0 A Maior Montanha do Mundo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A Maior Montanha do Mundo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

A Maior Montanha do Mundo

Hawaii, Big Island-Mauna Kea

Pôr-do-sol maravilhoso no alto do Mauna Kea, a 4.200 metros de altitude a temperaturas próximas de zero, na Big island, no Hawaii

Pôr-do-sol maravilhoso no alto do Mauna Kea, a 4.200 metros de altitude a temperaturas próximas de zero, na Big island, no Hawaii


Como eu já expliquei no meu primeiro post sobre o Havaí, a formação do arquipélago é vulcânica. Sob um fundo do Oceano Pacífico, a mais de seis quilômetros de profundidade, a Terra cospe fogo há alguns milhões de anos. É um chamado “hotspot”. Por meio do processo de convecção, material incandescente sobe diretamente do manto terrestre, muitos quilômetros abaixo da crosta. É como se fosse uma válvula de pressão.

Aproximando-se do Mauna Kea, a maior montanha da Big island, do Hawaii e do mundo!

Aproximando-se do Mauna Kea, a maior montanha da Big island, do Hawaii e do mundo!


Quando finalmente esse material escapa da crosta, ainda encontra seis quilômetros de água sobre sua cabeça. Não tem problema. Com uma paciência milenar, a lava vai se acumulando sobre a erupção anterior, construindo uma montanha de pouco em pouco. Muito tempo depois, essa montanha ultrapassa a superfície do oceano. Nasce uma nova ilha! O vulcão continua entrando em erupção, a ilha vai aumentando de tamanho e a montanha vai aumentando sua altura. Ao mesmo tempo, a placa tectônica do Pacífico vai se deslocando, levando a nova ilha para longe da hotspot. Quanto mais longe, mais fracas e intermitentes ficam as erupções, até que o vulcão se “desliga” por completo. Vira um vulcão extinto. A essa altura, já está muitos quilômetros acima do nível do mar. Agora, é a vez da erosão pelo ar e pela água desmanchar a montanha. Dê tempo ao tempo (algumas centenas de milhares de anos) e aquela altíssima montanha será toda “levada” de volta para o mar.


A Big Island, embaixo, e Maui e suas “companheiras”, no alto

Nós chegamos à Big Island, no Havaí, bem no meio desse processo. O Mauna Kea é o mais antigo dos vulcões da ilha. Desde que foi criado, a placa tectônica já levou a ilha dezenas de quilômetros para o noroeste, afastando a montanha do hot spot. Ele já está praticamente extinto. Outros vulcões nasceram sobre a hotspot e acabaram por se juntar ao Mauna Kea, criando a maior ilha do arquipélago, a junção de cinco grandes vulcões. No futuro, quando a erosão fizer seu trabalho, os vulcões vão se separar novamente e a Big island se quebrará em várias ilhas menores. Foi o que aconteceu com a ilha de Maui, que já é um pouco mais velha.

Vista do Mauna Loa, durante a subida do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Vista do Mauna Loa, durante a subida do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Enquanto isso não acontece, temos duas das maiores montanhas da Terra unidas. O Mauna Kea e o Mauna Loa. As duas com mais de 4 mil metros de altitude sobre o mar e outros seis mil sob o mar. As duas tem, portanto, mais de 10 mil metros de altura, superando o Everest, com 8.850. Na verdade, o Everest só se ergue cerca de 3.500 metros sobre sua base, que já é bem alta, ou seja, esses dois vulcões são três vezes maiores que aquela que é considerada a mais alta montanha da Terra. E, a rigor, elas ainda são maiores! Desde que começaram a ser “construídas”, o seu enorme peso começou a afundar o terreno sobre o qual se ergueram. Hoje, os cientistas calculam que esse terreno está a mais de seis quilômetros soterrado abaixo do ponto inicial, sob o enorme peso da montanha que cresceu sobre ele. Assim, a altura real desses dois vulcões é de incríveis 16 quilômetros!!! Mais um pouquinho e chegaríamos à altura da maior montanha conhecida do Sistema Solar, o Monte Olimpus, em Marte, com 20 quilômetros...

Vans levam turistas ao cume do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Vans levam turistas ao cume do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Estrada precária para chegar no alto do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Estrada precária para chegar no alto do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Quis o destino que essas mega montanhas estivessem nos Estados Unidos. Assim, claro, existe uma estrada para chegar até lá encima! Fico imaginado se o Everest também fosse dentro desse país, até que altura chegaria a estrada? Bom, no Mauna Kea, a estrada chega até poucos metros do cume. Então, fica bem fácil sairmos do nível do mar, depois de um banho refrescante à temperatura tropical, entramos no nosso carro com ar condicionado e dirigirmos menos de duas horas para ultrapassarmos os 4 mil metros de altura. Foi exatamente o que fizemos hoje, nesse nosso primeiro dia no Havaí!

Nosso jipão nos levou traquilamente até os 4.200 metros de altitude do Mauna Kea, ponto mais alto da Big island e do Hawaii

Nosso jipão nos levou traquilamente até os 4.200 metros de altitude do Mauna Kea, ponto mais alto da Big island e do Hawaii


A ideia é chegar lá encima perto da hora do pôr-do-sol. Assim, podermos assistir a um verdadeiro espetáculo e, logo depois, podemos admirar um dos céus noturnos mais belos do planeta. Tudo isso antes que a altitude comece a afetar nosso organismo, principalmente com dores de cabeça. Afinal, a essa altura, o oxigênio já é bem mais escasso e nosso corpo reage produzindo mais glóbulos vermelhos, para poder aproveitar todo o parco oxigênio disponível. O efeito colateral dessa mudança é que o sangue engrossa e passa com mais dificuldade nos estreitos vasos capilares de nossa cabeça. Resultado: dor de cabeça. Para não passar por isso, ou passamos por um longo período de aclimatação à altitude, que chega a demorar uma semana, ou vamos ao pico e voltamos rapidinho. Claro que a nossa opção foi a segunda!

Caminhada até o pico verdadeiro do Mauna Kea, longe das multidões, na Big island, no Hawaii

Caminhada até o pico verdadeiro do Mauna Kea, longe das multidões, na Big island, no Hawaii


Começamos nossa viagem para a montanha meio desanimados, pois o céu estava completamente nublado. A gente nem conseguia ver o Mauna Kea. Estávamos até meio arrependidos de não ter subido pela manhã, quando o tempo estava mais claro. Perderíamos o entardecer e a noite estrelada, mas pelo menos teríamos a vista lá de cima.

Assistindo a um inesquecível pôr-do-sol a mais de 4.200 metros de altura, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Assistindo a um inesquecível pôr-do-sol a mais de 4.200 metros de altura, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Pois é, pura inocência, a minha. Já conhecia a teoria, mas faltava acreditar de verdade. Como já disse acima, o Mauna Kea é conhecido pelo seu céu estrelado. Tanto que no seu topo está um dos mais importantes observatórios astronômicos do mundo. Ninguém vai investir milhões de dólares num observatório astronômico para ficar vendo nuvens... O que acontece é que, em 99% dos casos, o topo da montanha está bem acima das nuvens. O céu do Mauna Kea é sempre de brigadeiro! Ainda mais que a atmosfera já é bem rala naquela altitude, sem poluição e sem luzes de cidades para atrapalhar. Além disso, com toda a umidade para baixo, o céu fica ainda mais claro para observações astronômicas, já que o vapor d’água absorve um bom pedaço da luz das estrelas.

A luz mágica do fim de tarde no alto do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

A luz mágica do fim de tarde no alto do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Vimos isso com os próprios olhos quando, após um intenso nevoeiro, chegamos ao céu completamente limpo, um pouco acima dos 2 mil metros de altitude. Dali, também podíamos admirar os dois gigantes, um de cada lado, o Mauna Kea e o Mauna Loa. Que maravilha!

A sombra do Mauna Kea se projeta sobre as nuvens até quase o infinito! (Big island, no Hawaii)

A sombra do Mauna Kea se projeta sobre as nuvens até quase o infinito! (Big island, no Hawaii)


Chegamos à entrada do parque nacional, perto dos 3 mil metros, e lá encontramos muita gente, a grande parte delas trazida em vans de agências de turismo. Param por ali para fazer uma rápida aclimatação. Nós também fizemos nossa parada, mas não por muito tempo. Queríamos subir antes da turba. São poucas as pessoas que seguem com o próprio carro. Depois da entrada do parque, o asfalto acaba e começa uma estrada de terra bem precária, para padrões americanos. A recomendação é que só subam carros tracionados. É o caso do nosso jipão, então, não titubeamos! Nessa época do ano, ainda sem gelo ou neve (pois é, neva no Havaí!), um carro 4x2 também subiria. Devagarzinho, enfrentando as costelas de vaca, mas sobe sim.

Explorando o cume do Mauna Kea, com o Mauna Loa ao fundo, na Big island, no Hawaii

Explorando o cume do Mauna Kea, com o Mauna Loa ao fundo, na Big island, no Hawaii


Os últimos minutos de luz do sol no topo da maior montanha do Hawaii, o Mauna Kea, na Big island

Os últimos minutos de luz do sol no topo da maior montanha do Hawaii, o Mauna Kea, na Big island


A montanha não tem grandes paredões ou inclinações. É uma enorme rampa, desde os seis mil metros abaixo do mar até aqui em cima, aos 4.200 metros de altitude. Seria uma caminhada tranquila até o pico. Longa, mas tranquila. De carro, então, mamão com açúcar! Interessante é ver a mudança na vegetação. As árvores acabam, depois se acabam os arbustos e, por fim, se acabam as gramíneas também. Uma estranha planta, endêmica da região, chamada Silversword, é que domina a paisagem. Longilínea e com as folhas duras, parece de outro planeta. Aliás, toda a paisagem parece de outro planeta. É só estando lá encima para compreender.

Um delicioso beijo a 4.200 metros de altitude, no topo do Mauna Kea, ponto mais alto da Big island e do Hawaii

Um delicioso beijo a 4.200 metros de altitude, no topo do Mauna Kea, ponto mais alto da Big island e do Hawaii


A estrada chega até o observatório e aí ficam as centenas de pessoas que chegam até o alto. Alguns poucos se arriscam a pegar uma trilha de cerca de 500 metros até o cume verdadeiro. Para chegar lá, épreciso descer um pouco e depois subir novamente. Àquela altitude, qualquer esforço é multiplicado por dez, principalmente para quem não está aclimatado. Mas, para quem se arrisca, a recompensa é estar praticamente sozinho no ponto mais alto num raio de mais de 3 mil quilômetros!

Observando os telescopios construídos no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Observando os telescopios construídos no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Obviamente que eu e a Ana seguimos para lá. O pôr-do-sol foi absolutamente magnífico, o céu se enchendo de cores dignas de cinema, de um lado, enquanto do outro a sombra do vulcão se estendia até o infinito, sobre o lençol de nuvens abaixo de nós. Acima das nuvens, apenas a montanha em que estávamos e o Mauna Loa, quase na nossa frente, parecendo flutuar no céu. Foi emocionante!

Pôr-do-sol maravilhoso no alto do Mauna Kea, a 4.200 metros de altitude a temperaturas próximas de zero, na Big island, no Hawaii

Pôr-do-sol maravilhoso no alto do Mauna Kea, a 4.200 metros de altitude a temperaturas próximas de zero, na Big island, no Hawaii


A poucas centenas de metros dali, a silhueta dos observatórios astronômicos contra o céu azul eram uma imagem que eu guardava desde a adolescência, de fotos que tinha visto em livros. Abaixo dos observatórios, centenas de turistas com suas máquinas fotográficas tentavam registrar esse momento mágico.

Uma multidão observa e fotografa a lua nascendo por detrás das nuvens, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Uma multidão observa e fotografa a lua nascendo por detrás das nuvens, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Depois do sol se pôr, nasce uma lua cheia, amarela e incrível, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Depois do sol se pôr, nasce uma lua cheia, amarela e incrível, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Mas hoje, era um dia ainda mais especial. Foi o sol se pôr de um lado do horizonte que, do outro, nascia uma gigantesca bola amarela. Era a lua cheia, mais linda do que nunca. A multidão que fotografava para um lado, agora se virava para o outro. E nós, acompanhados de apenas outras duas pessoas, lá no pico verdadeiro, já não sabíamos se nossa falta de ar era pela altitude ou pelo excesso de emoções.

As portas se abrem para o telescópio iniciar suas observações noturnas, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

As portas se abrem para o telescópio iniciar suas observações noturnas, no topo do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii


Enfim, com a temperatura chegando perto de zero grau, os turistas debandaram para suas vans e de lá para baixo. Nós voltamos para perto dos observatórios e, junto com outros poucos corajosos, esperamos para que as estrelas tomassem conta do céu. Mesmo com o forte luar, a quantidade de pontos luminosos no firmamento era impressionante. De repente, todos os observatórios ganharam vida: abriram seus “telhados” para que os telescópios pudessem vasculhar o universo. Mais um momento mágico no dia.

A lua soberana no topo da maior montanha do mundo, o Mauna kea, na Big island, no Hawaii

A lua soberana no topo da maior montanha do mundo, o Mauna kea, na Big island, no Hawaii


A cabeça fervilhava com tantas informações, pensamentos e emoção. Mas também começava a dor pela altitude. As mãos também, já não aguentavam o frio ao manusear as máquinas fotográficas. Essas, aliás, ficaram sem bateria, consumidas pelo frio. Era a hora de voltar... Dos quatro mil metros para o nível do mar em apenas uma hora. Dali para o sul da ilha, para a cidade de Volcano. Com um nome desse, já dá para imaginar, né? Saímos do maior e mais antigo vulcão da ilha, hoje praticamente extinto, para o mais novo e ativo deles, o Kilauea. Amanhã, é dia de ver um vulcão ativo!

Felicidade pura de estar no lugar certo na hora certa! (pôr-do-sol no topo do Mauna Kea, maior montanha da Big island, no Hawaii)

Felicidade pura de estar no lugar certo na hora certa! (pôr-do-sol no topo do Mauna Kea, maior montanha da Big island, no Hawaii)

Hawaii, Big Island-Mauna Kea, Montanha, vulcão, Big Island, Mauna Kea

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Chegando perto do mar pela primeira vez no Hawaii, no Jardim Botânico de Hilo, em Big Island

Flores, Frutas, Cachoeiras e o Calor. Voltamos aos Trópicos!

Post seguinte A contínua batalha entre as deusas dos vulcões e do mar, em pintura no museu do Volcanoes National Park, em Volcano, na Big Island, no Havaí

A Batalha Milenar

Blog da Ana A luz mágica do fim de tarde no alto do Mauna Kea, na Big island, no Hawaii

Mauna Kea e o Autêntico Hawaii

Comentários (3)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 25/03/2018 | 20:22 por Erica

    Boa noite!

    Eu e meu namorado estamos indo para o Hawaii, e subiremos ao Mauna Kea, mas temos muitas duvidas quanto a estrada para subida. Em todos os lugares lemos que a estrada é de terra, mas não sabemos se é uma estrada de terra plana ou cheia de buracos. Iremos de carro tracionado, mas há perigos como abismos? É seguro o retorno a noite?

  • 24/12/2012 | 17:29 por Lulu

    Muito lindo! Que por-do-sol espetacular! Bj e abraco

    Resposta:
    Olá Lulu

    Pois é, em altitudes altas, com a atmosfera mais limpa, o pôr-do-sol fica ainda mais maravilhoso! è emocionante de se ver!

    Um abraço e feliz ano novo!

  • 23/12/2012 | 06:59 por mabel

    Maravilhoso! E nós que pensamos que o Hawai é somente praia e ondas......

    Abraços

    Resposta:
    Oi Mabel

    Pois é, eu também tinha essa impressão...
    Que nada!

    O Havaí é muito mais do que isso. E olha que só estamos começando nossa viagem por aqui

    Um abraço e feliz natal!!!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet