0 Bocas del Toro - Blog da Ana - 1000 dias

Bocas del Toro - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Bocas del Toro

Panamá, Bocas del Toro

Bocas del Toro – 14 a 16/04/13

Uma das centenas de estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Uma das centenas de estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


Bocas del Toro é um dos distritos panamenhos mais procurados pelos viajantes e ao lado de San Blás, arquipélago Kuna Yala, e das mais requintadas Islas Las Perlas no Pacífico, é um dos principais cartões postais do país. Um conjunto formado por 4 ilhas principais e com mais de 300 cayos, Bocas está no Mar do Caribe, quase na fronteira com a Costa Rica. Uma grande cadeia de montanhas central a separa de David, a segunda maior cidade do país, na carretera pan-americana do outro lado do istmo.

Represa em meio à Cordilheira Central, no Panamá, entre David e Bocas del Toro

Represa em meio à Cordilheira Central, no Panamá, entre David e Bocas del Toro


A nossa passagem pelo Panamá na subida das Américas foi rápida e o roteiro incluiu as ilhas San Blás, a capital e a obra faraônica do Canal do Panamá e a cidade com clima mais ameno nas montanhas do norte, Boquete. Hoje, um ano e meio depois, voltamos ao Panamá e após um rápido pernoite em David, cruzamos novamente a mesma cadeia de montanhas rumo às florestas tropicais e águas mornas do arquipélago de Bocas del Toro.

A bela praia de Boca del Drago,  a mais bela da Isla Colón, em Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico

A bela praia de Boca del Drago, a mais bela da Isla Colón, em Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico


Taxi náutico entre Almirante, na costa norte do Panamá, e o arquipélago de Bocas del Toro

Taxi náutico entre Almirante, na costa norte do Panamá, e o arquipélago de Bocas del Toro


O porto de acesso às ilhas é a cidade de Almirante, de onde saem lanchas regularmente por diferentes empresas e um ferry maior para carros e motos todos os dias, menos segunda-feira. Bem, hoje é segunda, então tivemos que estacionar o carro em um lugar seguro e em clima de Ilha do Mel embarcamos com as nossas mochilas rumo à Isla Colón, centro turístico e administrativo do distrito também conhecida simplesmente como Bocas.

As 'ruas' de Almirante, na costa norte do Panamá, à caminho do arquipélago de Bocas del Toro

As "ruas" de Almirante, na costa norte do Panamá, à caminho do arquipélago de Bocas del Toro


Atividades e atrações não faltam nos arredores de Isla Colón. Isla Bastimentos está a 10 minutos em lancha de Bocas del Toro e possui uma das mais belas praias da região. Old Bank é uma antiga cidade que teve origem na fortíssima indústria da banana. A propósito, Bocas del Toro é o lugar onde nasceu a famosa Chiquita Banana, uma das principais indústrias da fruta na América Central. Do lado leste da Isla Bastimentos está o Parque Nacional Marinho Isla Bastimentos e as belíssimas Wizard Beach e Red Frog Beach. Ainda na mesma ilha Quebrada Sal é uma comunidade Ngobe Buglé, indígenas que dominam o norte do pais com suas roupas coloridas em adornos geométricos maravilhosos! Planejamos quase 3 dias nas ilhas e acabamos tendo que optar dentre as diversas atrações, Bastimentos ficou para a próxima. Aí vai o nosso roteiro de 2 dias (e meio) pelo arquipélago.

Viagem entre Almirante, na costa norte do Panamá, e o arquipélago de Bocas del Toro

Viagem entre Almirante, na costa norte do Panamá, e o arquipélago de Bocas del Toro



1º Dia - Isla Colón e a cidade de Bocas del Toro

Bocas del Toro, no norte do Panamá

Bocas del Toro, no norte do Panamá


Bocas é uma cidade com um ar meio decadente, seus edifícios antigos e não muito conservados ao mesmo tempo lhe dão um charme de paraíso tropical perdido. A praça central tem árvores seculares repletas de epífitas, bromélias e cipós, nos lembrando que somos nós os intrusos ali em meio à floresta tropical. Chuva é um elemento comum neste ambiente, pois dela dependem os animais, as plantas e toda essa intensa biodiversidade formada nos arredores de Bocas. Extensos manguezais, fozes de rios, praias desertas, baías de golfinhos, tribos indígenas e tudo mais o que você imaginar formam este rico arquipélago conhecido como Bocas del Toro.

Praça central de Bocas del Toro, na costa norte do Panamá

Praça central de Bocas del Toro, na costa norte do Panamá


Chegamos à Bocas no meio da tarde e tiramos o primeiro dia para descansar, trabalhando nos blogs na varanda da nossa pousada, Casa Max, com vista para a baía e o movimento das ruas em frente a um dos bares mais badalados da cidade, o Mondo Taitú Bar. A cidade tem vários hotéis e hostels para todos os gostos e bolsos, em frente à praça estão os hostels mais backpackers, com dormitórios a 10 dólares por pessoa, adiante o Hostel International chega a 5 dólares por pessoa. O clima jovem e festivo toma conta das ruas nos finais de tarde, quando todos retornam dos seus diferentes tours e perambulam pela cidade em busca de festa e diversão.

Casas coloridas em Bocas del Toro, na costa norte do Panamá

Casas coloridas em Bocas del Toro, na costa norte do Panamá


A maioria dos tours sai entre 9 e 10 da manhã, então se você chegar no meio da tarde como nós e ainda tiver pique de sair e conhecer alguma coisa, a dica é pegar um barco para Red Frog Beach ou ainda alugar uma bicicleta e ir até a Playa Punch para pegar umas ondas e à Playa Bluff. É uma boa pedalada, se faltar tempo e disposição um ônibus ou um táxi podem te levar até lá.

Uma das bos cervejas do Panamá! (em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá)

Uma das bos cervejas do Panamá! (em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá)



2º Dia - Bike até Boca del Drago y Playa Estrella

Nadando entre estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Nadando entre estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


Dia nublado, perfeito para fazer um exercício e explorar a ilha sobre duas rodas. Alugamos bicicletas (15 dólares por dia) para cruzar a ilha até Boca del Drago. Foi neste canal que os espanhóis chegaram e, achando a entrada parecida com a boca de um dragão, assim a chamaram.

Pronta para pedalar até Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Pronta para pedalar até Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


São 15 quilômetros entre a cidade e a pequena vila de Boca del Drago, que possui uns 3 ou 4 restaurantes, dois pequenos hotéis e um mar raso e cheio de arrecifes, ótimo para quem curte um snorkel. Ali, porém, a grande atração é um pouco adiante, a famosa Playa Estrella.

Chegando à Boca del Drago, praia de Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico

Chegando à Boca del Drago, praia de Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico


Chegamos em Boca del Drago depois de muitas subidas e descidas, duas correntes soltas e uma boooa pedalada e fomos recebidos pelo falante Roberto. Uma mesinha, cervejinha gelada e um lugar para guardar as nossas bicicletas, não precisávamos de mais nada. Entre uma cerveja e outra Roberto nos contou histórias da região e mostrou todo o seu conhecimento de história e curiosidades do mundo.

Caminhando pela praia em Boca del Drago, na Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Caminhando pela praia em Boca del Drago, na Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


Caminhamos para a Playa Estrella por uma praia linda e deserta, repleta de coqueiros à beira das águas verdes do encontro do Mar do Caribe com a entrada da Bahía de Almirante. Este encontro cria as condições perfeitas para estrelas do mar, que se reúnem às dezenas nas águas mais frias da adocicada baía e colorem as areias da Playa Estrella.

Caminhando pela praia em Boca del Drago, na Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Caminhando pela praia em Boca del Drago, na Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


As estrelas estão nos cartões postais de Bocas del Toro e nas fotos de todos os viajantes que passaram por aqui. Lembrando apenas que é proibido tocar as estrelas e principalmente retirá-las de dentro d´água para fotos, senão daqui a pouco estas cenas só existirão na nossa memória.

Estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Estrelas do mar em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


Pouco antes de irmos embora tivemos uma surpresa inacreditável! Fomos reconhecidos por uma amiga que fizemos no Perú, durante as nossas caminhadas por Huaráz. Elise é estudante de medicina em Luxemburgo e quando a conhecemos estava fazendo um estágio voluntário em um hospital em Lima. Hoje, mais de um ano depois, Elise está fechando mais um período na América Latina, desta vez estudando por um ano na Universidade de San Juan, na Costa Rica.

Despedida da Elise, nossa amiga de Luxemburgo, na Cidade do Panamá, a capital do país

Despedida da Elise, nossa amiga de Luxemburgo, na Cidade do Panamá, a capital do país


O voo dela de volta para casa é na Cidade do Panamá e ela decidiu fazer um pit stop em Bocas del Toro para conhecer mais um dos nossos paraísos antes de voltar para o velho mundo. Uma coincidência incrível e que veio bem a calhar, pois daqui ela deve pegar uma carona conosco para a capital, perfeito!

Estrelas do mar, uma das atrações em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá

Estrelas do mar, uma das atrações em Boca del Drago, praia de Isla Colón, em Bocas del Toro, no Panamá


Voltamos para a cidade em uma van, com as bicicletas no teto e uns tostones (banana verde prensada na chapa) que o Roberto havia preparado para nosotros. A noite estávamos acabados, jantamos algo gostoso na cidade e até procuramos uma baladinha, mas nada que animasse muito nesta terça-feira à noite. Amanhã é dia de mais explorações.

Vencido pela subida e pela bicicleta defeituosa, no caminho para Boca del Drago, praia de Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico

Vencido pela subida e pela bicicleta defeituosa, no caminho para Boca del Drago, praia de Bocas del Toro, no litoral norte do Panamá, lado do Atlântico



3º. Dia - Cayo Zapatillas

Chegando à paradisíaca Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Chegando à paradisíaca Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


São centenas de cayos espalhados ao redor do arquipélago de Bocas del Toro, mas nós só tínhamos tempo de conhecer um. Assuntamos daqui, perguntamos de lá querendo saber qual é o mais bonito e imperdível de todos eles, e a resposta era uma só: Cayo Zapatillas!

Caminhando por Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Caminhando por Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Fechamos um tour em uma lancha que reuniu um casal, ela alemã e ele americano, 4 amigos de Boston, eu e o Rodrigo. Por sinal, todos estávamos em choque com a notícia que tivemos hoje pela manhã... o atentado a bomba em plena maratona de Boston, que deixou vários feridos e 3 pessoas mortas. Triste saber que existem loucos que se aproveitam de um momento super alto astral e saudável de reunião de famílias e atletas de todo o mundo para chamar a atenção do mundo de forma tão terrível. Enfim, muito louco também pensar que enquanto Boston está em estado de choque e terror, nós estávamos em meio a este paraíso. Pelo menos por aqui os loucos não estão muito interessados.

Na lancha que nos levou à Cayo Zapatilla, em Bocas del Toro, no norte do Panamá

Na lancha que nos levou à Cayo Zapatilla, em Bocas del Toro, no norte do Panamá


O barco saiu as 10h da manhã em direção a Cayo Zapatillas, passando pela baía dos golfinhos. Eles demoraram a aparecer, mas depois de muito procurando encontramos os imensos golfinhos nariz de botella que vivem na região.

Avistando golfinhos em Bocas del Toro, no norte do Panamá

Avistando golfinhos em Bocas del Toro, no norte do Panamá


Passando por manguezais nosso guia local também foi craque em encontrar duas preguiças de três dedos, que segundo ele nadam melhor do que nós humanos! Olhando essas preguiçosas imóveis é difícil acreditar.

Uma preguiça em área de mangue em Bocas del Toro, no norte do Panamá

Uma preguiça em área de mangue em Bocas del Toro, no norte do Panamá


20 minutos depois chegávamos ao Cayo Zapatillas, aquilo que eu sempre imaginei de Bocas del Toro. Uma ilha virgem de areias brancas como talco, repleta de coqueiros e águas azuis cristalinas. As lanchas lotadas de turistas aos poucos começam a chegar, todos com suas geladeiras cheias de cervejas e águas, pois não existe nenhuma infraestrutura na ilha.

Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Caminhamos ao redor dela e demos a volta em pouco mais de meia-hora, embasbacados a cada curva, a cada nova praia que se descortinava a nossa frente. Que lugar!

Caminhando por Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Caminhando por Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Escolhemos um ponto mais profundo para fazer snorkel e depois de atravessar uma barreira de corais bem rasos encontramos uma gretas e pequenos cânions para explorar. A paisagem submarina é bem amarela, muitos corais moles, destes que se parecem plantas, e peixinhos pequenos, bacana para se divertir e refrescar!

Um verdadeiro jardim submerso em Cayo Zapatilla, uma das ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Um verdadeiro jardim submerso em Cayo Zapatilla, uma das ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Mergulho livre nas águas claras de Cayo Zapatilla, uma das ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Mergulho livre nas águas claras de Cayo Zapatilla, uma das ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Adiante paramos ainda no Cayo Corales para mais snorkel, poucos peixes, mas muitos corais coloridos. A excursão pararia também em um restaurante para almoçarmos, mas ninguém do barco quis comer, então voltamos mais cedo para Bocas, com vento na cara e aquele clima de liberdade delicioso! Um dia especial e obrigatório no roteiro de Bocas del Toro.

Cores inacreditáveis em Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Cores inacreditáveis em Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá


Chegamos à vila já em clima de despedida, tomamos um banho de mangueira, encontramos Elise e pegamos estrada rumo à Cidade do Panamá onde um mundo de burocracias nos espera.

Depois de tanto tempo, voltando ao Panamá, agora vindos da Costa Rica

Depois de tanto tempo, voltando ao Panamá, agora vindos da Costa Rica

Panamá, Bocas del Toro, Praia, roteiro, Cayo Zapatilla, Playa Estrella

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Um arisco lagarto no solo da floresta no Parque Nacional Corcovado, na Península de Osa, no sul da Costa Rica

Península do Osa

Post seguinte Atravessando a Ponte das Américas, sobre o Canal do Panamá, na chegada à Cidade do Panamá, a capital do país

Burocracias Panamenhas

Blog do Rodrigo A praia perfeita em Cayo Zapatilla, uma das pequenas ilhas de Bocas del Toro, no norte do Panamá

Cayo Zapatilla, Mais Perto do Paraíso

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 01/02/2016 | 18:52 por Francisco Claudino

    Ana, eu sigo cruzando as rotas de vocês, daqui uns dias vou pra Bocas ! Gostei da postagem, eu terei 5 dias para explorar o lugar. Abraços.

  • 10/06/2013 | 16:06 por Paulo Pereira

    Começa a ser difícil, sinceramente, arranjar adjectivos para alguns dos locais por onde passam. Bocas del Toro é um daqueles recantos quase mágicos, perdido no meio da vegetação. Valeu a pena a avaria na bicicleta (não se podem queixar da falta de exercício), porque a praia é imperdível. 5 estrelas!

    Resposta:
    Sim, dezenas de estrelas, é um lugar lindo e ainda melhor depois de uma pedalada destas!

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet