0 Haines: entre Tinglíts, Ursos e Águias - Blog da Ana - 1000 dias

Haines: entre Tinglíts, Ursos e Águias - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Haines: entre Tinglíts, Ursos e Águias

Alaska, Haines

Um grande urso nada nas águas do rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Um grande urso nada nas águas do rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Haines é uma pacata vila de pescadores no sudeste do Alasca, com um rico movimento cultural em torno do resgate da arte e das tradições das primeiras nações que ocupavam a região. Os Tinglíts na época dominavam todas as rotas comerciais entre o interior e o litoral e sem nunca relevar suas trilhas e passos, eram eles que ditavam as regras da troca de mercadorias com os povos que viviam atrás desta cordilheira nevada. Óleo de baleia, salmão, pele de foca ou leão marinho eram trocados por carne de caça, pele de caribou e outros itens só encontrados no interior.

Totem indígena na região do lago Chilkat, próximo à Haines, no sudeste do Alaska

Totem indígena na região do lago Chilkat, próximo à Haines, no sudeste do Alaska


Eles tiveram seu primeiro contato com o homem branco quando um navio russo aportou na região, em 1741 em busca de pele de animais. Também passaram por aqui padres missionários e mineradores que buscavam rotas alternativas para cruzar as montanhas rumo a Dawson City, no Canadá. Foi apenas em 1902, durante a disputa do território entre os EUA e o Canadá, que o exército americano construiu o Fort William H. Seward, primeira vila ocidental nas cercanias.

A pequena e simpática Haines, no sudeste do Alaska

A pequena e simpática Haines, no sudeste do Alaska


Grande painel com motivos indígenas em Haines, no sudeste do Alaska

Grande painel com motivos indígenas em Haines, no sudeste do Alaska


O Fort Seward hoje é parte do centro histórico da cidade de apenas 2.400 habitantes. Galerias e centros culturais de arte Tinglít, seus totens, esculturas, pinturas e música tentam resgatar a cultura que foi perdida, criando uma interessante comunidade artística, que luta para preservar este ambiente longe das hordas de turistas que desembarcam dos cruzeiros neste litoral.

Cão enfrenta as águas geladas de praia no fiorde de Haines, no sudeste do Alaska

Cão enfrenta as águas geladas de praia no fiorde de Haines, no sudeste do Alaska


Centro Cultural em Haines, no sudeste do Alaska

Centro Cultural em Haines, no sudeste do Alaska


Não apenas de arte vive a cidade, que tem ao seu redor mais de 20 milhões de acres protegidos entre baías, fiordes e montanhas nevadas. Um cenário espetacular com ótimas oportunidades para atividades ao ar livre, se a chuva permitir. A chuva vem nos acompanhando durante este final de temporada no Alasca, mas aos poucos começamos a perceber que ela faz parte do dia a dia deste povo.

Ferramentas para trabalhar em madeira, em Centro Cultural em Haines, no sudeste do Alaska

Ferramentas para trabalhar em madeira, em Centro Cultural em Haines, no sudeste do Alaska


Atravessamos as montanhas de Haines Juntion e chegamos a Haines, cruzando a fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos. No caminho passamos pelo Santuário das Bald Eagles, a águia símbolo americano que só pode ser encontrada aqui na América do Norte.

Encontro com as incríveis Bald Eagles,pássaro-símbolo dos EUA,  em Haines, no sudeste do Alaska

Encontro com as incríveis Bald Eagles,pássaro-símbolo dos EUA, em Haines, no sudeste do Alaska


Rara, ela pode avistada às centenas nessa época, quando se reúne em imensos grupos às margens dos rios aguardando os cardumes que sobem os cursos d água. As águias são imponentes e majestosas, é um espetáculo sentar à beira do rio e ficar apenas observando elas caçarem! A toda hora somos surpreendidos com duas, três, cinco bald eagles voando sobre as nossas cabeças. Apenas no inverno Haines chega a receber mais de 4 mil bald eagles!

Uma Bald Eagle voa sobre nossas cabeças, em Haines, no sudeste do Alaska

Uma Bald Eagle voa sobre nossas cabeças, em Haines, no sudeste do Alaska


Nosso primeiro encontro com as majestosas 'Bald Eagles', em rio próximo à Haines, no sudeste do Alaska

Nosso primeiro encontro com as majestosas "Bald Eagles", em rio próximo à Haines, no sudeste do Alaska


A temporada de salmão começa em abril, quando a primeira das 5 diferentes espécies (king, sockeye, coho, pink e silver salmon) sobem as correntezas geladas dos rios para procriar na água doce. Cada espécie tem um período e o final da corrida acontece entre os meses de setembro e outubro, quando o outono chega, as folhas caem e os animais ainda aproveitam para aumentar suas reservas energéticas para o duro inverno que se aproxima.

Cartaz informativo sobre as diferentes espécies de salmão que frequenatm a área de Haines, no sudeste do Alaska

Cartaz informativo sobre as diferentes espécies de salmão que frequenatm a área de Haines, no sudeste do Alaska


Uma Bald Eagle voa sobre nossas cabeças, em Haines, no sudeste do Alaska

Uma Bald Eagle voa sobre nossas cabeças, em Haines, no sudeste do Alaska


Além de águias e gaivotas, onde há salmão há ursos! Os grizzlies que vivem no litoral tem uma dieta especial, baseada principalmente nos pobres coitados dos salmões que além de lutar contra a correnteza gelada, pássaros e predadores marinhos, passam agora pelas patas ágeis destes exímios pescadores. No comecinho do dia e no final da tarde os ursos se reúnem em torno do Chilkat River Valley e do Chilkat Lake para se refestelar nos salmões saltitantes.

Observando salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Observando salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Nadando tranquilamente no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Nadando tranquilamente no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Às margens dos rios centenas de salmões mortos, um fedor horrível! Estes nem conseguiram chegar ao lago e viraram comida de gaivota, corvo e águia. Os que sobrevivem passam pelos ursos e pescadores e ainda tem uma longa jornada pela frente. Alguns chegam a nadar mais de 1.400km rio acima e ganham mais de 2.100m de altitude! A maioria destes salmões irá morrer após procriar, cada um deles deixando em torno de 5 mil ovos para trás, dos quais apenas 2 ou 3% sobreviverão e regressarão ao mar.

Totem indígena na região do lago Chilkat, próximo à Haines, no sudeste do Alaska

Totem indígena na região do lago Chilkat, próximo à Haines, no sudeste do Alaska


O tempo chuvoso não nos permitiu muitas atividades mais aventurescas, então de carro aproveitamos para conhecer os arredores, ao longo da Mud Bay Road, chegando ao mirante de glaciares de gelos azuis e cristalinos, logo ali, do outro lado da baía! Um passeio de barco ou caiaque nos levaria ainda mais próximos a eles, mas com este tempo, nada feito.

Enorme geleira na região de Haines, no sudeste do Alaska

Enorme geleira na região de Haines, no sudeste do Alaska


Com tanta vida selvagem tão perto de nós, chuva ou sol, o nosso roteiro não seria muito diferente. Caiaques, bicicletas ou trekking seriam a opção ao invés do carro nas estradas costeiras, avistando as majestosas Bald Eagles. No final da tarde nos uníamos aos pescadores esperando a hora do jantar dos nossos amigos grizzlies. Quando o primeiro urso entrava na água, todos os pescadores sabiam que a pescaria tinha acabado! Afinal, eles não querem roubar um peixe de um grizzlie. Nem são necessárias muitas regras de segurança para a pesca do salmão, apenas o bom senso! Hehehe!

Pescadores aproveitam o rio Chilkat ainda sem ursos, em Haines, no sudeste do Alaska

Pescadores aproveitam o rio Chilkat ainda sem ursos, em Haines, no sudeste do Alaska


Passeio turístico ao lago Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Passeio turístico ao lago Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


No primeiro dia vimos do outro lado do rio duas mães e quatro filhotes pescando do outro lado do rio, um urso grande cruzando a rua, além de um jovem urso pescando há apenas 5m de distância! Essa hora é bem difícil para fotografar, pois eles aparecem quando quase não há luz, não sei como eles conseguem enxergar o peixe!

Um urso a procura de salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Um urso a procura de salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


No segundo dia chegamos mais cedo para tentar encontrar os ursos mais apressadinhos e eles apareceram! O primeiro estava bem no começo do rio que liga o lago ao mar. Lindo e entretido com a sua pescaria nem se importou conosco, que chegamos a meros 5 m de distância. Dentro do carro ficamos ainda mais “corajosos” e paramos a 3 metros para tirar mais algumas fotos, ele nos encarou e continuou mastigando seu salmão traquilamente. Lindo! A agilidade destes animais na água é incrível! Realmente é difícil imaginar alguma forma de escapar de um urso, eles correm e nadam super bem! Por isso respeitar o seu espaço e ficar parado, no caso de uma aproximação, é a melhor chance que temos de passar ilesos.

Um urso limpa os olhos com a pata dianteira no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Um urso limpa os olhos com a pata dianteira no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Coçando o rosto com a pata trazeira no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Coçando o rosto com a pata trazeira no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Perseguindo salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Perseguindo salmões no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Continuamos indo e vindo na estrada ao longo do Chilkat River e ainda encontramos um deles subindo toda a margem esquerda do rio. Nós o víamos da ponte quando ele resolveu subir o morro e atravessá-la! Imenso ele dominava totalmente o território, cruzou a estrada olhando para nós nos carros, e chegou ao outro lado do rio por sua trilha “alternativa”. Mal nos despedimos deste, já encontramos outro na margem direita, este mais preguiçoso parecia procurar pelos salmões cansados na beira do rio.

Um grande e obeso urso atravessa a estrada bem em frente à Fiona, em Haines, no sudeste do Alaska

Um grande e obeso urso atravessa a estrada bem em frente à Fiona, em Haines, no sudeste do Alaska


O urso não parece se importar muito com a placa em Haines, no sudeste do Alaska

O urso não parece se importar muito com a placa em Haines, no sudeste do Alaska


Urso adolescente abocanha um salmão no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Urso adolescente abocanha um salmão no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska


Haines é o nosso porto de entrada para a Alaska Marine Highway, daqui seguiremos a Juneau e outras cidades do sudeste do Alasca. O próximo post vai dar umas dicas e mais informações sobre este roteiro. Nossa despedida de Haines, minutos antes de entrarmos no ferry, ainda foi um belo grizzlie pescando no entre o rio e o lago, provavelmente o mesmo que vimos ontem. Difícil se cansar de encontrar com esses animais, tão lindos, apaixonantes e tão imprevisíveis!

Urso dscansa no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Urso dscansa no rio Chilkat, em Haines, no sudeste do Alaska

Alaska, Haines, história, urso, Bald Eagle, Tinglits

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior A Fiona desbravando a estrada Top of The World Highway, já no lado canadense da rodovia

Estradas Árticas

Post seguinte Admirando as pasisagens da Inside Passage, trecho entre Sitka e Ketchikan, no sudeste do Alaska

A Mítica Inside Passage

Blog do Rodrigo A magnífica paisagem na estrada entre Haines Junction, no Canadá e a fronteira com o Alaska

De Volta ao Alaska, Terra de Ursos e Águias

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 09/10/2014 | 11:39 por Sheila Moralles

    Difícil acreditar que esses ursos são perigosos! Tão fofos....amei as fotos...

    Parabéns!!

    Resposta:
    Nem fale, eu tive vontade de descer do carro e sentar ali do lado para tirar fotos e vê-lo pescar... mas na hora o tamanho do bicho impressiona!

  • 11/10/2012 | 14:34 por Eugênio

    Cara, vocês estão vivendo um sonho, na moral ...

    Resposta:
    É verdade Eugênio, um baita de um sonho virando realidade!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet