0 Napa Valley - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Napa Valley - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Napa Valley

Estados Unidos, Califórnia, Napa Valley

O mapa do Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

O mapa do Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Após a grande corrida do ouro na Califórnia, na metade do século XIX, um enorme contingente de pessoas que havia migrado em busca do metal dourado teve de procurar outras atividades. A atividade de mineração passou a ser mais dispendiosa e ficou nas mãos de poucas pessoas e empresas. Ao invés de procurar ouro com seus próprios meios e poder sonhar em ficar rico da noite para o dia, os indivíduos teriam de trabalhar como empregados de empresas, horas de muito suor em troca de um salário. Muita gente buscou outras atividades...

Visitando o Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Visitando o Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Para aqueles que migraram da Europa e já estavam acostumados a trabalhar com vinhedos no velho continente, uma boa alternativa era voltar à produção de vinho. Especialmente quando perceberam que alguns vales ao norte da cidade de San Francisco tinham um clima muito propício para esse tipo de cultivo. Entre esses vales, logo de destacou o Napa Valley e, no início do século XX, a região já estava coberta de vinhedos, atraindo turistas e amantes dessa bebida. O vale já estava se transformando na principal região produtora de vinho das Américas e o futuro parecia sorrir para os produtores.

Vinhedos no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Vinhedos no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Mas o que ninguém esperava e o que hoje nos parece incompreensível aconteceu. Uma das legislações mais controversas da história do país passou a vigorar, a chamada “lei seca”. Simplesmente, toda a produção e consumo de qualquer bebida alcoólica no país passou a ser proibida. Alegria de alguns, tristeza de outros. Enquanto a máfia de Al Capone e outros fez muito dinheiro e poder contrabandeando bebidas do Canadá, todas as vinícolas oficiais do país, incluindo aquelas do Napa Valley, tiveram de ser fechadas. Subsistiram algumas poucas, de fundo de quintal, pois demanda sempre haveria, mas como negócio organizado e legal, tudo se acabou. Os vinhedos foram erradicados e substituídos por outras culturas.

Passeando pela belíssima região do Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Passeando pela belíssima região do Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Foi ao final da Segunda Guerra Mundial e já sem aquela famigerada lei que as antigas famílias começaram a voltar e produzir novamente a uva e seus doces derivados. Na década de 60 o vale já estava novamente em plena produção e os turistas começavam a voltar. Foi aí que, aliando o conhecimento europeu para a produção de vinhos com a tradicional engenhosidade, inovação e eficiência americanas para qualquer tipo de processo que os vinhos foram ganhando qualidade, já sendo capazes de rivalizar com as regiões produtoras tradicionais do outra lado do Atlântico.

A simpática área para piqueniques na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

A simpática área para piqueniques na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Os resultados apareceram em breve, com vinhos americanos ganhando vários prêmios de prestígio na Europa. A publicidade em torno disso só fez trazer mais turistas para a região, aumentando ainda mais as vendas e a fama do Napa Valley. Com isso, mais dinheiro chegava, mais investimentos foram feitos e hoje o vale é formado por centenas de vinícolas, um verdadeiro tapete de parreiras, um verdadeiro prazer visual, olfativo e degustativo para quem o visita. São produzidos dezenas de tipos de vinho com incontáveis marcas diferentes, boa parte delas e muito boa qualidade. Poder-se-ia experimentar vinhos por lá por toda uma vida e, ainda assim, não conhecer todos.

O irresistível balcão de queijos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

O irresistível balcão de queijos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Foi aqui que chegamos na noite do dia 21, sem o tempo de toda uma vida para passar por lá, mas com muita vontade de dirigir por seus vinhedos e experimentar alguns de seus vinhos e champagnes. Escolhemos como nossa “base de operações” a simpática cidade de Napa, no sul do vale. Daí, partem duas estradas em direção à St. Helena e Calistoga, mais ao norte, ao longo das quais se concentram as centenas de vinícolas. O vale é relativamente curto, pouco mais de 40 quilômetros de extensão, e pode ser percorrido de carro, vans turísticas e até mesmo de bicicleta.

Provando vinhos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Provando vinhos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Prova de vinhos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Prova de vinhos na vinícola V. Sattui, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Como chegamos de noite, nossas explorações tiveram de começar em um restaurante da cidade. Napa já está toda enfeitada para o natal, inclusive com um movimentado ringue de patinação no gelo na praça central. Achamos um restaurante gostoso, com direito à música ao vivo, e nos esbaldamos com boa comida e, claro, uma garrafa de vinho produzida localmente! Celebrávamos por antecipação nosso passeio no dia seguinte, ontem.

O famoso Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

O famoso Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Só não contávamos com uma coisa: dia 22 de Novembro é um dos principais feriados americanos, o famoso “Thanksgiving”. Entre as consequências disso, a cidade de Napa estava bem cheia, pelo feriado prolongado e, pior de tudo, boa parte das vinícolas estava fechada. Depois de darmos com a porta fechada nas primeiras três delas, mesmo podendo tirar belíssimas fotos da região e de seus vinhedos, o nosso humor andava de mal a pior. Afinal, estamos com data marcada para voar de Los Angeles para o Hawaii e temos um monte de coisas para ver no caminho até lá. Ou seja, nosso espaço de manobra não é muito grande. Se ficarmos aqui mais tempo, significa que teremos de abdicar de algo pela frente.

Visitando a vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Visitando a vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Provando os vinhos da vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Provando os vinhos da vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


A solução veio com uma rápida procura pelo google por vinícolas que estariam abertas mesmo no feriado. Para nós, na chamada “terra das oportunidades”, parecia incrível que, justo no feriado em que mais pessoas podem viajar para cá, as vinícolas não se aproveitassem disso. Enfim, São Google nos ajudou, encontrando as poucas que estavam abertas e para lá rumamos, sem mais delongas.

Provando vinhos na vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Provando vinhos na vinícola Castello di Amorosa, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


A primeira que fomos foi a V. Sattui. Além dos vinhos, o que muito chama a atenção por lá é a coleção de queijos. São centenas deles, de todas as partes do mundo. Além disso, há uma área do lado de fora própria para piqueniques, clima total de fazenda. A ideia é experimentar os vinhos, comparar alguns, aproveitar a coleção de queijos, pães e salames e se refestelar em um lanche ali mesmo, na sombra de alguma árvore. Uma ótima ideia da vinícola que, ainda mais num dia como ontem, com tão poucos concorrentes abertos, estava lotada.

Famosa produtora de espumantes, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Famosa produtora de espumantes, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Eu, que estava dirigindo, resisti ao máximo a tentação do vinho, e me satisfiz só com a comida. Feliz mesmo estava a Ana, provando seus vinhos. Aqui no Napa Valley, essas degustações são sempre pagas, mas o ambiente, a experiência e os vinhos fazem valer o preço pago.

Hora de experimentar champagnes, na Domaine Chandon, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Hora de experimentar champagnes, na Domaine Chandon, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


De lá, seguimos para uma das mais conhecidas vinícolas do vale, a Castello de Amorosa. Pois é, os donos se deram ao trabalho de replicar por aqui um castelo no mesmo estilo dos castelos das Toscana, de onde vem a família. Alguns acham aquilo bem charmoso, outros acham meio brega, mas ninguém discorda que experimentar vinhos nos porões de um castelo de verdade é uma experiência diferente. Dessa vez, já no final do dia, resolvi arriscar um pouco e também participar da degustação. Afinal, que guarda estaria trabalhando àquela hora, naquele feriado?

Experimentando champagnes pela manhã, na vinícola Domaine Chandon, no Napa valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Experimentando champagnes pela manhã, na vinícola Domaine Chandon, no Napa valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


De fato, voltamos para casa sem problemas, dessa vez pela estrada vicinal, bem mais bucólica que a estrada principal. As luzes do final de tarde faziam a paisagem ficar ainda mais bela, mas a quantidade de vinícolas fechadas nos lembrava a todo momento que nossa experiência tinha sido incompleta. Especialmente porque a Ana queria muito, também, uma degustação de champagnes. Então, estava decidido: passaríamos mais uma manhã no vale (hoje!), pelo menos para ver como é ele em um dia “normal”.

Café da manhã com champagne e queijos! Uma delícia!!! (no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos)

Café da manhã com champagne e queijos! Uma delícia!!! (no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos)


Champagne comprada, saindo da vinícola Domaine Chandon, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Champagne comprada, saindo da vinícola Domaine Chandon, no Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos


Hoje, logo cedo, mas não tão cedo assim porque as vinícolas só abrem às 10 da manhã, estávamos na porta da Domaine Chandon para o nossa “café da manhã”. Pois é, chique mesmo! Nossa primeira refeição do dia foi coisa de gente nobre, bacana: champagne com uma seleção de queijos finos, acompanhado de pães crocantes. Um café da manhã desse jeito não pode fazer mal a ninguém e eu tive de aproveitar também. Estava uma delícia!

O Napa Valley também pode ser explorado de bicicleta! (na Califórnia, nos Estados Unidos)

O Napa Valley também pode ser explorado de bicicleta! (na Califórnia, nos Estados Unidos)


Agora sim, podíamos partir. A vontade, claro, era de ficar e continuar a explorar. Se assim fosse, acho que teríamos feito um passeio de bicicleta. Pedalar alguns quilômetros e descansar na sombra de alguma árvore bebericando um bom vinho, acho que poderíamos fazer isso pelo dia inteiro. Quem sabe no futuro? Com tantas opções aqui no Napa Valley, e também no vizinho vale de Sonoma, com certeza vale uma viagem só para cá. É sempre bom ter planos para o futuro...

Feliz da vida, chegando ao Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Feliz da vida, chegando ao Napa Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Estados Unidos, Califórnia, Napa Valley, história, Vinho

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Visita à Universidade de Berkeley, na Califórnia, nos Estados Unidos

Passando por Berkeley

Post seguinte O belo farol no Pigeon Point, na rodovia One, entre San Francisco e Santa Cruz, no litoral da Califórnia, nos Estados Unidos

One - 1a Parte

Comentários (3)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 05/12/2012 | 18:48 por dunha

    como é a lei daí qto ao beber e dirigir?

    Resposta:
    Oi Dunha

    Por aqui, nada de beber e dirigir! O certo é sempre ter alguém no carro que possa dirigir e que não beba.

    Abs

  • 03/12/2012 | 20:19 por mabel

    Que delícia! Além de paisagens maravilhosas, experimentar vinhos e queijos é sempre um prazer. Pena que tiveram pouco tempo, mas como disseram, fica a vontade voltar mais vezes.

    Resposta:
    Oi Mabel

    Pois é, o tempo acabou ficando apertado, infelizmente. Mas, como disse, é um ótimo e delicioso motivo para voltar, hehehe

    Um abraço

  • 03/12/2012 | 19:50 por Lurdes

    Que passeio feliz,eu tb adoraria faze-lo,acho que todos que apreciam vinhos,ver este passeio foi quase viver meu sonho de conhecer este lugar,só pelo teu sorriso na Fiona da para perceber,é pk sou uma Italiana ,um abraço para vcs

    Resposta:
    Oi Lurdes

    Para quem gosta de vinho e para quem é italiana, é um programa obrigatório!!!

    Que bom que vc gostou do relatp

    Um grande abraço

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet