0 A Mãe de Todas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A Mãe de Todas - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

A Mãe de Todas

Bermuda, Hamilton, San George

Orla de San George, em Bermuda

Orla de San George, em Bermuda


Quem diria que a mais antiga cidade britânica na América está em Bermudas? Pois é, esse valoroso título cabe à pequena e tranquila St. George, na ponta leste da ilha e primeira capital de Bermuda. Fundada em 1612 por colonizadores a caminho da Virginia, a cidade permaneceu como a mais importante da ilha até 1812, quando a capital foi transferida para Hamilton. Talvez por isso tenha sido possível manter sua arquitetura centenária intacta e fazer dela a charmosa cidade que conhecemos hoje.

A costa sul de Bermuda

A costa sul de Bermuda


Para chegar até lá, foi um longo e delicioso caminho de scooter (ver post anterior!). Escolhemos a rota mais cênica e longa, passando pela costa sul e ao largo das maiores baías internas da ilha. No caminho, totalmente urbanizado, uma infinidade de marinas e campos de golfe, as maiores áreas verdes de Bermuda. Ótimas oportunidades para fotos, aqueles campos de grama verdinha a aparada como um tapete ao lado de um mar com uma cor que os olhos não querem acreditar...

Campos de golfe: paisagens comuns em Bermuda

Campos de golfe: paisagens comuns em Bermuda


Chegamos à St. George, mas deixamos para conhece-la no fim de tarde. Antes, queríamos ir até a praia famosa dessa parte da ilha, chamada Tobacco Bay. Fica pertinho de St. George e, no caminho, ainda passamos por outra das atrações turísticas de Bermuda, uma enorme igreja inacabada e centenária.

A incrível cor do mar de Bermuda

A incrível cor do mar de Bermuda


Fotografada a igreja, seguimos para a praia. Na verdade, uma enorme piscina natural, protegida por corais e paredes de pedra do mar aberto, mais adiante. Aí passamos algumas horas, nos refrescando do sol africano que fazia, fazendo snorkel por entre as pedras ou simplesmente deitados na sombra do guarda-sol. Pois é, estava tão quente que eu até tirei a mão do bolso para alugar um guarda-sol, coisa que raramente faço... Mas hoje, estava valendo a pena sim, afe!

Campos de golfe: paisagens comuns em Bermuda

Campos de golfe: paisagens comuns em Bermuda


De volta à St. George, agora sim arrumamos um local seguro para deixar nosso camelo e passear um pouco pelas ruas calçadas de pedras ou pelas praças arejadas. Até há poucos anos, navios-cruzeiro também aportavam por aqui. Mas o governo resolveu investir em Dockyards, do outro lado do país, e os navios não podem mais parar aqui. Mau negócio para os turistas, com certeza! Não há nível de comparação entre um lugar e outro. Mau negócio para os comerciantes daqui também, que agora vivem às moscas. Bom negócio para nós, que podemos perambular tranquilamente por uma cidade muito mais autêntica sem a companhia de hordas de turistas.

A 'igreja incompleta', uma das principais atrações em San George, a mais antiga cidade inglesa das Américas

A "igreja incompleta", uma das principais atrações em San George, a mais antiga cidade inglesa das Américas


Escolhemos um bom restaurante para almoçar, o White Horse, e aproveitamos a tranquilidade de sua varanda sobre o mar para deixar a vida passar, devagarzinho e ao sabor de uma deliciosa brisa. Devidamente alimentados no estômago e no espírito, fomos dar mais uma volta pela rua central, até encontramos um bar com a TV ligada, mostrando a abertura das Olimpíadas. O primeiro nome de St. George foi “Nova Londres”, mas não pegou. Hoje, a milhares de quilômetros de distância, a gente se emocionou vendo o desfile de abertura das diversas delegações.

Chegando na belíssima Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda

Chegando na belíssima Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda


Pois é, parte da emoção vinha do fato de que várias daquelas delegações eram de países que conhecemos nessa viagem e, com os quais, agora mantemos vínculos emocionais. Países que, até as Olimpíadas passadas, mal sabíamos aonde eram. Mas agora, ao ver os valentes representantes de San Vincent, Dominica, El Salvador, Paraguai, Jamaica, Equador, St. Kitts, enfim, todos eles nos remetem à ótimas lembranças e amigos que fizemos por lá. Realmente, foi uma sensação incrível ver todos eles ali. Muito legal!

As águas cristalinas de Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda

As águas cristalinas de Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda


Nadando em Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda

Nadando em Tobacco Bay, em San George, norte de Bermuda


O tempo foi passando e, quando vimos, a noite se aproximava. Saímos acelerados, assistindo a um magnífico pôr-do-sol do alto da nossa scooter. Voltamos pela costa norte, outro belo visual, principalmente porque era dali que se podia ver o astro-rei.

Lugar do nosso almoço de fim de tarde em San George, em Bermuda

Lugar do nosso almoço de fim de tarde em San George, em Bermuda


Já bem no escuro, chegamos à Spanish Point, bem na ponta de península onde está Hamilton. Infelizmente, chegamos tarde para aproveitar o magnífico visual de lá, mas Bermuda nos preparava outra surpresa. Lá conhecemos uma turma de pescadores que celebravam o fim de mais uma jornada de trabalho, com música, cerveja e muita animação. Simplesmente adoraram o fato de sermos brasileiros e lá ficamos por mais de uma hora contando e ouvindo histórias. Como a Ana bem disse, que ótimo foi conhecer gente de verdade, além dos mauricinhos que víamos andando pelas ruas de Hamilton. Pois é, Bermuda também tem povão e, como em todos os lugares, o povão é feliz com a vida, sempre que tem um motivo para comemorar (e sempre tem!).

Fim de tarde em San George, em Bermuda, visto da nossa scooter à caminho de Hamilton

Fim de tarde em San George, em Bermuda, visto da nossa scooter à caminho de Hamilton


Foi um final de dia memorável de um dia espetacular, nosso último por aqui. Amanhã, voamos de volta para os EUA e, de lá, rumo ao Canadá. Já estava na hora...

Novos amigos, em Spanish Point, à oeste de Hamilton, nas Bermudas

Novos amigos, em Spanish Point, à oeste de Hamilton, nas Bermudas

Bermuda, Hamilton, San George, Praia, ilha, Spanish Point, Tobbaco Bay

Veja todas as fotos do dia!

Gostou? Comente! Não gostou? Critique!

Post anterior De scooter pelos campos de golfe de Bermuda

Duas Rodas

Post seguinte Almoção de domingo com amigos da Anita no quintal da casa em Princeton Junction, New Jersey - EUA

Três Dias e Três Despedidas

Blog da Ana A costa sul de Bermuda

Bermudas numa Scooter

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet