0 Farol de São João - Blog da Ana - 1000 dias

Farol de São João - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Farol de São João

Brasil, Maranhão, Ilha de Lençóis

Mangue seco e lagoas na praia do Farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Mangue seco e lagoas na praia do Farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Nosso plano era irmos embora amanhã cedo, já tínhamos até hotel marcado em Belém. Assuntamos na vila e soubemos que o barco do Seu Mário poderia sair no domingo. Aqui em Lençóis as coisas têm tempo próprio, é difícil impor ritmo ao que já está no tempo certo, natural. Conversamos com Seu Mário, dono da venda e único barco que faz transporte de passageiros entre a ilha e o continente com certa regularidade. Ele ainda estava decidindo se iria amanhã no final da tarde ou segunda-feira cedo. Decidiu-se por segunda, junto com a maré. Embora tentemos nos ater ao nosso planejamento, em alguns lugares contratempos como estes são bem vindos.

Caminhada para o Farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Caminhada para o Farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Tivemos que encontrar algum outro programa para o dia de hoje, o que não falta por aqui para pessoas com disposição de andar e apaixonadas pela natureza. Já havíamos explorado bem a Ilha de Lençóis, então hoje foi o dia de visitarmos a vizinha, conhecida como Ilha de São João. São quilômetros de praia até chegarmos ao Farol de São João, passando apenas por palafitas de pescadores, usados como moradia ou apenas como ranchos de pesca.

Abrigo de pescadores na praia do Farol, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Abrigo de pescadores na praia do Farol, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Atravessamos o canal na baixa da maré, queríamos ir nadando, mas todos alertam as forças da correnteza, tanto na vazante quanto na entrante. Sendo assim atravessamos de canoa mesmo e assim garantimos as fotos do dia mais ensolarado da semana!

Correndo para as lagoas nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Correndo para as lagoas nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Caminhamos durante uma hora e meia a passos largos para chegar ao farol. Cruzamos no caminho uns 4 pescadores, praia movimentada hoje. Em toda a sua extensão encontramos novamente as redes de pesca fixadas para aproveitar a maré. Toda esta região é uma Reserva Ambiental Extrativista, muito rica em peixes de toda qualidade, tainha, corvina, xaréu, robalo, cação, é uma fartura só. Só imagino o que aconteceria se não fosse uma reserva, as grandes empresas pesqueiras estariam aqui acabando com o trabalho e a cultura dessa gente.

Pescadores atravessam terreno alagadiço, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Pescadores atravessam terreno alagadiço, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


O Farol fica em uma baixa, perto das dunas e próximo a um igarapé. Propriedade da Marinha Brasileira, “entrada proibida”, mas liberada pelos pescadores que encontramos. Eles carregavam sua pesca para o barco aportado no igarapé ao fundo, conhecido como Porto do Farol. A pequena vila parecia estar abandonada, reside ali apenas uma quantidade descomunal de muriçocas, pragas e insetos hematófagos. Não é a toa que o faroleiro e sua família não estavam.

O farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

O farol de São João, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Foi descermos da duna que fomos atacados, pegos completamente de surpresa! 10 picadas em 30 segundos! Por aí, calculo que ficamos na vila no máximo 3 minutos, matamos um bocado deles, mas não o suficiente para nos aliviar. Foi aí que entendemos também por que os pescadores correram tanto carregando o peixe para o barco, não era o peso das caixas de peixe, mas sim as picadas das muriçocas!

Pescadores carregam o fruto do trabalho, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Pescadores carregam o fruto do trabalho, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Voltamos acelerados para as dunas, a salvo das pragas e com uma nova amiga, uma cadela fofa e tetuda. Ela nos acompanhou neste trecho da caminhada e no banho de lagoa de água doce, mas não quis caminhar os 7km de volta até Lençóis. A maré ainda mais baixa deixou a floresta morta ainda mais destacada.

Até o cão se impressiona com a vista! (nas Reentrâncias Maranhenses - MA)

Até o cão se impressiona com a vista! (nas Reentrâncias Maranhenses - MA)


Foram pouco mais de 3 horas de caminhada e o canal estava ainda mais seco. As duas ilhas praticamente se unem na maré baixa, bem por onde o Rodrigo resolveu atravessar a nado. Voltei remando com Lailson, mas a certa altura, não agüentei e também pulei na água. A Nikon que me desculpe, mas ela vai ter que aprender a nadar.

Remando de volta para a Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Remando de volta para a Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


Tomamos um banho de cuia delicioso, pois a água do chuveiro estava quente. Num dia de sol como hoje ela é aquecida naturalmente na caixa d´água. Banho de cuia para despedir, almoço de despedida, já começamos a ficar com saudades...

Tomando banho de balde na pousada na Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Tomando banho de balde na pousada na Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA


À noite fizemos nossa via sacra, passamos no Seu Mário para confirmar o retorno, no Bar do Martins para despedir das crianças, deixamos os gêmeos na Doza e fomos para casa, caminhando pelas ruas de areia, dando um alô para as cabras já com vontade de ficar.

Os gêmeos Michael e Michaela, nossos companheiros de todas as noites no bar do Martins, na Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Os gêmeos Michael e Michaela, nossos companheiros de todas as noites no bar do Martins, na Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Brasil, Maranhão, Ilha de Lençóis, Praia, ilha, Dunas, Reentrâncias Maranhenses, ilha São João

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior AS dunas da Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

A Ilha Encantada

Post seguinte Nascer-do-sol na viagem de volta da Ilha de Lençóis para Apicum Açu, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

De Ilha em Ilha

Blog do Rodrigo No barco durante a viagem entre Apicum Açu e a Ilha de Lençóis, nas Reentrâncias Maranhenses - MA

Como Antigamente

Comentários (6)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 02/02/2014 | 15:07 por Valeria Pires

    Adorei o seu relato e as fotos que juntamente com as narrativas de quem já morou, com a sua família, em uma das casas da Marinha me ajudaram a entender aquele ambiente.
    Foi comentado pela esposa das dunas que rodeavam o farol São João. Existiam ainda quando você lá esteve?

    Resposta:
    Sim Valéria! As dunas estão lá sim, lindas e com uma vista super bacana da praia e do farol. Que bom q você gostou, são lugares incríveis que poucos conhecem =) Beijos!

  • 18/12/2013 | 14:24 por Jeferson

    Adorei a aventura de vocês, confesso que invejei essa aventura e desejei também vivê-la. Entretanto, não sei como poderei efetuá-la. Terei que ir sozinho ou existe alguma empresa de turismo fazendo este trajeto?

    Resposta:
    Oi Jeferson! Ouvimos sim falar de uma empresa de turismo que estava atuando lá, organizando tudo desde São Luis, mas recomendo que vá sozinho, a aventura faz essa viagem ainda mais incrível, pois o mais bacana é você sentir na pele o quanto está longe de tudo, desbravando e sendo tão bem recebido por esse povo tão acolhedor. O ponto de partida é Apicum Açú, os pescadores podem te dar carona até a ilha de Lençóis onde você encontrará uma pousada local, leve dinheiro (obviamente não tem cartão por lá), protetor solar e boa viagem!

  • 27/09/2012 | 18:14 por Ivanilce

    Amei tudo, desde os pequenos detalhes como os gêmeos,os pescadores. Maranhão é minha terra natal, faz 4 anos que não vou por lá e morro de saudades dessa terra maravilhosa e suas belezas naturais, o Seu Mário do armazém é meu tio,olhando isto a saudade aperta ainda mais,gosto muito de lá, lembro que ia para as lagoas as 08:00 e voltava 12:00, isso porque o meu tio brigava, por mim eu ficava o dia todo e nem lembrava que existe fome. É d++ mesmo, parabéns!!! ta lindo d++! bjs

    Resposta:
    Obrigada Ivanilce! Você não imagina como nos apaixonamos pela Ilha de Lençóis e todo aquele povo. Gente de verdade, amigos que queremos voltar a encontrar. Se for para lá, manda um abraçao para todos! Beijos!

  • 15/09/2012 | 10:24 por CARLOS REIS

    Passei 2 anos da minha vida nessa ilha maravilhosa, trabalhando no farol de São João. Conheci esse povo pacato e maravilhoso que habita os dois vilarejos (Ilha dos Lençóis e Bete-vento). Compartilhei esta matéria no meu facebook, para mostrar aos meus amigos que ainda não conhecem esse oásis deste paraíso chamado "BRASIL". Parabéns pela matéria.

    Resposta:
    Obrigada Carlos! Nós nos apaixonamos pela Ilha de Lençóis e as Reentrâncias Maranhenses, espero que elas continuem preservando sua natureza e cultura!

  • 16/06/2012 | 23:31 por José Alfredo da Rosa Duarte

    Adorei seus comentários sobre a ilha dos Lençóis. Sempre encontro muitos sites falando dela, mas vcs. me passaram uma inpressão mais pessoal da ilha, que tenho muita vontade de conhecer.
    Sou do Rio Grande do sul, onde resido, e estou aposentado a um ano. Contudo. estou atualmente, prestando serviço para uma empresa do Maranhão, em São Luis, e minha vinda para cá foi motivada, muito mais do qeu pelo trabalho, pela vontade de ficar uns dias a mais ao final de minha tarefa aqui, apenas para poder ir a ilha do Lençóis.
    Sei que já existe um relativo conforto lá, pois vcs mesmo falaram da instalação de geradores eólicos e painéis solares. Acredito que não há sinais de telefone, mas gostaria de obter informações quanto a comunicação para fora da ilha, se existe, ou não. Também se se encontra hospedagem fácil, se há como fazer uma reserva, ou tem que se ir no peito e se arranjar por lá mesmo.
    Se me puderem informar tudo que é possível, para me adiantar algumas situações que irei encontrar, ficaria muitíssimo grato.
    Parabéns pelo post, e um grande abraço.

    Resposta:
    Olá José Alfredo!
    O melhor negócio é ir no peito mesmo, mas se você quiser garantias há uma empresa de turismo que faz essa rota e tem uma pousada lá, se não me engano é a Maramazon (http://www.maramazon.com/). Não sei qual é a situação atual deles, pois o pessoal da reserva estava querendo fechar a pousada e aceitar apenas turismo comunitário na ilha. Indico muito ficar na Pousada do Hélio, ele, a esposa e os filhos são super queridos e vão te receber muito bem. É só chegar e perguntar por ele, logo alguém te leva lá, pertinho do porto. Ah! Para chegar é outra aventura, pegamos carona com uns pescadores que estavam indo para lá, tem também o barco do Seu Mário do Armazém, ele funcionava domingo ou segunda da ilha para Apicum-Açú mas sem garantias... Espero ter ajudado,
    Boa aventura, aproveite aquele paraíso!
    Bjs

  • 09/07/2011 | 02:26 por miler

    olá, Ana! tudo bem.muito manero sua expedição pela ilha de lençóis!eu estava lá nessa época(como não nos conhecemos?)e tambem meus outros 3 amigos, que guarneciam o farol, apesar d q não estávamos quando vc apareceu por lá(pena).a cadela q vc tirou foto é a Belinha,nossa amiga q já nos guiou pela mata até a vila de bate-vento. ela foi nossa heroína por incrível q pareça.espero q poçamos trocar figurinhas.um forte abraço. saudedes d tudo...

    Resposta:
    Olá Miler! Pena não termos nos encontrado! Nós passamos por um pessoal pescando ali no Farol, mas tivemos que sair correndo, se vc estava por lá deve lembrar do ataque de muriçocas que tivemos... umas 30 picadas em 2 minutos... sangue fresco, sabe como é! rsrrsrs! Tb sinto saudades de lá, é um lugar mágico. Beijos e te espero por aqui novamente!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet