0 Outra Vez, na Mesma Semana - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Outra Vez, na Mesma Semana - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Outra Vez, na Mesma Semana

Chile, Santiago

A pobre Fiona tem os vidros quebrados pela segunda vez em 5 dias, dessa vez no estacionamento de um supermercado em Santiago, capital do Chile

A pobre Fiona tem os vidros quebrados pela segunda vez em 5 dias, dessa vez no estacionamento de um supermercado em Santiago, capital do Chile


Depois do dia intenso e brilhante pelas ruas de Santiago, voltamos para nosso hostel para pegar nossas coisas e, já de Fiona, acompanhados do Pablo, seguir para a casa da mãe dele. É onde vamos passar a noite e onde a Fiona vai ficar guardada enquanto visitamos a Ilha de Páscoa. Não demorou muito para atravessarmos a cidade, mas pouco antes de chegarmos, resolvemos parar num supermercado para levar um vinho e outras pequenas coisas para a casa da Maria Ester, a mãe do Pablo. Já estacionados, cheguei a pensar em ficar no carro enquanto a Ana e o Pablo compravam as coisas. Mas achei que a atitude seria muito anti-social e fui com eles. Seriam apenas 15 minutos e estávamos em um estacionamento vigiado.

Pois é, foram mesmo 15 minutos. Viemos caminhando e conversando animadamente quando demos de cara com uma multidão ao redor da Fiona. Eu fiquei estatelado enquanto a Ana, mais rápida, avançou gritando, desesperada: “Não! Não! Não!”. Estilhaços de vidro pelo chão, um guarda com um rosto meio envergonhado. A Fiona tinha sido roubada novamente. Em menos de uma semana, duas vezes. Esses poucos segundos, parados, enquanto a Ana se dirigia ao carro se lamentando, foram infinitos e os piores dos nossos mais de 1000 dias de viagem. Ao contrário lá de Totoralillo, aqui, todas as nossas coisas estavam no carro. Os computadores. A Nikon. O HD com todas as cópias de nossas fotos e filmes. Outro HD com a cópia da cópia. Apenas os passaportes, os tinha comigo.

A pobre Fiona tem os vidros quebrados pela segunda vez em 5 dias, dessa vez no estacionamento de um supermercado em Santiago, capital do Chile

A pobre Fiona tem os vidros quebrados pela segunda vez em 5 dias, dessa vez no estacionamento de um supermercado em Santiago, capital do Chile


Engoli em seco. A respiração parou. O coração parou também. Caminhei até o carro. Olhei pela janela. Nossas pequenas mochilas, com tudo o que temos de mais valioso, ainda estavam no banco de trás. O ladrão não teve muito tempo. Quebrou a janela atrás do banco do passageiro e pegou uma mochila, que era do Pablo. As outras estavam atrás do meu banco. O carro estava estacionado muito próximo de um poste e ele teve de escolher a outra janela. O barulho atraiu o guarda que veio correndo. Ele só teve tempo de levar uma mochila, a do Pablo. Nela, uma pequena máquina fotográfica, algumas fotos de trabalho e nada mais.

O Pablo, que já estava envergonhado pelo episódio de Totoralillo, não sabia o que dizer. Duas vezes, e justo no seu país. Tristeza estampada no rosto. Nós, depois de descobrir que só tínhamos perdido o vidro, só podíamos estar felizes. Dentro da desgraça, o milagre. Fomos para a casa da Maria Ester. Também ela não se conformava. Tão amável como o filho, nos tratou super bem, nos fez sentir em casa, nossa casa longe de casa. Esses são os chilenos verdadeiros, como a maioria dos que temos conhecido nesse lindo país. Quanto aos outros poucos, não vou deixar que estraguem a imagem que temos do Chile.

Não, vamos nos lembrar é da maioria. Como do Pablo. Deixamos a Fiona guardada na garagem. Não teríamos tempo de consertá-la, já que nosso voo era bem cedo, na manhã seguinte. O conserto fica para a volta. Mas na volta, alguns dias depois, não encontramos mais um vidro quebrado. Encontramos um vidro sorrindo. Mais um agradecimento aos nossos amigos chilenos. Mais uma boa e inesquecível lembrança que vou levar do país. As outras, essas eu vou esquecer.

A Fiona, sorridente e de vidro novo, em Santiago, capital do Chile. Uma bela surpresa do Pablo

A Fiona, sorridente e de vidro novo, em Santiago, capital do Chile. Uma bela surpresa do Pablo

Chile, Santiago, roubo

Veja mais posts sobre roubo

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior Com o Pablo e a Andrea no restaurante Venezia, em Santiago, capital do Chile

Nossos Queridos Amigos Chilenos

Post seguinte Fim de tarde em Tahai, ao lado de Hanga Roa, a única cidade de Rapa Nui (ou Ilha de Páscoa), no Oceano Pacífico

Rumo à Ilha de Pascoa

Blog da Ana Com o Pablo e a Andrea, observando a cidade de Santiago, capital do Chile, do alto do Cerro San Cristobal

Amigos Santiaguinos

Comentários (3)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 31/05/2014 | 04:06 por Rui Pereira

    Olá,
    Vi a Fiona hoje em Curitiba, estacionada em frente ao prédio onde moro, bem em frente à Universidade Positivo.
    Não conhecia o vosso projeto, mas quando vi a camionete me chamou a atenção e fui pesquisar. Parabéns pela aventura, é um sonho que pretendo também realizar.
    Boa sorte nas aventuras!

    Resposta:
    Olá Rui

    Que legal que nos encontrou! Nossa Aventura acaba de terminar, mas ainda temos 6 meses de histórias e fotos para mostrar e relatar, pelo Chile, Argentina, Uruguai e Antártida. Espero que voce nos acompanhe (e goste!) daqui para frente!

    Espero também que vc possa realizer o seu sonho!!! Ele é muito melhor do que podemos imaginar!

    Um grande abraço

  • 30/05/2014 | 23:10 por Bruno

    Realmente uma pena.. uma fatalidade...

    mas pelo o que percebi, não desanimaram... o Chile é um País fantastico, de pessoas amáveis... Mas infelizmente a criminalidade tem em todos os lugares.
    Sigam dai que eu vou seguindo vcs daqui rsrs

    Resposta:
    Olá Bruno

    Exatamente, não desanimamos não! Bola para frente! Concordo completamente sobre o que vc disse do Chiele e dos chilenos. A gente ainda conheceu o país inteiro, ate´Punta Arenas, Vamos postar todas essas fotos e histórias pelos próximos meses. Espero que continue nos seguindo e gostando!

    Um grande abraço

  • 30/05/2014 | 19:29 por Kely

    Que situação... :/
    Que bom que não foi pior!
    Que bom poder se sentir em casa fora de casa!

    Resposta:
    Oi Kely

    Pois é, a situação foi chata, mas poderia ter sido muito pior. E depois, como vc disse, bada como chegar em um lugar que podemos chamar de casa!

    Enfim, bola para frente que ainda tem muita coisa boa para acontecer!

    Um abraço

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet