0 We´ll be diving - Blog da Ana - 1000 dias

We´ll be diving - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

We´ll be diving

Ilhas Virgens Britânicas, Tortola - Road Town

Visão de Road Bay, em Tortola - BVI

Visão de Road Bay, em Tortola - BVI


Temos mergulhado por todo o Caribe nos últimos 39 dias. Até hoje foram 20 mergulhos em naufrágios, paredes e recifes de corais maravilhosos. Surpresas e atrações de todos os tipos, de shark feeding, com mais de 30 tubarões, até mergulhos em sites que pareciam o aquário do “Finding Nemo”, com peixinhos pequenininhos e imensos jardins de worms e christmas trees. Conversando no skype com meu pai esses dias ele me perguntou, “vocês não enjoam de mergulhar?”, e acredito que essa pergunta passa pela cabeça de vocês todos... A resposta é muito simples: não. Não há como enjoar de um ecossistema como este, tão diverso, tão curioso e tão diferente do ambiente em que vivemos no nosso dia-a-dia.

Ana no barco que nos levou ao naufrágio do Rhone

Ana no barco que nos levou ao naufrágio do Rhone


Hoje fomos mergulhar novamente. Caminhando pela cidade chegamos à uma operadora de mergulho chamada “We be divin’.” Ela não estava em nenhum guia ou revista que recebemos aqui na cidade, mas foi novamente uma sorte imensa a termos encontrado. Sherl, a dona, além de ter nos dado uma bela consultoria sobre a melhor programação da ilha, também foi perfeita em fazer a nossa programação de mergulho. Sabíamos que o Rhone era obrigatório, uma embarcação inglesa que foi declarada “inafundável”, que possuía em torno de 200 passageiros e naufragou em 1867. Vocês já perceberam que quando algum engenheiro maluco resolve chamar um barco de “unsinkable” a natureza faz questão de mostrar que não é bem assim? Quem diria que o que afundaria o Titanic seria um iceberg? Pois bem, o que afundou o RMS Rhone foi um furacão categoria 5. Nessas horas as razões mais absurdas são ficha perto da fúria da mãe natureza. Fizemos 2 mergulhos só neste site, um mais profundo, em torno de 25m e o segundo que não passava dos 17m. Impressionante mergulhar em um naufrágio tão antigo, um mergulho na história e também em um recife artificial repleto de vida! O navio já está completamente incrustado de corais, esponjas das mais coloridas possíveis, trazendo consigo tartarugas, barracudas e todos os tipos de peixes. Vejam mais detalhes sobre a trágica história do Rhone no blog do Rodrigo.

Ana no barco que nos levou ao naufrágio do Rhone

Ana no barco que nos levou ao naufrágio do Rhone


O terceiro mergulho foi em outro ponto, um pouco mais raso, chamado “Painted Walls”. É um pequeno cânion submarino que segue de 13 a 6m de profundidade. As suas paredes são incrivelmente coloridas, parece até uma das obras do Romero Brito. A biodiversidade é tão absurda que não temos realmente como enjoar. Cada mergulho é único. A interação que você tem com aquele ambiente é diferente, principalmente por que você nunca sabe que bicho irá encontrar. Tartarugas? Tubarões? Lagostas? Polvos? O fator surpresa faz parte da emoção de cada mergulho. O Ro me perguntou se conseguia me imaginar mergulhando com ele aos 60, 70 anos de idade. Minha resposta? Yes, we’ll be diving!

PS.: terminamos o dia com mais um pôr-do-sol maravilhoso, na Smugglers Cove, praia mais a oeste da ilha e depois um delicioso jantar que mereceu um post especial, leia abaixo o post “Aventureiros se atraem”.

Ilhas Virgens Britânicas, Tortola - Road Town, Mergulho, Naufrágio, BVI, dive, RMS Rhone

Veja todas as fotos do dia!

Quer saber mais? Clique aqui e pergunte!

Post anterior Jim, o inglês que cresceu no Quenia, trabalhou na Antátrtida e vive em BVI

Aventureiros se atraem

Post seguinte Táxi em Virgin Gorda - BVI

Ai ai aiaiaiái está chegando a hora...

Blog do Rodrigo Barco a caminho do naufrágio do Rhone

Rhone

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet