0 A Terra de Chico Mendes - Blog da Ana - 1000 dias

A Terra de Chico Mendes - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

A Terra de Chico Mendes

Brasil, Acre, Xapuri

A casa de Chico Mendes, em Xapuri, no estado do Acre

A casa de Chico Mendes, em Xapuri, no estado do Acre


Foi lá, nos cafundós do Acre, que fica lá, nos cafundós do Brasil, que nasceu um dos maiores heróis brasileiros. Francisco Mendes Alves Filho, mais conhecido como Chico Mendes, era um dos 6 filhos que sobreviveram às doenças e dificuldades da infância, dos 17 filhos do seringueiro Francisco Mendes e sua esposa Iracê. Ele só aprendeu a ler e escrever aos 18 anos e desde então se tornou um aficcionado por livros de história e política. Parte de sua biblioteca ainda pode ser vista na sua casinha lá em Xapuri. A casinha azul de madeira de 5 cômodos é simples, mas bem ajeitada. Uma viagem no tempo e na vida deste poderoso ativista que lutou pelo direito dos trabalhadores rurais e pela preservação das florestas nativas.

Passeio na mata do Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

Passeio na mata do Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Foi aqui, nesta porta, no dia 22 de Dezembro de 1988, que Chico Mendes foi assassinado. Ele estava indo tomar banho na meia água dos fundos da sua casa quando Darly Alves da Silva Jr. atirou de trás de um arbusto onde estava há 2 dias esperando a hora certa para puxar o gatilho. Tudo foi mantido exatamente como estava, sua cama, os quadros da parede, as panelas e até o sangue seco no chão da cozinha.

Visitando a casa de Chico Mendes, onde ele viveu e foi assassinado, em Xapuri, no estado do Acre

Visitando a casa de Chico Mendes, onde ele viveu e foi assassinado, em Xapuri, no estado do Acre


Darly Jr. estava lá a mando de seu pai, Darly, um grande fazendeiro que já não aguentava mais os empates que Chico Mendes liderava, literalmente empatando seus negócios e as terras do Seringal Cachoeira, que ele reclamava serem suas. Chico Mendes já havia recebido diversas ameaças e já havia inclusive denunciado Darly à polícia, mas recusou sair de Xapuri.

Praça central de Xapuri, no estado do Acre

Praça central de Xapuri, no estado do Acre


Quando a exploração da borracha deixou de ser lucrativa os seringais começaram a ser derrubados e substituídos por pastos. Foi em meados da década de 70 que a nova onda de ocupação liderada pelo governo militar atraiu ruralistas e madeireiras para ocuparem o território e fazerem dele algo lucrativo. Os seringueiros que já eram explorados e sobreviviam com salários de fome, perderam seus ofícios e viram a única forma de vida que conheciam começar a desaparecer.

Uma gigantesca Samaúma no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

Uma gigantesca Samaúma no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Chico Mendes já lutava pelos direitos desse povo, liderava o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri e organizava empates para impedir a derrubada dos seringais. Nesta mesma época o movimento ambientalista pela preservação de florestas nativas ganhou força nos Estados Unidos e a união de um líder comunitário como Chico Mendes e as ONGs americanas foi perfeita. Os seringueiros se tornaram ícones da preservação e os olhos da política nacional e internacional se voltaram para a causa ambientalista da Floreta Amazônica. Foi nesta época que se originou o conceito das reservas extrativistas, onde seringueiros e a população indígena comprovaram ser possível a coexistência de seres humanos e florestas de forma sustentável.

Frase de Chico Mendes, em em memorial em sua homenagem, em Xapuri, no estado do Acre

Frase de Chico Mendes, em em memorial em sua homenagem, em Xapuri, no estado do Acre


Ao lado da casa está a Sede da Fundação Chico Mendes, com um pequeno museu que guarda a história da sua luta. Seu último grande empate aconteceu no Seringal Cachoeira em 1988, lugar onde nasceu. Hoje, além da extração do látex destinado à uma fábrica de camisinhas construída pelo governo federal, o Seringal Cachoeira recebe turistas de vários cantos do Brasil e do mundo.

Visitando o Memorial de Chico Mendes, em Xapuri, no estado do Acre

Visitando o Memorial de Chico Mendes, em Xapuri, no estado do Acre


A Pousada Ecológica do Seringal Cachoeira foi construída em parceria com o Ministério do Turismo para substituir um redário que já operava na reserva. Quartos coletivos e chalés podem ser reservados e para contar a sua história moradores do seringal foram treinados para guiar os turistas por suas trilhas ecológicas. Tivemos a sorte de chegar exatamente na hora que Nilson Mendes, um dos guias mais concorridos da reserva, estava saindo para guiar dois paulistas, Vitor e Rafael.

Visita ao Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

Visita ao Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Vitor é psicólogo, se mudou há pouco mais de 2 anos para Rio Branco e adora. Além de ter mais oportunidades de trabalho para ele e a esposa advogada, tem a tranquilidade que nunca encontraria em São Paulo. Rafael, seu irmão, veio visita-lo de férias e aproveitaram para conhecer também Xapuri e a Reserva do Seringal Cachoeira.

O Nilson nos mostra como se extrai o látex de uma seringeira, no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

O Nilson nos mostra como se extrai o látex de uma seringeira, no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Nilson é primo de Chico Mendes, uma biblioteca ambulante sobre a floresta amazônica, a história e a vida dos seringueiros e de muitos que, como seu primo e ele, lutaram pela floresta e pela manutenção dos seringais. Saímos tarde, já deveriam ser perto das 18 horas e a noite na flroesta chega mais cedo, principalmente sob a sombra das imensas samaúmas. Nilson fez uma demonstração rápida da retirada do látex de uma seringueira, já que infelizmente não podemos acompanhar o trabalho dos seringueiros as 3 da manhã, quando saem fazer a sangria da seringueira, o horário é importantíssimo para a produtividade do látex.

O Nilson, primo de Chico Mendes, nos mostra uma seringueira no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

O Nilson, primo de Chico Mendes, nos mostra uma seringueira no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


80% da produção do látex é utilizada para a confecção de pneus, (composto por 36% de borracha, 18% aço e 46% de derivados de petróleo e produtos químicos) e outros 20% são utilizados para produtos como solados de calçados, autopeças, luvas e cateteres cirúrgicos e preservativos. Pesquisando acabei descobrindo um dado super curioso: o Estado de São Paulo possui 77 mil hectares de seringais, que chegam a ser mais lucrativos que a cana de açúcar.

O látex escore de uma seringeuira no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

O látex escore de uma seringeuira no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


No caminho Nilson foi nos mostrando os diferentes tipos de árvores e folhas, descrevendo suas aplicações medicinais e práticas e ainda encontrou uma aranha caranguejeira gigante! Na ida ela estava escondida em sua toca e na volta já tinha um cadáver em decomposição do lado de fora para o jantar. O louco ainda cutucou a aranha com uma vara para podermos vê-la! Argh!

Nosso chalé no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

Nosso chalé no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Quando voltamos já estava escuro e tivemos uma super experiência na floresta de noite, tateando com os pés o nosso caminho, com as poucas lanternas que tínhamos no grupo. Assim que saímos da floresta vimos o céu aberto e cheio de estrelas desde a ponte pencil e do deque do igarapé que passa nos fundos da pousada.

A lua brilha através da copa das árvores no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

A lua brilha através da copa das árvores no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


Tivemos sorte de encontrar um chalé livre para nós sem reseva prévia! A manhã mesmo chegará um grupo grande que irá lotar a pousada. Quando vier a Xapuri, não deixe de conhecer o Seringal Cachoeira e se possível fique hospedado aqui para ter uma noite tranquila com os barulhos da floresta e ainda provar a comida gostosa que o pessoal da pousada prepara. A pequena cidade de Xapuri está localizada a 241 km de Rio Branco e o Seringal fica a mais 16km por um ramal da BR-317.


Nosso caminho pelo Acre: Saímos de Porto Velho-RO (A) para Rio Branco (B). Daí para a pequena Xapuri (C) e para Assis Brasil (D), na fronteira com o Perú

Aqui sentimos viva a alma e a memória de Chico Mendes, esse mártir e herói não só das florestas mas de todos nós, brasileiros.

Despedida do Nilson, primo de Chico Mendes, no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre

Despedida do Nilson, primo de Chico Mendes, no Seringal Cachoeira, próximo à Xapuri, no estado do Acre


PS.: Darly, Darly Jr. e um capanga foram presos e cumpriram pena por 19 anos, com uma fuga em 1993 sob a vista grossa de policiais corruptos. Retornaram à prisão em 1996 e hoje, com a pena terminada, já estão livres e ainda vivem nos arredores de Xapuri.

Brasil, Acre, Xapuri, floresta, Seringal Cachoeira, Chico Mendes, Meio Ambiente

Veja todas as fotos do dia!

Não se acanhe, comente!

Post anterior Monumento representando a bandeira do estado, em Rio Branco, no Acre

O Acre existe

Post seguinte Parte da Carretera Transoceanica, a ponte Billinghurst, sobre o rio Madre de Dios, em Puerto Maldonado, na amazônia peruana

Estrada do Pacífico

Blog do Rodrigo A casa de Chico Mendes, em Xapuri, no estado do Acre

Chico e Xapuri

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet