0 Dia de Fúria - Blog da Ana - 1000 dias

Dia de Fúria - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Dia de Fúria

México, Cidade do México, Jamaica, Montego Bay

Entre México e Jamaica, escala no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos

Entre México e Jamaica, escala no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos


Um dia aparentemente tranquilo, cansativo, mas tínhamos tudo organizado. Passagens da Cidade do México – Miami – Jamaica emitidas e hotel em Montego Bay reservado. Seria um dia longo, começamos o nosso caminho as 7h30 da manhã, pois aguardávamos um belo engarrafamento para o aeroporto. Para a nossa surpresa o transito fluiu e chegamos lá em apenas 40 minutos.

A maré de sorte parecia estar bem, Deus ajuda quem cedo madruga, pensei! Era apenas fazer o check in e esperar 4 horas pelo horário do vôo, certo? Errado! Depois de uma longa fila no check in da Aeroméxico, o atendente não conseguia encontrar as nossas reservas, será possível? Elas foram todas feitas online pelo Rodrigo, tínhamos os códigos e tudo. Eis que notamos um pequeno e quase insignificante número “02”, que quando usado na configuração de data (exemplo, 26/02/12), significa o mês para o qual foi comprada a passagem! SIIIMMM, o Rodrigo tinha errado a data de emissão do bilhete e tínhamos toda uma viagem agendada, hotéis, passagens para o nosso “island hopping” pela Jamaica, Caiman e Cuba, com nada menos que o bilhete de “ida” comprado para daqui um mês!!!

Trabalhando no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, na escala entre o México e Jamaica

Trabalhando no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, na escala entre o México e Jamaica


A esta altura a Aeroméxico não podia mais alterar os bilhetes, que eram operados pela American Airlines. Corremos para o busão que nos levou do Terminal 2 para o Terminal 1 até o fim do imenso corredor onde estava o balcão desta companhia. Novamente estávamos presos a uma longa fila de check in, sem nenhuma outra opção para agilizar a antecipação do vôo. A única saída era nos dividirmos, eu ficaria na fila e Rodrigo tentaria fazer a alteração pelo atendimento ao cliente da AA, do telefone público.

Foram quase duas horas de espera, duas horas intermináveis e inacreditáveis, pois eu nunca vi a American Airlines tão ineficiente na minha vida. Finalmente pudemos explicar a situação ao atendente, desistir da ligação que em duas horas tampouco tinha conseguido resolver o problema. O atendente me diz, “vale mais a pena vocês comprarem uma passagem nova do que alterar a que já possuem”. Eram 175 dólares de multa por pessoa para alterar a passagem, além da diferença de tarifa, que no total dariam 8.000 pesos por pessoa! O equivalente a uma passagem Brasil – NY ou Paris, um absurdo!

Trabalhando no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, na escala entre o México e a Jamaica

Trabalhando no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, na escala entre o México e a Jamaica


Negociamos, era impossível que um vôo saindo dali 2 horas ainda tivesse uma tarifa surreal como esta. Fizemos o cara fuçar cada opção, passagem e tarifa naquele sistema e finalmente ele nos deu uma algo mais plausível, pagar um total de 4.000 pesos para os dois e embarcar no vôo das 11h (uma hora mais cedo que o nosso), para Miami. Fechado! Ele emitiu todos os bilhetes, boarding passes prioritários e só falou “Corram!!!”
Conseguimos pegar o vôo no final do embarque e o dia cinzento que parecia perdido, começava a clarear e mostrar que no final, tudo dá certo. Só tínhamos que lidar com aquela ressaca pós-cagada, que resultou em uma facada no budget previsto.

Ok, não há de ser nada... Chegamos à Miami, comemos, trabalhamos e até fizemos uma compra, já programada e essencial para a viagem. Uma câmera fotográfica básica, digital, já que a nossa Nikon e a nossa Sony back up foram para a assistência técnica. Nikon para uma limpeza e correção de dois erros e a Sony já está na sua terceira UTI, beirando o seu leito de morte. Tivemos bastante tempo, das 14h às 20h, para explorar o aeroporto e caminhar aqueles longos corredores, para ao menos fazer algum exercício.

Os infinitos corredores do aeroporto de Miami, nos Estados Unidos

Os infinitos corredores do aeroporto de Miami, nos Estados Unidos


Eram quase 22h quando chegamos à Montego Bay cada vez mais próximos de um sonho antigo, conhecer a Jamaica! Fomos direto para o hotel, tudo o que nós precisávamos era descansar e recarregar as energias para começar a explorar o país. Chegando lá adivinhem? A reserva não existia! Buscamos, mostramos o número da reserva feita pela internet, através do Trip Advidor e Hotel.info e o hotel simplesmente não estava sabendo de nada!
Para piorar a situação, este é o final de semana do segundo maior festival de música em Montego Bay, quiçá em toda a Jamaica: o “Jamaica Jazz and Blues Festival”. Todos os hotéis estavam lotados, pois hoje começou o festival e pessoas de todos os cantos do país, do Caribe e do mundo estão aqui para ver os shows!

Totalmente desacreditada e com uma das piores enxaquecas da minha vida, depois de 30 minutos em pé na recepção tentando encontrar e comprovar a reserva e o pagamento do quarto de hotel, eu só pedi para a moça... Encontre um quarto e depois vemos como resolver esse problema. Ela fuçou, fuçou no sistema e encontrou um último quarto livre, nos instalou, depois de oferecer um Fruit Punch como welcome drink.

Daqui em diante não me perguntem mais nada... Deitei na cama completamente devastada, pedi ao Rodrigo um remédio e capotei! Dia de fúria em que tudo dá errado, mas no final, com paciência e dinheiro, tudo se resolve.

México, Cidade do México, Jamaica, Montego Bay, Transporte, Aeroporto

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior A Catedral e o Palácio do Governo na Zócalo, praça central da Cidade do México, capital do país

Zócalo e seus Tesouros Escondidos

Post seguinte Garçon fazendo graça em praia de Montego Bay, na Jamaica

A Turística MoBay!

Blog do Rodrigo Trabalhando no aeroporto de Miami, nos Estados Unidos, na escala entre o México e Jamaica

Um Dia Difícil...

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 23/01/2015 | 11:29 por Leonardo

    A Mei suas aventuras isso é a coisa mas bela que o homen
    superou sem fronteiras parabens!
    eu viagei com voces olhando e observando cada detalhes de suas superaçôes. obrigado!

  • 02/02/2012 | 03:28 por Pablo

    INCREIBLE!... En serio que fue un día de esos para olvidar!... pero bueno, lo importante es que ya estan en Jamaica, ahora a disfrutar... un abrazo.

    Resposta:
    Hola Pablo!!! Sí, fue un dia para no ser olvidado, pero al final de mucha suerte tambien! pues logramos llegar a Jamaica! jajaja! Son siempre más historias para contar =) Besos!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet