0 Pelo Chaco Paraguaio - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Pelo Chaco Paraguaio - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Pelo Chaco Paraguaio

Paraguai, Asunción

Dia de céu azul no Chaco paraguaio, região de Filadelfia

Dia de céu azul no Chaco paraguaio, região de Filadelfia


Iniciamos hoje nossa travessia do famoso "Chaco" , uma enorme planície que se extende do rio Paraguay até a fronteira com a Bolívia. Apesar de representar a grande maioria do território, apenas 3% da população do país vivem nessas terras inóspitas, alagadas durante os meses de chuva e seca nos meses de inverno. A mítica rodovia Transchaco já foi considerada uma das mais aventureiras do continente, mas hoje em dia está em grande parte asfaltada e a única dificuldade é não cair no sono nas suas intermináveis retas.

Pedágio para cruzar a ponte sobre o rio Paraguay, na periferia de Asunción

Pedágio para cruzar a ponte sobre o rio Paraguay, na periferia de Asunción


Saindo de Asunción a gente cruza a Ponte Remanso, sobre o rio Paraguay, paga um pedágio de 5 mil guaranis (uns dois reais) e temos à nossa frente as planícies infinitas onde as maiores elevações, pelo menos há dez anos atrás, eram as copas das árvores. Hoje, são as torres de comunicação, que podem ser vistas a dezenas de quilômetros. Fora isso, é tudo plano a se perder de vista.

Cruzando o Rio Paraguay, em direção à região do Chaco, no oeste do país (na saída de Asunción - Paraguai)

Cruzando o Rio Paraguay, em direção à região do Chaco, no oeste do país (na saída de Asunción - Paraguai)


Logo no início da estrada, placas nos dão as distâncias. Tudo na casa das centenas de quilômetros, inclusive a fronteira com a Bolívia, nosso objetivo, que está a uns 800 km de distância. Para hoje, nosso objetivo foi a cidade de Filadelfia, a pouco mais de 400 km de Asunción.

À nossa frente, as infinitas planícies do Chaco paraguaio (na saída de Asunción - Paraguai)

À nossa frente, as infinitas planícies do Chaco paraguaio (na saída de Asunción - Paraguai)


A viagem transcorreu sem problemas e o grande evento fou uma parada ordenada pela polícia. Apesar dos vários avisos recebidos no Brasil e pela internet, fomos muitíssimo bem tratados e nem se falou em "propina". O único momento de tensão foi quando me perguntaram e insistiram sobre o tal "permiso" para viajar de carro no país, ao qual respondi e reiterei de que não era necessário, por sermos brasileiros em carro brasileiro, país pertencente ao Mercosul. Os guardas não mais insistiram e a conversa seguiu sobre os nossos planos de viagem. Com a bela e falante Ana ao meu lado, sempre fica mais fácil ficar amigo das pessoas, hehehe.

Rumo à Bolívia, quase 800 km à frente. Nosso objetivo hoje foi a cidade de Filadelfia (na saída de Asunción - Paraguai)

Rumo à Bolívia, quase 800 km à frente. Nosso objetivo hoje foi a cidade de Filadelfia (na saída de Asunción - Paraguai)


Chegamos na germânica Filadelfia no final do dia. Por aqui, tanto a arquitetura como a língua nos fazem crer estar na Europa e não no Paraguai. Mas a presença de população indígena sempre nos traz de volta à América do Sul, hehehe. Toda a região foi colonizada pelos menonitas, alguns vindos do Canadá, outros da Alemanha e outros da Ucrânia soviética, ainda nos anos 30. Por aqui ficamos no hotel Florida, o que fez aumentar a confusão mental: hotel Florida, em Filadelfia, Paraguai, habitado por ucranianos soviéticos e canadenses menonitas falantes de alemão. Hmmmm.... entendi, faz todo o sentido, hehehe Para completar, só faltava jantar no restaurante ao lado, onde servem churrasco no estilo brasileiro! Pronto! Estávamos prontos para dormir e partir rumo à Bolívia...

Estrada corta a infindável planície do Chaco paraguaio na região de Filadelfia

Estrada corta a infindável planície do Chaco paraguaio na região de Filadelfia

Paraguai, Asunción,

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior O Panteão dos Heróis, em Asunción - Paraguai

Um Dia em Asunción

Post seguinte Flôres no hotel Florida, em Filadelfia - Paraguai

Para Não Dizerem Que Não Falei Das Flores

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 07/03/2013 | 10:17 por EZEQUIEL ORTIZ DIAS

    cara que maravilha!!! parabens!!! nóssa fiquei muito feliz em encontrar seu blog,cara vc fez oque é meu sonho a muito tempo, nossa viajei junto com vcs!!! muito bom mesmo!!! quem sabe um dia eu consiga uma aventura déssa tambem!! PARABENS!!! ISSO É VIVER A VIDA!!! ISSO É SER FELIZ!!!

    Resposta:
    Olá Ezequiel

    Que legal que vc tenha gostado da viagem. Aliás, ela ainda não acabou. Nesse momento, estamos cruzando Belize, indo para o sul

    Tenho certeza que um dia vai ser a sua vez! Tem de acreditar! Como vc mesmo dizze, temos de viver a vida e ser felizes!

    Um grande abraço

  • 23/01/2012 | 14:41 por Christian Marques

    Boa tarde!!
    Gostaria de saber mais sobre essa viagem. Você cruzou a fronteira da Bolívia?! A rodovia é toda asfaltada? Como é a infraestrutura como por exemplo posto de combustível, etc?! Obrigado

    Resposta:
    Olá Christian

    Nós cruzamos a fronteira com a Bolívia sim. No lado paraguaio, a estrada é toda asfaltada, mas tem um trecho muito ruim, cheio de buracos. No lado boliviano, tem um trecho de terra, uns 30 km, mas está sendo asfaltado.

    Há postos de gasolina, mas eles estão bem espaçados, então nunca deixe de encher o tanque quando tiver a oportunidade. Na Bolívia, nos postos perto das fronteiras, existe preço diferenciado para bolivianos e estrangeiros. Com algum trabalho e procura, acabamos encontrando lugares para abastecer pelo preço mais barato...

    Uma coisa muito importante! O stamp de saída do Paraguay no nosso passaporte tem de ser feito na última cidade grande antes da fronteira, uns 200 km antes de chegar lá. Se chegar na fronteira sem esse stamp, ou te farão voltar ou vão te tirar um bom dinheiro...

    Abs

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet