0 Curtindo a Vida! - Blog da Ana - 1000 dias

Curtindo a Vida! - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Curtindo a Vida!

Panamá, Boquete

A macaca Chita demonstra suas habilidades na fazenda dos Poços Termais, na região de Boquete, no Panamá

A macaca Chita demonstra suas habilidades na fazenda dos Poços Termais, na região de Boquete, no Panamá


A nossa programação foi prejudicada pelo mal tempo e a constante garoa trazida pelos ventos do norte. Conversamos com algumas pessoas que tinham acabado de voltar do Sendero dos Quetzales, que nos disseram não ter visibilidade de mais de 10m na trilha, além do perigo do cruze dos rios. O Barú estava o tempo todo encoberto, não valendo uma caminhada de 5h para não ver nada. Por fim, não conseguimos agendar o rafting ontem, pois chegamos a noite na cidade, quando as agências já estavam fechadas. Tentamos as 7h30 da manhã, mas os grupos já haviam saído 30 minutos antes. Quando tudo parecia perdido, adivinhem quem encontramos na mesmíssima situação que nós? Os nossos amigos australianos de San Blás, Alex, Ben, John e Alex!

Junto com os australianos, indo para o canyon e as fontes termais, na região de Boquete, no Panamá

Junto com os australianos, indo para o canyon e as fontes termais, na região de Boquete, no Panamá


A alternativa foi buscar programas que pudéssemos fazer de forma independente. Subimos os 6 na Fiona e pé na estrada! Logo na saída da cidade ficamos uns 20 minutos parados na estrada que foi fechada pela explosão de um caminhão de combustíveis, 10 minutos antes de passarmos. Ufa, essa foi por pouco! Encontramos uma rota alternativa e nos mandamos para o cânion no povoado de Gualaca.

Chegando ao canyon na região de Boquete, no Panamá

Chegando ao canyon na região de Boquete, no Panamá


O que a princípio parecia meio sem graça, aos poucos foi se transformando. A molecada da região estava lá e foi nos ensinando onde podíamos saltar no estreito cânion rochoso para depois tentar escalar as paredes de pedra, com uns 5m de altura. As águas a princípio barrentas, aos poucos foram se tornando transparentes e o céu que estava cinzento, azulou! No final tivemos um lindo dia de sol!

O canyon, ideal para saltos e rock climbing, na região de Boquete, no Panamá

O canyon, ideal para saltos e rock climbing, na região de Boquete, no Panamá


Saltando em canyon na região de Boquete, no Panamá

Saltando em canyon na região de Boquete, no Panamá


Foi uma curtição só, água deliciosa e diversão garantida. Dali fomos aos poços de águas termais do Rio Caldeira. Os poços 100% naturais, chão de terra e raízes de árvores com temperaturas variando de 38 a 42°C.

Poço termal com água a mais de 35 graus, na região de Boquete, no Panamá

Poço termal com água a mais de 35 graus, na região de Boquete, no Panamá


A principal atração foi a pequena Chita. Uma macaca-aranha de apenas 3 anos de idade que foi criada pela dona da propriedade. Embora nunca tenha entrado em contato com outros macacos, de boba também não tem nada! Adora uma cervejinha, prefere o colo dos homens e tem uma imensa área verde para se divertir e fazer suas macaquices.

A Chita tenta pegar a cerveja do australiano Alex, na fazenda dos Poços Termais, na região de Boquete, no Panamá

A Chita tenta pegar a cerveja do australiano Alex, na fazenda dos Poços Termais, na região de Boquete, no Panamá


Sabe aquele dia que parecia perdido? No final a combinação do alto-astral dos amigos australianos, sol, natureza e disposição o transformou em um dia de pura curtição!

Junto com os australianos, indo para o canyon e as fontes termais, na região de Boquete, no Panamá

Junto com os australianos, indo para o canyon e as fontes termais, na região de Boquete, no Panamá

Panamá, Boquete, Rio, Macaco, águas termais, Chiriquí

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior O vulcão Baru, ponto mais alto do Panamá, na região de Boquete

As Montanhas de Boquete

Post seguinte O vulcão Baru, ponto mais alto do Panamá, na região de Boquete

2 Fronteiras em 1 dia

Blog do Rodrigo A Chita, uma macaca-aranha na fazenda dos poços termais, na região de Boquete, no Panamá

Água Fria, Quente e a Macaca

Comentários (1)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 10/06/2013 | 16:15 por Paulo Pereira

    E do nada, surge uma aventura. Um dia pouco promissor, que acabou com direito a banho em canyon e ao conhecimento da Chita, que parece bem traquina pelas fotos:)

    Resposta:
    Exatamente! Uma cachoeira e bons amigos sempre fazem um dia divertido!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet