0 Mergulho em Caverna - Blog da Ana - 1000 dias

Mergulho em Caverna - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Mergulho em Caverna

Estados Unidos, Flórida, Peacock, Ginnie Springs

Chegando à saída da caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Chegando à saída da caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos


Mergulho em caverna é um dos esportes mais perigosos do mundo. Os motivos são simples: mergulhamos em uma caverna inundada, nadamos centenas de metros adentro e qualquer problema que tivermos com o equipamento, não existe como subir e respirar. O nosso único suprimento de ar está nas garrafas duplas que levamos nas costas, não temos margem para qualquer falha, seja no equipamento ou no treinamento.

Tanques duplos prontos para o mergulho em Peacock, na Flórida, nos Estados Unidos

Tanques duplos prontos para o mergulho em Peacock, na Flórida, nos Estados Unidos


O treinamento para mergulho em caverna é uma certificação de mergulho técnico, que possui como pré-requisito os cursos de rescue diver e primeiros socorros. São 4 níveis de treinamento dentro da certificação da IANTD – Cavern, Intro to Cave, Cave e Technical Cave (ou Full Cave). Nós estamos apenas começando neste mundo, até por que no Brasil é uma atividade difícil de ser realizada, já que as nossas cavernas inundadas são fechadas para esta atividade.

A tradicional placa de advertência na caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

A tradicional placa de advertência na caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos


Na configuração técnica do equipamento seguimos sempre a regra de ouro deste esporte: redundância. O planejamento de cada mergulho trabalha com a regra do terço: 1/3 utilizamos para entrar na caverna, 1/3 para retornar à entrada da caverna e o outro 1/3 só será utilizado para alguma emergência. Temos 3 lanternas, sendo a principal uma lanterna de led com grande luminosidade e bateria de longa duração. A segunda e a terceira lanterna só deverão ser usadas em caso de emergência. Levamos conosco máscara extra, uma spool (carretel) utilizado para procedimentos de busca caso você se perder, além do carretel que deve ser colocado na área de luz da caverna até a golden line, linha que marca o túnel principal por onde iremos navegar dentro do sistema inundado.

Pronto para entrar na água em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Pronto para entrar na água em Peacock, na Flórida, Estados Unidos


Se perder em uma caverna seca ou alagada é muito fácil! Por isso estamos sempre antenadíssimos na linha que protege a nossa vida, que mesmo sem luz ou sem visibilidade, irá nos levar para fora da caverna, a Golden Line! As cavernas têm diferentes origens, formações e características. Sua origem irá determinar o seu relevo e geografia, sendo difícil encontrar algum padrão para a navegação dentro destes sistemas.

Junto ao cabo guia na caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Junto ao cabo guia na caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos


Apenas se você é um mergulhador muito experiente e com o treinamento adequado é que poderá sair da Golden Line e explorar outros túneis, passagens e restrições fora da linha principal. Nós por enquanto ficamos apenas na Golden Line e se mergulhamos em dupla, sem um instrutor de caverna conosco, temos que fazer a regra do 1/6! Dividimos o suprimento de ar em 6 partes e utilizamos apenas duas, 1/6 para ir e 1/6 para voltar, todo o restante é reserva de emergência.

Começo de mergulho em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Começo de mergulho em Peacock, na Flórida, Estados Unidos


Achei interessante fazer essa breve explicação para vocês entenderem um pouco como funciona o mergulho em caverna. As regras e equipamentos foram criados por algum motivo e a maioria deles com base em falhas reais que muitas vezes custaram a vida de algum mergulhador. Às vezes tendemos a pensar que estes acidentes estão distantes da nossa realidade, porém esta semana em uma das cavernas mais visitadas do México houve um incidente fatal envolvendo dois mergulhadores brasileiros e inclusive o guia que os acompanhava. Soubemos muito tempo depois e não temos detalhes sobre o treinamento, experiência ou como imaginam ter acontecido o acidente... Independente disso, mais uma vez fica claro que neste esporte qualquer deslize pode ser fatal.

Estados Unidos, Flórida, Peacock, Ginnie Springs, Mergulho, Caverna, dive, Peacock Springs

Veja todas as fotos do dia!

Diz aí se você gostou, diz!

Post anterior Muito movimento na Bourbon Street, a rua mais famosa de New Orleans, na Louisiana - Estados Unidos

New Orleans em 2 dias

Post seguinte Passagem por 'janela' em caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Cave Dive in Florida!

Blog do Rodrigo A tradicional placa de advertência na caverna alagada em Peacock, na Flórida, Estados Unidos

Dentro da Terra e da Água (com Vídeo!)

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet