0 Estréia do Guincho - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Estréia do Guincho - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Estréia do Guincho

Brasil, Paraíba, João Pessoa, Praia da Campina (Outeiro), Rio Grande Do Norte, Sagi (Baía Formosa)

Guincho pronto para puxar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB

Guincho pronto para puxar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB


Saímos meio preguiçosos de João pessoa, hoje. Apesar do plano de passar em um monte de lugares, já era mais de meio dia quando deixamos o hotel. Fomos seguindo pela orla da cidade, sentido norte, deixando para trás as praias de Manaíra, Bessa e Intermares. A cidade está se esticando ao longo da orla, bairros bem simpáticos, marzão esmeralda. Por fim, já na fronteira com a vizinha Cabedelo, passamos por Areia Vermelha, local de onde saem os barcos para a pequena ilha que surge no meio do mar na maré baixa. As fotos que vimos nos cartazes não eram nada convidativas, dezenas de barcos em volta do pequeno banco de areia. Hoje acho que não seria diferente, pelo movimento de carros e vans em volta do porto. Passamos batidos.

Atravessando a balsa entre Cabedelo e Lucena - PB

Atravessando a balsa entre Cabedelo e Lucena - PB


Em Cabedelo deve-se pegar uma balsa para Lucena, cruzando uma enorme boca de mar. A fila estava andando, a gente torcendo para conseguir entrar, mas parou justamente no carro à minha frente. Foi o tempo de nós reclamarmos do azar de ter de esperar mais 30 minutos quando passaram um rádio lá de dentro: "Venham mais dois carros!" Dois clientes que já haviam pago estavam fora de seus carros, no estacionamento interno, tomando uma cerveja. Para nossa alegria e tristeza deles, embarcamos enquanto eles reclamavam furiosos com o encarregado. Um brinde à cerveja!

Seguindo o mototaxi pelo canavial, entre Lucena e a Praia da Campina - PB

Seguindo o mototaxi pelo canavial, entre Lucena e a Praia da Campina - PB


Chegando em Lucena, fomos aconselhados a contratar um mototaxi para nos guiar através do canavial até a praia de Campina. Isso evitaria uma enorme volta pela estrada principal, ou a chance de errarmos o atalho. Com o tempo já corrido, não titubeamos. Bela decisão! Realmente, não seria um caminho fácil de seguir... No caminho, cruzamos com uma enorme expedição de jipeiros, uns 30 carros. A Fiona se sentiu em casa!

Praia e falésias entre as praias da Campina e do Outeiro - PB

Praia e falésias entre as praias da Campina e do Outeiro - PB


De Campina seguimos para a praia do Outeiro. Alguns trechos da estrada meio casca grossa, mas chegamos lá. No caminho, pausa para fotos da Fiona em cima da falésia. Toda a região é uma APA e o Ibama não deixa construírem pousadas na pequena vila em Campina e nem casas em toda a extensão da praia de Outeiro. Com isso, a praia ainda tem aquele ar de exploração que tanto gostamos.

Barra do rio Miriri, entre Lucena e Barra do Mamanguape - PB

Barra do rio Miriri, entre Lucena e Barra do Mamanguape - PB


O fim da trilha é na barra do rio Miriri, que é o obstáculo que impede a vinda de carros de Lucena diretamente pela praia. Uma beleza de lugar! Ali ficamos algum tempo passeando e fotografando, meio apressados para voltar já que teríamos de ir até o Rio Grande do Norte. Pois é... foi só começarmos a voltar que a Fiona encalacrou logo no primeiro obstáculo, uma valeta mais funda. As rodas escorregavam e não conseguiam subir a valeta do lado de lá.

Colocando folha de palmeira para tentar destravar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB

Colocando folha de palmeira para tentar destravar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB


Hora de colocar em prática o nosso curso de direção 4x4. O carro já estava tracionado e mesmo assim não subia. Um enorme buraco lateral impedia que a gente desse ré para tentar subir embalados. Enchi o piso com folhas de palmeiras, mas o carro continuava a escorregar. Próxima tentativa: usar as pranchas de alumínio. Estava crente que iria funcionar, mas nada. As rodas continuavam a escorregar.

Usando a prancha de alumínio para tentar destravar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB

Usando a prancha de alumínio para tentar destravar a Fiona, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB


Aí, tivemos de apelar. Botamos o guincho para funcionar, pela primeira vez numa situação real. Felizmente, havia árvores por ali. Reaprendemos a montar o guincho e seus apetrechos e ele tirou a Fiona de lá com uma mão nas costas! Jóia! Agora estamos bem mais seguros para as estradas que ainda deveremos encontrar pela frente. Ao mesmo tempo, achei que poderia confiar mais nos pneus 50-50 da Fiona. É... mas aquele chão estava mesmo escorregadio. Bom, vivendo e aprendendo...

Com a ajuda do guincho, a Fiona ultrapassa a valeta, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB

Com a ajuda do guincho, a Fiona ultrapassa a valeta, entre a praia do Outeiro e a Barra do Mamanguape - PB


Já quase de noite, chegamos à vila na praia de Campina. De lá de volta para o asfalto e para o norte! Estava escuro como breu quando entramos em mais um estado na nossa jornada, o Rio Grande do Norte! Lá se vão onze anos desde a última vez que passei por aqui. E foram as doces lembranças desta viagem que me fizeram escolher já ficar logo na primeira´praia do estado, a Sagi. Pouco mais de vinte quilômetros de terra por mais canaviais para chegar até aqui. Desta vez, no escuro, foi a Fiona (GPS) mesmo que nos trouxe. Aqui nos instalamos na pousada Sabambugi, nome que mistura de Sagi com bambu. Isso porque a pousada é inteirinha de bambu. Bela arquitetura e vista maravilhosa, nosso chalé bem alto na encosta de um morro. Como está escuro, a Ana ainda não tem idéia da beleza do lugar.

Barra do rio Miriri, entre Lucena e Barra do Mamanguape - PB

Barra do rio Miriri, entre Lucena e Barra do Mamanguape - PB


Mal vejo a hora do dia clarear e ela abrir as portas da nossa varanda...

Fim de tarde na barra do rio Miriri - PB

Fim de tarde na barra do rio Miriri - PB

Brasil, Paraíba, João Pessoa, Praia da Campina (Outeiro), Rio Grande Do Norte, Sagi (Baía Formosa), Estrada

Veja todas as fotos do dia!

Gostou? Comente! Não gostou? Critique!

Post anterior Água de coco depois do cooper, na praia de Cabo Branco, em João Pessoa - PB

Um Dia em Jampa

Post seguinte Vista da nossa varanda, na pousada  Sabambugi, praia de Sagi, Baía Formosa - RN

Vinte Meses!

Blog da Ana Praia e falésias entre as praias da Campina e do Outeiro - PB

Fiona Off-Road

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet