0 Flórida Keys - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Flórida Keys - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Flórida Keys

Estados Unidos, Flórida, Key Largo, Key West

Praia em Key West

Praia em Key West


Madrugamos hoje, para dar conta do recado e da extensa programação. Às cinco estávamos de pé e às seis pegando estrada (que, na verdade, era mais uma avenida, cheia de irritantes semáforos). Nosso objetivo era chegar em Key Largo às 07:30 para mergulhar com a Ocean Divers por lá. Como tínhamos perdido o horário no dia anterior para fazer a reserva, tínhamos de chegar assim que a loja abrisse, para garantir um lugar no barco.

Key Largo é a primeira das Keys, uma sequência de ilhotas ao sul da Flórida que avançam pelo Mar do Caribe, formando a terceira maior barreira de corais do mundo (depois da australiana e da de Belize). Já foram cenário de vários filmes americanos. Uma das coisas que as faz famosas é exatamente a estrada que as liga ao continente, ponte por ponte, sempre cruzando o lindo mar esmeralda logo abaixo. Coisa de americano! Fiquei imaginando que se eles conquistassem o Brasil, logo fariam uma estrada ligando Paranaguá à Ilha do Mel e de lá para a Ilha das Peças, Superagui, Ilha do Cardoso, Ilha Cumprida e de volta para o continente. Uffff, prefiro do jeito que é hoje! Mas, aqui nas Keys, não posso reclamar não. A estrada (depois de uns 30 km de avenida irritante cheia de semáforos, a US-1 vira mesmo uma estrada) é linda, super cênica. Uma atração em si mesma.

Estrada para Key West

Estrada para Key West


Pois bem, a estrada fica bonita mesmo depois de Key Largo, no trecho que vai até a última e mais famosa das Keys, Key West. Mas isso, só vimos de tarde. Lá em Key Largo conseguimos entrar no barco da Ocean Divers, que parece ser a principal operadora do local. O mergulho principal da manhã foi no Duane. Na velocíssima lancha da operadora, em meia hora já estávamos no local do mergulho. Eu e a Ana ainda nos batíamos com o equipamento recém comprado, ainda não batizado. Entre configurá-los para um mergulho recreacional, ajustá-los ao nosso tamanho e a Ana lutar contra o enjôo do barco, todos os outros mergulhadores já tinham pulado do barco e só restava a gente lá em cima. Na verdade, nós e o Marcos, o dive master que descobrimos ser meio brasileiro. Ele nos ajudou bastante e, mesmo atrasados, saltamos também para o nosso mergulho inicial da viagem.

O mergulho, depois de alguns minutos para nos ajustarmos, agora em baixo d'água, ao nosso equipamento e à corrente, foi muito jóia. É um enorme naufrágio artificial, perto dos 40 m de profundidade. A visibilidade devia ser de uns 25 m, talvez. Com tão poucos mergulhadores no local, e num barco tão grande, acabamos fazendo nosso mergulho totalmente sozinhos. E assim, vamos nos acostumando a nossa nova realidade: mergulhos sem guias. O naufrágio tem muitos peixes, mas o mais legal são as diversas penetrações possíveis. Numa delas, o ponto alto do mergulho: eu vinha atrás da Ana e ela passou sem olhar para o lado, num quarto mais escuro. Quando eu passei, apontei a lanterna e vi um monstro: um enorme Mero de mais de 200 kg, dentro de um quartinho 3x3. Visão incrível! Ele ficou lá, me olhando, meio paradão, como geralmente ficam os Meros. Chamei rapidamente a Ana para ver, mas não entrei no quarto não. Fiquei meio cabreiro com a possível reação dele. Já vi outros Meros grandes em Noronha, mas de tão perto e num espaço tão pequeno, foi a primeira vez. Valeu o mergulho!

O segundo mergulho foi de "desintoxicação", num recife rasinho. Agora, bem mais senhores dos equipamentos e da situação, aproveitamos bem o que parecia ser uma visita a um aquário.

De volta a Key Largo, após confabularmos, decidimos deixar nossas coisas num típíco hotel americano de estrada, desses que aparecem em tantos filmes e seguir para o fim das Keys, Key West. Um longa e linda viagem de 2 horas voando sobre o oceano. Seria corrido, afinal teríamos de voltar no mesmo dia, mas estávamos tão perto desse cenário maravilhoso que tínhamos de ir. Depois de tantos dias trabalhando dentro de um apartamento, decidimos que era bom para desenferrujar!

Bar na praia, em Key West

Bar na praia, em Key West


Passamos um fim de tarde bem gostoso numa prainha tranquila, bebericando num bar cheio de figuras engraçadas e interessantes, a começar pelo casal que tocava no bar. Tenho a impressão que Key West é um centro para americanos alternativos. E também para aqueles que querem uma boa vida, na cidade mais tropícal que o país deles oferece. Na hora do pôr-do-sol, resolvemos ir para o lado oeste da ilha. Já idealizei um cenário idílico, só eu, a Ana, a praia de areias brancas, o mar verde esmeralda e um coqueiro solitário. Doce ilusão. A torcida do Flamengo e a do Corinthias pensaram a mesma coisa. O centro comercial de Key West está nesta parte da ilha. São dezenas e dezenas de barzinhos sempre lotados, com música ao vivo e turistas de todas as partes. Plena quarta-feira e tudo lotado. Acho que é a vida normal da cidade. E na hora do pôr-do-sol, todos se dirigem aos piers estrategicamente construidos para este evento diário. Com estrutura para receber shows, artistas performáticos e turistas ávidos para consumir. Enfim, não foi o cenário que imaginei, mas foi bem legal. O clima é ótimo, de festa, todo mundo feliz. O pôr-do-sol é aplaudido de pé e acompanhado por toda sorte de shows, de jazz a pirofagia, de mágicos a palhaços, de dança à pura reflexão. Não poderia ter uma vibração melhor.

Pôr-do-Sol em Key West

Pôr-do-Sol em Key West


Logo após o pôr-do-sol e após passearmos na praça dos shows, fomos disputar um lugar num dos incontáveis restaurantes. Todos servidos com a já comentada eficiência capitalista americana. Bem alimentados, enfrentamos mais 2 horas de volta para Key Largo para mais um mergulho, dessa vez no rei dos naufrágios, o Spiegel Grove.

Estados Unidos, Flórida, Key Largo, Key West, Mergulho, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior Sol nascendo em Key Biscayne

De carro

Post seguinte Voltando do mergulho em Key Largo

Spiegel Grove

Blog da Ana Pôr-do-Sol em Key West

Caribe Americano

Comentários (5)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 19/01/2017 | 18:16 por Sylvia

    Ola Rodrigo,

    Moro na Florida e estou querendo fazer o meu primeiro mergulho. Ou seja, não tenho PADI. Posso assim mesmo mergulhar? Existem alguns lugares específicos para quem nunca mergulhou?

  • 19/09/2014 | 12:33 por CarlaZ

    Oi Rodrigo,
    Pelo que entendi vocês compraram equipamento de mergulho na Florida e foram mergulhar nas keys. Eu e meu marido planejamos fazer exatamente a mesma coisa, será que pode indicar alguma loja para comprar?
    Obrigada,
    CarlaZ

    Resposta:
    Oi CarlaZ

    Exatamente, nós compramos nosso equipamento por lá. Encomendamos pela internet mesmo e só fomos na loja buscar. Mas estávamos procurando equipamento para mergulhar em cavernas, o que não é tão fácil de encontrar. Se vc estiver procurando algo mais simples, aí são muitas e muitas lojas em Miami.

    Enfim, a loja que fomos foi a Fill Express, em Pompano Beach - Fort Lauder Dale. Continuamos usando o mesmo equipamento 4 anos e algumas centenas de mergulhos depois, com as devidas manuntenções, claro!

  • 27/03/2012 | 13:54 por Marcio

    E aí Rodrigo.
    Esse hotel de beira de estrada que vc comentou é legal, digo dá para ficar numa boa. Estou indo para Miami mas to afim de ie de carro para as Keys passar uns 3 dias.

    abs.

    Resposta:
    Oi Marcio

    Se tiver mesmo a chance, vá sim, de carro. A estrada é linda e vale muito a pena. É um pedaço dos Estados Unidos bem diferente do resto.

    O hotel é bem legalzinho sim, estilo americano, bem eficiente!

  • 18/02/2011 | 19:24 por Vitor

    Oi Rodrigo, tudo bem? Vou passar um tempo SOZINHO na Flórida e gosto de mergulhar. Gostaria de saber se os mergulhos da Ocean Diver são guiados. Vc falou que mergulharam sozinhos, ou seja, sem dive master ou outro guia?

    Resposta:
    Oi Vitor
    Os mergulhos que fizemos foram realmente sem guia. Mas os briefings foram muito bons. Algumas vezes, estávamos só nós dois, outras com todo o grupo. Não tivemos nenhum problema e quem estivesse sozinho seguiria com alguma dupla.
    Acho que é possível contratar um guia. Mas isso terá um preço, claro
    Os mergulhos foram ótimos, assim como as lanchas que eles usam!
    Abs

  • 12/01/2011 | 14:38 por Alessandra

    Olá, gostaria de saber qual o nome ou local dessa prainha linda q vcs ficaram. A que está sua esposa na foto. Obrigada! Alessandra

    Resposta:
    Puxa, Alessandra, agora vc me pegou...
    Fica na parte sul da ilha, mas não vou conseguir lembrar o nome. Só lembro do restaurante simpático que ficamos...
    Desculpe

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet