0 O Mar do Havaí - Blog do Rodrigo - 1000 dias

O Mar do Havaí - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

O Mar do Havaí

Hawaii, Big Island-Kona

Com as populares cadeiras-mochilas, banhistas chegam à Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí

Com as populares cadeiras-mochilas, banhistas chegam à Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí


Qual a primeira coisa que vem à cabeça de quase todas as pessoas que ainda não conhecem o Havaí? Ondas gigantes! Disputando um distante segundo lugar, estão as dançarinas de Hulahula, erupções vulcânicas, a imagem de um paraíso tropical e, mais recentemente, a competição de Ironman. Pois hoje chegou a hora de vermos esse famoso mar do Havaí mais de perto, sonho de qualquer surfista que se preze. Nada de vulcões ou cachoeiras, o assunto do dia era o mar!

Chegando à paradisíaca Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí

Chegando à paradisíaca Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí


Ontem, bem no final de tarde, chegamos à Kona, a grande metrópole da Big Island. Já no escuro, fomos mergulhar, então não deu para ver o mar com a luz do dia. Mas já tínhamos aprendido que as praias mais bonitas da ilha estão por aqui, na costa noroeste. Como um park ranger nos explicou há dois dias, essa é a costa mais antiga da Big island. Já deu tempo do mar dissolver parte das pedras e formar aquelas praias de areias brancas dignas de cinema. Lá na costa sudeste, onde estávamos, tudo ainda é pura lava, em alguns lugares endurecida há poucas décadas, em outros, endurecida há poucos minutos.

Manhã de muito sol e céu azul em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí

Manhã de muito sol e céu azul em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí


Depois dos mergulhos, ainda tivemos o pique de sair para jantar. Ao contrário de Hilo, cidade tranquila que ainda mantém as características havaianas, Kona já é totalmente americana. Com grandes avenidas, é uma cidade para quem anda de carro. Na rua principal, uma sequência de restaurantes e bares barulhentos cheio de luzes coloridas e grandes telas de TV penduradas nas paredes. Muitos jovens arrumados, gente bonita e bacana. Para quem quer paquerar, é o melhor lugar da ilha, sem dúvidas.

Manhã de muito sol e céu azul em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí

Manhã de muito sol e céu azul em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí


Voltamos para nosso B&B para finalmente descansarmos. Hoje, o dia não poderia ter começado melhor. Um café da manhã simplesmente divino nos esperava. Os nossos anfitriões são o David, um pastor protestante da Nova Zelândia, e sua esposa Eliane, da Suiça. Eles já moram no Havaí há mais de 20 anos e, há poucos anos, resolveram transformar sua casa em B&B, uma maneira de conseguir mais dinheiro para ajudar a pagar a universidade dos filhos. A casa fica em uma encosta bem alta na periferia de Kona e a vista que se tem de lá é absolutamente magnífica. No café da manhã, tudo fresquinho ou tostado na hora, entre queijos e frutas, pães e torradas, e até um suco de frutas colhidas por eles mesmos. Para nossa surpresa, uma das frutas do suco era a jabuticaba! Pois é, eles têm um pé de jabuticaba no quintal! Taí uma coisa que eu jamais esperava ver fora do Brasil! Infelizmente, não tiramos fotos, mas de amanhã não passa! Só posso adiantar que, depois de tantos motéis de estrada impessoais nos EUA, ficar em um lugar com cara de lar e tratamento personalizado é o melhor refresco que se pode ter!

O surf começa cedo no Havaí! (em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island)

O surf começa cedo no Havaí! (em Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island)


Completamente reenergizados depois do sadio banquete matinal, partimos para o mar, assunto do dia e do post! De carro, fomos até a loja de mergulho de ontem, onde pegamos dicas de praias para visitar e de locais para mergulhar. Aqui na região, há vários lugares em que se pode mergulhar a partir da praia mesmo, sem necessidade de barco. Então, aproveitamos para alugar os tanques de ar comprimido e sermos donos do nosso próprio nariz. O mesmo esquema de Bonaire, no Caribe. Colocamos os tanques no bagageiro do carro e escolhemos o lugar e o horário que vamos mergulhar. Melhor, impossível!

Descolando um tubo na praia de Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí

Descolando um tubo na praia de Kua Bay, ao norte de Kona, na Big Island, no Havaí


Mas antes de mergulhar, às praias! Seguimos para o norte da cidade, no mesmo percurso em que passam os candidatos a super homem (e super mulher!) do mais famoso Ironman do mundo. Por aqui eles correm uma maratona, logo após terem pedalado 180 quilômetros. Os quase quatro quilômetros nadados são mais para o centro, na marina da cidade. A estrada corta antigos campos de lava e só de imaginar alguém pedalando ou correndo no asfalto que corta essa região inóspita já me deixa cansado. A admiração por esses atletas e a sua força física e mental só aumentou. Fiz a promessa de um dia voltar aqui, pelo menos para assistir essa incrível prova. Melhor mesmo seria voltar como um dos atletas. Para isso, muito treino e determinação. Será que vou ter tempo e paciência para isso? Bom, o primeiro passo é sonhar e isso eu faço, hehehe! Só sei que a descrição feita por um morador aqui de Kona sobre como é o clima da cidade nos dias que antecedem a prova e no próprio dia do evento só fizeram aumentar a minha vontade!

Mergulhando na Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Mergulhando na Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí


Seguindo o conselho dos nossos amigos do mergulho, seguimos diretamente para a Kua Bay. Uma praia maravilhosa, águas azuis caribenhas, areias brancas e ondas bem civilizadas, raramente passando de um metro e meio de altura. Isso mesmo, nada das famosas ondas gigantes que fazem a fama do arquipélago. Uma coisa que logo aprendemos quando começamos a estudar o Havaí é que: primeiro, nem todas as praias tem ondas grandes, apenas algumas e; segundo, mesmo nessas que tem ondas grandes, o fenômeno só acontece em poucos meses do ano, justamente no inverno. Fora dessa estação, mesmo essas praias ficam tão tranquilas que é comum que os turistas as usem para fazer snorkel!

Mergulhando na Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Mergulhando na Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí


Assim sendo, nosso encontro com as ondas gigantes vai ficar para mais tarde, quando viajarmos para as outras ilhas do Havaí, notadamente Oahu, onde estão as mitológicas praias de Pipeline e de Waimea. Se tivermos um pouco de sorte, chegaremos lá junto com o swell que traz as ondas gigantes! Enquanto isso, vamos mesmo é aproveitar o lado “caribenho” das praias havaianas. E começamos muito bem, com a maravilhosa Kua Bay.

Águas claras e muitos corais em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Águas claras e muitos corais em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí


Algumas horas de sol e mar mais tarde, rumamos para o sul de Kona. É ali que estão os melhores pontos de mergulhos a partir da costa. Fomos para uma baía chamada Honaunau Bay. Chegamos no final do dia e não perdemos tempo em entrar na água. Ficamos impressionados com a quantidade de corais, bem diferentes do que estamos acostumados a ver mais perto do continente. Mas os peixes, esses eram os nossos velhos conhecidos, habitantes costumeiros formações coralíneas.

Peixes nadam por entre os corais de Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Peixes nadam por entre os corais de Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí


A água estava limpíssima e com temperatura bem agradável. A gente foi se empolgando e se afastando da costa, buscando profundidades maiores. Finalmente, chegamos à uma rampa que levava a um patamar mais baixo, perto dos 30 metros. Os corais mudam e escasseiam, mas algo lá embaixo nos chamou a atenção. Em um campo de areia, uma palavra escrita em letras garrafais: “ALOHA”, a saudação tão característica daqui. Foi muito legal ter chegado até lá e descoberto aquilo sem a ajuda de um guia. Mais uma surpresa desse lugar maravilhoso!

Examinando uma toca durante mergulho em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Examinando uma toca durante mergulho em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí


Começamos a voltar vagarosamente, por um novo caminho que nos levou através de canyons submarinos incríveis, a vontade de explorar só aumentando. Mas o sol estava quase se pondo e estava na hora de voltar. Fomos nadando na direção que imaginava ser a correta, mas nada de chegarmos a algum ponto que eu reconhecesse. Resolvi dar aquela olhadinha esperta na superfície e foi quando percebi que estávamos a uns duzentos metros de onde deveríamos estar. É nessa hora que um guia faz falta! Enfim, agora que já sabia a direção, dez minutos de pernadas nos levaram até lá. Do lado de fora, fomos recebidos calorosamente por um grupo de pescadores curiosos. Como sempre, a nossa origem brasileira sempre atrai mais simpatia ainda e fomos até presenteados com um sushi de atum, fresquinho! É, ainda não vimos as ondas, mas não está dando para reclamar do mar do Havaí...

Aos 30 metros de profundidade, uma mensagem para os mergulhadores, em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Aos 30 metros de profundidade, uma mensagem para os mergulhadores, em Honaunau Bay, ao sul de Kona, na Big Island, no Havaí

Hawaii, Big Island-Kona, Mergulho, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior O maravilhoso mergulho noturno com arraias manta, em Kona, na Big Island, no Havaí

Mergulhos Únicos e Inesquecíveis

Post seguinte Com o David e a Eliane, do nosso B&B em Kona, na Big Island, no Havaí

Cook, Kamehameha e a Despedida da Big island

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet