1 Coleção de Igrejas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Coleção de Igrejas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Coleção de Igrejas

Chile, CastroChiloé, Isla Quinchao

Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


Entre tantas e tantas belezas e atrações turísticas de Chiloé, certamente uma merece destaque sobre todas as demais: o conjunto arquitetônico representado pelas centenas de igrejas espalhadas pelas ilhas do arquipélago. São elas e especialmente aquelas dezesseis que foram declaradas Patrimônio Histórico Mundial pela UNESCO que atraem a maioria das dezenas de milhares de turistas nacionais e internacionais que chegam anualmente a este arquipélago no sul do Chile.

Mais uma igreja da Rota das igrejas, na costa leste da ilha de Chiloé, no sul do Chile

Mais uma igreja da Rota das igrejas, na costa leste da ilha de Chiloé, no sul do Chile


Igreja de Pid Pid, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Pid Pid, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


A história das igrejas de Chiloé começa com a chegada dos jesuítas à ilha no início de século XVII. Os membros dessa ordem religiosa se espalharam por todo o imenso território da América espanhola com o objetivo de evangelizar e arrebatar novos súditos para o papa e para o rei de Espanha. Antes deles chegaram as doenças trazidas pelos conquistadores e que praticamente dizimaram as populações locais que já não tinham forças para resistir à invasão militar e cultural. Em poucas gerações, a população miscigenada já era muito maior do que as populações puras de outrora.

Igreja de Quemchi, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Quemchi, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


Igreja na região do Parque Nacional de Chiloé, na costa oeste da ilha, no sul do Chile

Igreja na região do Parque Nacional de Chiloé, na costa oeste da ilha, no sul do Chile


A primeira igreja de Chiloé foi construída pelos jesuítas em 1612 e muitas outras se seguiram. Mas eram muito poucos padres para um território muito grande a ser coberto. Os padres viviam viajam de uma área a outra e de uma igreja a outra, onde pouco ficavam. Eram igrejas rústicas, quase temporárias. A Ordem pediu autorização para a coroa espanhola para enviar religiosos de outros países da Europa para auxiliar no trabalho de evangelização de Chiloé. O rei concordou e jesuítas da Baviera (sul da Alemanha), Hungria e Transilvânia foram enviados ao arquipélago.

Igreja de Achao, em Isla Quinchao, no arquipélago de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Achao, em Isla Quinchao, no arquipélago de Chiloé, no sul do Chile


Mais uma igreja no interior de Chiloé, no caminho entre Castro e Ancud, no sul do Chile

Mais uma igreja no interior de Chiloé, no caminho entre Castro e Ancud, no sul do Chile


Foram esses sacerdotes estrangeiros que deram impulso à construção de igrejas mais sólidas e duradouras. O desenho e parte das técnicas de construção foram trazidos de seus países de origem, mas a mão-de-obra e os materiais de construção eram chilotas, assim como parte das técnicas de construção, baseada na construção de barcos de madeira, na qual os habitantes locais tinham bastante experiência. O resultado dessa união de forças resultou em uma nova escola de arquitetura, hoje chamada de “escola chilota de arquitetura religiosa em madeira”.

Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


Torre da Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Torre da Igreja de Colo, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


Com uma técnica mais apurada e madeiras bem mais resistentes, apropriadas para o clima úmido da ilha, as igrejas se tornaram muito mais duradouras. Algumas delas estão em pé até hoje, com mais de 250 anos de idade, e estão entre as construções de madeira mais antigas de toda a América. Quando a ordem jesuíta foi expulsa dos domínios espanhóis nas Américas em 1767, já eram 79 igrejas em Chiloé. As construções continuaram no mesmo estilo, agora sob tutela dos franciscanos, e não pararam de aumentar. Hoje em dia, são cerca de 200 igrejas espalhadas por todo arquipélago.

Indicação para a igreja, sempre uma das atrações turísticas (em Achao, na ilha Quinchao,no arquipélago de Chiloé, no sul do Chile)

Indicação para a igreja, sempre uma das atrações turísticas (em Achao, na ilha Quinchao,no arquipélago de Chiloé, no sul do Chile)


Placa informativa sobre a igreja de Nercon, ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile

Placa informativa sobre a igreja de Nercon, ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile


O plano arquitetônico das igrejas segue um padrão básico, com pequenas variações. São construções retangulares com telhados em duas águas, algumas poucas vezes três. A fachada quase sempre aponta para o leste, de onde vem o sol, e conserva em sua frente um grande espaço, próprio para procissões. Quando pequenos povoados se desenvolveram ao redor das igrejas, esse espaço foi transformado na praça central da cidade. A fachada da igreja é composta de um pórtico adornado com arcos falsos e uma única torre com campanário. O número de arcos falsos mais comum é cinco, mas também se encontram igrejas com sete, nove ou simplesmente nenhum.. Entre o pórtico e a porta da igreja, sempre há uma área para se proteger da chuva, uma espécie de varanda.

Igreja de Dalcahue, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Dalcahue, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


Igreja de Pid Pid, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja de Pid Pid, na ilha de Chiloé, no sul do Chile


O interior, quase sempre a parte mais elegante das igrejas chilotas, é formado por três naves, separadas pelos pilares ou colunas que sustentam a construção. Sobre o pórtico, há um espaço para o coral. A nave central quase sempre tem o teto côncavo, a semelhança do fundo de um bote. Quase não se usavam parafusos ou pregos na construção, a madeira sendo talhada para um encaixe sólido e quase perfeito.

Mais uma igreja em Isla Quinchao, uma das ilhas do arquipélago de Chiloé, no sul do Chile

Mais uma igreja em Isla Quinchao, uma das ilhas do arquipélago de Chiloé, no sul do Chile


Mais uma igreja da Rota das igrejas, na costa leste da ilha de Chiloé, no sul do Chile

Mais uma igreja da Rota das igrejas, na costa leste da ilha de Chiloé, no sul do Chile


Várias dessas igrejas resistiram por séculos aos efeitos do tempo, mas muitas tiveram de ser reconstruídas ou necessitam de cuidados especiais de preservação. Muitas, hoje, se encontram em reforma. A UNESCO escolheu dezesseis das mais belas e representativas como Patrimônio da Humanidade. Esse título garante o acesso a fundos de conservação. Todas as escolhidas se encontram na costa leste da ilha, na região de Castro, ou nas pequenas ilhas adjacentes. Isso não quer dizer que não existam outras belas igrejas no restante do arquipélago. Sim, elas existem e muitas são consideradas Patrimônios Nacionais.

Das mais de 200 igrejas do arquipélago de Chiloé, 16 são Patrimônio Histórico Mundial da UNESCO. Nove estão na costa oriental da Isla Grande, duas em Isla Quinchao e as outras 5 em ilhas menores

Das mais de 200 igrejas do arquipélago de Chiloé, 16 são Patrimônio Histórico Mundial da UNESCO. Nove estão na costa oriental da Isla Grande, duas em Isla Quinchao e as outras 5 em ilhas menores


Teoricamente, existe hoje a “Rota das Igrejas”, uma estrada que dá acessos a todos esses tesouros arquitetônicos. Mas, na prática, descobrimos hoje, isso não é bem assim. As indicações nas estradas e caminhos são escassas e o acesso àquelas que se encontram nas ilhas menores é ainda mais complicado. Sem transporte próprio, dificilmente será possível ver muitas delas em um mesmo dia. Afinal, somente para se encontrar a maioria delas já é uma pequena aventura.

Visitando a torre de uma igreja ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile

Visitando a torre de uma igreja ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile


Interior da igreja de Nercon, ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile

Interior da igreja de Nercon, ao sul de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile


Talvez, o melhor seja entrar em algum tour privado. Mas para nós, parte da graça estava justamente em encontrar os caminhos. As paisagens bucólicas que cercam a maioria das igrejas já vale o passeio e a sensação de se conseguir encontrar cada uma delas era um gostoso sentimento de vitória. Para nós, foi quase como preencher um álbum de figurinhas. Das dezesseis listadas pela UNESCO, encontramos quase todas aquelas na ilha principal e também na ilha de Quinchao, para onde fomos de balsa. Mas as outras cinco localizadas em ilhas menores permaneceram inacessíveis para nós...

A grande igreja de Castro, a capital e maior cidade da ilha de Chiloé, no sul do Chile

A grande igreja de Castro, a capital e maior cidade da ilha de Chiloé, no sul do Chile


Fachada da igreja de Castro, a capital e maior cidade da ilha de Chiloé, no sul do Chile

Fachada da igreja de Castro, a capital e maior cidade da ilha de Chiloé, no sul do Chile


Algumas estão permanentemente abertas ao público, outras estão em reforma, outras estão fechadas, mas alguém na vizinhança tem as chaves. Muitas vezes, a gente se satisfazia apenas com a visão exterior, o cenário ao redor da igreja já tão belo que aquilo era o suficiente para nós. outras vezes, tivemos a chance de entrar, admirar o belo interior e até subir no campanário. A maioria das vezes, estávamos sós, nenhum outro turista a vista. Isso ocorria principalmente quando a igreja estava no meio do campo, isolada. Aquelas no centro de cidades e povoados eram, logicamente, mais movimentadas.

Igreja nas cercanias de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile

Igreja nas cercanias de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile


Interior de igreja nas cercanias de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile

Interior de igreja nas cercanias de Castro, na Ilha de Chiloé, no sul do Chile


Enfim, foi um prazer e tanto percorrer o interior da ilha em busca das famosas igrejas centenárias, singelas obras de arte construídas em madeira de cipreste. Após encontrar duas ou três, compreendemos logo a fama internacional que têm. E que delícia é poder chegar até elas e não ter de enfrentar longas filas ou lojas e restaurantes ao seu lado. Ao contrário, a maioria delas se encontra onde e como sempre estiveram, desde o século XVIII ou XIX: em meio a uma paisagem campestre, a arquitetura humana completamente integrada e combinada com a “arquitetura natural” ao seu redor. Um colírio para os olhos!

O cemitério e a igreja de Pid Pid, pequena vila ao norte de Castro, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

O cemitério e a igreja de Pid Pid, pequena vila ao norte de Castro, na ilha de Chiloé, no sul do Chile

Chile, CastroChiloé, Isla Quinchao, Arquitetura, história, Chiloé, Quemchi, Dalcahue, Achao, Pid Pid

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Chegando a Achao, pequena cidade em isla Quinchao, no arquipélago de Chiloé, no sul do Chile

De Ancud a Castro: o Interior de Chiloé

Post seguinte Casas construídas sobre palafitas em Castro, o principal cartão postal da capital e maior cidade da ilha de Chiloé, no sul do Chile

As Palafitas de Castro

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet