, vc me pegou com essa pergunta! Há um refúgio sim, mais perto dos geisers. Na verdade, que eu me lembre, há dois. Passamos lá de madrugada, então, posso estar me confundindo...

    Mas não saberia dizer se é possível acampar por lá.Imagino que sim, mas aconselho vc a escrever para alguma pousada em San Pedro para perguntar isso. Eles saberão dizer, com certeza. O que eu posso dizer é que é MUUUITO frio por lá, na região dos geisers. então, se for mesmo acampar, vai ter de usar um saco de dormir muito bom!

    Um grande abraço e mande notícias!

  • 13/09/2012 | 14:09 por SAMUEL

    Rodrigo,

    Sim, pretendo dormir uma noite em Salta, no dia seguinte pretendo fazer o pesseio na região seguindo até Humauaca e pernoitando em Tilcara.

    No dia seguinte pretendo ir de Tilcara até San Pedro do Atacama, no caminho pretendia ver o Salar de Tara, Laguna Verde e Branca/Bolivia e pernoitar em San Pedro do Atacama. Será que consigo fazer isso num dia?

    Ficarei em San Pedro por 3 dias (4 noites), para fazer os demais passeios, se não for muito complicado, quem sabe do Geisers ir até a Laguna Colorada e retornar para San Pedro no fim do dia. Vi que tem um caminho perto do Geisers que atravessa para o lado da Laguna Colorada, na volta do geisers teria que entrar no primeiro acesso para Bolivia. Se for fazer pela sequencia da Laguna Verde a distancia é muito longa e teria que fazer em dois dias (pernoitando no abrigo).

    Mas também tenho receio, de ir sozinho, caso atole o carro ou alguma pane. Voce usa o Spot, funciona bem? Além do aparelho tem uma mensalidade, né? Será que consigo alugar por um mês?

    Resposta:
    Oi Samuel

    Acho que é possível sim, fazer no mesmo dia. Meio corrido, mas dá, Só toma cuidado para não perder a entrada do parque onde estão as lagunas

    Ir para a Colorada a partir dos geiseres, não sei se dá. Achava que só pela entrada oficial do parque, onde tem alfândega ali pertinho. Mas, se vc viu a estrada no google, então deve ter. O pessoal em Sao Pedro vai te informar... Acho a opção de dormir lá no refúgio mais segura e, ao mesmo tempo, mais interessante.

    Nós sempre pensamos em ter o spot, mas acabamos não comprando. Sinceramente, não nos fez falta. Mas, vc sabe, é só quando acontece algo que precisamos mesmo. Então, é sempre um bom "seguro". Vc tem mesmo de pagar uma mensalidade. na verdade, acho que é uma anualidade. Não conheço a modalidade do aluguel, talvez o melhor fosse "emprestar" de algum amigo que tenha.

    Abs

  • 10/09/2012 | 15:55 por Samuel

    Rodrigo,

    Eu estou programando uma viagem para San Pedro do Atacama, de SUV 4x4. Indo da Argentina, passando por Salta até San Pedro do Atacama.

    É fácil para ir no Geisers de carro, sem guia? Não é exigido guia para entrada nos parques? Com o fato de ser a noite, tem sinalização de San Pedro até lá? Na volta estava pensando em ir direto para a Laguna Colorada (bolivia), pelo google maps, vi que tem marcas de passagem de carro, mas por ali não tem posto da imigração. O GPS não vai me ajudar né, pois é rodoviário. O que me indica? Tem algum mapa e sinalização para fazer isso?

    Estou pensando em desbravar aquela região (tres lagoas) em 1 dia, quem sabe visitando, entrando pelo posto da imigração Boliviana, indo pela Laguna Verde, Laguna Branca e depois Laguna Colorada. O que acha?

    Onde fica a hospedagem na Laguna Colorada? Tem site?
    Pretendo me hospedar em San Pedro do Atacama, mas não sei se não é melhor ficar no alojamento, e deslocar no dia seguinte pra lá. Ou se consigo ir de San Pedro do Atacama e retornar no mesmo dia, saindo de manhã cedo e retornando no final da tarde, é possível? O que acha?

    Para visitar as lagunas Verde e Branca tem algum posto que cobra pela entrada? Ou é ali na fronteira/imigração?

    Não vou ir ao Salar do Uyuni por falta de tempo, terei 1 dia para fazer esse passeio na Bolivia.

    Resposta:
    Oi Samuel

    O caminho é ótimo! Se tiver tempo, passe uns dias na região de Salta. A região é maravilhosa! Viu nosssos posts e fotos de lá?

    Para ir aos geisers, fácil não é, Mas também não é difícil! Nós fomos sem guia. A dificuldade está no fato de ainda estar escuro. Mas se informando antes, dá para ir. Além disso, nessa hora, sempre tem várias vans indo, então é só ir no fluxo. mas tem mesmo de chegar com o sol nascendo. É a hora mais bonita dos geiseres.

    A entrada do parque Eduardo Avaroa, onde estão as lagunas verde a branca, não fica longe de San Pedro. Fica numa estrada que sai da estrada principal que segue para a Argentina. Nós fizemos a imigração lá, a mais de 5 mil metrso de altura. Foi inesquecível! De lá seguimos para a Colorada, a mais incrível delas. ir até lá e voltar no mesmo dia fica puxado. Melhor dormir nos refúgios ali do lado. Não é difícil achar não. Até onde sei, eles não tem site de internet...

    Para entrar no parque, tem de pagar. Mas não foi caro e vale muito a pena! Fica logo no começo da estrada. A imigração é que temos de pegar um desvio de alguns quilometros, depois de entrar no parque, para chegar lá.

    Recomendo que vc surma em S. Pedro. A cidade é bem legal, cheia de pousadas e restaurantes. Mas, como eu disse, ir até a Colorada e voltar, acho meio pesado. Dormir ali do lado, só pela experiencia do refúgio, já vale a experiencia!

    Espero que tenha ajudado. Qq coisa, pode perguntar

    Abs

  • 07/11/2011 | 09:27 por Ingrid

    Nossa, essa reportagem é muito boa mesmo, serviu para meu conhecimento, para minha prova na escola, Obrigada

    Resposta:
    Que legal que te ajudou, Ingrid!
    Quem sabe, num próximo trabalho, vc também encontre informações por aqui? Geografia e ciências são sempre muito mais interessantes quando são vivenciadas! Aí, a gente não esquece nunca mais!

    Abs

  • 24/08/2011 | 23:10 por Luis

    E aí, qual a solução para escaparmos dos turistas? Chegar bem mais cedo?

    Resposta:
    Olá Luis
    Aqui, não tem muita escapatória não. O horário de chegar, quando tudo é muito mais bonito, é justo antes do sol nascer. Todo mundo sabe disso e vai tentar chegar nessa hora.
    Mas lembre-se que eu fui quando era feriado, por isso estava ainda mais cheio. Só que, como eu disse no post, o lugar é tão grande que não é difícil caminhar sozinho por entre esse cenário absolutamente fantástico.
    Carro normal chega lá também, um pouco mais devagar nas estradas de rípio. Para mim, e sei que para vc também, essa liberdade faz toda a diferença. Mas o horário de chegada, esse não dá para inventar muito não

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet