0 Chegando à Grande Terre - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Chegando à Grande Terre - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Chegando à Grande Terre

Guadalupe, Sainte-Anne, Tròis Rivières, Pointe-à-Pitre

Arquitetura da Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe

Arquitetura da Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe


Ainda cedinho, depois do café com as frutas e iogurte que compramos ontem, fomos à praia mais bonita do sul de Basse terre, ali pertinho de Tròis Rivières. Por coincidência, também tem o nome de Grande Anse, mas ao contrário da praia no noroeste de Basse Terre, essa aqui tem as areias escuras e muitas ondas, com um aspecto bem mais selvagem.

Caminhando pelas areias escuras da praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe

Caminhando pelas areias escuras da praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe


A bela e selvagem praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe

A bela e selvagem praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe


Fizemos nossa tradicional caminhada até o final da praia e admiramos as pequenas ilhas que formam Les Saintes, bem na nossa frente. Foi o mais perto que chegaremos delas, pelo menos dessa vez. O programa de ir e voltar de lá no mesmo dia é bem popular por aqui, mas não temos esse dia. Aliás, acabamos desistindo também de Maria Galante, no sul de Grande Terre. Só teríamos o dia de amanhã para isso e preferimos usá-lo para explorar o belo litoral entre Sainte-Anne e Sainte-François, em Grande Terre também.

A bela e selvagem praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe. Ao fundo, as ilhas de Les Saintes

A bela e selvagem praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe. Ao fundo, as ilhas de Les Saintes


Enfrentando as ondas da praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe

Enfrentando as ondas da praia de Grande Anse, na região de Tròis Rivières, sul de Basse Terre, em Guadalupe


Depois de enfrentar as ondas fortes de Grande Anse para um bom mergulho, era hora de pegar estrada. Seguimos para o norte até o istmo que liga as duas asas da borboleta e entramos em Grande Terre, seguindo diretamente para a capital do país, Ponte-à-Pitre. A primeira parada foi no terminal de ferries. Afinal, daqui para frente, pelas próximas três ilhas, vamos viajar de barco e já estava na hora de providenciar as passagens. O problema é que estamos na baixa temporada e com isso o número de ferries cai bastante. Ao invés da linha diária, são apenas três viagens por semana. Como temos passagem de avião marcada de Santa Lúcia para San Vincent e Granadinas, acabamos ficando sem muitas opções de datas para passar e viajar entre Guadalupe, Dominica, Martinica e Santa Lúcia...

Nosso percurso de ferry de Guadalupe à Santa Lúcia, passando por Dominica e Martinica

Nosso percurso de ferry de Guadalupe à Santa Lúcia, passando por Dominica e Martinica


Feitas as contas de dias e as poucas datas de viagem, restou a solução de viajar mesmo dia 10 (depois de amanhã pela manhã) para Dominica, no dia 13 cedinho para Martinica e no dia 17, de tarde, para Santa Lúcia. Eu iria comprar apenas a primeira passagem, para Dominica, mas fui informado que é exigido uma passagem saindo da ilha também. Assim, já comprei o bilhete para Martinica. Cada trecho custa 75 euros e demora pouco mais de duas horas. Na verdade, esse é o custo para entrar no barco. Se comprarmos o bilhete diretamente para Martinica ou Santa Lúcia, sem descer nas paradas intermediárias, o preço é o mesmo! Pois é... vamos gastar 225 euros para chegar em Santa Lúcia, só porque queremos passar alguns dias nas duas ilhas no caminho. Um absurdo! Enfim, outra coisa a se notar é que as duas ilhas mais desenvolvidas da região, Martinica e Guadalupe, não tem frescura nenhuma de imigração, enquanto as outras exigem passagem de saída. Vai entender...

Igreja em Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe

Igreja em Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe


Resolvido as passagens de ferry, fomos passear um pouco em Point-à-Pitre, principalmente no seu centro histórico. Trânsito complicado nas estreitas ruas comerciais do centro, ao redor da Place de La Victoire. Mas, depois do horário comercial e nos fins de semana, a cidade morre, a grande maioria das pessoas morando em outras partes da ilha.

Arquitetura da Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe

Arquitetura da Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe


A gente deu umas voltas à pé na praça de frente ao mar, tiramos umas fotografias e seguimos viagem pelo litoral de Grande Terre, no sentido anti-horário. Passamos por Le Gosier, o principal destino turístico de Guadalupe, com seus grandes hotéis e resorts que recebem dezenas de milhares de franceses todos os anos e seguimos diretamente para Sainte-Anne, muito mais tranquila.

Orla marítima na Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe

Orla marítima na Place de La Victoire, no centro de Pointe-à-Pitre, capital de Guadalupe


Tão tranquila que não conseguimos encontrar um hotel. Quando finalmente achamos um gite, eles não recebiam hóspedes por menos de 3 dias. Mas o simpático dono nos indicou um hotel numa praia vizinha, ligou para lá e já acertou tudo. A gente foi para lá, se instalou e voltamos correndo para a cidade, em tempo para encontrar um delicioso restaurante, cheio de caráter. Depois de dois dias de “comida em casa”, foi uma excelente variação. Voltamos para o nosso hotel e estamos prontos para um dia de praias amanhã. Praias com cara de Caribe!

Hora da sobremesa em Sainte-Anne, no litoral sul de Grande Terre, em Guadalupe

Hora da sobremesa em Sainte-Anne, no litoral sul de Grande Terre, em Guadalupe

Guadalupe, Sainte-Anne, Tròis Rivières, Pointe-à-Pitre, Praia, Basse Terre, Grande Terre

Veja todas as fotos do dia!

Quer saber mais? Clique aqui e pergunte!

Post anterior Caminhada até os Chutes du Carbet, no Parque Nacional em Basse Terre, em Guadalupe, no Caribe

Os Incríveis Chutes du Carbet

Post seguinte Aproveitando a beleza do mar em Sainte-Anne, no litoral sul de Grande Terre, em Guadalupe

No Caribe Francês

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 15/06/2012 | 15:57 por Rui Carneiro

    Muito massa o carinha do violão.

    Resposta:
    Oi Rui

    Vc precisava ver a música que ele fez para a Ana. Foi muito legal! Só essa nossa passagem pela praia já fez valer todo o sul da Martinica. E olha que ainda teve muitas atrações por lá!

    Abraços

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet