0 O Sumidero e a Festa - Blog do Rodrigo - 1000 dias

O Sumidero e a Festa - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

O Sumidero e a Festa

México, Chiapa Del Corso, Oaxaca

Paredes com quase mil metros de altura no Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Paredes com quase mil metros de altura no Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


A pesar de ser a mais conhecida cidade de Chiapas, ao menos pelos turistas, San Cristobal não é a maior cidade do estado. Esse posto cabe à moderna capital, Tuxtla Gutierrez, uns 70 km a oeste da antiga capital colonial. E entre as duas, já bem pertinho de Tuxtla, está a mais velha cidade do sul do México, a pequena e simpática Chiapa del Corso.

Lanchas que levam turistas ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Lanchas que levam turistas ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Apesar da rica história, o que mais atrai visitantes a esta cidade não é sua bela arquitetura, mas uma gigantesca fissura na Terra que está logo ali do lado, o famoso Canyon del Sumidero. Colossais movimentos tectônicos criaram essa incrível rachadura no planeta há milhões de anos. O rio Grijalva aproveitou o “atalho” no seu percurso de sul a norte e foi, ao longo de centenas de milhares de anos, deixando o Canyon ainda mais profundo. O resultado, hoje, é avassalador aos nossos olhos, na nossa ridícula escala humana.

A Praia dos Urubus, a caminho do Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

A Praia dos Urubus, a caminho do Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Há pouco mais de 30 anos esse rio foi represado bem na saída do Canyon. Além da vital produção de energia que isso propiciou, outra consequência foi que o rio se tornou navegável por toda a extensão do Canyon, desde Chiapa del Corso até a barragem, Assim, todos os dias, dezenas de lanchas levam turistas desde a cidade até o Canyon, num percurso de quase 70 km, ida e volta, para poder admirar essa verdadeira maravilha da natureza. É a única maneira de conhecê-la lá de baixo e, apesar de ser no maior “esquemão turístico”, definitivamente vale a pena!

Chegando ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Chegando ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Ainda estávamos no meio da manhã quando chegamos na cidade. Na verdade, Chiapa del Corso e a visita ao Sumidero eram apenas uma pequena escala no nosso longo percurso planejado para hoje. O objetivo final do dia era chegar à cidade de Oaxaca (lê-se “Oarraca”), capital do estado de mesmo nome, mais de 600 km de distância de Tuxtla. Aqui no México, precisamos nos acostumar com grandes distâncias novamente...

Um enorme e ameaçador crocodilo na entrada do Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Um enorme e ameaçador crocodilo na entrada do Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Para nossa surpresa, quando chegamos em Chiapa del Corso, descobrimos uma grande movimentação na cidade. Ela se preparava para uma grande festa. Aliás, são festeiros esses mexicanos. Todos os dias tem festa, é impressionante! Bom, a gente deixou a Fiona num dos grandes estacionamentos preparados para quem vinha à festa e seguimos ao embarcadeiro, pegar nossa lancha. Nós e mais vinte pessoas, todos devidamente vestidos de coletes salva-vidas, apenas na nossa lancha. E são dezenas de lanchas! Mas, como ainda era cedo, muitas ainda esperavam seus clientes e encontramos a maioria delas apenas na nossa volta, felizmente.

Nossa lancha chega ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Nossa lancha chega ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Rapidamente a lancha nos leva através do rio, enquanto suas paredes laterais começam a crescer. Cem, duzentos, trezentos metros! O guia nos indica enormes formações rochosas, estalactites com mais de vinte metros de comprimento, perdidos, pequenininhos no meio daquelas paredes colossais. Passamos também por uma incrível praia com centenas de urubus e depois, para a alegria da Ana e de todos os turistas no barco, por uma pedra onde um enorme crocodilo esquentava-se ao sol. Crocodilo de proporções africanas! Um verdadeiro monstro pré-histórico!

Visita ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Visita ao Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Mas, mesmo ele apequenava-se dentro daquele Canyon. As paredes cresciam ainda mais, seiscentos, oitocentos, mil metros de altura! enquanto, para baixo, a profundidade superava os cem metros. Foi neste ponto, conhecido como “castelo”, que a história conta que centenas de índios, mulheres e crianças inclusive, se atiraram no abismo para a morte certa para evitar que se tornassem escravos na mão de seus perseguidores espanhóis. Realmente, se a única opção que restar for o suicídio, aquele é um lugar perfeito, terminar a vida em garnde e alto estilo!

Formação conhecida como Árvore de Natal, com quase 200 metros de altura, no Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Formação conhecida como Árvore de Natal, com quase 200 metros de altura, no Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


Chegamos até a barragem e voltamos, passando mais uma vez por aquela incrível paisagem e tirar o fôlego. É impressionante! Magnífico! Aqui, mais do que nunca, nossas fotos não conseguiram captar a grandiosidade da cena. Confesso que, mesmo para olhos acostumados como os meus, é uma das paisagens mais grandiosas que já vi...

O belo Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

O belo Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México


De volta à Chiapa del Corso, a festa que tínhamos visto apenas começando, agora seguia a todo vapor! As moças se vestiam em lindos vestidos cheio de cores enquanto os homens usavam máscaras e uma espécie de colmeia na cabeça. Centenas deles, vindos de todos os lados e se congregando na praça da igreja. O resultado final era lindíssimo, prato cheio para quem gosta de fotografar.

Muitas cores nas fantasias durante festa em Chiapa del Corso, no sul do México

Muitas cores nas fantasias durante festa em Chiapa del Corso, no sul do México


Depois de larga sessão de fotos e de passeáramos por entre a multidão festiva, foi de cortar o coração irmos embora, mas longas horas de estrada nos esperavam. Felizmente, estradas bem melhores e mais rápidas que as que tomamos nos últimos dias. Que delícia é poder dirigir por mais de cinco minutos sem passar por um tope (lombada)!

Festa em Chiapa del Corso, no sul do México

Festa em Chiapa del Corso, no sul do México


E assim fomos seguindo e seguindo, enquanto a tarde passava e chegava a noite. No finalzinho do dia passamos por uma região conhecida como La Ventosa. Como diz o próprio nome, o vento era forte e interminável. Até balançava a Fiona. Aproveitando isso, construíram ali um parque eólico. O maior que já vi na vida, literalmente com milhares de moinhos. Visão incrível, por dezenas de quilômetros uma fileira interminável deles.

Crianças também se fantasiam em festa popular em Chiapa del Corso, no sul do México

Crianças também se fantasiam em festa popular em Chiapa del Corso, no sul do México


Os últimos duzentos quilômetros fizemos no escuro mesmo. Aparentemente, as estradas no sul do país ainda são seguras pela noite. Chegamos à Oaxaca perto das nove da noite. Ainda não tínhamos ideia do quanto gostaríamos dessa incrível cidade...

O gigantesco parque eólico em La Ventosa, em Oaxaca, no México

O gigantesco parque eólico em La Ventosa, em Oaxaca, no México

México, Chiapa Del Corso, Oaxaca, Canyon, Chiapas, Sumidero

Veja todas as fotos do dia!

Quer saber mais? Clique aqui e pergunte!

Post anterior Casario em San Cristobal de Las Casas, no sul do México

San Cristobal de Las Casas

Post seguinte Igreja de Santo Domingo durante o fim de tarde, em Oaxaca, no México

A bela Surpresa de Oaxaca

Blog da Ana Paredes com quase mil metros de altura no Canyon del Sumidero, em Chiapa del Corso, no México

Cañon del Sumidero

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet