0 Volta ao Rio e o Maraca - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Volta ao Rio e o Maraca - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Volta ao Rio e o Maraca

Brasil, Rio De Janeiro, Rio de Janeiro

1000dias no Maracaná, no Rio de Janeiro

1000dias no Maracaná, no Rio de Janeiro


Quase quatro meses depois do “fim oficial” dos 1000dias, estávamos na estrada novamente, eu, a Ana e a Fiona. O objetivo era cobrir uma importante lacuna deixada para trás no nosso roteiro, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, nas serras fluminenses. Quando passamos aí, as condições do tempo não nos permitiram realizar uma das mais belas caminhadas em terras brasileiras, um trekking de 3 dias entre as cidades de Petrópolis e Teresópolis, sempre dentro dos limites do parque e de sua natureza exuberante. Pois bem, a oportunidade perfeita para fazer isso apareceu agora, no meio do ano, e nós não titubeamos. Será uma espécie de P.S. dos 1000dias, um renascimento dos nossos sonhos de conhecer toda a América, a chance de esticarmos as pernas novamente, nós e a Fiona.


De volta ao Rio de Janeiro, rumo ao Túnel Rebouças e à Lagoa Rodrigo de Freitas

De volta ao Rio de Janeiro, rumo ao Túnel Rebouças e à Lagoa Rodrigo de Freitas


Para começar, essa é a melhor época do ano para se fazer esse trekking. O inverno é quase garantia de tempo seco e claro, embora a chance de termos de lidar com o frio seja bem maior. Além disso, amigos espanhóis que conhecemos lá no lago Titicaca estão no Brasil a turismo e nós combinamos de nos encontrar no Rio de Janeiro, cidade que tanto gostamos. Será a chance também de fazermos alguns programas na cidade que não tínhamos feito quando passamos por lá no início da nossa viagem. Aliás, para quem quiser ver ou rever as fotos e relatos daqueles dias deliciosos de Setembro de 2010 (quase 4 anos atrás!), o link para a coleção de posts está aqui.

O Corcovado e o céu azul nos dão as boas vindas ao Rio de Janeiro

O Corcovado e o céu azul nos dão as boas vindas ao Rio de Janeiro


Lagoa Rodrigo de Freitas em dia de céu azzul, um dos mais belos e conhecidos cartões postais do Rio de Janeiro, Ao fndo, a Pedra da Gávea, que vamos subir em alguns dias

Lagoa Rodrigo de Freitas em dia de céu azzul, um dos mais belos e conhecidos cartões postais do Rio de Janeiro, Ao fndo, a Pedra da Gávea, que vamos subir em alguns dias


Então, introdução feita, vamos à viagem! No dia 31 de Julho a Fiona tirou de letra os 800 kms entre Curitiba e o Rio de Janeiro e nós estávamos de volta à Cidade Maravilhosa. Da outra vez que aí estivemos, ficamos hospedados com meu irmão, lá no Alto Leblon. Dessa vez, o irmão continuou o mesmo, mas o endereço e o bairro mudaram! Fomos para o simpático Leme, espremido entre a montanha e o mar, um dos pedaços mais interessantes da orla carioca. Confesso que sempre impliquei com Copacabana, não pela incrível beleza natural, mas pela frequência de gringos e aquela desagradável fauna urbana que costuma acompanhá-los, muito interessada em seus dólares. Sempre aconselhei meus amigos estrangeiros a ficar em Ipanema/Leblon e não na chamada “princesinha do mar”. Pois bem, por ser uma continuação de Copacabana, eu imputava ao Leme, por pura ignorância, as mesmas características. Nada como uma dose de realidade para revermos nossos pré-conceitos. Esses dias no Leme me fizeram apaixonar pelo bairro que tem tudo de bom que tem Copacabana, mas sem a parte ruim. Nem preciso descrever a beleza da orla. Soma-se a isso as ruas de trás que são a própria alma carioca, bares despretensiosos, gente de bermuda e sem camisa, comércio familiar e todo mundo que se conhece. Uma delícia! Aí passamos nossos primeiros dois dias na cidade e valeu cada minuto, a convivência familiar com irmão e a afilhada (a Bebel, que viajou conosco pelo Nordeste dos EUA), os banhos de mar e a readaptação ao estilo carioca de ser.

Novo endereço no Rio, na orla do Leme, no apartamento do irmão junto com a simpática Mel

Novo endereço no Rio, na orla do Leme, no apartamento do irmão junto com a simpática Mel


Copacabana Palace, o mais famoso hotel do Brasil, em Copacabana, no Rio de Janeiro

Copacabana Palace, o mais famoso hotel do Brasil, em Copacabana, no Rio de Janeiro


Como a grande maioria dos prédios da zona sul carioca, quase não há vagas na garagem. Mas isso não é problema no Leme! A Fiona ficou estacionada em plena Avenida Atlântica, um dos metros quadrados mais caros do país, em frente ao prédio e em frente ao mar. O preço? Míseros dois reais por dia, quantia que eu duplicava para dar um agrado aos guardadores de carro. Impressionante! Se fosse em Copacabana, seria mais difícil achar uma vaga, mas ali no Leme é bem tranquilo. Não só para encontrar vagas, mas também o trânsito. Quase todos os carros que vêm pela movimentada Av. Atlântica de Copacabana viram em direção ao túnel e a Botafogo. No Leme, a famosa avenida nem parece a mesma!

Fim de tarde bem tranquilo na orla do Leme, no Rio de Janeiro

Fim de tarde bem tranquilo na orla do Leme, no Rio de Janeiro


Fim de tarde bem tranquilo na orla do Leme, no Rio de Janeiro

Fim de tarde bem tranquilo na orla do Leme, no Rio de Janeiro


A mesma tranquilidade se v~e também nas areias e naquela que é, talvez, a calçada mais ampla da cidade. Por ela caminhei todos os dias levando a simpática Mel para passear. A Mel é a cadela viralata adotada pela família do meu irmão e que, ao menos quatro vezes por dia, precisa descer para esticar as pernas e tirar água do joelho. Uma ótima desculpa para darmos mais um passeio na orla tranquila desse bairro tão simpático!

Encontro com as amigas que conhecemos em Trancoso (BA), agora na casa de uma delas, já mãe, na Gávea, no Rio de Janeiro

Encontro com as amigas que conhecemos em Trancoso (BA), agora na casa de uma delas, já mãe, na Gávea, no Rio de Janeiro


Com o àlvaro e o Valentín na orla de Ipanema, no Rio de Janeiro

Com o àlvaro e o Valentín na orla de Ipanema, no Rio de Janeiro


Mas não foi só no Leme que ficamos esses dias, claro! Fomos rever nossos amigos da cidade, como a Luciana parente e a Ana Paula Gioia, nossas amigas lá de Trancoso (post aqui). Depois de tantos anos de viagem, já deu tempo da Luciana virar mãe e engravidar novamente! São nesses momentos que percebemos como o tempo passou nesses 1000dias! Apesar de morar na Barra, a família da Luciana tem uma casa bem gostosa na Gávea e foi lá que fomos encontrá-los, contar histórias e comer uma deliciosa pizza feita em casa. delícia de programa!

Céu azul em Ipanema, no Rio de Janeiro

Céu azul em Ipanema, no Rio de Janeiro


Com o Valentín no tradicional restaurante Cervantes, no Rio de Janeiro

Com o Valentín no tradicional restaurante Cervantes, no Rio de Janeiro


Além disso, nossos amigos espanhóis, o Álvaro e o Valentin.também já estavam na cidade. Para quem quiser rever nossa convivência com eles lá no Titicaca, o post está aqui. Juntos, fomos dar uma boa caminhada em Ipanema, bairro em que ficaram hospedados seguindo nossos conselhos. Num dia de sol, Ipanema continua linda e movimentada como sempre, esporte e cerveja gelada dividindo democraticamente o mesmo espaço do calçadão e das areias. Se nós que já estamos acostumados, gostamos, imagina os amigos gringos!

O Valentín e o àlvaro no popular cervantes, no Rio de Janeiro

O Valentín e o àlvaro no popular cervantes, no Rio de Janeiro


O delicioso e tradicional sanduíche de lombo com abacaxi, no Cervantes, no Rio de Janeiro

O delicioso e tradicional sanduíche de lombo com abacaxi, no Cervantes, no Rio de Janeiro


Outro programa repetido que fizemos com eles foi comer de madrugada no tradicional Cervantes da Barata Ribeiro, quase na fronteira entre Copacabana e o Leme. Aquele sanduíche de lombo com abacaxi é mesmo uma delícia e observar a fauna humana que enche aquele restaurante no meio da madrugada é sempre interessante. Para nós, a grande novidade foi poder voltar caminhando para casa depois do sanduíche, enquanto os dois tomaram um táxi de volta à Ipanema.

Chegando ao Maracanã, no Rio de Janeiro

Chegando ao Maracanã, no Rio de Janeiro


Chegando ao Maracanã, no Rio de Janeiro

Chegando ao Maracanã, no Rio de Janeiro


Por fim, nem só de programas repetidos vivemos esses primeiros dias na cidade. Aproveitamos que era final de semana e fomos levar os espanhóis num dos programas mais cariocas que existem: ir ao Maracanã. Nós não tínhamos feito isso da outra vez que estivemos aqui, pois o estádio ainda estava em reforma. Mas agora, já em épocas pós-Copa do Mundo, o Maracaná está um brinco! Eu já tinha ido lá outras vezes, muitos anos atrás, mas isso não conta, pois o estádio está mesmo novo. Para tornar tudo ainda mais interessante, quem iria jogar lá é o meu clube de coração, o atual campeão brasileiro e firme na campanha do bicampeonato, o Cruzeiro de Belo Horizonte.

Maracanã bonito e vazio para o jogo de Botafogo x Cruzeiro, no Rio de Janeiro

Maracanã bonito e vazio para o jogo de Botafogo x Cruzeiro, no Rio de Janeiro


Maracanã bonito e vazio para o jogo de Botafogo x Cruzeiro, no Rio de Janeiro

Maracanã bonito e vazio para o jogo de Botafogo x Cruzeiro, no Rio de Janeiro


Então, para lá seguimos de metrô, tudo muito bem organizado e tranquilo. O jogo era contra o Botafogo, meu time preferido aqui no Rio, influência nos tempos de infância desse mesmo irmão que agora mora por aqui. Imagino que em dia de clássico local, tipo Flamengo e Vasco, não seja tão tranquilo assim, mas hoje estava perfeito para levar estrangeiros para lá com suas máquinas fotográficas. O estádio também estava bem vazio e assistimos a um belo jogo onde o futuro bicampeão teve tudo para ganhar, mas acabou cedendo o empate de bobeira. Enfim, fora o gol desnecessário do alvinegro, tudo correu às mil maravilhas e foi muito legal ter ido lá. Acho que não tínhamos visto nenhuma partida de futebol nos 1000dias, portanto, era mais uma lacuna a ser sanada. Afinal, rodar esse continente, ver campeonatos de surf, provas de triatlo e até uma partida de basquete em Los Angeles, mas não ver um jogo de futebol, era constrangedor. Resolvemos isso em grande estilo, indo ao mais famoso estádio de futebol das Américas! O primeiro grande resultado do nosso P.S, hehehe.

Com o Álvaro e o Valentín, assistindo a jogo no Maracaná, no Rio de Janeiro

Com o Álvaro e o Valentín, assistindo a jogo no Maracaná, no Rio de Janeiro


Cruzeiro faz gol no Botafogo no Maracaná, no Rio de Janeiro

Cruzeiro faz gol no Botafogo no Maracaná, no Rio de Janeiro


Mas virão outros mais! Amanhã, repetimos programa novamente indo ao bairro de Santa Teresa. mas seremos mais minuciosos dessa vez! Depois, só programação “virgem”! Pedra da Gávea, Pão de Açúcar (imagina que ainda não fomos lá!!!) e, finalmente, já “aclimatados”, Serra dos Órgãos!

Com o Álvaro e o Valentín, assistindo a jogo no Maracaná, no Rio de Janeiro

Com o Álvaro e o Valentín, assistindo a jogo no Maracaná, no Rio de Janeiro

Brasil, Rio De Janeiro, Rio de Janeiro, Maracanã, Leme

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Recepção de amigos na entrada de Curitiba

O Fim dos 1000dias. Ou não?

Post seguinte O bairro de Santa Tereza, no Rio de Janeiro

Santa Teresa e a Escadaria Selarón

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet